Você está na página 1de 17

Fundamentos empíricos da análise do comportamento

em:
INTRODUÇÃO  O respectivo trabalho discorrerá
sobre o fundamento empírico da
analise do comportamento
voltado ao diagnostico e
tratamento do Transtorno de
Déficit de Atenção e
Hiperatividade, considerando a
dificuldade de aprendizagem
associada a um comportamento
hiperativo e os prejuízos
psicológicos ligados a esse
transtorno.
TDAH  O transtorno do déficit de atenção e
hiperatividade (TDAH) é o diagnóstico
psiquiátrico mais comum na infância e está
diretamente relacionado ao fracasso
escolar e a dificuldades nas vidas pessoal e
profissional (Barkley, 2006).
 Este transtorno é considerado uma doença
relacionada à essência de produção de
determinados neurotransmissores que são
substâncias produzidas em maior ou menor
quantidade no sistema nervoso central e
regula o funcionamento do mesmo.
SINTOMAS / CARACTERÍSTICAS DO
TDAH • Desatenção;
• Hiperatividade;
• Impulsividade;

Uns dos aspectos principais a


ser observados e acentuados
é o da deficiência no
comportamento de
inibição, autocontrole
emocional e pouca
coordenação motora.
DIAGNÓSTICO
 O diagnóstico do TDAH é utilizado frequentemente os
critérios apresentado pelo DSM-IV que são os seguintes: seis
dos nove itens do tópico atenção, assim como do tópico de
hiperatividade – impulsividade, devem ser observadas pelo
menos em duas áreas (escola e família) da vida da criança,
por mais de 6 meses e surgir até por volta de 7 anos de
idade
 O diagnóstico pode ser feito de TDAH do tipo
predominantemente Desatento, TDAH do tipo
predominantemente Hiperativo/Impulsivo, e ainda, TDAH
do tipo predominantemente Combinado.
DIAGNÓSTICO
 Para a Análise do Comportamento
diagnosticar um indivíduo com Transtorno
de Déficit de Atenção e Imperatividade é
necessário observar em que circunstância
os comportamentos característicos do
transtorno são emitidos, e identificar quais
comportamentos e sequências dos mesmos
e observar se essas são reforçadoras.
Tratamento do TDAH de acordo
com a análise comportamental
 O tratamento baseia-se em duas opções a farmacológica e
a psicoterápica, sendo mais eficaz utilização das duas em
conjunto.
 A associação Brasileira do Déficit de Atenção e
Hiperatividade/Impulsividade – ABDA – (2004), diz que e
tem sido eficaz primeiro o uso de medicações e depois
psicoterapia. O ponto central do tratamento é a redução de
sintomas e efeitos negativos do transtorno com foco em
melhorar a qualidade de vida do indivíduo.
Tratamento do TDAH de acordo
com a análise comportamental
 Nos últimos 40 anos, a Análise do
Comportamento vem utilizando a ferramenta da
avaliação funcional em intervenções sobre os
comportamentos tipicamente envolvidos no
diagnóstico de TDAH, tais como engajamento
em tarefas, conversar com os colegas, andar
pela sala de aula, entre outros.
Tratamento do TDAH de acordo
com a análise comportamental
 Um resultado bastante relevante das pesquisas
realizadas até o momento é a constatação de que as
respostas disruptivas típicas do TDAH geralmente
estão sob controle de quatro funções específicas: (1)
fuga/esquiva de tarefas escolares e domésticas; (2)
atenção (de adultos e de colegas); (3) acesso a um
objeto ou atividade (mais reforçador do que o objeto ou
a tarefa que se espera que a criança atente); (4)
estimulação sensorial.
Tratamento do TDAH de acordo
com a análise comportamental
 Se a função da resposta-alvo for de fuga/esquiva de
tarefas, duas estratégias de intervenção são sugeridas:
 Diminuir a aversividade da tarefa antes de solicitá-la
(oferecendo possibilidade de escolha da tarefa numa
lista de tarefas, intercalando tarefas aversivas com
atividades reforçadoras)
 Permitir a fuga/esquiva da tarefa (por exemplo, pedir um
intervalo após concluir parte da tarefa).
Tratamento do TDAH de acordo com a
análise comportamental
 Se a resposta-alvo em questão está sob controle de
atenção de adultos, as três possibilidades de
intervenção são:
 Ignorar a resposta disruptiva e dar atenção
contingente à emissão de respostas mais
adequadas (procedimento de DRO,) 2 - aumentar a
frequência de atenção não-contingente e 3- time-out
(remover a criança por alguns minutos do ambiente
no qual as respostas disruptivas ocorreram).
Tratamento do TDAH de acordo com
a análise comportamental
 Se a resposta-alvo em questão está sob controle de
atenção de colegas de sala de aula ou amigos, é possível
1- separar a criança dos amigos prediletos e colocá-la
próximo de colegas cuja probabilidade de darem atenção é
menor, 2 - (trabalhos em dupla e em grupo), 3 - fornece
reforços para os colegas ignorarem as respostas
disruptivas do indivíduo e 4 - estabelecer contingências
grupais, em que tanto o indivíduo com o diagnóstico de
TDAH quanto os colegas envolvidos recebem reforços por
completar tarefas e/ou obedecer a regras.
Tratamento do TDAH de acordo com a
análise comportamental
 Se a função da resposta-alvo for acesso a um objeto
ou atividade, duas estratégias de intervenção são
sugeridas: (1) o acesso ao objeto ou à atividade
deve ser impedido durante a realização de
atividades e quando o indivíduo emitir respostas
disruptivas; (2) permitir acesso ao objeto ou à
atividade contingente ao término da tarefa ou à
emissão de respostas mais adequadas.
Tratamento do TDAH de acordo com a
análise comportamental
 Se a função da resposta-alvo for produzir
estimulação sensorial, sugere-se: 1- interromper ou
impedir a resposta disruptiva (por exemplo, dando
uma pequena bronca ou redirecionando a resposta
emitida para uma resposta mais adequada) e 2 -
enriquecer a estimulação ambiental, pois isso
diminui a probabilidade de a criança buscar auto
estimulação (numa sala de aula, por exemplo,
promover tarefas mais ativas e menos passivas).
Tratamento do TDAH de acordo com
a análise comportamental
 A identificação da função de cada
resposta é de fundamental importância
para qualquer intervenção e deve ser
complementada, por meio da avaliação
funcional, pela identificação das variáveis
antecedentes que exercem controle sobre
as respostas-alvo.
Fim