Você está na página 1de 112

CURSO DE CAPACITAÇÃO

PARA COMPONENTES
DE CIPA

Prof. Dina

1
MÓDULO I - A CIPA

 Objetivos da CIPA
 Organização da CIPA
 Atribuições da CIPA
 A CIPA e o SESMT
 A CIPA e a empresa

2
MÓDULO II - Introdução à
Segurança do Trabalho
Acidentes do Trabalho
Inspeção de Segurança
Campanhas de Segurança
Equipamentos de Proteção Individual - EPI
Equipamentos de Proteção Coletiva - EPC
Riscos Ambientais
Mapa de Riscos
3
MÓDULO III - Prevenção e
Combate à Incêndios

 Como evitar um incêndio


 Recomendações para se evitar o fogo
 Classes de fogo
 Tipos de extintores
 Localização e sinalização dos extintores

4
MÓDULO IV – Riscos
Ambientais/Mapa de Risco. EPI-
Equipamentos de Proteção individual

 Risco Físico
 Risco Químico
 Risco Biológico
 Risco Ergonômico
 Risco de Acidente
 Mapa de Risco

 EPI- Conceito
 EPI- Obrigações

5
MÓDULO V - Norma
Regulamentadora - NR 5

Comissão Interna de Prevenção


de Acidentes - CIPA
Anexo II
Quadro I
Quadro I - A

6
MÓDULO I

A CIPA

7
Objetivos da CIPA

A CIPA tem como objetivo,


desenvolver atividades voltadas
para a prevenção de doenças,
acidentes do trabalho e qualidade
de vida dos trabalhadores.

8
Organização da CIPA

A CIPA é composta por representantes do


empregador (indicados) e dos empregados
(eleitos), em igual número, sendo composta de
Titulares e Suplentes e sua quantidade é definida
pelo grau de risco de sua atividade que é definido
pelo CNAE (Classificação Nacional de
Atividades Econômicas) e pelo número de
funcionários da empresa. Haverá também um
secretário e seu substituto.

9
Atribuições da CIPA
Identificar os riscos do processo de trabalho;
Elaborar plano de trabalho;
Realizar periodicamente verificação nos ambientes e condições de trabalho;
Realizar após cada reunião, a verificação do cumprimento das metas fixadas;
Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho;
Colaborar no desenvolvimento e implementação do PCMSO, PPRA bem como de
outros programas de segurança e saúde desenvolvidos pela empresa;
Divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como
cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho e normas internas de segurança
relativas à segurança no trabalho;
Participar em conjunto com o SESMT da análise das causas das doenças e acidentes do
trabalho e propor medidas de solução dos problemas identificados;
Promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, a Semana Interna de Prevenção de
Acidentes do Trabalho - SIPAT;
Participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção à
AIDS e outros programas de saúde.
10
MÓDULO II

Introdução à
Segurança do Trabalho

11
Acidente do Trabalho
Conceito Prevencionista

São todas as ocorrências indesejáveis, que


interrompem o trabalho e causam, ou
tem potencial para causar ferimentos em
alguém ou algum tipo de perda à
empresa ou ambos ao mesmo tempo

12
Doença Profissional

Entende-se por doença profissional, aquela inerente


ou peculiar a determinado ramo de atividade,
dispensando a comprovação de nexo causal.
Exemplo: Um trabalhador que trabalhe numa
cerâmica onde é utilizada a sílica, vindo a
adquirir silicose, bastará comprovar que
trabalhou na cerâmica, para ficar comprovada a
doença profissional, dispensando qualquer tipo
de outra prova.

13
Doença do Trabalho
A doença do trabalho diferencia-se da doença profissional
em vários pontos. Ela resulta de condições especiais em
que o trabalho é exercido e com ele relaciona-se
diretamente.
Sendo uma doença genérica (que acomete qualquer
pessoa), exige a comprovação do nexo causal, ou seja, o
trabalhador deverá comprovar haver adquirido a doença
no exercício do trabalho.
Exemplo: A tuberculose poderá ser “doença do trabalho”
com relação àquele segurado que comprovar tê-la
adquirido no exercício do trabalho em uma câmara
frigorífica.
14
Causas de Acidentes
do Trabalho

 ATOS INSEGUROS
relacionados com falhas humanas

 CONDIÇÕES INSEGURAS
relacionadas com as condições de trabalho

15
Etapas da Investigação

 Coletar os fatos, descrevendo o ocorrido;

 Analisar o acidente, identificando suas


causas;

 Definir as medidas preventivas,


acompanhando sua execução.

