Você está na página 1de 22

Inovação e desafio da

implantação da hotelaria
hospitalar na Rede Ebserh
CONTEXTO

DEFINIÇÃO HOTELARIA HOSPITALAR

“A reunião de todos os serviços de apoio que, associados aos serviços específicos,


oferecem aos clientes conforto, segurança e bem-estar durante o seu período de
internação ou em seu contato com a Instituição de Saúde”.
(Marcelo Boerger, 2011)

A HOTELARIA ESTÁ DIVIDIDA EM 5 GRUPOS DE SERVIÇO

FORNECIMENTO DE PROCESSAMENTO DE
FORNECIMENTO DE HIGIENIZAÇÃO DESCARTE DE
TRANSPORTE DE ROUPAS E GESTÃO
DIETA HOSPITALAR HOSPITALAR RESÍDUOS
AMBULÂNCIA DO ENXOVAL
PRINCIPAL DESAFIO

Desenvolver metodologia para maior qualidade


dos serviços de hotelaria hospitalar sem o aumento
dos gastos vigentes ou, de preferência, com a
redução destes.
Modelo de Comparação de
Cenários Prospectivos de
Contratação
INICIATIVAS COM INTERFACE

Normas Operacionais de
hotelaria hospitalar
Modelos de Termos
de Referência
Modelo de Comparação de
Cenários Prospectivos de 2016/2017
Contratação

Caderno de Processos e
Práticas
Grupo II

Caderno de Processos e
2015
Práticas
Grupo I

2014
Diagnóstico
situacional Modelo de
23 HUF Referência
Bases e Padrões

5
OBJETIVO

Fornecer modelo para estudo preliminar de custos


como um dos elementos para a tomada de decisão
sobre a modalidade de contratação mais
vantajosa para a Administração

Mão de obra Insumos e utensílios Equipamentos Serviços auxiliares


DIFERENÇAS ENTRE MODELOS

TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COM


FORNECIMENTO DE MÃO DE OBRA,
INSUMOS, UTENSÍLIOS,
EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
AUXILIARES
Controle da ocupação dos postos de Foco na qualidade do serviço prestado
trabalho contratados (estrutura, processos e resultados)

Controle do número de funcionários de


acordo com proposta e escala apresentados
Controle de pelo próprio serviço contratado (depende
recursos do rol de tecnologias adotado pela
disponibilizados empresa contratada)

Gestão de múltiplos contratos Gestão de um único contrato

Licitações desertas
Controle de
Itens fracassados
resultados
COMPARAÇÃO DE CENÁRIOS

Cenário 1 - solução completa Valor global anual Cenário 2 - compras segmentadas Valor global anual
Valor global Mão-de-obra (operacional) -
Mão-de-obra (efetivo + CLT) - Mão-de-obra (efetivo + CLT) -
Publicação de Pregões Publicação de Pregões
Insumos (uso eventual caso o Hospital forneça) Insumos
Saneantes -
Descartáveis -
Utensílios -
Uniformes -
EPI -

A comparação dos cenários


Lixeiras -
Contêineres -
Dispensadores (sabão, álcool,
papel higiênico, papel toalha) -

Depreciação de equipamentos e outros bens,


próprios do hospital
"solução integrada" e "compras Outros materiais de consumo

Depreciação de equipamentos e outros bens


-

segmentadas" deverá ocorrer sob


Depreciação 2 anos - Depreciação 2 anos -
Depreciação 5 anos - Depreciação 5 anos -
Depreciação 8 anos - Depreciação 8 anos -

Água (DML e Centrais de diluição)


Energia elétrica
Telefone / rádio / meios de comunicação (uso
as mesmas condições Água (DML e Centrais de diluição)
Energia elétrica

eventual caso o Hospital forneça) Telefone / rádio / meios de comunicação


Manutenção de equipamentos -
Sistema informatizado -
Outros serviços complementares -
Custos indiretos (almoxarifado e logística) #DIV/0!

Custeio 1 (estimativa anual) R$ 0,00 Custeio 2 (estimativa anual) #DIV/0!


Investimento 1 R$ 0,00 Investimento 2 R$ 0,00
PONTOS CRÍTICOS PARA
TOMADA DE DECISÃO

 Custo
 Qualidade assistencial
 Risco
 Aspectos legais (obrigatórios)
 Capacidade operacional para execução, controle de
licitações, gestão de atas de registro de preços e
contratos
 Disponibilidade e interesse do mercado de serviços
local, regional ou nacional
PREMISSAS

 A comparação dos cenários "solução integrada" e "compras segmentadas" deverá


ocorrer sob as mesmas condições.

Observação: eventualmente, a situação vigente no HU não representa nenhum dos cenários


(necessita de ajustes para comparação).

