Você está na página 1de 31

Distribuição Transversal de Esforços em Vigas Múltiplas de Concreto

em Pontes Rodoviárias:
Desenvolvimento de Ferramenta Computacional

Eng. Civil David Santana Venancio, Esp.


Departamento de pós-graduação latu-sensu
Universidade Paulista – UNIP
david.svenancio@yahoo.com.br
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Condições básicas para aplicação do método

• O esforço solicitante na viga, depende da posição da carga móvel


em planta;

• Inicialmente estuda-se qual é a pior situação, ou seja, em qual


posição da seção transversal o conjunto de ações móveis
provocará o maior esforço na viga;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Método de Engesser-Courbon

• Método aproximado;

• Transversinas sejam infinitamente rígidas, desprezando-se,


portanto, os efeitos de torção;

• Superestrutura monolítica (ponte grelha de corpo rigido);


Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Método de Engesser-Courbon
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Método de Engesser-Courbon

Substituindo A e B na equação da linha elástica:

Fazendo Ri = Ki . Yi:
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Método de Engesser-Courbon
Simplificação:
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Método de Engesser-Courbon

• Os resultados obtidos por este método serão mais satisfatórios na


medida em que o parâmetro lambda for menor:

Onde respectivamente são:


L, l comprimento e largura do tabuleiro (m)
n, t quantidade de longarinas e transversinas;
rL, rT é a rigidez média das longarinas e transversinas (MN.m2);
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

AMECalc – Aplicação do Método de Engesser-Courbon


Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO:

• Método de Engesser-Courbon;

• Ferramenta computacional AMECalc.

• Modelos analisados;
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Modelos de pontes analisadas


Descrição Modelo1 Modelo2 Modelo3 Modelo4
Largura (m) 10,00 10,00 20,00 20,00
Comprimento (m) 40,00 30,00 120,00 60,00
n de vigas 5,00 3,00 8,00 10,00
n de transversinas 5,00 3,00 20,00 10,00
Ec (Mpa) 28200 28200 28200 28200
Gc (Mpa) 11750 11750 11750 11750
Largura das
0,60 0,40 0,40 0,40
longarinas (m)
Altura da
1,20 1,50 1,50 1,50
longarina (m)
Largura das
0,60 0,30 0,40 0,40
Transversinas (m)
Altura das
1,20 1,50 1,50 1,50
transversinas (m)
Espessura da laje (m) 0,20 0,30 0,20 0,20
l (“lambda”) 0,30 0,53 0,24 0,51
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

M1C1 = Modelo 1 com Carga P Sobre a Viga 1

M1C1
1.0
0.8
0.6
0.4
0.2
0.0
-0.2 V1 V2 V3 V4 V5
-0.4
-0.6
ANSYS AMECalc
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

M2C1 = Modelo 2 com Carga P Sobre a Viga 1

M2C1
1.0
0.8
0.6
0.4
0.2
0.0
-0.2 V1 V2 V3
-0.4
ANSYS AMECalc
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

M3C1 = Modelo 3 com Carga P Sobre a Viga 1

M3C1
1.0
0.8
0.6
0.4
0.2
0.0
-0.2 V1 V2 V3 V4 V5 V6 V7 V8

-0.4
ANSYS AMECalc
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

M3C4 = Modelo 3 com Carga P Sobre a Viga 4

M3C4
0.4
0.3
0.2
0.1
0.0
V1 V2 V3 V4 V5 V6 V7 V8
-0.1
-0.2
ANSYS AMECalc
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

M4C1 = Modelo 4 com Carga P Sobre a Viga 1

M4C1
0.40

0.30

0.20

0.10

0.00
V1 V2 V3 V4 V5 V6 V7 V8 V9 V10
-0.10

-0.20
ANSYS AMECalc
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

CONCLUSÃO:

• Os resultados do método de elementos finitos e o método


aproximado intrínseco no AMECalc foram satisfatórios,
principalmente no que se refere à distribuição dos carregamentos
para o posicionamento da carga P mais próxima do bordo da seção
transversal do tabuleiro;

• Na medida em que se tem pequena largura em relação ao


comprimento da ponte e com o menor valor de lambda e a maior
quantidade de transversinas, os resultados se tornam mais
satisfatórios, como assim ocorreu nos modelos M1, M3 e M4 com
o carregamento imposto na extremidade da ponte.
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

SUGESTÕES PARA TRABALHOS FUTUROS:

• A possibilidade de alteração a rigidez para cada elemento


constituinte da ponte;
• Calcular diversos tipos de seção das vigas;
• Possibilitar o cálculo dos coeficientes de distribuição transversal
em pontes esconsas e/ou curvas;
• Criar diversas situações de avaliação perante ao parâmetro lambda;
• Calcular e traçar as envoltórias de esforços, considerando o
carregamento permanente e móvel no próprio programa baseado
nos coeficientes gerados.
• Calcular as linhas de influência e envoltórias em cada viga
constituinte da seção transversal;
• Não limitar o número de vigas longitudinais.
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

Muito obrigado!
Distribuição Transversal de Esforços em Vigas
Múltiplas de Concreto em Pontes Rodoviárias

REFERÊNCIAS:

• Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7188: Carga móvel rodoviária e


de pedestres em pontes, viadutos e outras estruturas. Rio de Janeiro: ABNT,
2013.
• Ansys. Theory Reference and User’s Guide for Release 14.0. Ansys, 2012.
• Azevedo, Á. F. M. Método dos Elementos Finitos. 1ᵃ. ed. Porto, Portugal:
Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2003.
• Kripka, M. Análise Estrutural para Engenharia Civil e Arquitetura: Estruturas
Isostáticas. 2ᵃ. ed. São Paulo. PINI. 2008.
• Longo, H. I. Esforços Máximos em Pontes Tipo Grelha. Rio de Janeiro:
Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1979. Dissertação (Mestrado em
Engenharia Civil).
• Moura, M. W. et al. Comparação do Método de Fauchart e do Método dos
Elementos Finitos na Avaliação da Distribuição de Esforços Transversais em
Pontes Rodoviárias. Anais do 55 Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.