Você está na página 1de 22

C A P I TA L I S M O E M R I S C O :

REVOLUÇÃO RUSSA E A
CRISE DE 29

CIÊNCIAS HUMANAS/ HISTÓRIA


PROFª. JANETE NEVES
OUTRAS
P O S S I B I L I DA D E S

Desde seu início, o capitalismo foi cada


vez mais sendo aprimorado, chegando
ao seu auge. Com o surgimento do
capitalismo monopolista, se viu ainda
mais forte e necessário. Porém, com a
Revolução Russa de outubro de 1917
e sua adesão ao socialismo, o mundo
percebeu que existiam outras
possibilidades, além do então desigual
capitalismo. Além disso, a crise de 1929,
decorrente em muito da primeira
guerra mundial, considerada uma
guerra puramente capitalista, pôs em
xeque o capitalismo como era visto.
Início da divisão mundial: capitalismo X socialismo
ANTECEDENTES DA REVOLUÇÃO

• A estrutura semifeudal russa (resquício da Idade Média) dava à Rússia um


caráter rural e agrícola, o que ajudava em muito a manter a fraca
industrialização, restrita a algumas cidades e dependentes de capital externo.

• Além disso, os russos criticavam o absolutismo monárquico, o que fez com que
o contato com novas ideologias e influências externas possibilitasse a
formação de partidos políticos (Partido Constitucional Democrata – Kadetes,
burgueses / Partido Operário Social Democrata Russo – POSDR, camadas
médias, intelectuais, soldados, operários e camponeses).
EM 1903, HOUVE A CISÃO DO POSDR E A
FORMAÇÃO DE DOIS NOVOS PARTIDOS
COM SUA “QUEBRA”:
• Os Mencheviques: socialismo em aliança
com a burguesia. Segundo eles, a Rússia
deveria primeiro se fortalecer e enriquecer
com o capitalismo e depois fazer a
Revolução;

• os Bolcheviques: com os líderes Trotsky e


Lênin, aspiravam o socialismo sem qualquer
tipo de aliança com o burguesia. Além disso,
segundo eles, se fosse necessário que a
Rússia se industrializasse, seria pelas mãos do
governo.
• Posterior a isso houve o chamado
“Domingo sangrento” (22 de
janeiro de 1905), no qual uma
manifestação contra o Czar (que
ficou conhecida como ensaio geral)
fez com que ele enviasse tropas
para reprimir violentamente a
população.

 Domingo Sangrento foi um massacre que aconteceu em 22 de


• Apesar da maioria dos soldados se janeiro de 1905 na cidade de São Petersburgo, no Império Russo,
onde manifestantes marcharam pacificamente até o Palácio de
negar a cumprir as ordens contra a Inverno para apresentar uma petição ao czar, mas foram baleados
pela Guarda Imperial. A marcha foi organizada pelo padre George
população, cidadãos foram mortos Gapon, que colaborou com [...] a polícia secreta czarista, para
destruir organizações de trabalhadores. Os grupos envolvidos nesse
e houve uma reação violenta dos conflito foram a população no geral, os partidos e os movimentos
revolucionários tiveram também seu inicio após esse domingo
russos ao episódio. sangrento.
Os bolcheviques lideram a Revolução com as chamadas A R E VO L U Ç Ã O :
teses de abril, “Paz, pão e terra” e “todo poder aos OUTUBRO DE 1917
sovietes” (que se uniram para a queda do governo
provisório iniciado por uma revolução em fevereiro de
1917 e implantaram o socialismo na Rússia).

A Guerra Civil para conclusão desse processo durou de


1917 a 1921 com aproximadamente 11 milhões de mortos.

O exército brando lutou contra o exército vermelho


revolucionário, que optou pelo comunismo de guerra,
fechando a Rússia para o mercado, confiscando fábricas
para entregar ao proletariado e nacionalizando bancos e
empresas.

Em 1918, Rússia sai da guerra (Tratado de Bret-Litovsky


com a Alemanha) e em 1921 o exército vermelho tem sua Revolução Russa de 1917
vitória.
1929: A CRISE
CAPITALISTA
“AMERICAN WAY OF LIFE”
Após a primeira guerra mundial, os
Estados Unidos se tornaram a maior
potência. Isso deu ensejo para o
“American Way of Life”, a euforia
norte-americana, com seu
liberalismo e ajuda financeira à
Europa devastada.
Porém, devido a essa ajuda, a Europa se
recupera e volta a produzir, passando a
não mais precisar dos produtos
americanos.

Mesmo com isso, os EUA não diminuem


sua produção, então o subconsumo
causa uma superprodução. Devido a
isso, há um corte de gastos no país,
causando um desemprego de
aproximadamente 13 milhões de
pessoas.

Foi, então, em 4 de outubro de 1929, na


chamada “quinta feira negra”, que houve
a quebra da bolsa de valores de Nova
York, com cerca de 4.000 bancos
quebrados e 80.000 empresas falidas.
Essa crise liberal, ou crise do
capitalismo, em um sensível
momento fez com que o
socialismo se tornasse um
atrativo aos olhos de muitos
países que sofreram
imensamente com a crise.

“Se os EUA pegaram um


resfriado, o mundo todo pegou
uma pneumonia”, já que o
mundo dependia da potência
norte-americana.
Imagem de pessoas esperando na fila por comida, contrastando com o
cartaz da euforia americana antes da crise
O NEW DEAL E A
RECUPERAÇÃO
ECONÔMICA DOS
EUA
As medidas do New Deal pretendiam acabar principalmente com o grande número de
desempregados surgidos com a Crise de 1929
• A Crise de 1929 colocou em xeque a viabilidade das medidas
econômicas liberais, que apontava o mercado capitalista como o
instrumento ideal para se alcançar o equilíbrio econômico e social,
sem a intervenção maciça do Estado.

• A resposta à crise foi encontrada nos Estados Unidos e depois nos


demais países do capitalismo ocidental na ampliação da intervenção
do Estado, com o planejamento econômico. Nos EUA, essas
medidas foram implantadas no governo do presidente democrata
Franklin Delano Roosevelt (1933-1945) e receberam o nome de
New Deal (Novo Acordo).
AS PRINCIPAIS MEDIDAS DO NEW
DEAL FORAM:
• desvalorização do dólar para tornar as exportações mais competitivas;
• empréstimos aos bancos para evitar falências no sistema financeiro;
• criação do sistema de seguridade social, com destaque para o seguro
desemprego e a Lei de Seguridade de 1935;
• direito de organização sindical;
• estímulo à produção agrícola;
• construção de uma grande quantidade de obras públicas, com destaque às
hidrelétricas e rodovias.
OS SUPER-HERÓIS E O NEW DEAL

O Superman e Batman, frutos de um imaginário imbuído do espírito, dos traumas e expectativas do


New Deal, eram dois dos principais heróis nacionais americanos. Num tempo de crise econômica
havia de se lutar contra os abusos de políticos corruptos, de cruéis ladrões de bancos, tarefas as quais
o Superman de tonalidade proletária e o Batman de cunho filantropo cumpriam com zelo e distinção,
para adoração do público.