Você está na página 1de 21

IV SEMINÁRIO DO NIPEDICMT

PARADIGMA, TEORIA, MODELOS E ESQUEMAS NAS


PESQUISAS DO NIPEDICMT
SEMINÁRIOS
NIPEDICMT 2018

JOSÉ VIEIRA DO NASCIMENTO JR.1


LUIZ MARCIO FARIAS2 UFBA
CHEICK OUMAR DOUMBIA3 Universidade Federal
Da Bahia

UEFS
Universidade Estadual
De Feira De Santana
(1) DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS
PESQUISA EM DIDÁTICA PPGEFHC
Programa de Pós-
Graduação em Ensino,
Filosofia e História das
(2) PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA Ciências
DAS CIÊNCIAS

(3) ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960


ATÉ OS DIA ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM
MODELO PRAXEOLÓGICO DE REFERÊNCIA.
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
PARADIGMA
DEFINIÇÃO:
Wikipedia: suscintamente, Paradigma ... é um conceito das ciências e da epistemologia que define um
exemplo típico ou modelo de algo. É a representação de um padrão a ser seguido. ... Uma teoria, um
conhecimento que origina o estudo de um campo científico; uma realização científica com métodos e valores
que são concebidos como modelo...

Para Kuhn, um renomado físico e pensador americano, a definição de Paradigma tem duas acepções do
conceito: “(I) De um a parte ele representa um conjunto de crenças, de valores reconhecidos e de técnicas
comuns aos membros de um grupo, ... (II) De outra parte, ele destaca um elemento isolado deste conjunto:
as soluções de enigmas concretos que, empregados como modelos ou exemplos, podem substituir as regras
explícitas que buscam soluções para os enigmas que subsistem na ciência normal” (Kuhn, 1972, p. 207;
1972, apud WILLET, 2010, p, 2).

Conjunto de questões, problemas, teorias, hipóteses, respostas e coletivo de pesquisadores, que trabalham
dentro de uma tradição de pensamento, buscando soluções para questões iniciais ainda inconclusas dentro
de uma ciência normal ... É um processo global que conduz à construção de uma explicação científica, sem
José Vieira
pressupor…nessa perspectiva o paradigma é o que funciona mesmo quando não tem teoria (Masterman,
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA

PARADIGMA EM DIDÁTICA:
 Ele parte da busca de soluções sobre os problemas de ensino-aprendizado.
 Teorias que fazem deste paradigma:

Teoria O que o que Tem em comum


Teoria dos Campos Conceituais - A origem no construtivismo de Piaget e de Vygotsky
TCC

Teoria das Situações Didáticas - TSD A origem no construtivismo de Piaget e de Vygotsky

Teoria Antropológica do Didático - A origem no construtivismo de Piaget e de Vygotsky


TAD

José Vieira
Do paradigma ao esquema nas pesquisa em didática
TEORIA

DEFINIÇÃO:
Wikipedia: basicamente uma Teoria é ... 'contemplação', 'reflexão',
'introspecção’, ... indica, na linguagem comum, uma ideia nascida com base
em alguma hipótese, conjectura, especulação ou suposição, mesmo abstrata,
sobre a realidade. Também designa o conhecimento descritivo
puramente racional ou a forma de pensar e entender algum fenômeno a partir
da observação...

Segundo Popper (2013, p. 33), um filósofo da ciência , uma teoria é “uma


síntese de conhecimentos que explica fatos passíveis de serem reproduzidos
(se possível) e verificáveis… ”

Uma tentativa de descrever a realidade através de criação de conceitos.


Papel de uma teoria
Dialética paradigma-teoria

José Vieira
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
TEORIAS

TEORIAS DA DIDÁTICA:

Teoria O que estuda


TSD a articulação saber-conhecimento na modelização das situações didáticas, do contrato
didático e dos obstáculos ao aprendizado.

TCC o papel da estrutura do pensamento matemático no processo de conceitualização a


partir do construtivismo piagetiano.

TAD as condições, restrições e relações que envolvem a transposição do saber nas


instituições. A noção de praxeologia.

José Vieira
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
MODELO

DEFINIÇÃO:
O termo modelo é bastante abrangente. Para efeito do nosso estudo, vamos adotar a
definição de modelo científico

Wikipedia : Um Modelo é científico quando idealiza de forma simples um sistema que


possui maior complexidade, mas que ainda assim supostamente reproduz na sua essência o
comportamento do sistema complexo que é o alvo de estudo e entendimento.