16
Comunicação de
Acidente do Trabalho
De acordo com a legislação, todo acidente do
trabalho deve ser imediatamente comunicado à
empresa pelo acidentado ou por qualquer pessoa
que dele tiver conhecimento.
Em caso de morte, é obrigatória a comunicação à
autoridade policial.
A empresa por sua vez, deve comunicar o acidente
do trabalho à Previdência Social até o primeiro dia
útil seguinte ao da ocorrência.
17
Inspeção de Segurança

É a parte do controle de riscos que consiste em efetuar


vistorias nas áreas e meios de trabalho, com o
objetivo de descobrir e corrigir situações que
comprometam a segurança dos trabalhadores.

Uma inspeção para ser bem aproveitada precisa ser


planejada, e o primeiro passo é definir o que se
pretende com a inspeção e como fazê-la.

18
Tipos de Inspeção

 Inspeção geral: Realizada quando se quer ter uma visão


panorâmica de todos os setores da empresa. Pode ser realizada no
início do mandato da CIPA.

 Inspeção parcial:Realizada onde já se sabe da existência de


problemas, seja por queixas dos trabalhadores ou ocorrência de
doenças e acidentes do trabalho. Deve ser uma inspeção mais
detalhada e criteriosa.

 Inspeção específica: É uma inspeção em que se procura identificar


problemas ou riscos determinados. Como exemplo podemos citar o
manuseio de produtos químicos, postura de trabalho, esforço físico,
etc.
19
Etapas da Inspeção

 Observação do ambiente e dos meios de


trabalho;
 Coleta de informações;
 Registro de dados e elaboração do relatório;
 Apresentação nas reuniões da CIPA;
 Encaminhamento do relatório através do
Presidente da CIPA;
 Acompanhamento da implantação das
medidas recomendadas.
20
Campanhas de Segurança

Campanhas de segurança são eventos voltados para a


educação e sensibilização dos funcionários, transmitindo
conhecimentos sobre segurança e saúde no trabalho.

Os eventos mais comuns e que envolvem a CIPA são:


 Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho -
SIPAT;
 Campanha Interna de Prevenção da AIDS - CIPAS;
 Antitabagismo - cabe também à CIPA, recomendar que
em todos os locais de trabalhos e adotem medidas
restritivas ao hábito de fumar.

21
MÓDULO III

Prevenção e Combate
à Incêndios/Noções Básicas de
Primeiros Socorros

22
Como evitar um incêndio

O primeiro passo para se prevenir um incêndio, é prevenir


que surja o fogo.
As substâncias que tem a propriedade de pegar fogo e
queimar, são chamadas de combustíveis. Existem 3 tipos
de combustíveis: sólidos, líquidos e gasosos.
Além dos combustíveis, para que haja fogo, também é
necessário uma fonte de calor, que em alguns casos, até o
calor do sol é suficiente para combustão.
Todo fogo é alimentado pelo oxigênio, portanto completando
o triângulo do fogo, existe o comburente.
Eliminando-se qualquer um desses elementos, não haverá
fogo.
23
Recomendações para se evitar
o fogo

 Armazenagem adequada de materiais


combustíveis e inflamáveis
 Cuidados com instalações elétricas
 Instalação de para-raios
 Manter ordem e limpeza
 Cuidado com fumantes
 Riscos de faíscas e fagulhas

24
Classes de Fogo

 CLASSE “A”: São materiais de fácil combustão,


queimam tanto na superfície como em profundidade,
deixando resíduos. Ex.: madeira, papel, etc.
 CLASSE “B”: São os produtos que queimam somente
na superfície. Ex.: gasolina, óleos, graxas, etc.
 CLASSE “C”: Ocorre em equipamentos elétricos
energizados. Ex.: motores, quadros de distribuição, etc.
 CLASSE “D”: Ocorre em materiais pirofóricos como
magnésio, zircônio, titânio, etc.

25
Tipos de Extintores

Dióxido de Carbono, mais conhecido como CO2, usado


preferencialmente nos incêndios classe “B” e “C”.
Pó Químico Sêco, usado nos incêndios classe “B” e
“C”. Em materiais pirofóricos (classe “D”), será
utilizado um pó químico especial.
Água Pressurizada, usado principalmente em incêndios
de classe “A”. Em incêndios de classe “C”, só deve ser
utilizado sob forma de neblina. Nunca utilizar este tipo
de extintor em incêndios de classe “B”.

