Você está na página 1de 73

Condutos Forçados

Vinicius A. S. de Souza

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Definição
CONDUTOS FORÇADOS
Denominam-se condutos forçados ou
condutos sob pressão, as tubulações onde
o líquido escoa sob uma pressão diferente
da atmosférica. As seções desses condutos
são sempre fechadas e o líquido escoa
enchendo-as totalmente

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Definição
Tipos de Energia no Escoamento
O escoamento de um fluido em tubulações contém
energia em várias formas. A maior parte da energia está
contida em três formas básicas
V 2 - Energia ou carga Cinética
2.g
Z - Energia ou carga de posição (referente a um plano
horizontal)
P
- Energia de Pressão

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Definição
Equação de Energia
A equação de energia em escoamento permanente.

2
P1 V12 P2 V 2
  z1    z 2  H 12
 2g  2g
ΔH12 – perda de carga ou perda de energia
ΔH12/L=J -> L- comprimento da tubulação;
J - perda de carga unitária

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Definição
Equação de Energia
- A escala de pressão adotada
na prática é a escala
EFETIVA, assim a Linha
piezométrica pode coincidir
com a trajetória
- Linha de carga total (linha de
energia) decresce no sentido
do escoamento. Com exceção
se houver introdução de
energia.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Bombeamento
Exemplo
Numa tubulação de 300 mm de diâmetro de
vazão constante, água escoa em uma extensão
de 0,3 km, ligando um ponto A, na cota
topográfica de 90,0 m, no qual a pressão
interna é de 275 kPa, a um ponto B, na cota
topográfica de 75,0 m, no qual a pressão
interna é de 345 kPa. Determine:
a) o sentido do escoamento;
b) a perda de carga entre A e B.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Bombeamento
Exemplo
a) 𝑃𝐴 𝑉𝐴
Numa tubulação de 300 mm de diâmetro de 𝐻𝐴 = + + 𝑍𝐴
𝛾 2𝑔
vazão constante, água escoa em uma extensão
de 0,3 km, ligando um ponto A, na cota 𝐻𝐴 = 117,5 m
topográfica de 90,0 m, no qual a pressão
interna é de 275 kPa, a um ponto B, na cota 𝑃𝐵 𝑉𝐵
𝐻𝐵 = + + 𝑍𝐵
topográfica de 75,0 m, no qual a pressão 𝛾 2𝑔
interna é de 345 kPa. Determine: 𝐻𝐵 = 109,5 𝑚
a) o sentido do escoamento;
b) a perda de carga entre A e B. 𝐻𝐴 > 𝐻𝐵

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga

Bombeamento
Exemplo
Numa tubulação de 300 mm de diâmetro de
𝐻𝐴−𝐵 = 𝐻𝐴 − 𝐻𝐵
vazão constante, água escoa em uma extensão
de 0,3 km, ligando um ponto A, na cota 𝐻𝐴−𝐵 = 8 𝑚
topográfica de 90,0 m, no qual a pressão
interna é de 275 kPa, a um ponto B, na cota
topográfica de 75,0 m, no qual a pressão
interna é de 345 kPa. Determine:
a) o sentido do escoamento;
b) a perda de carga entre A e B.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Definição

Perda de Carga
Transformação de parte da energia
do escoamento em calor, sendo que
esse processo pode ocorrer de 3
formas:

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Definição
Escoamento Laminar
Perda de carga somente devido as
forças viscosas
Perda de Carga
Transformação de parte da energia
do escoamento em calor, sendo que
esse processo pode ocorrer de 3
formas:

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Definição
Escoamento Laminar
Perda de carga somente devido as
forças viscosas
Perda de Carga
Transformação de parte da energia
do escoamento em calor, sendo que Escoamento Turbulento
esse processo pode ocorrer de 3 Perda de carga devido as Forças as
formas: VISCOSAS e de INÉRCIA

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Definição
Escoamento Laminar
Perda de carga somente devido as
forças viscosas
Perda de Carga
Transformação de parte da energia
do escoamento em calor, sendo que Escoamento Turbulento
esse processo pode ocorrer de 3 Perda de carga devido as Forças as
formas: VISCOSAS e de INÉRCIA