 Serão considerados os mesmos quantitativos (de refeições / quilos de roupa limpa


processadas / quilos de roupas sujas para processamento / área / quilos de resíduos
gerados) em ambos os cenários, de forma a manter os parâmetros para comparação.

 Quanto ao quadro de pessoal, deve-se considerar o mesmo quantitativo de empregados


por cargo nos dois cenários. Preferencialmente, os valores devem ser extraídos das
propostas comerciais / planilhas de custos e formação de preços de empresas com
contrato vigente no próprio Hospital Universitário ou em outras licitações ocorridas na
região de abrangência. Caso esta referência inexista, alternativamente, deve-se levantar
os valores de salário base de cada cargo nos respectivos sindicatos, aplicando fator
correção 2,3 para inclusão de encargos e taxas administrativas.

Observação: para o serviço de higienização hospitalar, deve-se considerar, a princípio, os


índices de produtividade indicados pelo Art. 44 da Instrução Normativa n. 02/2008, salvo se
existir produtividades diferenciadas conforme Art. 47 da mesma norma.
PREMISSAS

 Deve-se considerar uniformes e EPI em cada um dos cenários abordados – no modelo


integrado, o gasto com estes itens já são incorporados ao valor do serviço.

Observação: caso o cenário segmentado não apresente valores reais, deve-se optar pelos
valores obtidos por: (1 - preferencialmente) % sobre valor de mão de obra, usando como base
o percentual da proposta integral; (2) Portal de Compras do Governo Federal; (3) pesquisa em
sites comerciais; (4) levantamento de preços no mercado.

 O modelo adotado atualmente pelo hospital deve ter os gastos medidos por um período
mínimo de 6 meses para evitar a interferência da sazonalidade (escolher um critério de
referência para a menor distorção possível da execução, como o montante liquidado nos
últimos 6 meses).

Observação 1: considerar que a premissa acima determina a inclusão de desperdícios e


perdas, sem sua identificação.
Observação 2: eventualmente, é necessária alguma adequação da realidade para que a
comparação dos cenários "solução integrada" e "compras segmentadas" ocorra sob as
mesmas condições.
Observação 3: caso ocorram eventuais faltas de insumos, utensílios ou outros, os valores
devem ser corrigidos para manter o padrão de comparabilidade entre os cenários.
Observação 4: eventualmente, outro critério que não o montante liquidado, pode ser
utilizado para promover maior acuidade da informação. Caso isto ocorra, deve ser descrito
na metodologia.
PREMISSAS

 Deve-se verificar se todos os serviços contidos no termo de referência da solução


integrada estão considerados no desenho segmentado.

Observação 1: considerar o mesmo serviço ou substituto similar.


Observação 2: caso exista a necessidade de incluir serviços complementares, deve-se optar
pelos valores obtidos por: (1 - preferencialmente) Portal de Compras do Governo Federal;
(2) pesquisa em sites comerciais; (3) levantamento de preços no mercado.
Observação 3: custos do uso de outros serviços, como controle de pragas, manutenção
predial, entre outros, devem ter parcela considerada em ambos os modelos por meio de
critério previamente estabelecido. Caso a Contratada assuma tais despesas no modelo de
serviço integral, é importante registrar "zero" em tal parcela.

 Caso o cenário de serviço integral contemple sistema de informação, deve-se considerar,


para o modelo segmentado, ou o valor do sistema, ou os recursos suplementares
necessários para o processo manual - preservando-se a maior segurança possível no
processo de trabalho.

 Deve-se considerar os gastos com água, energia elétrica, telefone, internet, entre outros,
de acordo com cada um dos modelos.

 Deve-se considerar instalações que deem suporte diferenciado a cada um dos modelos,
como as caldeiras, por exemplo (gastos diretos, indiretos e rateios).
PREMISSAS

 Deve-se verificar questões logísticas como custo de armazenamento e distribuição, além


de custos de licitação, resíduos extras ou diferenciados, gestão de contratos e atas de
registro de preços (custos diretos, indiretos e rateios) – diferenciados em cada um dos
modelos.

Observação: eventuais limitações devem estar descritas para a interpretação dos resultados.

 Deve-se considerar a aquisição de todos os equipamentos e utensílios sugeridos para a


empresa terceirizada da solução completa ou pela empresa em sua planilha de custos e
formação de preços, no modelo segmentado - de forma a uniformizar os parâmetros de
comparação.