26
Inspeção de Extintores

Todo extintor deverá ter uma ficha de controle


de inspeção, devendo ser inspecionado no
mínimo 1 vez por mês, sendo observado seu
aspecto externo, os lacres, manômetros e se os
bicos e válvulas de alívio não estão entupidas.
Cada extintor deverá ter em seu bojo, uma
etiqueta contendo data de carga, teste
hidrostático e número de identificação.

27
Localização e Sinalização
dos Extintores
 Os extintores deverão ser instalados em locais de fácil acesso e
visualização;
 Os locais destinados aos extintores devem ser sinalizados por
um círculo vermelho ou uma seta larga vermelha com bordas
amarelas;
 Embaixo do extintor, no piso, deverá ser pintada uma área de
no mínimo 1m x 1m, não podendo ser obstruída de forma
nenhuma;
 Sua parte superior não poderá estar a mais de 1,60 m acima do
piso;
 Extintores não poderão estar instalados em paredes de escadas e
não poderão ser encobertos por pilhas de materiais.
28
Noções Básicas de Primeiros Socorros

Conceito: Primeiros socorros é o cuidado


imediato á alguém ferido ou doente,
com a finalidade de:

Preservar a vida.
- Promover a recuperação.
- Evitar que o caso piore.
Fatores emocionais em
primeiros socorros

Diante de uma emergência as


pessoas apresentam reações
emocionais variadas:
- Ansiedade: É normal e compreensivo
que fiquemos ansiosos diante de uma
emergência, porem de forma controlada
que nos permita tomar as medidas
emergenciais corretas, tão logo seja
possível;

- Pânico: Algumas pessoas tendem a


entrar em pânico e não conseguem
tomar qualquer atitude;
• Disfunção orgânica: Apresentam desmaios,
tremores, etc. Tornando-se mais uma
“vítima a ser socorrida”;

•Depressão: Outras entram em depressão,


choram, se isolam das vítimas e também
ficam incapazes de ajudar;

• Hiperatividade: Agitado corre para todo


lado tentando ajudar a todos.
Lembre-se
- Sempre manter a calma e ser positivo
com a vítima.
- Jamais expresse com palavras
expressões faciais ou comentários
paralelos sobre a gravidade das lesões,
pois isso nada ajudará o atendimento e
tornará a vítima mais assustada do que já
está, podendo causar-lhe reações
psicoemocionais, como aumentar a
frequência cardíaca e com isso piorar a
situação.
Atue desta maneira mesmo
que acredite que a vítima
esteja inconsciente, pois ela
pode estar semi-acordada a
ouvindo tudo que acontece ao
seu redor.
Plano de ação do socorrista

* Check- Procure na cena do


acidente se novos perigos são
eminentes.
* Ajuda – peça especializada.

* Cuide, não fique omisso, aplique


seus conhecimentos de socorro.
- Mantenha a vítima estável e
aguarde a ajuda chegar.

- No caso de mais de uma vítima,


escolha a pessoa que mais
precisa de ajuda.
- Toda pessoa que estiver
prestando atendimento de
primeiros socorros deve, antes de
tudo, atentar para a sua própria
segurança.
- O impulso de ajudar a outras
pessoas não justifica a tomada de
atitudes inconsequentes, que
acabem o transformando em mais
uma vítima.
-A seriedade e o respeito são o
primeiro passo para um bom
atendimento de primeiros socorros.
-Para tanto, evite que a vítima seja
exposta desnecessariamente e
mantenha o devido sigilo sobre as
informações pessoais de quem
você prestou atendimento.
Desmaio

Normalmente, o desmaio não passa


de um acidente leve, só se
agravando quando é causado por
grandes hemorragias.
Como socorrer:
- Se a pessoa estiver prestes a desmaiar,
coloque-a sentada com a cabeça entre as
pernas;
- Se o desmaio já ocorreu, deitar a vítima
no chão, verificar respiração e palidez;
- Afrouxar as roupas;
- Erguer os membros inferiores;
- Obs.: Se a vítima não se recuperar de 2
a 3 minutos, procurar assistência médica.
- Não dê líquido à pessoas que
estejam inconscientes;
- Cessada a convulsão, deixa a
vítima repousar calmamente, pois
poderá dormir por minutos ou
horas;
- Nunca deixa de prestar socorro à
vítima de convulsão.
Telefones de emergênciaSamu
192
Corpo Bombeiros 193
Polícia Militar 190
Defesa civil 199
Polícia Civil 197
MÓDULO IV