Escoamento Transicional
combinação da perda de carga entre
o processo de escoamento laminar e
turbulento.
Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados
Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Definição

Perda de Carga
As perdas podem ser classificadas
em:
Distribuídas – ao longo da tubulação
Localizadas – em singulariedades

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Relembrar o Teorema dos ∏s
Considerando o fenômeno físico do escoamento de um líquido real, com velocidade
média V, caracterizado pela sua viscosidade dinâmica  e massa específica, através de
uma tubulação circular de diâmetro D, comprimento L e coeficiente de rugosidade da
parede . A queda de pressão p ao longo do comprimento L pode ser dada pelo
teorema dos s na forma:

p = F (, V, D, , L, )

onde n = 7 grandezas e m = 3 dimensões


escolhendo como base , V, D

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Adimensionais

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Adimensionais

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Adimensionais

A experiência mostra que a queda de


pressão é diretamente proporcional a
L/D

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Adimensionais

A experiência mostra que a queda de


pressão é diretamente proporcional a
L/D

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


A função entre parênteses pode ser obtida
experimentalmente e é representada pelo
fator de atrito da tubulação f.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


A função entre parênteses pode ser obtida
experimentalmente e é representada pelo
fator de atrito da tubulação f.

L
p  fV 2

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


A função entre parênteses pode ser obtida
experimentalmente e é representada pelo
fator de atrito da tubulação f.

L Dividindo os dois lados pela gravidade e


p  fV 2 introduzido o fator 2para reproduzir a definição
de carga cinética da equação da energia.
D

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


A função entre parênteses pode ser obtida
experimentalmente e é representada pelo
fator de atrito da tubulação f.

L Dividindo os dois lados pela gravidade e


p  fV 2 introduzido o fator 2para reproduzir a definição
de carga cinética da equação da energia.
D
L V2
H  f .
D 2.g

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


A função entre parênteses pode ser obtida
experimentalmente e é representada pelo
fator de atrito da tubulação f.

L Dividindo os dois lados pela gravidade e


p  fV 2 introduzido o fator 2para reproduzir a definição
de carga cinética da equação da energia.
D
L V2 fórmula universal da perda de carga ou
H  f . equação de Darcy-Weisbach
D 2.g

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Experiência de Nikuradse

∆H

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Fator de Atrito no Regime Laminar
64
f 
Re y

Fator de Atrito no Regime Turbulento em Tubos Hidraulicamente Lisos


1
f
 
 2. log Re y . f  0,8 ou
1
f
 Re y . f
 2. log 
 2,51



 

Fator de Atrito no Regime Turbulento em Tubos Hidraulicamente Rugosos


1 D  1  3,71.D 
 2. log    1,74 ou  2. log  
f  2.  f   
Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados
Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Equação de Swamee-Jain
0,25
f 2
   5,74 
 
log  
0,9 
  3,7.D Re y 
10  6   / D  10  2 5.103  Re y  108

Equação Geral do Fator de Atrito


𝟎,𝟏𝟐𝟓
𝟖 𝟔 −𝟏𝟔
𝟔𝟒 𝜀 5,74 𝟐𝟓𝟎𝟎
𝒇= + 𝟗, 𝟓 ln + −
𝑹𝒆 3,7𝐷 𝑅𝑒 0,9 𝑹𝒆

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída

Diagrama de Moody - Fonte: Livro hidráulica Básica_ Porto, R.M

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Rugosidade (ε)