Observação 1: para o levantamento de estimativas de gastos com tais itens, deve-se


utilizar preferencialmente as Atas de RP vigentes no Portal de Compras do Governo Federal
ou planilha de custos e formação de preços detalhada de fornecedor. Caso não exista esta
possiblidade e apenas para os itens inexistentes em Atas de RP, admite-se adotar valores
oriundos de pesquisa de mercado ou em sites comerciais.
Observação 2: Os bens devem ser classificados por tempo estimado de depreciação
(baseado na vida últil de cada bem) e o valor correspondente deve ser apropriado. A
depreciação dos bens próprios do HU deve ser apropriado nos gastos do próprio HU
enquanto aqueles bens fornecidos por empresas terceirizadas estarão absorvidas nas
faturas apresentadas por estas pelo serviço.
PREMISSAS

A comparação dos cenários "solução integrada" e "compras segmentadas" é apenas um dos


instrumentos para a tomada de decisão, devendo ser complementado por análises técnicas
e de disponibilidades orçamentária e financeira.

A análise de questões qualitativas e de impacto na segurança de pacientes,


acompanhantes, demais usuários e comunidade deverá ocorrer em complementação à
análise de cenários aqui proposta - assim como deverá ser considerado eventual impacto
na receita pela menor rotatividade de leitos determinada pela condição do cenário.
MODALIDADES INTEGRADAS
Produção e Distribuição de Refeições

Preparada ou transportada

 Transportada em porções individualizadas


 Transportada em porções coletivas
 Preparada para algumas refeições e transportada para outras

Itens para estudos específicos

 Água mineral
 Café
 Insumos para lactário / sondário
 Equipamentos (produção e distribuição)
 Sistema de informação
ESTUDO DE CASO
UFTM (DEZ,2015)
Histórico:

 Modelo atual segmentado


 Pregão Eletrônico n. 74/2015 (modalidade integrada)
 Solicitação prévia de levantamentos
 Visita em Dezembro/2015
 Ajustes e complementações

o Quantitativo de refeições diárias


o Incremento de valor financeiro para gêneros alimentícios
o Equipe dimensionada segundo TR para contratação de mão-de-obra
o Origem dos valores para cada colaborador: planilha de custos e
formação de preços, salário base da categoria em Uberaba (*2,3)
o Aquisição de equipamentos e utensílios conforme Edital
o Inclusão de serviços complementares
o Rateios
o Depreciação
Custos de licitação e gestão de
o Armazenagem
atas e contratos
ESTUDO DE CASO
UFTM (DEZ,2015)
Cenário 1 - solução completa
Valor global anual Cenário 2 - compras segmentadas Valor global anual
Refeições orais e enterais
Definição dos itens de custos relevantes Valor global R$ 14.685.000,00 Mão-de-obra (operacional) R$ 3.789.034,46
Elaboração do modelo Água R$ 44.137,32 GLP R$ 18.078,00
Levantamento de dados Energia elétrica R$ 125.557,68 Publicação de Pregões R$ 39.843,10
Vapor R$ 129.600,00 Manutenção de equipamentos R$ 12.000,00
Mão-de-obra (efetivo + CLT) R$ 52.328,68 Análise microbiológica R$ 125.966,40
Ar condicionado R$ 50.400,00 Custos indiretos (almoxarifado e logística) R$ 56.826,10
Dutos de exaustão R$ 25.800,00 Água R$ 44.137,32
Resíduos comuns R$ 79.794,00 Energia elétrica R$ 125.557,68
Despreciações 15 anos R$ 8.990,53 Controle de Pragas Urbanas R$ 757,20
Insumos (EPI, descartáveis, produtos de
Publicação de Pregões R$ 2.452,78 higienização e limpeza) R$ 414.964,22
Uniformes R$ 51.870,53
Gêneros alimentícios R$ 4.300.000,00
Sistema informatizado para dietas fornecidas R$ 0,00
Ar condicionado R$ 50.400,00
Calibração de balanças R$ 1.920,00
Vapor R$ 129.600,00
Portaria R$ 9.304,20
Higienização R$ 61.913,64
Mão-de-obra (efetivo + CLT) R$ 61.348,56
Dutos de exaustão R$ 25.800,00
Manutenção da máquina de lavar louça R$ 18.000,00
Manutenção de câmaras frias R$ 84.000,00
Resíduos comuns R$ 79.794,00
Telefonia / dados R$ 1.247,16
Depreciação de equipamentos R$ 59.255,38
Depreciação 2 anos R$ 30.230,61
Depreciação 8 anos R$ 14.477,95
Depreciação 15 anos R$ 14.546,82
Custeio 1 (estimativa anual) R$ 14.984.295,00 Custeio 2 (estimativa anual) R$ 9.561.617,95
Investimento 1 R$ 134.858,00 Investimento 2 R$ 394.487,09

