Você está na página 1de 21

Etapas do Projeto: Galpão de Madeira

Grupo: 16
Claudia Nomelini
Kamilla Beatriz Monteiro
Renato Rodrigues Costa
Rodrigo Cesar Maia
Otoniel Pereira Fernandes

Curso: Engenharia Civil

Professor: Humberto Ritt - Turma 21


Elaborar projeto de um Galpão de Estrutura de Madeira, conforme roteiro
apresentado pelo professor Humberto Ritt, para desenvolvimento ao longo do 2°
semestre de 2017, conforme o aprendizado da disciplina.

Foto 1: Croqui do Galpão – Fonte: Roteiro do Projeto


Grupo formado por alunos do Curso de Engenharia civil do 9° e 10° período, para
elaboração do projeto:
Da esquerda para direita: Otoniel, Kamilla , Renato, Rodrigo e Claudia.

Foto 2: Componentes do grupo – Fonte: Do autor


Realizado visita na Madeireira Selva (Uberaba/ MG), para levantamento de espécies
disponíveis, dimensões comerciais e valores.
Das espécies disponíveis o grupo optou pela Cupiúba, por ser uma madeira de grande
disponibilidade no mercado e apresentar boas características de resistência, conforme
informações da NBR-7190 Projeto de Estruturas de Madeira.

Tabela 1: Valores médios de resistência de Madeiras dicotiledôneas – Fonte: NBR 7190


Brasil: Cupiúba, cupiúva, couepi, goupil, cachaceiro e comercialmente aparece também com o nome
de peroba do Norte ( MT ), por assemelhar-se com a peroba da região Sudeste.

Ocorre nas matas de terra firme e em capoeiras velhas por toda a Amazônia, incluindo Estados do
Pará, Maranhão, Amazonas, Mato Grosso e Rondônia e ainda nas Guianas, Colômbia e Venezuela.

Árvore de grande porte, fuste ligeiramente tortuoso, com diâmetro superior a 60 cm, casca escamosa,
acinzentada, com 1,00 cm de espessura. Madeira pesada. Espécie Dicotiledônea :

Madeiras duras, aclimatam‐se melhor em clima quente, perdem folhas durante inverno, densidades
maiores, resistências maiores, aplicação de preservativos mais difícil.
Após coleta de dados na madeireira, obtivemos as dimensões e valores comerciais da
madeira Cupiúba.
TABELA DE DIMENSSÕES E VALORES MADEIRA CUPIÚBA

DIMENSÕES - cm PREÇOS POR METRO LINEAR


RIPA 2 x 5 R$ 2,40
RIPÃO 3 x 5 R$ 3,40
CAIBRO 5 x 5 R$ 4,70
CAIBRO 5 x 7 R$ 5,75
VIGOTA 5 x 10 R$ 9,60
VIGOTA 5 x 14 R$ 13,50
VIGA 5 x 20 R$ 18,40
PRANCHA 7 x 30 R$ 40,00
PILAR 15 x 15 R$ 50,00
PILAR 20 x 20 R$ 80,00
PILAR 25 x 25 R$ 95,00
Tabela 2: Dimensões comerciais e preços – Fonte: Madeireira Selva
Finalizando a 1° Etapa apresentamos o modelo de Tesoura proposto para o projeto

Foto 3: Desenho da treliça no Ftool – Fonte: Do autor


Nesta fase a proposta foi a realização de ensaios de Compressão, utilizando 6 corpos de
prova com dimensões de 4,5x4,5x15 cm, umidade e densidade, corpos de prova 2x3x5
cm, após testes fazer a comparação com as informações contidas da NBR-7190

Realizado no laboratório da Universidade de Uberaba no dia: 20 de outubro de 2017

Foto 4: Corpos de prova ensaio de compressão - Fonte do autor. ( 2017)


Os testes foram realizados com o auxilio do assistente de laboratório Luís, onde
utilizamos prensa para rompimentos do corpos de prova conforme imagem abaixo
CORPOS DE
VALORES EM KGF VALORES EM MPA
PROVA
1 12.440,00 60,26

2 10.400,00 50,38

3 10.200,00 49,41

4 5.680,00 27,52

5 6.680,00 32,36

6 10.000,00 48,44
RESULTADO MÉDIO: 9.233,33 44,73
Foto 5: Prensa UNIUBE - Fonte Tabela 3 – Valores encontrados no ensaio a compressão Fonte: do autor (2017).
do autor. ( 2017)
Inicialmente os corpos de prova foram pesados, depois colocados em estufa com temperatura
aproximada de 80 ° C. Após secagem aproximada de 4 horas foram repesados. O ciclo ocorreu do dia 20
a 23 de outubro/ 2017 e no ultimo dia foram pesados novamente para obtenção de resultados.

