Você está na página 1de 38

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM

EDUCAÇÃO E SAÚDE NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA

A TABUADA EM DIFERENTES TEMPOS PEDAGÓGICOS :


do ensino ativo para a escola ativa

Dirce Lurdes Pires Rodrigues

2015 Dissertação de Mestrado orientada pelo Prof. Dr. Wagner Rodrigues Valente
Objetivos do Estudo

 Geral :
 Investigar as representações da tabuada do ensino
ativo para a escola ativa

 Específico:
 Compreender as mudanças e significados atribuídos a
tabuada como material didático-pedagógico
 Verificar os seus atributos e finalidades ao longo do
tempo
Contextualização

 A tabuada =>

 origem no comércio = facilitador


extensão dos dedos
 deslocamento para a escola = assume aspecto de
material didático-pedagógico para o ensino do cálculo
aritmético
Contextualização

 O Ensino da tabuada é uma questão relacionada à


Educação Matemática no Brasil. A sua pesquisa
historiográfica favorece uma percepção mais consciente
do presente a partir de uma reflexão do passado.”

(A tabuada em diferentes tempos pedagógicos: do ensino


ativo para a escola ativa” está inserida no projeto do
GHEMAT denominado: História da matemática escolar no
curso primário: a tabuada e a resolução de problemas no
ensino da aritmética.)
GHEMAT

 O Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática


no Brasil - constituído em 2000. O grupo, cadastrado no
Diretório de Grupos de Pesquisas do CNPq tem
como líderes os professores Neuza Bertoni Pinto (PUC-
PR) e Wagner Rodrigues Valente (Unifesp -
Campus Guarulhos).

 Projeto atual: A matemática na escola primária nos séculos


XIX-XX: estudos comparativos entre o Brasil e a França.
Com a cooperação internacional CAPES-COFECUB, entre
a Unifesp e a Université de Paris SUD e Université de
Limoges.
Organização da Narrativa

 Introdução
 Capítulo 1 – Algumas ferramentas teórico-metodológicas
 Capítulo 2 – Do ensino ativo para a escola ativa
 Capítulo 3 – Nas revistas pedagógicas, conversas com
professores sobre a tabuada
 Conclusão
 Referenciais
 Anexos
Ferramentas teórico-metodológicas

 História Cultural

 Pesquisadores Estrangeiros:
 André Chervel (disciplinas escolares)
 Jacques Le Goff (ofício do historiador)

 Michel de Certeau (táticas e estratégias)

 Roger Chartier (práticas e representações)


Ferramentas teórico-metodológicas

 Pesquisadores Nacionais:
 Ana Clara Bortoleto Nery (periódicos educacionais)
 Carlos Roberto da Silva Monarcha (escola nova)
 Diana Gonçalves Vidal (ensino ativo, escola ativa)
 Maria do Rosário Longo Mortatti (alfabetização em São Paulo)
 Marta Maria Chagas de Carvalho (modernidade pedagógica e
modelos de formação docente)
 Nara Vilma Lima Pinheiro (conceito de número)
 Rosa de Fátima Souza (renovações educacionais)
 Wagner Rodrigues Valente (história da educação matemática no
Brasil)
Questões/Discussões

 Como e quais transformações sofrem a tabuada


para o ensino do cálculo aritmético?
 Quais as transformações da tabuada em tempos
de ensino ativo e escola ativa ? (SP)

Hip: Cristalização do saber matemático equivocada


 Apoiados em Chervel (1990) = autonomia das
disciplinas,
objetivos particulares,
articulação com outros saberes
A tabuada, como um conhecimento pertencente ao saber
aritmético, no dinamismo das transformações escolares é sujeita às
mesmas mudanças que ocorrem nas disciplinas, matérias e outros
conteúdos de acordo com a vaga pedagógica na qual está inserida.
Fontes Investigativas

