Você está na página 1de 32

Bombas Especiais

• Bombas de diafragma
• Bombas peristálticas
• Bombas a Jato
• Tanque injetor de ácido
• Bombas Eletromagnéticas

1
Figura 23: Esquema de uma Figura 24: Funcionamento de bomba
bomba de diafragma de diafragma simples
(http://www.deq.isel.ipl.pt/cp/sebentas/s (http://www.animatedsoftware.com/pumpglos/
eb03.pdf) pumpglos.htm)

2
Figura 25: Funcionamento de bomba de diafragma dupla
(http://www.animatedsoftware.com/pumpglos/pumpglos.htm)

3
Figura 26: Bomba alternativa de diafragma
(http://www.em.pucrs.br/lsfm/alunos/luc_gab/bombas1.html#G)

4
Figura 27: Esquema de uma Figura 28: Funcionamento de uma
bomba peristáltica bomba peristáltica
(http://www.deq.isel.ipl.pt/cp/sebentas/ (http://www.animatedsoftware.com/pumpglos/
seb03.pdf) pumpglos.htm)

5
Figura 29: Funcionamento de bomba a jato
(http://www.animatedsoftware.com/pumpglos/pistpump.htm)

6
Figura 30: Bomba eletromagnética
(http://www.animatedsoftware.com/pumpglos/pistpump.htm)

7
Tabela 1: Características de bombas

Centrífuga
Padrão(escoa- Turbina(escoa- Rotor helicoidal
mento radial) mento misto) (escoamento axial)
Carga(ou pressão Elevada em estágio Intermediária, até Baixa, até 60 ft
de descarga) simples-até 600 ft; 200 ft
em multiestágio-até
6.000psi
Capacidade(ou Baixa (100gal/min) Intermediária, até Elevada, até
vazão fornecida) até muito alta 16.000 gal/min 100.000 gal/min
(200.000 gal/min)

Líquidos com que Sujos ou límpidos Com elevado teor Abrasivos


opera de sólidos
Capacidade de me-
dição ou de con- Não tem Não tem Não tem
trole de vazão

8
Tabela 1: Características de bombas(continuação)

Deslocamento Positivo
Rotativa(engre- Alternativa(pistão
nagem ou parafuso) ou êmbolo)
Carga(ou pressão Intermediária, até A mais alta possível,
de descarga) 600 psi até 100.000 psi

Capacidade(ou Baixa (1gal/min) Intermediária, até


vazão fornecida) até intermediária 500 gal/min
(500 gal/min)

Líquidos com que Até com viscosidade elevada; Límpidos, sem sólidos
opera Não abrasivo

Capacidade de me- Tem


Tem
dição ou de con-
trole de vazão

9
Seleção de Bombas

DEPENDE DA ANÁLISE DE DIVERSOS FATORES:

 CAPACIDADE

 PRESSÃO DE CARGA

 PROPRIEDADES DOS LÍQUIDOS

 TIPO DA BOMBA

 DIMENSIONAMENTO

10
Dimensionamento

DEVE-SE CONHECER:

 CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA

 PROPRIEDADES DO FLUIDO

 CONDIÇÕES DE ESCOAMENTO

11
Viabilidade do Ponto de Operação da Bomba:

 BALANÇO DE ENERGIA EQUAÇÃO DE BERNOULLI


MODIFICADA

 PERDA DE CARGA DO SISTEMA

 PERDA DE CARGA BOMBA

12
Bombas – Transporte de Líquidos

1. Sistema de Bombeamento:Sistema de escoamento de


líquido incorporando uma bomba

Sucção ou aspiração Descarga ou recalque

(2)

(1)
D
ou
S YD
ou
YS

17
13
BOMBAS E CURVAS CARACTERÍSTICAS

CASO A:
SUCÇÃO OU DESCARGA OU
ASPIRAÇAO RECALQUE

hLS + hLD
Sendo:
S ou Ys: Altura de sucção
D ou YD: Altura de descarga hLD 2

HT HB
hLS D
1
OU HD
YD
HS
S
OU
YS

14
BOMBAS E CURVAS CARACTERÍSTICAS

CASO B:

hLD
hLS + hLD

D
OU
YD
HB
hLS

HT

Sendo:
S
OU
S ou Ys: Altura de sucção
YS D ou YD: Altura de descarga

15
BOMBAS E CURVAS CARACTERÍSTICAS

CASO C: hLS + hLD

hLD

Sendo:
S ou Ys: Altura de sucção
D ou YD: Altura de descarga D
OU
YD

HT HB
hLS

S
OU
YS

16
BALANÇO DE ENERGIA

Das figuras: Casos (A), (B) e (C)

CASO GERAL: HB = HD - HS
HS = (YS + hLS) e HD = (YD + hLD)
HB =  HS + H D
Caso A: Ys Positivo
HB = HD - ( HS) = HD - HS = YD - YS + hLS + hLD
Caso (B) e (C): HS Negativo (YS)
HB = HD - (- HS) = HD + HS = YD + YS + hLS + hLD