Riscos ambientais/ Mapa de


Risco
EPI Equipamento de
proteção Individual
43
RISCOS AMBIENTAIS
É tudo que tem potencial para gerar acidentes ou
doenças no trabalho, em função de sua natureza,
concentração, intensidade e tempo de exposição.
A norma considera como riscos ambientais os
seguintes:

RISCOS FÍSICOS
RISCOS QUÍMICOS
RISCOS BIOLÓGICOS
RISCOS ERGONÔMICOS
RISCOS DE ACIDENTES
RISCOS FÍSICOS

Os riscos físicos são efeitos gerados por


máquinas, equipamentos e condições físicas
características do local de trabalho, que
podem causar prejuízos á saúde do
trabalhador.
RISCOS FÍSICOS
Calor
Frio
Pressões anormais
Radiações ionizantes
Radiações não ionizantes
Ruído
Umidade

Vibrações
RUÍDO

 O ruído é definido como um som


indesejável, produto das atividades
diárias da comunidade. O som
representa as vibrações mecânicas da
matéria através do qual ocorre o fluxo
de energia na forma de ondas sonoras.
VIBRAÇÃO
É qualquer movimento que o corpo
executa em torno de um ponto fixo. Esse
movimento pode ser regular, do tipo
senoidal ou irregular, quando não segue
um padrão determinado
RADIAÇÃO IONIZANTE

São emissões de energia em diversos


níveis, desde a fixa do visível, passando
pelo ultra-violeta, raio-X, raio gama e
partículas alfa e beta, capazes de contato
com elétrons de um átomo, retirando-as,
provocando a ionização dos mesmos.
Radiação
Não-Ionizante

Ao contrário da anterior, não tem poder


de ionização. Apenas podem ativar todo
o conjunto de átomos que recebem esta
carga de energia. São classificadas pelo
comprimento de onda de nanômetros a
quilômetros.
Temperaturas extremas

FRIO
CALOR
Pressões Anormais
Hipobárica: quando o homem está
sujeito a pressões menores que a
pressão atmosférica. Estas situações
ocorrem a elevadas altitudes.
(coceira na pele, dores musculares,
vômitos, hemorragias pelo ouvido e
ruptura do tímpano)

Hiperbárica: quando o homem


fica sujeito a pressões maiores
que a atmosférica. (mergulho e
uso de ar comprimido).
Umidade

 Faixa de conforto a que corresponde à


temperatura de 22 a 26 º C e umidade
relativa do ar entre 45 e 50 %.
RISCOS QUÍMICOS

Estes riscos são representados pelas


substâncias químicas que se encontram nas
formas líquida, sólida e gasosa. Quando
absorvidos pelo organismo, podem produzir
reações tóxicas e danos á saúde. Há três vias
de penetração no organismo: - Via
respiratória: inalação pelas vias aéreas - Via
cutânea: absorção pela pele - Via digestiva:
ingestão.
RISCOS QUÍMICOS
Poeiras
Fumos
Névoas

Neblinas

Gases
Vapores

Substâncias, compostos ou produtos químicos em geral


Aerossóis:

Podem ser encontrados na forma de gases e


vapores, ou na forma de partículas. As
partículas quando dispersas na atmosfera
possuem estabilidade de suspensão e
dividem-se em:
 Poeiras ,Fumos
 Névoas,Neblinas
Poeiras

Partículas sólidas formados por desagregação


mecânica de corpos sólidos. As partículas
geradas tem em geral diâmetros maiores que
um mícron
 Poeiras minerais
 Poeiras de madeira
 Poeira em geral
Fumos

Partículas sólidas formados por condensação


de vapores, geralmente metálicos. As
partículas geradas tem em geral diâmetros
maiores que um mícron
 Fumos de solda
Névoas

 Aerossóis constituídos
por partículas líquidas, independente da
natureza e do diâmetro das partículas,
formadas por desagregação mecânica de
corpos líquidos.

