Você está na página 1de 27

• A perspectiva é um recurso de representação gráfica bastante utilizado por

vários profissionais, entre eles, o arquiteto.

• Como verificado nas seções anteriores, um projeto de edifício, de interiores


ou de um objeto idealizado pode ser apresentado de várias maneiras, sendo
a perspectiva uma delas.

• Para que a representação se aproxime da situação real, a esta podem ser


acrescidas sombras, tanto a sombra própria, como a sombra projetada dos
objetos.
• Quando temos um objeto sob a luz, além de conseguirmos visualizá-lo,
sabemos que a luz produz sombras.

• Na Figura, temos as sombras própria e projetada, os elementos que as


compõem e também elementos da representação gráfica das sombras.
Sol: neste exemplo, é a fonte de luz. Podemos ter fontes artificiais de
luz. Para representação com sombras em arquitetura, considera-se o Sol
como fonte de luz.
Raio de luz: representado pelas setas,
caracteriza-se como feixe por meio do qual
a luz natural irradia a partir do sol.

Sombra própria: área escura em um


volume que se encontra oposta a
uma fonte de luz.

Sombra projetada: área escura formada sobre uma


superfície por um corpo opaco que interrompe os raios de
uma fonte de luz.

Linha de sombra projetada - elemento da representação gráfica: é sombra criada


por linha de sombra própria na superfície que a recebe.
Com relação à incidência da luz solar, temos ainda os elementos que
veremos a seguir.

Altura solar: elevação


em ângulo do Sol acima do
horizonte.

Ângulo solar - direção dos


raios solares.

Rumo: corresponde ao ângulo de direção, expressa em graus,


a Oeste ou a Leste de orientação.
Azimute: ângulo de desvio horizontal, de posição relativa à
direção padrão Norte e Sul.
ELEMENTOS RELACIONADOS À INCIDÊNCIA DA LUZ SOLAR NA EXECUÇÃO DE PERSPECTIVA
Para representar as sombras projetadas, considera-se que o rumo dos raios
luminosos é paralelo ao plano do desenho, originando-se à esquerda ou à direita
do observador.

Assim, a altura dos raios luminosos


vai parecer real no desenho, e o
rumo é mantido na horizontal.

A profundidade das sombras


projetadas é determinada pela
altura dos raios luminosos.

Assim, podemos usar ângulos de 30° (ângulo entre 0° e 45°) com relação à
superfície, de 45°ou de 90°.
Podemos produzir sombras por meio de diferentes elementos geométricos,
como nos exemplos abaixo

RAIOS DE LUZ

• Na representação das sombras de ponto, de reta e de plano, temos as


sombras projetadas destas entidades geométricas em uma superfície, de
acordo com a inclinação dos raios de luz.

• Na sombra de sólido temos, além da sombra projetada, a sombra própria.


• Existem situações nas quais, dependendo do ângulo
da incidência da luz sobre o objeto, temos
representações distintas de sombras projetadas,
além da sombra própria dos objetos.
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
REGRAS PARA REPRESENTAR AS SOMBRAS PROJETADAS DE UM OBJETO
ÂNGULO DE INCIDÊNCIA DE LUZ FORMADO COM A SUPERFÍCIE
NA QUAL A SOMBRA É PROJETADA É DE 90°.
ÂNGULO DE INCIDÊNCIA DE LUZ FORMADO COM A SUPERFÍCIE
NA QUAL A SOMBRA É PROJETADA É DE 90°.
EXERCÍCIO I
EXERCÍCIO I
EXERCÍCIO II