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
VA2 PB VB2
 H
PA
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,  ZA    ZB 
material aço soldado novo, pela qual passa  2.g  2.g
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
VA2 PB VB2
 H
PA
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,  ZA    ZB 
material aço soldado novo, pela qual passa  2.g  2.g
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do VA2 VB2 Mesma tubulação
outro, são tais que a cota piezométrica em 
2.g 2.g e mesma vazão.
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
VA2 PB VB2
 H
PA
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,  ZA    ZB 
material aço soldado novo, pela qual passa  2.g  2.g
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do VA2 VB2 Mesma tubulação
outro, são tais que a cota piezométrica em 
2.g 2.g e mesma vazão.
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
 Z B  H
para B. PA PB
 ZA 
Determinar a carga de pressão em A .  
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Sistemas Elevatórios Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo Ordem do exercício diz que cota piezométrica
em B é igual à cota geométrica em A
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,
material aço soldado novo, pela qual passa
PB
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A ZA   ZB
e B desta tubulação, distantes 500m um do 
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo Ordem do exercício diz que cota piezométrica
em B é igual à cota geométrica em A
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,
material aço soldado novo, pela qual passa
PB
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A ZA   ZB
e B desta tubulação, distantes 500m um do 
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
 H
PA
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B. 
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo Ordem do exercício diz que cota piezométrica
em B é igual à cota geométrica em A
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro,
material aço soldado novo, pela qual passa
PB
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A ZA   ZB
e B desta tubulação, distantes 500m um do 
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
 H
PA
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B. 
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm L V2
H  f .
D 2.g

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo D  4``
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, D  4.2,54  10,16cm
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A Diâmetro comercial 100mm
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo D  4``
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, D  4.2,54  10,16cm
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A Diâmetro comercial 100mm
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em Q  A.V
m
B é igual à cota geométrica em A, em  .(0,1) V  1,4
2

m.c.a. O sentido do escoamento é de A 0,011  .V s


para B. 4
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo D  4``
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, D  4.2,54  10,16cm
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A Diâmetro comercial 100mm
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em Q  A.V
m
B é igual à cota geométrica em A, em  .(0,1) V  1,4
2

m.c.a. O sentido do escoamento é de A 0,011  .V s


para B. 4
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm 𝑽(𝑫) 𝟏,𝟒(𝟎,𝟏)
𝑹𝒆 = 𝑹𝒆 = = 140000
𝝂 𝟏𝟎−𝟔

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo  0,1mm
  10 3 Re y  1,4.105
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, D 100mm
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A Dentro da faixa de utilização da fórmula
e B desta tubulação, distantes 500m um do Swamee-Jain
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo  0,1mm
  10 3 Re y  1,4.105
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, D 100mm
material aço soldado novo, pela qual passa
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A Dentro da faixa de utilização da fórmula
e B desta tubulação, distantes 500m um do Swamee-Jain
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em 0,25
f  2  0,0217
m.c.a. O sentido do escoamento é de A   0,1 5,74 
para B.  log  
0,9 
  3,7.100 140000 
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
L V2
 H
PA
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, H  f .
material aço soldado novo, pela qual passa  D 2.g
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em
B é igual à cota geométrica em A, em
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Exemplo
L V2
 H
PA
Imagine uma tubulação de 4`` de diâmetro, H  f .
material aço soldado novo, pela qual passa  D 2.g
uma vazão de 11 l/s de água. Dois pontos A
e B desta tubulação, distantes 500m um do
outro, são tais que a cota piezométrica em 500 1,42
B é igual à cota geométrica em A, em H  0,0217.  10,85m.c.a
m.c.a. O sentido do escoamento é de A
0,10 2.9,8
para B.
Determinar a carga de pressão em A .
Dado νágua= 10-6 m²/s; ε = 0,1mm

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


FÓRMULA DE HAZEN-WILLIAMS
1,85
Q 1
J  10,65 .   .
C D 4,87
J: (m/m), Q (m3/s), D (m), C (m0,367/s)

Faixa de utilização:
- escoamento turbulento de transição;
- água a 20oC;
- D ≥ 4” (100 mm);
- aplicação em redes de distribuição de água, adutoras, sistemas de
recalque, etc.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


FÓRMULA DE HAZEN-WILLIAMS -Valores do coeficiente C

Material C Material C
Aço corrugado (chapa ondulada) 60 Aço com juntas lock-bar, tubos novos 130
Aço com juntas lock-bar, em serviço 90 Aço galvanizado 125
Aço rebitado, tubos novos 110 Aço rebitado, em uso 85
Aço soldado, tubos novos 130 Aço soldado, em uso 90
Aço soldado com revestimento especial 130 Cobre 130
Concreto, bom acabamento 130 Concreto, acabamento comum 120
Ferro fundido, novos 130 Ferro fundido, após 15-20 anos de uso 100
Ferro fundido, usados 90 Ferro fundido revestido de cimento 130
Madeiras em aduelas 120 Tubos extrudados, P.V.C. 150