 Névoa de tinta
Neblina

Aerossóis líquidos, formados por


condensação de vapores.
Vapores

São substâncias que se encontram no


estado gasoso como resultado de algum
tipo de alteração no seu estado normal e
temperatura ambiente.
Gases

Não possuem formas e volumes próprios e


tendem a se expandir indefinidamente. À
temperatura ordinária, mesmo sujeitos à
pressão fortes, não podem ser total ou
parcialmente reduzidos ao estado líquido.
- Oxigênio
RISCOS BIOLÓGICOS

Os riscos biológicos são causados por


microrganismos invisíveis a olho nu, como
bactérias, fungos, vírus, bacilos e outros, São
capazes de desencadear doenças devido à
contaminação e pela própria natureza do
trabalho.
RISCOS BIOLÓGICOS
Bactérias
Vírus
Protozoários
Fungos
Parasitas
Bacilos
RISCOS BIOLÓGICOS

 Microorganismos indesejáveis:
bactérias (H1N1), fungos (parasitas),
protozoários, bacilos (bacilo de Kock-
Tuberculose)
RISCOS ERGONÔMICOS

 Estes riscos são contrários às técnicas de


ergonomia, que propõem que os ambientes de
trabalho se adaptem ao homem, propiciando bem
estar físico e psicológico. Os riscos ergonômicos
estão ligados também a fatores externos – do
ambiente – e a fatores internos – do plano
emocional. Em síntese: ocorrem quando há
disfunção entre o indivíduo, seu posto de trabalho e
seus equipamentos.
RISCOS ERGONÔMICOS

Levante e transporte manual de peso

Esforço físico intenso


Jornadas de trabalho prolongadas

Monotonia e repetitividade
Controle rígido de produtividade
Imposição de ritmos excessivos
Exigência de postura inadequada
Outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico
RISCOS DE ACIDENTES

 Riscos de acidentes ocorrem em função das


condições físicas – de ambiente físico e do
processo de trabalho – e tecnológicas
impróprias capazes de provocar lesões à
integridade física do trabalhador
RISCOS DE ACIDENTES
Arranjo físico inadequado
Máquinas e equipamentos sem proteção
Ferramentas inadequadas ou defeituosas
Iluminação inadequada
Eletricidade

Probabilidade de incêndio e explosão


Armazenamento inadequado
Animais peçonhentos
Outras situações de risco que poderão contribuir
para a ocorrência de acidentes
RISCOS DE ACIDENTES

 Variados (falta de iluminação, probabilidade


de incêndio, explosão, piso escorregadio,
armazenamento, arranjo físico e ferramenta
inadequados, máquina defeituosa, mordida
de cobra, aranha, escorpião).
QUÍMCOS
FÍSICOS
ERGONÔMICO BIOLÓGICOS

MAPA DE RISCOS
BIOLÓGICOS

ACIDENTES

QUÍMCOS

BIOLÓGICOS FÍSICOS

ACIDENTES

FÍSICOS

ERGONÔMICO
QUÍMCOS

ACIDENTES

ERGONÔMICO
O QUE É ?

 É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS


RISCOS AMBIENTAIS EXIXTENTES NOS
LOCAIS DE TRABALHO, PODE SER
GERAL (UM PARA TODA A EMPRESA)
OU SETORIAL (CADA DEPARTAMENTO
TEM UM, O QUE É MAIS FACIL DE FAZER
E MAIS FÁCIL DE ENTENDER)
OBJETIVOS

 REUNIR AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS


PARA ESTABELECER O DIAGNÓSTICO DA
SITUAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO
TRABALHO DA EMPRESA;
 POSSIBILITAR, DURANTE A SUA
ELABORAÇÃO, A TROCA E DIVULGAÇÃO
DE INFORMAÇÕES ENTRE OS
TRABALHADORES, BEM COMO ESTIMULAR
SUA PARTICIPAÇÃO NAS ATIVIDADES
RELACIONADAS A PREVENÇÃO DE
ACIDENTES.
QUEM FAZ ?
A RESPONSABILIDADE PELA
ELABORAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E
ATUALIZAÇÃO É DA CIPA (TODOS OS
MEMBROS EM CONJUNTO COM O
SESMT), LEVANDO EM CONTA AS
INFORMAÇÕES REPASSADOS PELOS
COLABORADORES DO SETOR.
 QUANTO MAIS INFORMAÇÃO FOR
COLOCADA NO MAPA DE RISCOS MAIS
FÁCIL SERÁ O ENTENDIMENTO DE
QUEM ESTÁ LENDO O MAPA.
LEMBRETE:

