Você está na página 1de 50

IATROGENIAS

NOS IDOSOS
DEFINIÇÃO
• Do grego: IATRO = médico
GENO = que produz
IA = doença
• Afecção decorrente da intervenção
(diagnóstica ou terapêutica) do médico e/ou
dos seus auxiliares, certa ou errada,
justificada ou não, resultando em
conseqüências prejudiciais à saúde do
paciente
DEFINIÇÃO
• Pode ocorrer também devido a omissão de
uma conduta.
• Distinguir de erro médico
Infelizmente pouco estudada e
documentada

Os serviços médicos não costumam


adotar protocolos e/ou guidelines para
documentar ou prevenir a iatrogenia
FATORES
PREDISPONENTES
Fatores
Predisponentes

Modificações determinadas
pelo envelhecimento
• Todo organismo sofre alterações
provocadas pelo processo de
envelhecimento, levando a uma maior
vulnerabilidade do indivíduo a diversas
formas de agressão
Fatores
Predisponentes
Maior incidência de processos
patológicos
• Maior número de doenças
• Maior necessidade de exames diagnósticos
• Maior necessidade de medicamentos
• Maior chance de iatrogenias
Fatores

Procediment o s P re disponentes

diagnósticos e
terapêuticos invasivos
• Terapia intensiva
• Cateterismo
• Diálise
• Quimioterapia
Fatores
Predisponentes

Modificações na
far macocinética e
far macodinâmica
Com o processo de
envelhecimento ocorrem alterações
na absorção, distribuição,
metabolismo e eliminação dos
medicamentos.
Fatores
Predisponentes

Modificações na
Absorção
Está diminuída nos idosos,
levando a uma menor absorção
dos medicamentos
Fatores
Predisponentes

Modificações na
Distribuição
- Distribuição: (transferência dos
medicamentos do sangue para
tecidos específicos).
Com o envelhecimento ocorre
diminuição da água corpórea
(principalmente intracelular),
diminuição da massa muscular,
aumento da gordura, diminuição da
albumina plasmática.
Fatores
Predisponentes

Isso leva a uma diminuição


da distribuição das drogas e
aumento da quantidade da
fração livre da droga no plasma,
aumentando a chance de
intoxicação
Fatores
Predisponentes
Modificações no
Metabolismo
- Metabolismo – geral/ ocorre no fígado

No idoso, as alterações que ocorrem no


fígado ( diminuição do peso, diminuição
do fluxo sanguíneo, alterações
histológicas dos hepatócitos, alterações
enzimáticas) fazem com que algumas
dessas drogas tenham o seu metabolismo
diminuído, com tendência ao acúmulo
Fatores
Predisponentes

Modificações na
Eliminação
- Eliminação – Geral/ ocorre nos rins

Alterações no rim:
.diminuição do peso
.diminuição do número de néfrons
.hialinização dos glomérulos
.diminuição do fluxo plasmático renal, da
filtração glomerular
.alteração da capacidade de excreção tubular
Fatores
Predisponentes

Modificações na
Eliminação

- Eliminação – Geral/ ocorre nos rins

Com isso, drogas que são eliminadas


pelo rim (digoxina, alopurinol,
clorpropamida, aminoglicosídeos) podem
ter sua excreção diminuída e se acumular
Maior sensibilidade do
orgão efetor

As vezes, pequenas doses de


medicamentos já surtem efeitos
(benzodiazepínicos, digitálicos)
Uso incor reto da
medicação

-Pacientes com déficit visual


-Pacientes com déficit de
memória
-Ocorre em 50% a 60% dos
idosos
CAUSAS DE
IATROGENIA
1) CONDUTA DO MÉDICO OU DE
OUTRO MEMBRO DA EQUIPE

• A atitude do médico pode despertar diversas


reações no paciente.