 Periódicos Educacionais
representações, práticas, táticas e estratégias

 Revistas Pedagógicas

[As revistas pedagógicas são o principal veículo de circulação das


ideias defendidas pelos grupos responsáveis pelas publicações.
Servem, dessa forma, como instrumento legitimador dos grupos
que representam, uma vez que são um meio que torna mais
abrangente a divulgação dos conhecimentos e das atividades de
cada grupo (Nery, 2008, p. 25)]
Fontes Investigativas

 Repositório digital de Santa Catarina

Coleções Selecionadas
 A Eschola Publica (1890 – 1896)
 Revista de Ensino (1902 – 1918)
 Revista Educação (1927 – 1930 (Escola Nova))
 Revista do Professor do Centro do Professorado
Paulista (1934 – 1965)
Repositório Digital

 São bases de dados online que reúnem de maneira organizada a


produção científica de uma instituição ou área temática compondo
uma rede de pesquisas.

 No projeto “A CONSTITUIÇÃO DOS SABERES ELEMENTARES


MATEMÁTICOS: A Aritmética, a Geometria e o Desenho no curso
primário em perspectiva histórico-comparativa, 1890-1970”,
pesquisadores de vários estados brasileiros, em parceria,
depositam no banco de dados virtual da Universidade Federal de
Santa Catarina, documentos e estudos que dão suporte as
pesquisas dentro da história da educação matemática.

 Link: <https://repositorio.ufsc.br>
Ensino ativo e escola ativa
 Pós-república = Organização de um novo modelo de
escola (grupos escolares/escola graduada) - São Paulo
é o estado de referência para o ensino
 Natureza da criança
 Sistematização do Ensino - Intuitivo pela percepção
sensível das coisas
 Ensino pela observação - Lições de Coisas
 Educação e psicologia - Manifesto dos pioneiros 1932
 Racionalização do Ensino – ação pela experimentação
e centros de interesse
A Eschola Publica – Oscar Thompson

 Manuseio das coisas Exemplo para o ensino da


tabuada utilizando tornos
 Fala baseada no
entendimento da criança
 - Uma taboinha tirando uma taboinha
quantas ficam? [...]
 - Um tirando um?
 - Uma maça tem quantas maçãs? [...]
 O resultado deve ser o seguinte:
 - Um tirando um, fica nenhum.
 (THOMPSON, 1983)

“1 + 1 = ” por “1 e 1 são”, “3 - 1 = ”
por “3 tirando 1 fica”
 Estudo na escola e em casa
(tabuada pequena e grande)

Fonte: A Eschola Publica – número 2, SP, 1893


A Eschola Publica – Oscar Thompson

A tabuada para escrita na lousa Exercícios na lousa

Fonte: A Eschola Publica – número 4, SP, 1893

Fonte: A Eschola Publica - número 3, SP, 1893


Pedagogia Prática, Arithmética IV
Arnaldo Barreto

Oralidade - método analítico


 [...] pergunte quantas taboinhas cada um possue.
 - Eu tenho cinco taboinhas.
 - Eu possuo oito taboinhas.
 - Alfredo, dê agora uma das suas taboinhas ao seu vizinho da esquerda.
 - Com quantas taboinhas ficou você agora, Roberto?
 Deve-se exigir resposta como esta:
 - Eu tinha cinco taboinhas com mais uma que o Alfredo me deu, fiquei com
seis taboinhas.
 - E você, Alfredo?
 - Eu tinha sete taboinhas; mas tirando uma que dei ao Roberto, restam-me
seis taboinhas (BARRETO, 1896, p, 309)
Pedagogia Prática, Arithmética IV
Arnaldo Barreto

Utilização da tabuada dos tornos


Operações com
Leitura oral Operação Aritmética
Tornos
| | + |= “Dous mais um são três” Adição
| + | |= “Um mais dous são três” Adição
|||| ||| ||| - | = “De dez tirando-se um, ficam nove” Subtração