 A ATUALIZAÇÃO DO MAPA DE
RISCOS DEVE SER ANUAL, OU TODA
VEZ QUE HOUVER UMA MUDANÇA
NO SETOR QUE INTERFIRA NOS
RISCOS EXISTENTES (APARECIMENTO
DE NOVOS RISCOS, ELIMINAÇÃO OU
NEUTRALIZAÇÃO DE RISCOS
EXISTENTES).
INFORMAÇÕES DO MAPA DE
RISCOS:
 CABEÇÁRIO (EMPRESA, SETOR, ANO)
 LEGENDA (TIPOS, CORES E
INTENSIDADE DOS RISCOS)
 TOTAL DE FUNCIONÁRIOS
 REPRESENTAÇÃO DOS RISCOS ( A
REPRESENTAÇÃO DEVE SER FEITA EM
FORMA DE CIRCULOS COLORIDOS NA
COR CORRESPONDENTE AO RISCO)
 INFORMAR O AGENTE DE RISCO JUNTO
AO CIRCULO E A QUANTIDADE DE
FUNCIONÁRIOS EXPOSTO.
REPRESENTAÇÃO DOS
RISCOS:
LEGENDA
DOS RISCOS:
MODELOS PARA CONFECÇÃO
DO MAPA DE RISCOS:
LEMBRANDO:
RISCOS RISCOS RISCOS RISCOS RISCOS
FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONÔMICOS ACIDENTES

RUÍDO POEIRAS VÍRUS ESFORÇO FÍSICO ARRANJO FÍSICO


INADEQUADO
VIBAÇÃO FUMOS BACTÉRIAS LEVANT.TRANSP.
MANUAL PESO MÁQUINAS SEM
CALOR NÉVOAS PROTOZOÁRIOS PROTEÇAO
POSTURA
FRIO NEBLINAS FUNGOS INADEQUADA FERRAMENTAS
INADEQUADAS

UMIDADE GASES PARAZITAS CONTROLE


PRODUTIVIDADE ILUMINAÇÃO
INADEQUADA
RADIAÇÃO VAPORES BACILOS
IONIZANTES JORNADA
PROLONGADA ELETRICIDADE
PRODUTOS
RADIAÇÃO QUÍMICOS EM
NÃO GERAL TRAB. EM TURNO PROBABILIDADE DE
IONIZANTE NOTURNO INCÊNDIO

PRESSÃO MONOTONIA E ARMAZENAMENTO


ANORMAIS REPETITIVIDADE INADEQUADO

RÍTMOS ANIMAIS
EXCESSIVO PEÇONHENTOS
EM SE TRATANTO DE
SEGURANÇA:

OBRIGADO!!!
A TODOS
EPI – EQUIPAMENTO DE
PROTEÇÃO INDIVIDUAL

É muito importante o uso de


Equipamentos de Proteção individual
(EPI), pois eles protegem do contato
com substâncias agressivas ao corpo,
que podem provocar acidentes e
doenças.
O QUE É EPI?
O QUE É EPI?

 É todo dispositivo ou produto, de uso


individual utilizado pelo trabalhador
destinado à proteção de risco suscetíveis de
ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
CA- CERTIFICADO DE
APROVAÇÃO

 O Equipamento de Proteção Individual, de


fabricação nacional ou importado, só poderá ser
posto à venda ou utilizado com a indicação do
Certificado de Aprovação – CA, expedido pelo
órgão nacional competente em matéria de
Segurança e Saúde no Trabalho do Ministério
do Trabalho e Emprego.
VALIDADE DO C.A

 O CA de cada equipamento de proteção, para


fins de comercialização, terá validade de
cinco anos, podendo ser renovado.
OBRIGATORIEDADE

 A Empresa é obrigada a fornecer aos empregados,


gratuitamente EPI adequado ao risco, em perfeito
estado de conservação e funcionamento nas seguintes
circunstâncias:
 Sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam
completa proteção contras os riscos de acidentes do
trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;
 Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem
sendo implantadas; e
 Para atender a situações de emergência.
CABE AO EMPREGADOR
 Adquirir o adequado ao risco de cada atividade;
 Exigir o seu uso;
 Fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão
nacional competente em matéria de Segurança e Saúde no
Trabalho;
 Orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e
conservação;
 Substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;
 Responsabilizar – se pela higienização e manutenção
periódica; e
 Comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada
 Registrar o seu fornecimento ao trabalhador (livros, fichas ou
sistema eletrônicos)
CABE AO EMPREGADO

 Usar o EPI, utilizando - o apenas para a


finalidade a que se destina;
 Responsabilizar – se pela guarda e conservação;
 Comunicar ao empregador qualquer alteração
que o torne impróprio para o uso;
 Cumprir as determinações do empregador sobre
o uso adequado
INDICAÇÃO E USO

