Você está na página 1de 38

Cultura de Células em 3D

e Engenharia de Tecidos
Sumário
 Cultura 3D
Introdução
Histórico
Mecanismos
Pesquisas
 Engenharia de tecidos
Introdução
Histórico
Mecanismos
Biorreatores
Limitações e Desafios

 Referências
Cultura de Células 3D

Fonte: Medibena – Life Science & Diagnostic Solutions


Introdução

Os ensaios baseados em células têm sido um pilar


importante do processo de descoberta de fármacos
para fornecer uma ferramenta simples, rápida e
rentável para evitar ensaios em animais de grande
escala e custo-intensivos
Introdução

Manutenção de células in vitro Cultura celular em 3D

Melhor compreensão dos mecanismos moleculares

Avanços científicos
Introdução

Fonte: A cultura de células em 3 dimensões e a sua aplicação em estudos relacionados a


formação do lúmen.
Introdução

Domínio da terceira dimensão

 Células migram em todas as direções


 Aumento da superfície celular
 Gradiente de difusão

 Processos de diferenciação tecidual


 Permite áreas de hipóxia
 Testes quimioterápicos com resultados
mais precisos.

Fonte: A cultura de células em 3 dimensões e a sua


aplicação em estudos relacionados a
formação do lúmen.

Fonte: BioTek
Introdução

Células tumorais

A, B, D e E Microscopia
de varredura a laser
F Microscopia de
varredura eletronica
C Microscopia de luz

Fonte: A cultura de células em 3 dimensões e a


sua aplicação em estudos relacionados a
formação do lúmen.
Histórico

Ross Granville Harrisson


Fibras nervosas Retirada de células de embrião de anfíbios

Crescimento das fibras

Compreensão do funcionamento celular

Fonte: A cultura de células em 3 dimensões e a sua aplicação em estudos relacionados a


formação do lúmen.
Histórico

Alexis Carrel

Continuidade nos trabalhos de Harrison:

 Banhos em solução salina


 Substituição de linfa por plasma de galinha
 Garrafa de cultura com entrada inclinada
 Controle de assepsia
Histórico
Eberling
Contato direto das células com o meio de cultura influencia na viabilidade
celular e na taxa de proliferação.

O crescimento das células sobre uma trama de seda permitiu uma maior
interação com o ambiente.

Fonte: A cultura de células em 3 dimensões e a sua aplicação em estudos relacionados a


formação do lúmen.
Histórico

Johannes Holtfreter

1944 Geração de agregados celulares com a adição de ágar na superfície


de placas de Petri

1947 Redução da interação das células com o substrato, movimento nas


placas de Petri
Histórico

Joseph Leighton

Limitações da cultura em monocamadas

1951 Crescimento celular em substrato

composto por esponjas de celulose

1954 Manutenção da arquitetura tecidual e


descrição dos principais aspectos

Fonte: ResearchGate
Mecanismos

Principais categorias:

Com matriz Sem matriz

Fonte: BioTek Fonte: BioPOETS


Mecanismos

Based Scaffold - Matriz

 Matrizes rígidas

 Matrizes biológicas

 Microplacas com superfície modelada


Mecanismos

Matrizes Rígidas

 Matrizes pré-fabricadas onde mimetizam as matrizes extracelulares naturais

 Capacidade de suporte físico pras células

 Variedades de estruturas

 Fonte: BioTek Fonte: BioTek


Mecanismos

Matrizes Biológicas

 Proteínas são mais comumente utilizadas


 Interação e reorganização com a cultura
 Correto microambiente para fatores de crescimento, hormônios e outras
moléculas que necessitam maior semelhança com um ambiente in vivo

Fonte: BioTek Fonte: BioTek


Mecanismos

Microplacas com Superfície Modelada

 Compartimentos na dimensão de micrômetros


 Diferentes configurações para otimização da formação celular
 Superfícies com baixa aderência

Fonte: BioTek Fonte: BioTek


Mecanismos

Non Based Scaffold - Culturas sem matrizes

 Microplacas de Suspensão Livre - HDP

 Microplacas de Esferóides Com Revestimento de Baixo Anexo -


ULA

 Culturas de Microfluidização
Mecanismos
Microplacas de Suspensão Livre - HDP

 Ausência de matriz possibilita a formação de esferóides

 Abertura inferior no poço para formação de uma gota discreta

 Tensão superficial suficiente para estabilização mecânica das gotículas

Fonte: BioTek
Mecanismos

Microplacas de Esferóides Com Revestimento de Baixo Anexo -


ULA
 Criar tecidos redondos de células múltiplas
 Maior capacidade volumétrica de meio e reagentes
 Configuração cônica do poço

