Você está na página 1de 22

Disciplina: CST 305 – Introdução a Modelagem do Sistema Terrestre

Professor: Gilberto Câmara

TEMPERATURE CONTROL ON DAISYWORLD


CAPÍTULO 11

Alunos: Juliana Silveira dos Santos


Leandro Casagrande
Marcelo Pizzuti Pes
Gaia – a Terra Viva

 James Lovelock

O planeta terra como um todo é um sistema vivo, auto-


organizador.

Permitiram, pela 1ª vez, olhar o nosso planeta a partir do


espaço exterior e percebê-lo como um todo integrado.
Gaia – a Terra Viva

 NASA – James Lovelock – projetar


instrumentos para a detecção de vida em
marte.

“Como podemos estar certos de que o


modo de vida marciano, qualquer que
seja ele, se revelará a testes baseados no
estilo de vida da Terra?”
Gaia – a Terra Viva

 A vida utilizaria a atmosfera e os oceanos como meio


fluido para matérias primas e produtos residuais.

Detectar a existência de vida analisando a composição


química de um planeta.

Se houvesse vida em Marte, a atmosfera Marciana


revelaria algumas combinações de gases, algumas
“assinaturas” características que poderiam ser
detectadas até mesmo aqui da Terra.
Gaia – a Terra Viva

 TERRA X MARTE

Composição química semelhante.


MARTE - Pouco O2, uma porção de CO2 e nenhum
metano.
TERRA - Grande quantidade de O2, quase nenhum CO2
e uma porção de metano.

Por que?
Gaia – a Terra Viva

MARTE

Planeta sem vida;

Todas as reações químicas possíveis entre os gases na


atmosfera já foram completadas;

Não há mais reações químicas possíveis;

Há um TOTAL EQUILÍBRIO QUÍMICO na atmosfera


marciana.
Gaia – a Terra Viva

TERRA

Sistema aberto;

Afastado do equilíbrio;

Caracterizado por um fluxo constante de energia e matéria.

Sua análise química detectava a própria “marca registrada”


da vida.
Gaia – a Terra Viva

 Como a Terra poderia regular sua temperatura e atmosfera?

Processos auto-reguladores tinham que envolver organismos


da biosfera.

 Lynn Margulis

Estava estudando a produção e remoção de gases por vários


organismos.

O2 e outros gases que provém da vida.

 O encontro de James Lovelok e Lynn Margulis resultou na


hipótese de Gaia plenamente científica.
Gaia – a Terra Viva

Estes laços de realimentação ligam conjuntamente sistemas


vivos e não – vivos.

A teoria de Gaia mostra que há um estreito


entrosamento entre as partes vivas do planeta –
plantas, microrganismos e animais – e suas partes não
vivas – rocha, oceanos e a atmosfera.
Gaia – a Terra Viva

 Muitos cientistas rejeitaram a hipótese de Gaia,


expressando essa rejeição alegando que a hipótese era não-
cientifica porque era teleológica (implicava a idéia de
processos naturais sendo modelados por um propósito).
 Lovelock respondeu com um engenhoso modelo
matemático batizado de:

“MUNDO DAS MARGARIDAS”


Gaia – a Terra Viva

 Neste modelo fica claro que a regulação da Temperatura é


uma propriedade emergente do sistema, que surge
automaticamente sem nenhuma ação propositada;
 Como uma conseqüência de laços de realimentação entre
organismos do planeta e o meio ambiente destes
organismos.

Como era o “mundo das margaridas”?


 Modelo computacional

Um planeta aquecido por um sol – cuja radiação térmica aumenta de


maneira uniforme. Só existem duas espécies vivas crescendo nele:

Sementes dessas margaridas estão espalhadas por todo o


planeta;
O planeta é úmido e fértil por toda parte;
Mas, as margaridas crescerão somente dentro de certa faixa
de temperaturas.
Gaia – a Terra Viva
O Mundo das Margaridas
Gaia – a Terra Viva

 Propriedade fundamental do modelo que produz auto-


regulação:

As margaridas negras, absorvendo o calor, aquecem não


apenas a si mesmas mas também o planeta.

As margaridas brancas refletem o calor e se esfriam,


resfriando também o planeta.

O calor é absorvido e refletido ao longo de toda a evolução


do Mundo das Margaridas, dependendo da espécie que está
presente.
Gaia – a Terra Viva

 - - - - aumento da
temperatura sem vida
presente
 _____ como a vida mantém
um temperatura constante.

Quando o sol está relativamente mais frio, o mundo das margaridas


aumenta sua temperatura pela absorção térmica das margaridas
negras, à medida que o sol fica mais quente, a temperatura é
gradualmente abaixada devido á predominância progressiva das
margaridas brancas refletoras de calor.
EQUAÇÕES

Temperatura Daisyworld – Lei de Stefan Boltzmann

F = εσAT4

F é a taxa do fluxo de energia em Joules/segundo (ou Watts);


ε é a emissividade do objeto;
σ é a constante de Stefan-Boltzmann com o valor de 5,67x10-8 W/ m2 K4;
A é a área do objeto;
T4 é a temperatura do objeto em graus Kelvin.
EQUAÇÕES
Temperatura de um objeto - Energia emitida

Energia emitida = Energia absorvida

Em que: a Energia Absorvida > Energia Emitida (há aumento de temperatura);


a Energia Absorvida < Energia Emitida (há esfriamento).
Energia Recebida

Fator de Luminosidade Solar * Constante de Fluxo Solar


Constante de Fluxo Solar = 917 W/m2

Energia Refletida

Energia Refletida = Energia Recebida * Albedo

Energia Absorvida

Energia Absorvida = Energia Recebida – Energia Refletida


EQUAÇÕES
Albedo Planetário

Aplanet = funAun + fwAw + fbAb

Em que: A é o albedo e F é a fração da área total do planeta coberto ou


descoberto.
Pico crescimento
Crescimento das margaridas
(modelo fator de crescimento de 0 a 1)

Fator crescwrite = 1 – 0.003265 (22.5 – Twrite)2

0.003265 – Função:

β = (max(0, m(1-((Topt - Tl)/17.5)2))


Temp. do
Em que: m = 1 o pico da taxa de crescimento e Topt = 22,5ºC, crescimento
a temperatura de crescimento ótimo e Tl é a temperatura local.
Ótimo: 22,5ºC
EQUAÇÕES

Temperatura local – Margaridas brancas e pretas.

Twhite = FHA * (Aplanet-Awhite) + Tplanet

Em que: A é o albedo; FHA é o fator de absorção de calor (inicial = 20).

Equação da taxa de crescimento, é incluída a taxa de mortalidade.

Twhite = fwAw * (funAun* GrowthFactor - death_rate)

white_growth = White_Area*(Uncovered_Area*White_Growth_fact-death_rate)+.001
Resultados
Resultados
Gaia – a Terra Viva

O Mundo das Margaridas, sem nenhuma


previsão ou planejamento, “regula sua
própria temperatura ao longo de um grande
intervalo de tempo por meio da dança das
margaridas”.

Você também pode gostar