Você está na página 1de 37

Trocadores de Calor

1. Introdução
Trocadores de Calor
São dispositivos que permitem a troca de calor entre dois fluidos que estão a
diferentes temperaturas;

 Os meios podem ser separados por uma parede sólida, tanto que eles nunca
se misturam, ou podem estar em contato direto.

 Tem como finalidade resfriar ou aquecer um determinado fluido;

A força motriz responsável


pela troca de calor é
a diferença de temperatura
entre dois meios.

Trocador de calor industrial – casco tubo


Trocadores de Calor

• Aquecedores; refrigeração
• Processamento de gás natural

• Condicionamento de ar
• Usinas de geração de energia

• Plantar químicas e petroquímicas


• Refinamento de Petróleo
Indústria de Petróleo

Utilizam trocadores de calor com o propósito de recuperar calor;

 Reduz o consumo de energia da planta;

Destilação Atmosférica
Apresenta diversos produtos em grandes quantidades;
Aumenta a
eficácia da
Aproveitando o calor, aumenta a eficiência térmica da planta;
planta térmica
Tipos de Trocadores de Calor
Casco tubos Duplo Tubo ou Bitubulares

Tampa
flutuante
Tubo em U
2. Condição para Análise
Matemática
Transferência de Calor
Equação fundamental - Lei de resfriamento de Newton

δQ= U*(T1-T2) dA*

δQ é a taxa de calor trocado;


U* coeficiente GLOBAL de transferência de calor ;
T1 , T2 temperaturas das correntes 1 e 2 (quente e fria);
dA* incremento infinitesimal de área de troca;

Trocador de calor
Transferência de Calor
Integrando a equação diferencial com respeito a qualquer uma das variáveis
primárias, temos:

QT taxa de calor trocado TOTAL [W]


AT área TOTAL [m²]
Conceito Diferença de
Temperaturas Média
A equação fundamental pode ser resolvida diretamente se definirmos:

Desta forma:

Se U* for uniforme em A*, temos:


Conceito Diferença de
Temperaturas Média
Definimos:
A diferença de temperatura “efetiva” ou “média” do trocador.

A Equação:

QT taxa de calor trocado TOTAL;


Delta Tm é a diferença de temperatura efetiva do trocador;
U* é o coeficiente GLOBAL de transferência de calor ;
A* área de troca de calor;
3. Análise da Operação
Trocadores de Calor

Convecção Condução

Para analisar a eficiência de operação dos trocadores de calor existem alguns


parâmetros pré-estabelecidos que podem ser testados e calculados como:

 Balanço de Massa

Balanço de Energia

 Diferença de Temperatura Média Logarítimica;

 Eficiência da troca Térmica - Método da Eficiência-NTU


Balanço de Massa
[E] – [S] + [-G] = [A]

O balanço de massa visa representar os fluxos e transformações da massa dentro


de um sistema, levando em consideração a primeira lei de Lavoisier.
Dessa forma, o balanço de massa para um trocador de calor se dá pela Equação:

̇ é a vazão mássica dos fluidos


Cv é o volume de controle
t é o tempo
Balanço de Energia
Calor trocado pelos fluidos:

̇ é o fluxo de calor;
̇ é a vazão mássica dos fluidos;
∆𝑇 é a diferença de temperatura na entrada e na saída do equipamento;
𝐶𝑝 é a capacidade térmica dos fluidos;

Essa equação representa o balanço de energia de um trocador de calor, e


esta relação será utilizada para determinar a troca térmica obtida nos
equipamentos.
Diferença de Temperatura Média
Logarítimica
É uma estimativa da temperatura que se encontram os fluidos de trabalho
considerando todas as seções do trocador.

∆T1 e ∆T2 são as diferenças de temperaturas do fluido


quente e frio, porém decrescidas entre si com os
valores das extremidades;
Eficiência da troca Térmica
Método da Eficiência-NTU
NTU: Números de Unidade de Transferência

É um fator de correção do cálculo do Coeficiente Global de Troca Térmica (U) para


análise real dos trocadores de calor.

Para trocadores de calor de tubos concêntricos

𝜀 é a efetividade do trocador;
c é a taxa entre a capacidade térmica máxima e mínima dos fluidos;

Qreal calor trocado no processo;


Qmáx calor máximo que o equipamento poderia trocar;
4. Descrição da Operação
Trocadores de Calor
Classificação geral:

 Aquecimento

a) Aquecedor;
b) Refervedor;
c) Gerador de Vapor.

 Resfriamento

d) Resfriador;
e) Condensador;
f) Resfriador de Ar.

 Intercambiadores
Trocadores de Calor

Aquecedor de regeneração de soda. Refervedor de torre de separação

Gerador de vapor da unidade de craqueamento catalítico do fluido.


Trocadores de Calor

Refrigerador de querosene

Condensador de torre de destilação atmosférica

Refrigerador a ar
Trocadores de Calor
 Trocador de calor casco Tubos
Trocadores de Calor
Partes Principais de um trocador de calor casco Tubos
Trocadores de Calor
Chicanas
Trocadores de Calor
Tipos de cascos
Trocador de calor casco Tubos

T1 – temperatura de entrada do fluido quente;


T2 – temperatura de saída do fluido quente;
t1 – temperatura de entrada do fluido frio ;
t2 – temperatura de saída do fluido frio.
Trocador de calor casco Tubos
 Perfis de Temperatura
Trocador de calor casco Tubos
Trocadores de Calor
 Materiais Usados:

Classe R, para condições severas de processamento de petróleo e


produtos químicos, serviços rigorosos, em que se deseja obter segurança
e durabilidade;

Classe C, para condições moderadas de operação, tendo em vista a


máxima economia e o mínimo tamanho, condizentes com as necessidades
de serviço;

Classe A, para condições severas de temperatura e fluidos altamente


corrosivos.
Trocadores de Calor
Escolha dos Fluidos:

 Fluidos mais sujos;

 Fluidos mais corrosivos;

 Fluidos com maior pressão;

 Fluidos menos viscosos;

 Fluidos de menos vazão volumétrica.


Trocadores de Calor
Normas de Operação:

 Condições de Segurança;

 Aquecimento e resfriamento;

 Partida e Parada;

 Suprimento de água;

 Condensado.
Trocadores de Calor
Causas de Perda de Eficiência:

 O trocador está sujo e não há troca eficiente de calor;

 A tubulação ligada ao trocador não dá a vazão para qual o aparelho foi


projetado;

 As condições de operação diferem daquelas para as quais o trocador de


calor foi projetado.
5. Analise Gráfica
Analise Gráfica
Analise Gráfica
Referências Bibliográficas
ABADIE, E. Curso de Formação de Operadores de Refinaria. Processos de,
2002.DE SOUZA, Weverton Nazario Teixeira; MANZELA, M. Sc André Aleixo.
Otimização de Desempenho de Trocadores de Calor Compactos.

INCROPERA, Frank P. et al. Fundamentos de Transferência de Calor e de


Massa. 6. ed. Rio de Janeiro: Ltc, 2008.

TONIN, PAULO CÉSAR. Metodologia para monitoramento do desempenho


térmico de redes de trocadores de calor. Paraná, Fevereiro de, 2003.

http://adm.online.unip.br/img_ead_dp/38460.PDF
Acessado em 23 de abril de 2019

https://fabioferrazdr.files.wordpress.com/2008/08/1trocadores-de-calor.pdf
Acessado em 23 de abril de 2019
Obrigada!

37