Você está na página 1de 16

Equipe: Fernanda Silva Calixto

Rafael Nunes da Luz


Ronaldo Nascimento Rocha
Professora: Rosivânia da Paixão Silva Oliveira
INTRODUÇÃO

• Definição;
• Aspectos técnicos e econômicos;
• Regulamentação;
• Plataformas offshore;
DESENVOLVIMENTO
• Última etapa do ciclo de vida de um campo de petróleo e gás;
• Essa etapa passa por diferentes procedimentos;
• Não é uma tarefa fácil, pois cada locação é diferente devido a características
únicas;

Figura 1: Ciclo de vida de um campo de petróleo e gás. Fonte: https://epbr.com.br/a-logistica-no-


descomissionamento-parte-2/.
DESENVOLVIMENTO
Quando aplicar o descomissionamento

• Após a detecção de não viabilidade econômica após a etapa de perfuração ou


quando o poço já passou por um determinado período de produção atingindo o
máximo da sua vida útil;
Desmobilização da sonda nas seguintes fases:
• Recolhimento e descarte dos cascalhos oriundo da perfuração;
• Recolhimento e descarte dos resíduos oleosos, incluído lixo e rejeitos
sanitários; coleta seletiva de lixo; resíduos medicinais; etc;
• Limpeza do solo, replantio, onde couber, enfim, recuperação das condições
originais do local;
DESENVOLVIMENTO
Quando aplicar o descomissionamento

Quando já possui um sistema de produção o processo de


descomissionamento irá requerer todos os mesmos esforços logísticos do
descomissionamento da sonda, no entanto, exige outros procedimentos:

• Abandonar todos os poços, ora


produtores;
• Retirada de todos os equipamentos
auxiliares, como geradores; prováveis
plantas para injeção de vapor, líquido;
• Recolhimento das linhas de produção
aos tanques de armazenamento;

Figura 2: Desmonte de uma sonda. Fonte:https://epbr.com.br/a-


logistica-no-descomissionamento-parte-2/.
DESENVOLVIMENTO
Quando aplicar o descomissionamento

Como o descomissionamento acontece só ao final do ciclo de vida do


projeto muitas vezes não recebe atenção suficiente no momento da avaliação do
investimento gerando grande dificuldade de estimar de forma criteriosa os custos
com o descomissionamento. Como exemplo de custos com descomissionamento
offshore tem-se a estimativa de abandono de uma base de operação no Golfo de
México explanado abaixo:

Figura 3: Estimativas de custos de


descomissionamento no Golfo do
México. Fonte
https://www.ibp.org.br/personalizado/u
ploads/2017/08/02_Apresenta%C3%A
7%C3%A3o-td-descomissionamento-
edmar-final.pdf
DESENVOLVIMENTO
Legislação

Órgãos regulamentadores:
• IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais
Renováveis);
• Marinha (Amazônia a marinha faz a segurança dos rios);
• Corpo de Bombeiros (tanto para a sonda, quanto para o sistema de produção);
• ANVISA (saúde);
• PNRS – Programa Nacional de Resíduos Sólidos, Lei nº 12.305/10 (trata de todo
resíduo que sairá das atividades,);
• RFB – Receita Federal do Brasil (caso de importação de bens)
DESENVOLVIMENTO
Legislação

• O descomissionamento está previsto no § 2º, art. 28, da Lei no 9.478/97.


• Licenciamento Ambiental.
• Contratos de concessão.
• Normas internacionais.
DESENVOLVIMENTO
O Processo de Descomissionamento Offshore

Existem diferentes formas de aplicar o descomissionamento, como:


• Remoção completa;
• Remoção parcial;
• Tombamento no local;
• Utilização alternativa;

Figura 4: Descomissionamento de uma


jaqueta. Fonte:
https://www.oilandgaspeople.com/news/7287/
north-sea-decommissioning-tipped-at-75-
billion/
DESENVOLVIMENTO
O Processo de Descomissionamento Offshore