// + // = “Dous mais dous são quatro” Simultânea. Adição e Subtração no


/// - / “De três tirando-se um, ficam dous” mesmo exercício
// // // “Tres grupos de dous tornos, tem Multiplicação
seis tornos”, ou simplificando a
linguagem “Tres dois são seis”
// // // “Seis tem três dous” Divisão

Fonte: A Eschola Publica, SP, 1896


Arnaldo Barreto

Indícios da utilização dos mapas americanos

 Para auxiliar o professor nos exercícios oraes de cálculo de que se


deve dar uma aula de 20 minutos, aconselhamos os quadros
americanos seguintes.
 Estes quadros devem ser copiados em formas de mapas de meio
metro quadrado ou mais, e os números feitos de modo que todos
os alunos possam lêr de seus respectivos logares (BARRETO,
1897. s/p).
Revista de Ensino - As Cartas/Mapas de Parker
J. Brito

Fonte: Revista de Ensino, SP, 1902.


Explicações sobre algumas das Cartas de Parker

Carta Serventia (práticas)

14 Adição e subtração (números I e II), de 1 a 10.

19 Adição e subtração, de 1 a 10.

26 Pode ser usada do mesmo modo que a carta 13

27 Exercícios de divisão com resto

28 Adição e subtração (números I e II), de 1 a 20.

31, 32, 33 e Exercícios de adição de 1 a 100


34

38 Subtração de 1 a 50

44 e 45 Exercícios de multiplicação de 1 a 100 (da primeira carta,


somente os números I e II servem para a subtração)

46 Exercícios de multiplicação

47 Exercícios de divisão

Fonte: Álbum com Pequenos Trabalhos de Pedagogia, 1923


Revista de ensino - O methodo analytico” - J.
Carneiro da Silva

Círculos pretos
correspondem
a parte
intuitiva
Revista de ensino - O methodo analytico
J. Carneiro da Silva

Taboada dos Tornos Auxiliar as


Cartas/Mapas
de Parker

Herança do
passado

Fonte: Revista de Ensino, SP, 1909


Revista de Ensino – Leis e propriedades dos número simples
Francisco de Aquino Leite

“ Redução das Taboadas de Multiplicar” - 1912


 Sugestão de derivação no sentido de dedução => ex de uma
regra: Os fatores maiores 9, 8, 7 e 6 são complementados
pelos menores 1, 2, 3 e 4

 Em 8 vezes 7
 2 X 3 (complementares) = 6 é o algarismo da
unidade
 8 X 7 (multiplicativos) = (8 – 3 = 5) ou (7 – 2 = 5) = 5 é
o algarismo da dezena
 O resultado final é cinco dezenas e seis unidades, ou seja, 56.
Revista Educação - Ensino Rápido da tabuada
de multiplicar – Francisco Antunes
1928
10 aulas para o ensino da tabuada
 4 passos (como uma receita)
 compreensão = LIÇÕES DE COISAS
 memorização = USO DO CONTADOR MECÂNICO,
RECURSOS MNEMÔNICOS
 recapitulação = VERIFICAÇÃO DO ORAL
 resolução de problemas = APLICAÇÃO PRÁTICA
Revista Educação - Ensino Rápido da tabuada
de multiplicar – Francisco Antunes
1928
10 aulas para o ensino da tabuada
 4 passos (como uma receita)
 compreensão = LIÇÕES DE COISAS
 memorização = USO DO CONTADOR MECÂNICO,
RECURSOS MNEMÔNICOS
 recapitulação = VERIFICAÇÃO DO ORAL
 resolução de problemas = APLICAÇÃO PRÁTICA
Revista Educação – As denominações “Methodo
Analytico” e “Methodo Synthetico” – Renato Jardim

