Você está na página 1de 6

John Maynard

Keynes
Considerado um dos economistas mais influentes do século 20, cujas ideias se
chocavam com o pensamento neoclássico da época, mudou fundamentalmente
a teoria e prática da macroeconomia, se tornando o fundador da
macroeconomia moderna.
Trouxe à tona questões fundamentais, principal delas foi a defesa do papel
regulatório do Estado para minimizar as instabilidades do mercado, como a
crise de 29.
• Nascido em Cambridge no ano de 1883
• Pai – Secretário da Universidade de Cambridge
• Mãe – Prefeita de Cambridge (1932 – 1933)

• Estudou no Eton College, onde ganhou medalhas por mérito em


matemática e uma bolsa para o King’s College da Universidade de
Cambridge;

• Estudante de Economia, foi aluno do famoso economista Alfred


Marshall, autor do livro “Princípios de Economia”;

• Em 1906 passou a ser funcionário do Ministério dos Negócios das


Índias e passou 2 anos na Àsia;

• De 1908 até 1915 foi professor de economia em Cambridge, onde


se especializou no ensino dos Princípios Econômicos de Marshall;
• Em 1916 ingressou no Tesouro Britânico, exercendo diversos
cargos importantes

• Após a Primeira Guerra, ele foi conselheiro da delegação britânica


nas negociações de paz, renunciando ao cargo em 1919, alegando
que as compensações econômicas impostas à Alemanha pelo
Tratado de Versalhes não eram factíveis.

• Nesse mesmo ano publicou seu livro "As Consequências


Econômicas da Paz“, onde expunha suas opiniões.

• Em 1932 Keynes redigiu outro livro "Tratado Sobre a Reforma


Econômica“, dedicado a demonstrar a necessidade de uma moeda
estável como o fundamento essencial de uma economia mundial
saudável.
• Em 1936 escreveu a sua obra mais famosa “Teoria Geral do
Emprego, do Juro e da Moeda", que é considerado uma das mais
importantes obras de literatura econômica, tendo lançado as bases
conceituais da macroeconomia moderna.

• O argumento central do livro é que o nível de emprego é


determinado não pelos preços do trabalho como na economia
neoclássica, mas pelos gastos em dinheiro (demanda agregada).

• Argumenta que é errado assumir que mercados competitivos irão,


no longo prazo, levar ao pleno emprego, e que o pleno emprego é
o estado de equilíbrio natural de uma economia monetária.
• Durante a Segunda Guerra Mundial, se reincorporou ao Tesouro
Britânico.

• Se dedicou principalmente a questões como as finanças de guerra,


o restabelecimento final do comércio internacional e de moedas
estáveis.
• Em 1940 publicou o livro “Como Pagar a Guerra”, que os despesas de guerra
deveriam ser amplamente financiadas por uma tributação mais alta e especialmente
pela poupança compulsória (essencialmente os trabalhadores emprestam dinheiro ao
governo).

• A fim de evitar a inflação, a poupança obrigatória seria mais justa do que a imposição
punitiva e teria a vantagem de ajudar a evitar uma queda pós-guerra ao impulsionar a
demanda uma vez que os trabalhadores pudessem retirar suas economias.
• Em 1944 chefiou a delegação britânica na Conferência de Bretton
Woods, que deu origem ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário
Internacional.

• Ele propôs a criação de uma unidade mundial comum de moeda, o


bancor, e novas instituições globais - um Banco Central Mundial e a
União Internacional de Compensação.

• Keynes previu que essas instituições administrariam um sistema internacional de


comércio e pagamentos com fortes incentivos para que os países evitassem déficits
comerciais ou superávits substanciais.

• Com maior poder de negociação dos EUA, os resultados finais eram mais alinhados
com os planos mais conservadores de Harry Dexter White. Embora seu plano tenha
sido rejeitado, a proposta que foi adotada refletia claramente a influência de seu
pensamento.

Você também pode gostar