• A maneira como o médico escuta, examina,


solicita os exames e explica a situação ao paciente
são decisivas no andar do tratamento.
1) CONDUTA DO MÉDICO OU DE
OUTRO MEMBRO DA EQUIPE
• Se o médico não examina corretamente o paciente
pode fazer um diagnóstico incorreto e submeter o
paciente a exames desnecessários

• A troca de informações entre os membros da


equipe deve ser eficiente, pois e não houver
uniformidade entre os mesmos, as condutas
podem ser diferentes e prejudiciais para o paciente
2) MANIPULAÇÃO DO PACIENTE
COM FINALIDADE DIAGNÓSTICA
• Os exames cada vez mais modernos
(estudos radiológicos, endoscópicos,
punções, biópsias, uso de contrastes,
substâncias radioativas) envolvem riscos
para os pacientes idosos.

• Quanto mais idoso é o paciente, mais


sensível é o organismo e maior é a chance
de complicações.
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Exames radiológicos

• Preparo: (Laxantes, clisters) – Podem


provocar desidratação, hipovolemia,
hipotensão, isquemia cerebral e quedas.

• Radiação: Aumentam a incidência de


neoplasias.
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Exames radiológicos

Contrastes:
• O sulfato de bário, usado via oral para estudo do
aparelho digestivo pode causar obstrução
brônquica e vascular quando atinge essas
estruturas.

Deve-se evitar seu uso em casos de hemorragias


digestivas e no pós-operatório de cirurgias
digestivas, bem como em casos de obstrução alta
do esôfago e/ou distúrbio da deglutição
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Exames radiológicos

Contrastes:

• Endovenosos – geralmente à base de iodo


• podem causar:
- alergia ao iodo
- hipotensão
- bradi ou taquicardia
- disfunção renal
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Exames endoscópicos ou
laparoscópicos

• Perfuração
• Hemorragia
• Lesão da aorta (durante broncoscopia)
• Rotura de esôfago (durante dilatação do
cárdia)
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Puncões e biópsias

• Biópsia hepática, renal, digestiva,


ganglionar

• Podem provocar hemorragia e infecções


MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Cateterismo car díaco

• IAM
• Arritmia
• Laceração de artérias coronárias
• Obstrução da artéria braquial
• Infecções
MANIPULAÇÃO DO PACIENTE COM
FINALIDADE DIAGNÓSTICA

Manipulação de focos infeciosos

• Dentários,urinários, intestinais

• Podem provocar endocardite infecciosa


3) MEDIDAS TERAPÊUTICAS
Repouso e atividade física
• Repouso
- •Úlcera de pressão
•Depressão
• Ansiedade •Embolia
•Perda dos •Atelectasia pulmonar
reflexos
vasomotores e •Infecção
posturais
•Atrofia muscular
•Diminuição da
capacidade física
•Osteoporose
3) MEDIDAS TERAPÊUTICAS

• Atividade física
- lesões do aparelho locomotor
- complicações cardiocirculatórias
3) MEDIDAS TERAPÊUTICAS
• Restrições dietéticas:
- O idoso geralmente se alimenta de maneira
deficiente (por isolamento social, deterioração
mental, situação financeira, uso de medicamentos
que tiram o apetite, dificuldade de mastigação)

- Quando restringimos mais ainda a alimentação,


corremos o risco de deixá-lo desnutrido e
aumentar sua susceptibilidade à infecções.
3) MEDIDAS TERAPÊUTICAS

• Sondagens: sonda nasogástrica ou sonda


nasoenteral
- pneumonia aspirativa
3) MEDIDAS TERAPÊUTICAS
• Terapêutica medicamentosa:
-efeitos colaterais dos medicamentos
-os idosos, por usarem um grande número de
medicamentos, tem uma maior chance de
desenvolver efeitos colaterais.
-as alterações observadas na farmacodinâmica e
farmacocinética das drogas no idoso facilitam as
reações adversas, que podem ser as mais variadas
possíveis.
-Algumas são mais frequêntes e previsíveis
devido aos medicamentos mais usados por esse
grupo etário
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS
CONFUSÃO MENTAL
• Hipnóticos • Corticosteróides
• Tranquilizantes • Digitálicos
• Antidepressivos • Antiparkinsonianos
• Antipsicóticos
• Anticolinérgicos
• Anticonvulsivantes
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS

