Você está na página 1de 8

CAP.

VI – DO PACTO SOCIAL

Acadêmicos : Rhendel Rodrigues e Tiago Olmiro Moreira Rosa


 “O homem nasceu livre e em toda parte é agrilhoado.
Quem se julga senhor dos outros não deixa de ser tão
escravo quanto eles.”

 A ordem social é um direito sagrado, que serve de


base para todos os demais. Tal direito não provém da
natureza, mas sim de convenções. Trata-se de saber
quais essas convenções.
 Rousseau é contra a ideia de um povo ser subjugado por
uma só pessoa. O interesse do líder seria sempre um
interesse privado. Se este vir a perecer, seu império "se
desfaz e se converte em um monte de cinzas".

 LEI DA PLURALIDADE DOS SUFRÁGIOS é um


estabelecimento de convenção e supõe, pelo menos uma
vez, a unanimidade.
 *O homem no estado de natureza deseja somente aquilo
que o rodeia, ele vive livre sem ninguém para governar;
somente sua consciência é o que lhe dita as regras e
normas.

 *Já quando o homem interage com os outros, passa ao


Estado Civil. Essa passagem se dá através do “Contrato
Social.”
 “Guerra de todos contra todos’’
 Suponhamos que a força que o individuo emprega para se
manter no estado da natureza não seja mais suficiente para
sua conservação.
 Cada um deve dar-se por inteiro, de tal forma que a
condição seja igual para todos, e, assim sendo, ninguém
tem o desejo de prejudicar ao próximo.
"Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu
poder sob a suprema direção da vontade geral; e
recebemos, coletivamente, cada membro como parte
indivisível do todo".
 Os associados coletivamente recebem o nome de
Povo; Súditos quando submetidos às leis do Estado
e, cada indivíduo em particular, Cidadão.
Do Contrato Social - J.J. Rousseau - Questão

 Jean-Jacques Rousseau foi um importante filósofo, teórico político e escritor suíço.


Nasceu em 28 de junho de 1712 na cidade de Genebra (Suíça) e morreu em 2 de
julho de 1778 em Ermenoville (França). É considerado um dos principais filósofos
do iluminismo, sendo que suas ideias influenciaram a Revolução Francesa (1789).
(Disponível em http://www.suapesquisa.com/biografias/rousseau.htm , acessado
em 26/03/2015 às 19h.)

Segundo Rousseau, passagem do Estado Natural ao Estado Civil se dá através do(a):


a) Relação entre pais e filhos, na qual os segundos se submetem às regras do
primeiro.
b) Ascenção da burguesia em um período outrora controlado pelo clero.
c) Contrato Social, no qual cada um dos membros põe em comum sua pessoa e todo
o seu poder sob a suprema direção da vontade geral.
d)Desenvolvimento industrial iniciado na Revolução Industrial, que desencadeou
mudanças profundas na forma de vida das pessoas.
e)Fortalecimento de certas minorias que reivindicam seus direitos políticos.
 Rousseau, J.J.O contrato social: Princípios do direito político. 3. ed. Tradução de
Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
 ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Marina Helena Pires. Filosofando:
Introdução à Filosofia. 4. ed. São Paulo: Moderna,2009.
 BARBOSA, Paulo Sergio Cruz. A Liberdade Natural e Política em Rousseau. 2013.
93 p. Dissertação (Mestrado), Universidade Estadual do Ceará, Centro de
Humanidades, Curso Filosofia, Fortaleza, 2012.
 CHAUI, Marilena. Filosofia: São Paulo: Ática, 2002.
 COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia: 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
HUISMAN, Denis. Dicionário de Obras Filosóficas: São Paulo: Martins Fontes,
2000.
 JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia: 4. ed. Rio
de Janeiro: Jorge Zahar,1991.
 RUSS, Jacqueline. Dicionário de Filosofia: São Paulo: Scipione, 1991.
 WOLKER, Robert. Rousseau: Porto Alegre: L&PM, 2012.

 * http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-
Jacques_Rousseau#Transi.C3.A7.C3.A3o_do_estado_de_natureza_para_o_estado
_civil

Você também pode gostar