Gilles Williet (1996, p. 9): "Modelo é uma concepção “desenvolvida no prolongamento no


prolongamento de uma teoria, ... uma projeção dela... ele faz referencia a uma gama mais
limitada de situações que a teoria da qual ele é originado, ... é habitualmente de aplicação
mais reduzida. O modelo não é uma ferramenta explicativa e de generalização mas ele joga
um papel importante na formulação das teorias".

Modelos atômicos por exemplo, tentam esclarecer aspectos teóricos sobre o objeto átomo
ao longo da história: => Os gregos, Dalton, Thomson, Rutherford – Bohr, Heinsenberg, ...

José Vieira
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
MODELOS

MODELOS EM DIDÁTICA

Teoria Modelo

TSD Fases adidática e didática na teoria das situaçoes didáticas…


Fases da ação, formulação, devolução,... Modelos de situações de
Ensino.
TCC Campos aditivo e multiplicativo

TAD Praxeológico, T4: Tipo de tarefa – T; técnica - , tecnologia: , teoria: 


T4 [T, , , ] + TEL
TEL sendo aprendizado aprimorado pela tecnologia, “Technology Enhanced
Learning”.

José Vieira
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
ESQUEMAS
DEFINIÇÃO:

É a “representação gráfica sintética de ideias, fatos, conceitos, princípios,


modelos, processos, etc., que visa facilitar a compreensão e a comunicação
das relações estruturais, hierárquicas ou de causalidade entre os diversos
elementos que compõem essas informações” (Wikitionary.org)

Gilles Williet (1996, p. 15):


“Esquema: um esquema é um meio de representação simplificado, figurado,
simbólico e funcional de realidades perceptíveis ou não e de relações”.

Esquema como um conjunto organizado de signos que ajuda a esclarecer o


que diz uma teoria, as suas leis e noções, etc.

José Vieira
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
ESQUEMAS
ESQUEMAS EM DIDÁTICA: O Esquema Herbatiano
da TAD
Nicho signo

Sistema didático S

Aluno X
Uma questão Q sendo posta, um sistema didático S(X; Y; Q) se
forma em torno dela: X é um coletividade de estudo (uma classe, Instituição I
uma equipe de alunos, uma equipe de pesquisadores, um jornalista,
etc.) e Y é uma equipe (em geral reduzida: Y pode mesmo ser o Professor Y
conjunto vazio) de ajudas ao estudo e de diretores de estudo Questões Q
(professor, tutor, diretor de pesquisa, diretor da redação, etc.). O
objetivo da constituição deste sistema didático é estudar Q, ou seja, Obras O
pesquisá-la e trazer uma resposta que satisfaça certas obrigações a
priori, que ela [a questão] por sua vez se prova pela confrontação Respostas R
com os meios adidáticos apropriados. O resultado esperado do
trabalho de X sobre a supervisão de Y pode ser assim Meio didático M
representado:

José Vieira
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS
CIÊNCIAS
PRAXEOLOGIAS

DEFINIÇÃO ELEMENTOS PRAXOLOGICO

PRODUZIR CONHECIMENTO:

Luiz
Márcio
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS
CIÊNCIAS
PRAXEOLOGIAS

DOS ETUDANTES:

DO PROFESSORES:

PROF- PESQUISADOR

PESQUISADOR:

Luiz
Márcio
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS
CIÊNCIAS
PRAXEOLOGIAS DO PESQUISADOR

DEFINIÇÃO:

Luiz
Márcio
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS
CIÊNCIAS
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA

Da PX do pesquisador

A Px de Pesquisa

Luiz
Márcio
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS
CIÊNCIAS
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA

Congruências das questões

Congruências das tecnicas e seus alcances

Chegando a teoria

Luiz
Márcio
PRAXEOLOGIAS DE PESQUISA EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS
MODELO

modelo

Luiz
Márcio
ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960 ATÉ OS DIA
ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM MODELO PRAXEOLÓGICO DE
REFERÊNCIA
TESE

Tese contexto

Cheick O. Doumbia
ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960 ATÉ OS DIA
ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM MODELO PRAXEOLÓGICO DE
REFERÊNCIA
TESE

Paradigma de pesquisa

Cheick O. Doumbia
ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960 ATÉ OS DIA
ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM MODELO PRAXEOLÓGICO DE
REFERÊNCIA
MODELO PRAXELOGICO PARA TESE

SEU MODELO PX

Cheick O. Doumbia
ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960 ATÉ OS DIA
ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM MODELO PRAXEOLÓGICO DE
REFERÊNCIA
MODELO PRAXELOGICO PARA TESE

CORRESPONDENCIAS DAS Q, t….