Foto 6: Corpos de prova na estufa - Fonte Foto 7: Balança utilizada na pesagem - Fonte do autor. ( 2017)
do autor. ( 2017)
Valores de umidade obtidos pela fórmula:

ENSAIO DE UMIDADE

CORPOS DE MI - Massa MS - Massa RESULTADO


PROVA Inicial Final EM %

1 27,97 24,51 14,12


2 27,25 24,48 11,32
3 26,22 23,88 9,80
4 27,41 24,47 12,01
5 26,22 23,63 10,96
6 26,81 24,21 10,74
RESULTADO PELA MÉDIA ARITIMÉTICA 11,49
Tabela 4 – Valores encontrados no ensaio de umidade – Fonte: do autor (2017).
Os corpos de prova forma medidos inicialmente e posterior a secagem.

Foto 8: Utilização do parquímetro ensaio de densidade - Fonte do autor. ( 2017)


Valores de umidade obtidos pela fórmula:

CÁLCULO DA DENSIDADE
Vsat - Volume
CORPOS DE MS - Massa
made ira RESULTADO
PROVA se ca (g)
saturada (cm³)
1 24,51 30,00 0,817
2 24,48 30,00 0,816
3 23,88 30,00 0,796
4 24,47 30,00 0,816
5 23,63 30,00 0,788
6 24,21 30,00 0,807
RESULTADO PELA MÉDIA ARITIMÉTICA 0,807
Tabela 4 – Valores encontrados no ensaio de Densidade – Fonte: do autor (2017).
Ensaio a Compressão realizado pelo grupo: Fc0m = 44,73 MPa, pode não ter
alcançado os valores acima, devido a diferença das dimensões utilizadas no ensaio.
Dimensões de ensaio: 4,5 x 4,5 x 15 cm., dimensões da norma 5 x 5 x 15 cm.

Ensaio de Umidade e Densidade realizado pelo grupo : Umidade = 11,49 % e


Pap = 807 kg/m³, valores de ensaio próximos ao obtido pela norma.
Na última etapa do projeto, foram realizados a memória de cálculo e o desenho no Auto
CAD com o detalhamento das peças utilizadas no projeto.

 Área de influência que as cargas são distribuídas no telhado.


 Cálculo de cargas permanentes, sobrecarga, vento 0° e vento 90° conforme
informação do roteiro proposto.
 Combinações últimas de barras internas, longitudinais e contorno da treliça,
identificando a peça mais comprimida e mais tracionada
 Cálculo de resistência a tração e compressão.
 Cálculo de terças – Flexão oblíqua
 Cálculo dos pilares: Flexo compressão, flexão, esforço cortante e deformação
 Verificação dos deslocamentos horizontais e verticais -Vide memoria de cálculo Word /Excel
Desenho da tesoura nas dimensões de projeto.

Foto 9: Treliça - Fonte do autor. ( 2017)


Desenho da peças de encaixe das madeiras conforme projeto.

Foto 10: Barras de contorno - Fonte do autor. ( 2017) Foto 11: União com barras de contorno, longitudinal e
vertical - Fonte do autor. ( 2017)
Foto 13: União das terças - Fonte do autor. ( 2017)

Foto 12: União com barras de contorno, longitudinal e


vertical - Fonte do autor. ( 2017)
Foto 14: Encontro das Barras de contorno com cumeeira e sequência da tesoura - Fonte do autor. ( 2017)
TABELA DE VOLUME DE MADEIRA PARA CONSTRUÇÃO DO GALPÃO

VOLUME POR VOLUME PARA O


PEÇAS DE MADEIRA SEÇÃO (cm) ÁREA (m²) COMPRIMENTO (cm) X QUANTIDADE
TRELIÇA (m³) GALPÃO (m³)

BARRAS INTERNAS VERTICAIS 7x10 0,07 0,48 2 0,96 2 1,44 2 1,92 2 2,4 0,84 8,40
BARRAS INTERNAS DIAGONAIS 7x10 0,07 1,67 2 1,87 2 2,15 2 2,5 2 0 1,1466 11,47
BARRAS DE CONTORNO 12 x 20 0,024 16 1 8,35 2 0 0,7848 7,85
TERÇAS 10x20 0,02 4 10 0,8 8,00
CUMIEIRA 10X20 0,02 4 1 0,08 0,80
PILARES 25x25 0,0625 6 2 0,75 7,50
TOTAL DE MADEIRA : 44,01

Tabela 5 – Volume de madeira estimado – Fonte: do autor (2017).