Você está na página 1de 56

Na Evangelização

discipuladora
Vivemos em um tempo no qual a EVANGELIZAÇÃO
DISCIPULADORA deve começar no meio da igreja.
O evangelho (a vida do Senhor Jesus Cristo) deve ser
uma realidade simples e notável em nós e entre nós!
O Discipulado como ação constante de amor e
cuidado deve começar dentro de nós e no meio de
nós.
Se não há consciência de amor e cuidado EM
NÓS, como iremos impactar as pessoas?

Lucas 17:20-21
Na igreja primitiva não havia ativismo, tão
pouco clubismo e nem ansiedades sobre
métodos de evangelização
Havia uma cultura de amor e cuidado
As pessoas eram “ganhas” por meio de
relacionamentos.
A PESQUISA DO DR. JOEL COMISKEY

A maioria das pessoas não se


converteram através dos púlpitos,
cruzadas, evangelismo com estudos
bíblicos, etc.

Vieram por meio de


relacionamentos simples e
nem sempre tão
intencionais
O que tem dado errado?
NOSSA MANEIRA DE NOS RELACIONARMOS

A verdade é que os nossos relacionamentos


geralmente são muito superficiais, instáveis, fracos e
vulneráveis
Série de Encontros Simples em João

1.35 e seguintes
Desenvolver relacionamentos demanda tempo
E Jesus, voltando-se e vendo que eles o
seguiam, disse-lhes: Que buscais? E
eles disseram: Rabi (que, traduzido,
quer dizer Mestre), onde moras?
Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e
viram onde morava, e ficaram com ele
aquele dia (João 1.39)

André (e João) foi para a casa do


discipulador (Senhor Jesus)
Série de Encontros Simples em João
• André e Pedro eram irmãos (João 1.41-42)

• Filipe e Natanael eram amigos (João 1.45)


Série de Encontros Simples em João
• No capítulo 2 Jesus está em um casamento
(celebração da união de duas pessoas amigas)
 É um momento de comunhão entre familiares
e amigos
• É na celebração de uma NOVA ALIANÇA que acontece
o primeiro milagre:
É revelado que Deus garante o amor e a alegria!
 O vinho é a NOVA substância para a alma
Melhor do que se purificar por fora é purificar-se por
dentro bebendo do amor e da alegria de Deus em
comunhão
O primeiro milagre aponta que a
espiritualidade se desenvolve primeiro no
encontro prático do amor e depois no
templo.
O Vinho tem prioridade no uso
dos vasos de pedra da religião.
Isso significa que a VIDA
RELACIONAL é a verdadeira
religião (Cf. Tg. 1.27)
Porque Deus decidiu ser
servido no próximo
Série de Encontros em João
No capítulo 3 Jesus está no relacionamento
discipulador com Nicodemos
Mais Encontros – Capítulo 4
O relacionamento discipulador com a mulher do poço
A pergunta das caixas: Onde se deve adorar?
Em que caixa devo me relacionar com Deus
Uma vila inteira depois foi evangelizada e salva
A EVANGELIZAÇÃO DISCIPULADORA é deixar
DEUS vazar para o outro ATRAVÉS DE NÓS.
• Sem ansiedade de fazer estudos bíblicos,
convites afoitos para ir a igreja ou ao pgm.
• “A cada dia o SENHOR acrescentava os que
iam sendo salvos” Atos 2.47
Deus através de nós
AMOR DE DEUS

IGREJA

PESSOAS
Recebemos vinho novo em congressos e
encontros, mas tudo pode ser perdido se
continuarmos como ODRES VELHOS.
SABEMOS QUE O ODRE ESTÁ VELHO QUANDO:
 Não há disposição para EXPANDIR
 Não aceita dentro de si o PROCESSO de
FERMENTAÇÃO do vinho

Quando rejeita o processo do Amor que


faz expandir e altera as nossas estruturas:
• Emocionais
• Físicas
• Agenda
SABEMOS QUE OS ODRES ESTÃO VELHOS QUANDO:

 NÃO servem ao propósito/objetivo que é de:


 Entregar vinho novo aos convidados (não
crentes) na celebração da vida que acontece
todos os dias
ODRES VELHOS ROMPEM PORQUE TORNARAM-SE:
Inflexíveis: apegados a uma
agenda individual e limitada

Ressecados:
• Secos de simpatia e empatia
• Desinteressados sobre como
amar e envolver outros no
casamento de Cristo e sua Igreja
ACEITE HOJE SER UM NOVO ODRE
PERMITA-SE SER ALTERADO
ACEITE A FERMENTAÇÃO DIVINA NO SEU CORAÇÃO
AINDA É TEMPO DE EXPANDIR O REINO DE DEUS
TEMPO DE SERVIR O AMOR E A ALEGRIA DE DEUS
Na Evangelização
discipuladora
• OFICINA
Na Evangelização
discipuladora
EVANGELIZAÇÃO DISCIPULADORA é SERVIR.