Valor unitário da refeição R$ 7,67 R$ 5,21

Número de refeições ajustado pela produção


1.911.894 1.911.894
atual

Valor anual ajustado estimado para o contrato R$ 17.729.336,70

Valor unitário da refeição ajustado R$ 9,27 R$ 5,21


ESTUDO DE CASO
UFTM (DEZ,2015)
• Resultado não pode ser generalizado
• Avaliação isolada de apenas um componente específico deve ser realizado
com as devidas adaptações do instrumento
• Vantagens e desvantagens de cada modelo: outros critérios para a tomada
de decisão

Qualidade
Dimensões Eficiência
Risco
Foco no negócio
Imagem institucional
Investimento
• Resultado Dependência de um único fator ou vários
• Operacional Flexibilidade de ajustes na falta de recursos
Conta de perdas e desperdícios
• Administrativo e financeiro Controles (estoques, processos)
• Logística e suprimentos Espaço de estocagem
Atualização científica e tecnológica
Especialização
Suporte jurídico
Agilidade e facilidade na aquisição de bens e insumos
Depreciação
Manutenção
Sistema informatizado
Serviços complementares
PRÓXIMOS PASSOS
DESENVOLVIMENTO DO MODELO

Etapas previstas

• Adequação da planilha para o serviço específico 30/11/2016 a 31/12/2016

• Vídeo conferência (se necessário) 01/01/2017 a 20/01/2017

• Auto aplicação 20/01/2017 a 10/03/2017

• Vídeo conferência 10/03/2017 a 31/03/2017

• Oficina para apreciação de resultados 05 ou 06/04/2017

• Ajustes 10/04/2017 a 25/04/2017

• Elaboração de manual 10/04/2017 a 30/06/2017

• Oficinas regionais para sensibilização 2º semestre / 2017


e capacitação dos demais hospitais
PRÓXIMOS PASSOS
DESENVOLVIMENTO DO MODELO

Hospitais Participantes Serviços

• HU Onofre Lopes – UFRN • Higienização

• HU – UFGD • Processamento de roupas,


costuraria, fornecimento de
• HU – UFSM enxoval, distribuição de roupa
limpa e coleta de roupa suja

• HE – UFPEL
• Produção e distribuição de
refeições (orais e enterais)

• Transporte inter hospitalar de


pacientes (ambulância)
POTENCIAL DE ECONOMIA

1 PROCESSOS INVESTIMENTOS
R$ 1,65 MILHÕES / ANO
REDUÇÃO DE 11%
(PARA 5 HUS EM MÉDIA) CONSULTORIA
CONSTRUÇÃO R$ 191.000
TRANSPORTE DE LAVANDERIA E IMPLANTAÇÃO R$ 400.000
AMBULÂNCIA ENXOVAL *(5 HUS / 5 MESES)
PARA
LOGÍSTICA
EXEMPLO DE PLANO DE AÇÃO 39 HUS ECONOMIA DIÁRIAS R$ 60.000
DEFINIR MECANISMOS PARA OS PASSAGENS R$ 32.000
ENFERMEIRO CONTROLAR A TAXA DE EVASÃO: 15% TAXA DE EVASÃO: 4%
R$ 12,91 MILHÕES / ANO
*(2 ANALISTAS)
MOVIMENTAÇÃO DOS ENXOVAIS

RETORNO

2 PROCESSOS REDUÇÃO DE CUSTOS


EXEMPLO DE PLANO DE AÇÃO AÇÃO 1
R$ 1.655.461
LISTA DEVERÁ ESTAR DE ACORDO COM O PLANO AÇÃO 2
ASSISTENCIAL DO HOSPITAL, O QUAL DEVERÁ
R$ 4.406.089
GARANTIR O FORNECIMENTO DE REFEIÇÃO APENAS
PARA OS CASOS PREVISTOS EM LEI
DIETA ORAL

R$ 4,40 MILHÕES / ANO ROI


PROCESSO
DISTRIBUIR REFEIÇÕES PARA USUÁRIOS
EXCLUSÃO DOS FUNCIONÁRIOS QUE JÁ
RECEBEM AUXÍLIO
(P/ 5 HUS EM MÉDIA)
8,87
DO REFEITÓRIO
ATIVIDADE
CONTROLAR ACESSO AO REFEITÓRIO PARA
39 HUS ECONOMIA
PRÁTICA R$ 6,06 MILHÕES
R$ 34,36 MILHÕES / ANO
PERMITIR O ACESSO APENAS DAS
R$ 0,68 MILHÕES
PESSOAS INCLUÍDAS NA LISTAGEM DE
ACESSO AO REFEITÓRIO
OBRIGADO
Serviço de Apoio à Hotelaria Hospitalar (SAHH)