DEPRESSÃO
• Metildopa
• Reserpina
• Betabloqueadores
• Clonidina
• Tranquilizantes
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS

PARKINSONISMO
• Antipsicóticos
• Cinarizina e afins
• Reserpina
• Metildopa
• Metoclopramida
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS

HIPOTENSÃO POSTURAL
• Antihipertensivos
• Diuréticos
• Antianginosos
• Antidepressivos
• Antipsicóticos
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS
QUEDAS
• Hipnóticos
• Tranquilizantes
• Antidepressivos
• Antipsicóticos
• Anti-histamínicos
• Anticonvulsivantes
• Anti-hipertensivos
• Diuréticos
• Antianginosos
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS

CONSTIPAÇÃO
• Anticolinérgicos
• Analgésicos
• Antiácidos
• Antipsicóticos
• Antidepressívos
ALTERAÇÕES DETERMINADAS
POR DROGAS
INCONTINÊNCIA URINÁRIA
• Hipnóticos
• Tranquilizantes
• Antipsicóticos
• Diuréticos
3) MEDIDAS
TERAPÊUTICAS
• Terapêutica cirúrgica
-Recentemente tem aumentado o
número de cirurgia em idosos.

-As alterações relacionadas ao


envelhecimento predispõem os idosos a
complicações durante e pós-cirurgicas.

- As principais complicações:
3) MEDIDAS
TERAPÊUTICAS
Delirium
• Procedimento cirúrgico – stress
• Anestesia
• Doença de base
• Estado neurológico de base
• Distúrbio hidroeletrolítico e metabólico
• Infecções
• Analgésicos
• Hipnóticos
3) MEDIDAS
TERAPÊUTICAS
Depressão
3) MEDIDAS
TERAPÊUTICAS
Trombose Venosa Profunda
• O idoso, no pós-operatório apresenta as 3
características para desenvolver TVP:
- estase
- alteração da parede venosa
- hipercoagulobilidade
4) TERAPÊUTICA NÃO
CONVENCIONAL
Quelação
• EDTA – ácido etileno diaminotetracético
• Usado para quelar cálcio, cobre, alumínio
• Administração ev
• Pode causar: diminuição acentuada do
cálcio sanguíneo e determinar arritmias,
convulsões, tetania, parada respiratória e até
insuficiência renal.
4) TERAPÊUTICA NÃO
CONVENCIONAL
Vitaminas e antioxidantes
Vitmina A
- Necessidade diária de 3000UI
- Uso acima de 25.000 a 50.000UI
podem causar: hipertensão intracraniana,
hiperostose, dores ósseas e articulares,
hepatotoxidade, hipertensão portal e
esplenomegalia
4) TERAPÊUTICA NÃO
CONVENCIONAL
Vitaminas e antioxidantes
Vitamina C
- necessidade diária de 60 mg
- dose de 2 a 4 g/d – diarréia
- dose de 4 a 9 g/d – nefrolitíase
- mais de 9 g/d – acidose metabólica
4) TERAPÊUTICA NÃO
CONVENCIONAL
Vitaminas e antioxidantes
Vitamina E
- necessidade diária de 10 a 15UI/dia
- doses acima de 1.000 a 2.000UI/d
podem provocar diarréia, má-absorção de
vit K e hemorragia.
4) TERAPÊUTICA NÃO
CONVENCIONAL
Preparados vegetais
• Ginseng - + de 3g/d – agitação, insônia,
diarréia, edema
• Confrey – hepatotóxico
• Gingko biloba – hemorragia
• Hypericum - hepatotóxico
5) OMISSÃO
• A omissão de uma conduta, procedimento ou monitorização
que seriam indicados por representar o mínimo a se fazer em
determinadas situações

• Conceito errado de que não vale a pena investir no


tratamento por causa da idade do paciente

• A principal omissão terapêutica – cirurgia

• Outras complicações vem por omissão de medidas


preventivas. São elas: quedas ( do leito, de cadeiras, por
causa de medicamentos, falta de luminosidade) e escaras.