17
EQUAÇÃO GERAL (Balanço de Energia)

Q Ws Wτ Wout  P     


       e  ρ v . n dA    e.ρ.ρ. (1)
t t t t sc  ρ    t vc

2
eu v  gY (2)
2
Sendo:

Q calor
W trabalho
e energia total
u energia interna
V volume
A área de escoamento
Y comprimento
v velocidade de escoamento 18
EQUAÇÃO GERAL

HIPÓTESES CONSIDERADAS:

* Fluido Newtoniano incompressível


* Escoamento permanente
* Escoamento unidirecional e plenamente desenvolvido
* Energia interna e a pressão no ponto 1 e 2 adotado no V.C.
são uniformes

V.C.

1 2

19
POTÊNCIA DE UMA BOMBA

“ TAXA DE CONSUMO DE ENERGIA NECESSÁRIA PARA


TRANSPORTAR UMA CERTA QUANTIDADE DE FLUIDO A
UMA DETERMINADA ALTURA MANOMÉTRICA”

2
p1 vS p2 vD2
  yS  H B    yD  h L (1)
g 2g g 2g

HB= altura manométrica ou carga da bomba (energia por unidade


de peso do fluido que deve ser fornecido ao sistema)
hL = perda de carga do sistema (sucção e recalque)
p 2  p1 v D  vS
2 2
De (1) HB     y D  yS   h L
g 2g (2)

20
POTÊNCIA DE UMA BOMBA

Potência que deve ser fornecida ao sistema: Pútil

.
Pútil  QH B  m gH B (3)

Potência Real(Preal): fornecida pelo motor = Pútil



 : rendimento ou eficiência da bomba
.
Então: m gH B
Preal  (4)

21
Curva da Bomba x Curva do Sistema

Curva da Bomba H x Q : fornecida pelo fabricante


da bomba

Estabelece o que a bomba pode fornecer


descarga(energia) para vazão do sistema

Exemplo de Curva da Bomba


H

Centrífuga

Q 22
Para o sistema de bombeamento
Da equação da energia (eq.2)

p  p v  vS
2 2
HB  2 1  D   y D  yS   h L
g 2g
Para um dado sistema, HB=HB(Q), pois

v = v (Q) Q v
hL = hL(Q) Q hL

Para um dado sistema de bombeamento, HB aumenta


com o aumento de Q.
23
Curva do Sistema

A curva do sistema fornece qual será a carga (energia)


necessária para cada vazão

24
As curvas em conjunto bomba-sistema mostrará a
viabilidade de utilização da bomba e o ponto de operação

Utilizando em conjunto HB(bomba) x Q e HB (sistema) x Q


Alteração da curva do
sistema (alteração de hL: válvula))
H sistema HB
B

bomba

Q Q
Ponto de
Conjunto Inviável Região de funcionamento
operação
(bomba não adequada) Conjunto Viável
25
Figura 31: Curvas típicas do sistema e de eficiência da bomba
(http://www.ufrnet.br/~lair/Pagina-OPUNIT/bombascentrifugas-1.htm )

26
Exemplo

Figura 32:Curva Característica de Bomba centrífuga


DS=4in; Dd=3in; Carcaça com 10in; Rotores:6,7,8,9ou 10 in; v=1750rpm
27
Exemplo HB = 80 ft e Q = 300 galmin

W2= 10HP
W1 10HP

Figura 32:Curva Característica de Bomba centrífuga


DS=4in; Dd=3in; Carcaça com 10in; Rotores:6,7,8,9ou 10 in; v=1750rpm
28
Exemplo de mosaico para escolha de bombas centrífugas

(http://www.deq.isel.ipl.pt/cp/sebentas/seb03.pdf)
29
Figura 33: Exemplo de curva de eficiência de uma bomba centrífuga
(http://www.hidrovector.com.br/ini.htm )

30
Exemplo prático
Uma bomba centrífuga, cujas características são dadas abaixo, é usada
para elevar água (T=27oC) através do sistema da figura, composto de
8m de tubulação de ferro fundido de 2,5”(schedule 40) na sucção de 65 m
de 2” (schedule 40), na descarga. Considere as válvulas do tipo gaveta
totalmente abertas e cotovelos padrão 90o.

(2)

(1) D = 16,5m

S=7m

31
Calcular: a) Vazão de água que circula pela tubulação
b) Potência consumida pela bomba

Curva Característica da Bomba

Vazão(l/min) (m3/s)*103 Carga(m) Rendimento(%)

0 0 36,6 0
37,8 0,63 36,4 13
75,6 1,26 35,7 23,5
151,2 2,52 32,8 37,5
227,0 3,78 28,4 42,5
264,4 4,40 25,9 41,7
302,5 5,04 23,5 39,5

32

Você também pode gostar