Jo 13:4, “... levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima


e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela”.

B. Para servir é preciso ser SEGURO de quem você é.


Os seguros gostam de toalhas...
• Os inseguros gostam de títulos.
Os seguros pensam em pessoas...
• Os inseguros pesam em posições.
Os seguros querem acrescentar valor aos
outros...
•Os inseguros querem receber valor dos outros.
O verdadeiro discípulo busca o que é mais importante
Jesus estabeleceu prioridades baseadas em seu propósito.

1.Ele lidou com as distrações da vida


(Jo 11:6).
2.Ele respondeu sabiamente à rejeição
pessoal. (Judeus e amigos)
3.Ele sofreu a dor voluntariamente.
4.Ele permaneceu apaixonado por Suas
prioridades (Cl 3:23).

 Jo 17:4, “Eu te glorifiquei na terra,


completando a obra que me deste
para fazer...”
CREIA SEM DUVIDAR QUE SEGUIR JESUS É O QUE EXISTE DE
MAIS ESPECIAL E FASCINANTE NA TERRA

A. Jesus nunca implorou que alguém


cresse nEle.
B. Ele sabia que integridade não podia
ser comprovada com palavras, mas
deve ser discernida através da vida
da pessoa.
C. Ele nunca perdeu tempo com seus
acusadores. Ele manteve seu foco no
alvo.
NÃO SE TRATA DE TER UMA ESTRATÉGIA, MAS DE SER A
ESTRATÉGIA.
 Jesus nunca se esforçou para
parecer bom.
 Ele simplesmente era bom.
 Ele não se esforçou para
parecer honesto. JOÃO 6.
Então67

 Ele era honesto. disse Jesus aos


 Ele nunca se esforçou para doze: Quereis vós
ter uma boa reputação. também retirar-
 Ele tinha caráter. vos?
 No crescimento da
Palavra;
 Na maneira de viver;
 Numa vida de oração;
 No servir;
 Na santidade.
IMPORTE-SE com a vida dos outros.
O impacto de um discípulo de Jesus não vem de títulos ou
posições na igreja, mas de relacionamentos autênticos.
IMPORTE-SE com a vida dos outros. Misture-se mais!
Jesus andou ambientes físicos e dos
pensamentos das pessoas.
Ele entrou nos barcos dos pescadores.
Ele entrou nas sinagogas.
Ele entrou nas casas das pessoas.
E QUANDO SAIA PARA O DESERTO, AS PESSOAS O
SEGUIAM
Lc 9:6, “Então, saindo, percorriam todas as aldeias,
anunciando o evangelho e efetuando curas por
toda parte”. At 10:38, “... como Deus ungiu a Jesus de
Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual
andou por toda parte, fazendo o bem e curando a
todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com
ele”.
IMPORTE-SE com a vida dos outros. Misture-se mais!
Em Zaqueu, a multidão viu um cobrador de impostos
enganoso. Jesus viu um homem confuso, que queria
uma transformação de vida.
Jesus discipulou criando uma atmosfera de
segurança e tranquilidade
 Jesus nunca discriminou alguém
por causa de posição social ou
aparência física.
 Ele sentia-se confortável, tanto na
presença de pescadores, quanto
cobradores de impostos.
 Ele sentiu-se à vontade com
homens e mulheres, os ricos e os
pobres.
JESUS INCOMODOU QUANDO AGIU FORA DA
CAIXA DA RELIGIÃO

Mateus 11.19
Veio o Filho
do homem, comendo e
bebendo, e dizem: Eis
aí um homem comilão e
beberrão, amigo dos
publicanos e
pecadores. Mas a
sabedoria é justificada
por seus filhos.
 Quebrou tradições religiosas que afastavam pessoas.
 Jesus reconhecia o potencial que existia em cada
pessoa.
 O valor está no ser e não no ter (religião/conhecimento).
 Compare Simão e a mulher.
E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês
tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me
deste água para os pés; mas esta regou-me os
pés com lágrimas, e os enxugou com os cabelos
de sua cabeça.
Não me deste ósculo, mas esta, desde que
entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta
ungiu-me os pés com unguento.
Lucas 7:44-46
Na evangelização discipuladora devemos sempre
buscar restaurar quem errou
Jesus restaurou Pedro e confiou o que tinha de mais
importante: SEU REBANHO
COMO ESCOLHER A PRIMEIRA GERAÇÃO DE DISCÍPULOS ?
Escolha e Invista em PESSOAS-CHAVES que irão trabalhar com
você para ganhar outros. Ore a Deus!