1928
Coabitar: sintático-analítico / analítico-sintático
[...] Então synthetico, o que tem por temo a synthese, isto é, o processo inductivo, e
inversamente, analytico, o que conduz à analyse, isto é, o deductivo. 2.º
Considera-se no processo de raciocínio aquella phase em que imediatamente
assenta a inferência; então analytica se dia a ordem logica, cuja inferência se
baseia imediatamente nos dados da analyse, e synthetica, aquella cuja inferência
se baseia na synthese. 3.º A denominação da ordem logica (progressiva, ou
regressiva) e assim a do methodo correspondente, faz-se às vezes tendo-se visado
para a classificação, a evolução toda do raciocínio, e indicando-se na denominação
os dous pontos extremos dessa evolução; então “analytico-synthetico” quer dizer
inductivo, “synthetico-analytico” quer dizer deductivo. 4.º Considera-se para a
designação do methodo, a fórma que nelle reveste o ensino e então, analytico (no
sentido de abstracto) chama-se o methodo e que o ensino começa pelas fórmas
geraes; synthetico, no sentido de não analysado, chama-se o methodo em que o
ensino começa pelas fórmas simples e concretas. (JARDIM, 1928, p. 220-225).
Cartas de Parker

Defensa X Críticas
Lourenço Filho Sud Mennucci
Suggestões para o ensino do cálculo
José Ferraz de Campos

Árvore do Cálculo e a sua utilização

Fonte: Suggestões para o Ensino do Cálculo, SP, 1931


Revista da Educação - Anésia Martins Matos -
O Ensino da tabuada. Treino para a Memória”.

Item inserido no artigo: “O Ensino da Aritmética para 1º


Grau” é publicado na Revista da Educação de 1946, com
autoria de Anésia Martins Matos
 Tornar o cálculo aritmético racional e prático

 Estabelecer relação direta entre os números e os

objetos: pesando, medindo, agrupando, colocando-os


em coleções
 Jogos estabelecem a ligação com o universo infantil
Revista da Educação - Anésia Martins Matos - O
Ensino da tabuada. Treino para a Memória”.

 Começar o estudo da tabuada contando de 2 em 2,


3 em 3, 4 em 4 até 5
 Reprodução gradual no quadro negro a tabuada de
multiplicar do 2 ao 5 e depois até o 10, na
compreensão das 4 operações e seus sinais
 Condenação exagerada da memorização substituída
= pode no entendimento de uma sistematização
racional para o ensino da tabuada
 Polissemia de métodos
Revista do Centro do Professorado Paulista – Metodologia da
tabuada de Multiplicar e Tabuada Abreviada de Multiplicar

1958 e 1960 – Francisco Antunes

Fonte: Metodologia da Tabuada de Multiplicar, SP, 1958 SP


Conclusão

 Atribuições e finalidades ligadas diretamente as ações dos grupos


componentes dos diferentes cenários educativos
 Periódicos educacionais trazem as orientações dos novos modos
de ensino
 Ensino - Empirismo do Intuitivo => a psicologia –centro de
interesse infantil
 Rupturas – Lancaster (operações isoladas) – ensino ativo
(operações simultâneas)
 Ensino: tradicional – tabuada cantada é o ponto de partida para
operar aritmeticamente; no ativo é método secundário após a
construção do conceito de número
Conclusão

 analítico ou sintético – discursos do final XIX e início do XX –


discursos de Renato Jardim em 1928

 A memorização, técnica central para a fixação do conhecimento:


críticas amplas no ensino ativo
retomada na escola ativa

 Escola ativa – tabuada – estudo isolado, simultâneo ou isolado +


simultâneo das quatro operações, como de modo simultâneo. O
conteúdo é pelas lições de coisas conduzido conforme a
necessidade do professor.
Conclusão

 No século XX, a partir da década de 20 = ensino de exclusivamente


lógico passa a adotar aspectos psicológicos.
 Cartas/Mapas de Parker.
 Na escola ativa há um retorno às operações isoladas com
predomínio nos artigos observados à tabuada de multiplicação.
 Ensino ativo e escola ativa = ressignificação dos conceitos –
agregação e rupturas.
 Escola ativa - o ensino sistematizado e racional visa ao não
desperdício de tempo do professor e do aluno
Polissemia de métodos
OBRIGADA!
Anexo I