 6.5 Compete ao Serviço Especializado em


Engenharia de Segurança e em Medicina do
Trabalho – SESMT, ouvida a Comissão
Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA e
trabalhadores usuários, recomendar ao
empregador o EPI adequado ao risco
existente em determinada atividade.
ALGUNS EPIs

Óculos de segurança Protetores faciais


Capacetes

Protegem contra Protegem de Protegem


impactos ferimento nos contra
provenientes de olhos respingos,
queda e choque vapores e
elétrico radiação
EPIs
Respiradores
Protegem contra:
poeiras, fumos,
névoas, neblinas, gases
e vapores
Mangas de proteção e cremes protetores
EPIs

Luvas Protetores auditivos

Impedem o risco de lesões


por contato com materiais Protegem os ouvidos do
abrasivos, perfurantes ou excesso de ruído
cortantes
EPIs
Aventais, capas e jaquetas

Para trabalho que supõe risco de origem térmica,


radioativa ou mecânica
EPIs

Evitam o contato com Disponível em vários


agentes químicos modelos, e serve para
agressivos e quedas de proteção de quedas em
objetos alturas.
EPI- EQUIPAMENTO DE
PROTEÇÃO INDIVIDUAL
Quem sou eu ?
Sou mais poderoso que os exércitos do mundo inteiro.
Matei mais homens que todas as guerras de todos os
tempos. Sou mais mortífero que as balas e destruo mais
lares que os canhões de longo alcance. Não faço
distinções: minhas vítimas são ricos e pobres, jovens e
velhos, fortes e fracos. As viúvas e os órfãos me
conhecem bem. Cresço tanto que minha sombra se
estende a todas as atividades. Massacro milhares de
trabalhadores todos os anos. Oculto-me o mais que posso
e trabalho quase sempre em silêncio. Sou implacável.
Estou em toda parte. No lar, na rua, na fábrica, nos
cruzamentos de estradas de ferro, no mar, na terra e no ar.
Trago comigo a doença, a dor e a morte, e não obstante,
poucos tratam de me evitar. Destruo, nada ofereço e tudo
tiro. Sou seu pior inimigo. Eu sou o acidente do
trabalho !!!!
MÓDULO V

Norma Regulamentadora
NR 5
Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes - CIPA

98
Objetivo

A Comissão Interna de Prevenção de


Acidentes - CIPA, tem como objetivo a
prevenção de acidentes e doenças
decorrentes do trabalho, de modo a tornar
compatível permanentemente o trabalho
com a presença da vida e a promoção da
saúde do trabalhador.

99
Constituição

Devem constituir CIPA, por estabelecimento, e mantê-la em regular


funcionamento as empresas privadas, públicas, sociedades de
economia mista, órgãos da administração direta e indireta, instituições
beneficientes, associações recreativas, cooperativas, bem como outras
instituições que admitam trabalhadores como empregados.

As empresas instaladas em centro comercial ou industrial


estabelecerão, através de membros da CIPA ou designados,
mecanismos de integração com objetivo de promover o
desenvolvimento de ações de prevenção de acidentes e doenças
decorrentes do ambiente e instalações de uso coletivo, podendo contar
com a participação da administração do mesmo.

100
Organização
A CIPA será composta de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o
dimensionamento previsto no Quadro I desta NR.

Os representantes dos empregadores, titulares e suplentes serão por eles designados.

Os representantes dos empregados, titulares e suplentes, serão eleitos em escrutínio secreto, do


qual participem, independentemente de filiação sindical, exclusivamente os empregados
interessados.

O mandato dos membros eleitos da CIPA terá a duração de um ano, permitida uma reeleição.

É vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa do empregado eleito para cargo de direção de
Comissões Internas de Prevenção de Acidentes desde o registro de sua candidatura até um ano
após o final de seu mandato.

