Você está na página 1de 11

MAPA DE RISCO

Consultório Odontológico
1. Normas Regulamentadoras

Fonte: ENIT, Secretaria de Inspeção do Trabalho.


2. NR - Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes (CIPA)

Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego.


2.1
3. NR 9 - Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais (PPRA)
4. Mapa de Risco
O Mapa de Risco é uma maneira eficiente de proteger seus funcionários, mostrando claramente os riscos que o ambiente
de trabalho pode apresentar. Para conseguir essa visualização, é preciso estudar a empresa de forma efetiva para, assim,
chegar a um diagnóstico sobre os perigos de cada de setor.
O Mapa de Risco foi criado na década de 60, pelos italianos, e chegou em terras brasileiras apenas no fim dos anos 70.
Com o aumento da produção industrial e do índice de acidentes, logo em seguida, o método começou a ser utilizado nas
fábricas e ambientes de industriais e, em 1992, ele se tornou obrigatório. Desde então, o Mapa de Risco é exigido em
todos os países em que a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) está presente e sua ausência pode
acarretar em multas de alto de valor.
É apresentado graficamente de acordo com o layout do local analisado.
4.1 - Mapa de Risco
Serve para mostrar os riscos presentes no ambiente de trabalho, fazendo um diagnóstico da
situação da empresa ou do setor analisado. Como também para determinar medidas de prevenção ou
anulação dos referidos riscos.
Disseminar a conscientização entre os funcionários
O Mapa de Risco visa também estimular as ações de prevenção de acidentes de trabalho e doenças
ocupacionais na empresa. Visa estimular a conscientização, fazendo com que após o conhecimento dos
riscos os funcionários passem a serem mais zelosos pela própria segurança.
GRAU DE RISCO

GRANDE MÉDIO PEQUENO

GRUPO DE RISCO

Físico: ruído, vibração, radiação ionizante e não


ionizante, temperaturas extremas, iluminação deficiente
ou excessiva, umidade.

Químico: amalgamadores, desinfetantes químicos


(álcool, glutaraldeído, hipoclorito de sódio, clorexidina) e
os gases medicinais (óxido nitroso e outros).

Biológico: HBV, HIV, Hepatite B, AIDS, tuberculose,


pneumonia.

Ergonômico: postura incorreta, ausência do profissional


auxiliar, falta de capacitação do auxiliar, ausência de
planejamento; ritmo de trabalho excessivo, atos
repetitivos.
Mecânico: arranjo físico inadequado, instrumental com
defeito, perigo de incêndio ou explosão, edificação com
defeitos, improvisações na instalação da rede hidráulica e
elétrica, ausência de EPI.
MAPA DE RISCO

Disciplina: Risco Biológico e Biossegurança

Discente: Lanna Kelley da Silva Bragas

Curso: Farmácia
Referências
http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealt
hSci/article/view/1289/1234
Os principais riscos do cirurgião-dentista são relacionados a agentes físicos
(ruído, iluminação e radiação), químicos (por exposição a produtos químicos em
geral e mercúrio) biológicos (exposição principalmente ao HBV e HIV) e
ergonômicos (hábitos, posturas inadequadas e movimentos repetitivos em
excesso).

LANNINHA, DÁ UMA LIDA NESSE ARTIGO, TÁ? O LINK ALI ACIMA RS CÊ


VAI ENTENDER UM POUCO MELHOR! A LINGUAGEM É BEM SIMPLES!