Fonte: BioTek
Mecanismos
Culturas de Microfluidização

 Maior nível de complexidade Fluxo perfusivo em ambiente celular


 Nutrição celular contínua

 Introdução de oxigênio

Fonte: BioTek
Pesquisas de Relevância

 Processos relacionados à regulação da polaridade ápico-basal tanto epitélio


normal quanto em epitélio tumoral (Schmeichel e Bissell, 2003)
 A formação e manutenção do arranjo glandular associado à presença de um
lúmen e a sua desorganização decorrente de genes relacionados ao câncer
(Kenny, Lee et al., 2007)
 Papel das forças tensionais no arranjo tridimensional (Ingber, 2008)
 Arquitetura e homeostase tecidual (Ingram, Techy et al., 2010)
 Interferência na expressão fenotípica decorrente de interações célula-célula
e célula matriz (Dhimolea, Maffini et al., 2010)
Engenharia de Tecidos

Fonte: Popular Science – Tissue Engineering


Introdução

O objetivo da engenharia de tecidos é montar construções


funcionais que restaurem, mantenham ou melhorem tecidos
danificados ou órgãos inteiros.

Fonte: https://goo.gl/A.Servvy
Introdução

Compreensão das relações entre estruturas e funções em tecidos

Combinação de matrizes, células e fatores bioquímicos


adequados

Fonte: TISSUE DEVELOPMENT WITH TISSUE ENGINEERING APPROACH


Histórico

1987 Criação do termo “Engenharia de Tecidos”

Início com o propósito de substituir, reparar, regenerar,


reconstruir e aperfeiçoar funções do corpo humano

A expectativa no meio clínico era de que não havendo um doador


compatível a técnica seria muito útil.
Mecanismos

 Interação Matriz – Célula

 Comportamento semelhante ao autólogo

 Composição similar

Fonte: TISSUE DEVELOPMENT WITH


TISSUE ENGINEERING APPROACH
Mecanismos

Obtenção de um produto da engenharia tecidual:

1 - Isolar células do tecido nativo

2 – Semeadura das células na matriz

3 - Implantação in vivo
Mecanismos

1 - Isolar células do tecido nativo

 Células viáveis para o procedimento (Fibroblastos)


 Grande número de células para o reparo
 Células troncos Diferenciação celular

Fonte: RBLVet
Mecanismos

2 - Semeadura das células na matriz

 Matriz artificial extracelular mimetizando as propriedades da matriz


extracelular natural
 Material biodegradável
 Fatores de crescimentos replicação da célula
 Ancoragem das células expressão fisiológica
Mecanismos

3 - Implantação in vivo

 Degradação do biomaterial Estímulo do tecido forma do

 Habilidade para minimizar reações inflamatórias


 A

Fonte: Illumin – A review of engineering in everyday life.


Mecanismos

Biorreatores
 Condições in vitro

 Processo dinâmico

Biorreator Biodinâmico

Fonte: RESEARCH AND CREATIVE


DISCOVERY | CLEMSON
UNIVERSITY
Limitações e Desafios

Limitações e Desafios
 Controle da qualidade dos biomaterias

 Entendimento fundamental dos mecanismos de diferencial tecidual

 Incapacidade de construção de tecidos conjuntivos, cartilaginosos, etc.

 Limitação de uma linhagem celular

 Estrutura vascular simples


Referências

Rasheena Edmondson, Jessica Jenkins Broglie, Audrey F. Adcock, and Liju Yang. Three-
Dimensional Cell Culture Systems and Their Applications in Drug Discovery and Cell-
Based Biosensors. Assay Drug Dev Technol. 2014 May 1; 12(4): 207–218.

Brad Larson. 3D Cell Culture: A Review of Current Techniques. Senior Applications


Scientist, Applications Department, BioTek Instruments, Inc., Winooski, VT

Amaral, Jonatas Bussador. A cultura de células em 3 dimensões e a sua aplicação em


estudos relacionados a formação do lúmen. Naturalia (eISSN:2177-0727) Rio Claro, v.34,
p. 1-20, 2011

BASIC Integration: Cell Culture and Electrochemical Lysis


<http://biopoets.berkeley.edu/projects/culturelysis.php> acesso em: 14/05/2017 às 14:00
horas.
Referências

Obi, Feliz Chibuzo. TISSUE DEVELOPMENT WITH TISSUE ENGINEERING APPROACH.


Disponível em < https://www.slideshare.net/FelixObi/tissue-development-with-tissue-
tissue-engineering-approach> Acesso em 11/05/2017, às 23:00 horas.

SILVA, S. N. . Engenharia de Tecidos e Biomateriais. 2010. (Apresentação de Trabalho/


palestra). Disponível em: <http://biosite.no.comunidades.net/engenharia-de-tecidos >
Acesso em: 10/05/2017 às 10:00 horas.

Conceição Silva Oliveira, Marion Nascimento, Erasmo de Almeida Junior, Mady Crusoé,
Poliana Bahia, Fabiana Paim Rosa. Avanços e aplicações da bioengenharia tecidual. R.
Ci. méd. biol. 2010; 9(Supl.1):28-36