O empregador designará entre seus representantes o Presidente da CIPA, e os representantes


dos empregados escolherão entre os titulares o vice-presidente.
101
Atribuições
Identificar os riscos do processo de trabalho e elaborar Mapa de Riscos;
Elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de
segurança e saúde no trabalho;
Participar da implementação e do controle da qualidade das medidas de prevenção necessárias;
Realizar, periodicamente, verificações nos ambientes e condições de trabalho;
Realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas;
Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho;
Colaborar no desenvolvimento e implementação do PCMSO e PPRA e de outros programas
relacionados à segurança e saúde no trabalho;
Participar em conjunto com o SESMT, da análise das causas das doenças e acidentes do
trabalho e propor medidas de solução;
Promover, anualmente em conjunto com o SESMT, a Semana Interna de Prevenção de
Acidentes do Trabalho - SIPAT;
Participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS;
Cabe ao empregador proporcionar aos membros da CIPA os meios necessários ao desempenho
de suas atribuições, garantindo tempo suficiente para a realização das tarefas constantes do
plano de trabalho.
102
Atribuições do Presidente

Convocar os membros para as reuniões da CIPA;


Coordenar as reuniões da CIPA, encaminhando ao
empregador e ao SESMT, as decisões da comissão;
Manter o empregador informado sobre os trabalhos da
CIPA;
Coordenar e supervisionar as atividades de secretária;
Delegar atribuições ao Vice-Presidente.

103
Atribuições do Vice-Presidente

Executar as atribuições que lhe forem


delegadas pelo Presidente;

Substituir o Presidente nos seus


impedimentos eventuais ou nos
afastamentos temporários.

104
Atribuições do Presidente e
Vice-Presidente em conjunto

Cuidar para que a CIPA disponha de condições necessárias


para o desenvolvimento de seus trabalhos;
Coordenar e supervisionar as atividades da CIPA, zelando
para que os objetivos propostos sejam alcançados;
Delegar atribuições aos membros da CIPA;
Promover o relacionamento da CIPA com o SESMT;
Divulgar as decisões da CIPA a todos os trabalhadores da
empresa;
Constituir a Comissão Eleitoral.

105
Atribuições da Secretária

Acompanhar as reuniões da CIPA, e redigir as


atas apresentando-as para aprovação e
assinatura dos membros presentes;

Preparar as correspondências;

Executar as atribuições que lhe forem


atribuídas.

106
Funcionamento

A CIPA terá reuniões ordinárias mensais, de acordo com o


calendário preestabelecido;
As reuniões ordinárias da CIPA serão realizadas durante o
expediente normal da empresa;
As reuniões da CIPA terão atas assinadas pelos presentes;
As reuniões extraordinárias serão realizadas quando houver
denúncia de situação de risco grave e iminente que
determine aplicação de medidas corretivas de emergência,
quando ocorrer acidente grave ou fatal ou quando houver
solicitação expressa de uma das representações.

107
Atribuições

O membro titular perderá o mandato, sendo


substituído pelo suplente, quando faltar a mais de 4
reuniões ordinárias sem justificativa;
No caso de afastamento definitivo do Presidente, o
empregador indicará o substituto, em 2 dias úteis,
preferencialmente entre seus membros;
No caso de afastamento definitivo do Vice-
Presidente, os membros titulares da representação
dos empregados escolherão o substituto, entre seus
titulares, em 2 dias úteis.
108
Treinamento
A empresa deverá promover treinamento para todos os
membros, titulares e suplentes, inclusive a secretária e sua
substituta, antes da posse;
O treinamento deverá conter:
a) estudo do ambiente e condições de trabalho;
b) investigação e análise dos acidentes;
c) noções sobre acidentes do trabalho;
d) noções sobre AIDS;
e) noções sobre legislação trabalhista e previdenciária;
f) princípios gerais de higiene do trabalho;
g) organização da CIPA.
109
Processo Eleitoral

Compete ao empregador convocar eleições para


escolha dos representantes dos empregados da
CIPA, até 60 dias antes do término do mandato em
curso.

O Presidente e o Vice-Presidente da CIPA constituirão


dentre seus membros, com no mínimo 55 dias do
início do pleito, a Comissão Eleitoral - C.E., que
será a rsponsável pela organização e
acompanhamento do processo eleitoral.
110
Processo Eleitoral
Condições

Publicação e divulgação de Edital, no mínimo 45 dias antes da data de


eleição;
inscrição e eleição individual, sendo que o período mínimo para inscrição
será de 15 dias;
liberdade de inscrição para todos os empregados da empresa, com
fornecimento de comprovante;
garantia de emprego para todos os empregados da empresa até a eleição;
realizar eleição no mínimo 30 dias antes do término do mandato;
realizar eleição em dia normal de trabalho, respeitando os horários dos
turnos;
voto secreto;
apurar os votos em horário normal de trabalho, com acompanhamento de
representantes do empregador, empregados e comissão eleitoral.
111
EM SE TRATANTO DE
SEGURANÇA:

OBRIGADA!!!