 Mc 3:13, “Depois, subiu ao monte e


chamou os que ele mesmo quis, e vieram
para junto dele...”.

 Lc 6:12-13, “Naqueles dias, retirou-se


para o monte, a fim de orar, e passou a
noite orando a Deus. E, quando
amanheceu, chamou a si os seus
discípulos e escolheu doze dentre eles...”.
“Precisamos da pessoa certa na função
certa, pelas razões certas”

O QUE NÃO FUNCIONA:


 “Qualquer um”.
 “Gosto muito dela”
 “Aquela pessoa é bem inteligente”
Se seguirmos o exemplo de Jesus não iremos cometer esse
grande erro.
 Jesus não escolheu parentes ou religiosos bom de bíblia
 Jesus escolheu em tese pessoas até então desconhecidas
 Não escolheu nem mesmo João Batista
Acróstico TESTES
T – TRANSPARENTE
E – ENSINÁVEL
S – SERVO
T – TRATÁVEL
E – ESPERANÇOSO
S - SUBMISSO
B. Jesus desenvolveu sucessores pelo:

1.Discipulado constante

a. Instrução ou ensino num contexto


prático.
b.Modelo ou exemplo num contexto
prático.
c. Experiência num contexto prático.
d.Prestação de contas num contexto
prático.
2.Avaliação constante

a.Quando fizer as perguntas certas,


quando verificar e cavar nas questões
importantes, o desempenho da pessoa
sempre irá melhorar.
Quem diz a multidão que eu sou?
E vós, quem dizeis que eu sou?
Lucas 9:18/20

a.As perguntas certas levam a reflexão, ao


aprendizado e aperfeiçoamento.
3.Expectativa constante

a. Jesus esperava que os Seus seguidores


fossem frutíferos e produtivos (Jo 15:1-2).

b.No discipulado precisamos criar um


sentimento de expectativa, de
crescimento, mudança, avanço e
multiplicação.
Discipulado é Deus
através de nós
RELACIONAMENTO DISCIPULADOR

É uma ligação de amizade de


um a um com o objetivo de se
tornarem a imagem e
semelhança de seus Mestre
JESUS.
DISCIPULADO NÃO É ESTUDO BÍBLICO.
NUNCA FOI!
DISCIPULADO NÃO SE TRATA APENAS DE REPASSAR
AS PALAVRAS DE JESUS
MAS DE REPASSAR A VIDA DE JESUS ATRAVÉS DA
PRÓPRIA VIDA
Não conseguiremos discipular alguém:
1.Se não estivermos dispostos a receber as pessoas em nossas vidas
diárias;
2.Se não tivermos nada de bom para ser imitado;
3.Se não estivermos dispostos a formar Cristo em cada um.
De modo prático, o discipulador conduzirá com paciência o discípulo a auto
reflexão e auto avaliação sobre áreas importantes de sua vida: Relacionamento
com Deus, Família, Compromissos, Igreja e Bem estar próprio;
Princípio da Discrição. Mateus 18.15
 Tudo o que é compartilhado pelo discípulo precisa ser
guardado pelo discipulador.
É preciso entender que o nível de abertura do discípulo é aprofundado à medida
que o relacionamento vai se desenvolvendo.
 Não podemos esperar abertura com facilidade.
 Por isso, o discipulador precisa investir nos encontros um a um para
desenvolver uma intimidade que possibilite o discípulo confiar e abrir-se
espontaneamente.
Princípio da Cura
“Portanto, confessai vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros para
serdes curados. A súplica de um justo é muito eficaz” (Tg 5.16).
O que Tiago está ensinando não é que seja preciso confessar os pecados para
alguém para se obter o perdão. Não!
Quem perdoa pecados é Jesus Cristo (1Jo 1.9).
Tiago está ensinando é que há pecados que precisamos da ajuda de alguém
para vencê-los.
Esses pecados precisam ser confessados para que a cura aconteça.
E na maioria das vezes a cura é um processo, e como qualquer jornada não é
bom andar sozinho.
Essa confissão precisa ser específica e sincera, pois a confissão genérica e
superficial impede que haja em nós a culpa necessária para o arrependimento.
Discipulado é Deus
através de nós