Remoção completa:
• Vantagem: possibilidade do local recuperar as condições ambientais próximas
às condições anteriores da instalação da plataforma.
• Desvantagens: possui alto custo, pode causar danos ao ambiente marinho e
eliminar o habitat artificial criado em torno da estrutura durante os anos de
produção;
Remoção parcial: A estrutura poderá ser parcialmente removida desde
que possibilite uma coluna d'água desobstruída. A profundidade exata
dependerá das exigências legais de cada localidade.
DESENVOLVIMENTO
O Processo de Descomissionamento Offshore

Tombamento no local: que consiste na remoção dos topsides, em


seguinte requer o tombamento de toda a subestrutura no local;
Utilização alternativa, como por exemplo, a transformação da plataforma
em centros de pesquisa, locais para o ecoturismo, cultivo marinho, base para
fontes alternativas de energia (eólica), local de pesca esportiva, etc.
DESENVOLVIMENTO
Aspectos Ambientais
Mesmo deixando o ambiente nas condições originais antes da
exploração, a remoção das plataformas acaba afetando o ambiente devido ao
equilíbrio que havia sido encontrado com a estrutura no local, assim, afetando
novamente a fauna aquática do local.

Figura 5: Corais na estrutura de uma jaqueta.


Fonte:
http://sdnews.com/view/full_story/27354113/article-
Scripps-alumnae-s-Rigs-to-Reefs-program-looks-
to-sustain-sea-life
DESENVOLVIMENTO
Aspectos Ambientais

As atividades de descomissionamento podem causar impactos diretos à


atividade pesqueira.
Pode ocorrer os seguintes problemas ambientais na fase do
descomissionamento:
 Vazamentos de óleo que podem provocar “manchas” na superfície e também ser
adsorvido por sedimentos;
 Falta de tratamento ou disposição final dos cascalhos de perfuração
(lubrificantes, polímeros, detergentes, radionuclídeos naturais derivados das
rochas perfuradas, etc);
 Consumo de resíduos tóxicos por parte de alguns organismos;
 Presença de compostos químicos residuais e rejeitos de perfuração;
CONCLUSÃO

• O descomissionamento deve ser feito conjunto a uma análise de importância,


por ser um processo de grandes riscos ao meio ambiente e de alto custo.
• Deve ser levada em consideração alguns licenciamentos ambientais e a da Lei
no 9.478/97, mesmo sabendo que a legislação brasileira não pune caso haja
descumprimento da mesma.
• Os desafios encontrados no processo são de alto impacto para a decisão de
toda realização do projeto e a escolha dos métodos utilizados deve se basear
nas análises destes desafios.
• Para maior segurança, ambiental e dos profissionais, é necessário analisar uma
gestão de risco operacional.
REFERÊNCIAS

• Competências Ambientais do Descomissionamento de Instalações Offshore.


Disponível em:
http://www.amchamrio.com.br/srcreleases/maria_josefina_kurtz.pdf. Acesso em:
13/02/2019
• ANP – Descomissionamento de Instalações.Disponível em:
http://www.anp.gov.br/exploracao-e-producao-de-oleo-e-gas/seguranca-
operacional-e-meio-ambiente/descomissionamento-de-instalacoes. Acesso em
16/02/2019.
• EPBR - A logística no descomissionamento – parte 2. Disponível em
https://epbr.com.br/a-logistica-no-descomissionamento-parte-2/. Acesso em
16/02/2019.
• IBP - Regulação do Descomissionamento e seus impactos para a
competitividade do upstream no Brasil. Disponível em:
https://www.ibp.org.br/personalizado/uploads/2017/08/02_Apresenta%C3%A7%
C3%A3o-td-descomissionamento-edmar-final.pdf. Acesso em 16/02/2019.
REFERÊNCIAS

• O descomissionamento de estruturas offshore no Brasil. Disponível em:


http://www.engenhariaambiental.ufes.br/sites/ambiental.ufes.br/files/field/anexo/
o_descomissionamento_de_estruturas_de_producao_offshore_no_brasil_-
_cecilia_freitas_martins.pdf. Acesso em: 15/02/2019
• Análise Dos Desafios Do Processo De Descomissionamento De Unidades De
Produção De Petróleo Offshore – Disponível em:
https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/5472/1/Thiago%20Louzada.pdf. Acesso em:
16/02/2019.