Cheick O. Doumbia
ECOLOGIA DO CONCEITO DE LIMITE DE 1960 ATÉ OS DIA
ATUAIS: CONSTRUÇÃO DE UM MODELO PRAXEOLÓGICO DE
REFERÊNCIA
RESULTADOS PRODUZIDOS PELO MODELO PRAXELOGICO

CORRESPONDENCIAS DAS Q, t….

Cheick O. Doumbia
DO PARADIGMA AO ESQUEMA NAS PESQUISA EM
DIDÁTICA
Referências

1. Claire Margolinas. Essai de généalogie en didactique des mathématiques. Revue suisse des sciences de l’éducation, Société suisse pour la recherche en éducation
(SSRE) (Fribourg), 2005, 27 (3), pp.343-360. <halshs-00443709>
2. Popper, K., Conjectures et réfutations, Paris, Payot, 1985.
3. Épistémologie et didactique des sciences1 Notes de cours - Denise Grenier - UJF - Grenoble. 1Ce cours a été construit à partir du texte « Épistémologie et enseignement
des sciences », de Martin Riopel, Université du Québec à Montréa
4. WILLETT, G. (1996).“Paradigme, théorie, modèle, schéma : qu’est-ce donc ?”, Communication et organisation, La recherche en communication. [En ligne], 10 | 1996.
p. 1-19. Bourdeaux: 2010. DOI : 10.4000/communicationorganisation.1873. Acesso: 19/07/2018.
5. KUHN T.S., La Structure des révolutions scientifiques, Paris, Flammarion, 1972. Traduction de la nouvelle édition augmentée, The Structure of Scientific Revolutions,
publiée par The University of Chicago Press, 1970.
6. Épistémologie et didactique des sciences1 Notes de cours - Denise Grenier - UJF - Grenoble. 1Ce cours a été construit à partir du texte « Épistémologie et enseignement
des sciences », de Martin Riopel, Université du Québec à Montréa.
7. SENSEVY, Gérard; SANTINI, Jérôme. Modélisation: une approche épistémologique. Aster, v. 43, p. 163-188. Lyon: 2006. J. L. Le Moigne. "Les modèles expérimentaux et
la clinique" (AMRP1985). CONFRONTATIONS PSYCHIATRIQUES, 1987, numéro Spécial consacré aux modèles.
8. SENSEVY, Gérard; SANTINI, Jérôme. Modélisation: une approche épistémologique. Aster, v. 43, p. 163-188. Lyon: 2006.
9. GALLUZZO-DAFFLON, Rosine <<des modèles pour l’enseignement, l’apprentissage et la formation?>>. Trema 45/2016, mis en ligne le 01 janvier 2017, consulté le 22 juin
2017. URL : http:// trema.revues.org/3467.
10. BROUSSEAU, 2008;
11. CHEVALLARD, 1982;
12. ARTIGUE, 1989;
13. PERRIN-GLORIAN, 2009, apud, ALMOULOUD; SILVA, 2012, p. 27;
PERRIN-GLORIAN; BALTAR, 2016) CHAACHOUA, Hamid; KASPARY, Danielly; FARIAS, Luiz Marcio Santos; DOUMBIA, Cheick Oumar; NASCIMENTO Jr., José Vieira.
T4TEL - Démarches d'investigation en Didactique des Sciences: des références épistémologiques questionnées au regard de la science qui se pratique : Une
méthodologie pour questionner le MPR. Disciplina do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO, FILOSOFIA E HISTÓRIA DAS CIÊNCIAS. UFBA/UEFS. Salvador:
2o semestre, 2018.
CHALMERS, Alan. O que é ciência afinal? Trad. Raul Filker. 2. Ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993, 224 p.
SENSEVY, Gérard; SANTINI, Jérôme. Modélisation: une approche épistémologique. Aster, v. 43, p. 163-188. Lyon: 2006.
WILLETT, G. “Paradigme, théorie, modèle, schéma : qu’est-ce donc ?”, Communication et organisation, La recherche en communication. [En ligne], 10 | 1996. p. 1-19.
Bourdeaux: 2010. DOI : 10.4000/communicationorganisation.1873. Acesso: 19/07/2018.
KUHN T.S., La Structure des révolutions scientifiques, Paris, Flammarion, 1972. Traduction de la nouvelle édition augmentée, The Structure of Scientific Revolutions, publiée par
The University of Chicago Press, 1970. José Vieira
LE MOIGNE, J.L. qu’est-ce qu’un Modèle? in ‘’les modèles expérimentaux et la clinique’’(AMRP1985) CONFRONTATIONS PSYCHIATRIQUES, 1987, numéro Spécial consacré
aux MODÈLES.

Você também pode gostar