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Distribuída


Fórmula Fair-Whipple - Hsiao
1 , 88
Q
J  0,002021 4 , 88 - Aço galvanizado novo – água fria
D
1 , 75
Q
J  0,0008695 4 , 74
- P.V.C rígido – água fria
D
É uma das fórmulas mais utilizadas para pequenas tubulações - ABNT

Faixa de utilização:
- D < 4” (100 mm);
- aplicação em instalações prediais de água fria ou quente;
- trechos curtos e com grande número de conexões.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada


Definição
A presença de cada um dos acessórios ,
necessários para operação do sistema
provocam alterações de módulo ou direção
da velocidade média.

Isto reflete em perdas de carga


adicionais às perdas de carga distribuídas.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada


Definição
Apesar da denominação PERDA DE
CARGA LOCALIZADA , a influência do
acessório sobre a linha de energia se faz sentir
em trechos a montante e jusante de sua
localização .
Normalmente o tratamento é experimental.

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada


Fórmula básica
V2
h  K .
2.g
Δh= perda de carga localizada (m).
K: coeficiente adimensional. Determinado
experimentalmente e depende da geometria da
conexão, número de Reynolds, rugosidade da parede.
V:velocidade média (m/s) . Em peças em que há
mudança de diâmetro, é a velocidade média da seção
de menor diâmetro.
Para Rey > 105 → o valor de K torna-se independente
de Rey.
Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados
Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


f .L V 2 V2
H  . h  K .
D 2.g 2.g
Perda de carga distribuída Perda de carga localizada

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


f .L V 2 V2
H  . h  K .
D 2.g 2.g
Perda de carga distribuída Perda de carga localizada

2 2
f .Le V V
H  . K
D 2.g 2.g

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


f .L V 2 V2
H  . h  K .
D 2.g 2.g
Perda de carga distribuída Perda de carga localizada

Le K

2 2
f .Le V V
H  . K
D 2.g 2.g D f

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


f .L V 2 V2
H  . h  K .
D 2.g 2.g
Perda de carga distribuída Perda de carga localizada

Le K

2 2
f .Le V V
H  . K
D 2.g 2.g D f

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s
Ltotal=10+5,1 = 15,1 m

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s
Ltotal=10+5,1 = 15,1 m

𝑄1,75
𝐻𝑡 = 0,0008695 4,74 𝐿𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙
𝐷

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s
Ltotal=10+5,1 = 15,1 m

𝑄1,75
𝐻𝑡 = 0,0008695 4,74 𝐿𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙
𝐷
0,00051,75
𝐻𝑡 = 0,0008695 0,02164,7415,1

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s
Ltotal=10+5,1 = 15,1 m

𝑄1,75
𝐻𝑡 = 0,0008695 4,74 𝐿𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙
𝐷
0,00051,75
𝐻𝑡 = 0,0008695 0,02164,7415,1

𝐻𝑡 =1,7 m

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):
0,00051,75
𝐻= 0,0008695 0,02164,7410
D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =
0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):
0,00051,75
𝐻= 0,0008695 0,02164,7410
D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =
0,5 L/s
𝐻 = 1,12

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le)
b) Método algébrico (K):

D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =


0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente


Exemplo
b) Método algébrico (K):
Calcular a perda de carga no esquema a seguir:
a) Método dos comprimentos equivalentes (Le) 𝐻𝑡 = 1,12 +0,094+0,123+0,19+0,019+0,089
b) Método algébrico (K):
𝐻𝑡 = 1,64
D = 25 mm (DI = 0,0216 m); Material: PVC Q =
0,5 L/s

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados


Equação de Energia em Escoamentos Definição
Perdas de Carga Perda de Carga Distribuída
Perda de Carga Localizada

Perda de Carga Localizada – Comprimento Equivalente

Atenção!!!
As perdas podem ser desprezadas nas tubulações longas
cujos comprimentos excedam cerca de 4000 vezes o
diâmetro. São ainda, desprezíveis nas canalizações em
que a velocidade é baixa (V<1,0m/s) e o número de peças
especiais não é grande

Vinicius A. S. de Souza Condutos Forçados