Você está na página 1de 40

ELETROQUÍMICA

IMPORTÂNCIA!

Mostrar como se pode obter energia elétrica a


partir das reações químicas

 Pilha (célula galvânica): processo no qual uma


reação espontânea de óxido – redução produz
corrente elétrica
 Eletrólise: processo não-espontâneo no qual uma
corrente elétrica produz uma reação de óxido -
ELETROQUÍMICA

Como tudo começou !


(Galvani x Volta)
 1780 (Galvani): Descobriu que os músculos e os
nervos na perna de uma sapo morto sofriam uma
contração em contato com metais.

Os músculos
do sapo
geravam
eletricidade
ELETROQUÍMICA

Como tudo começou !


(Galvani x Volta)
 1799-1800 (Volta): Não ficou convencido com a
explicação do seu colega. Ele achava que o tecido
animal servia apenas de conexão entre os dois
metais.
ELETROQUÍMICA

Como tudo começou !


 1836 (John Daniell): Aperfeiçoou a descoberta de
Volta. Ele dividiu a célula eletroquímica em duas
partes.
ELETROQUÍMICA

Modificações observadas:

Eletrodo de Cobre Eletrodo de Zinco


 Aumento na espessura Corrosão da lâmina
da lâmina de Cu de Zn
 Diminuição da cor azul

Cu2+ (aq) + 2e- Cu(s) Zn(s) Zn2+ (aq) + 2e-


ELETROQUÍMICA

Semi-Reações:

Redução Oxidação

Cu2+ (aq) + 2e- Cu(s) Zn(s) Zn2+ (aq) +


2e-
Eletrodo onde ocorre Eletrodo onde ocorre
redução: oxidação:
Cátodo (+) Ânodo (-)
ELETROQUÍMICA

Obtenção da Equação Global a partir


da soma das duas semi-reações:

Zn(s) Zn2+ (aq) + (Oxidação)


2e-
Cu2+ (aq) + 2e- Cu(s) (Redução)

Zn(s) + Cu2+ (aq) Zn2+ (aq) + Cu(s) Equação


Global
ELETROQUÍMICA

Representação da Pilha de Daniel:

Zn (s) Zn2+ Cu2+ Cu0

Ânodo Cátodo

Ponte de Salina

Ponte de Salina: é um dispositivo que fornece


ânions para a solução onde está o eletrodo de Zn e
cátions para a solução em que está o eletrodo de
Cu.
ELETROQUÍMICA

Potencial das Pilhas:


 Potencial de Redução de Oxidação:

Zn Zn2+ (aq) Ambos os íons


Pilha de têm tendência
Daniel Cu Cu2+ (aq) de receber
elétrons!

Por que apenas o Cu2+ sofre redução?


ELETROQUÍMICA

Potencial das Pilhas:


 Potencial de Redução de Oxidação:

Cu2+ tem maior potencial de redução (Ered )

Cu2+ (aq) + 2e- Cu(s) Ered Cu2+ > Ered Zn2+

Zn2+ apresenta maior potencial de oxidação


(Eoxi )
Zn(s) Zn2+ (aq) + Eoxi Zn > Eoxi Cu
2e-
ELETROQUÍMICA

Medidas dos Potencias de Eletrodo:


 Potencial de Redução de Oxidação:
Para determinar os Ered e Eoxi das diversas espécies,
foi escolhido como padrão o eletrodo de hidrogênio
( Eletrodo Padrão de Hidrogênio – EPH)

Por convenção o
potencial padrão (E0)
do EPH tanto para
oxidação quanto
redução = zero
ELETROQUÍMICA

Medidas dos Potencias de Eletrodo:


 Potencial Padrão do Zinco e do Cobre:
ELETROQUÍMICA

Medidas dos Potencias de Eletrodo:


 Potencial Padrão do Zinco e do Cobre:
Aumenta o potencial de receber
elétrons
ELETROQUÍMICA

Aumenta o potencial de doar


elétrons
ELETROQUÍMICA

Medidas dos Potencias de Eletrodo:

Observações:
 Eletrodos com Ered > 0 têm capacidade de
atrair eletrons do eletrodo de hidrogênio. Tais
eletrodos têm sua massa aumentada

 Eletrodos com Ered < 0 têm seus elétrons


atraídos pelo eletrodo de hidrogênio. Tais
eletrodos têm suas massas diminuídas.
ELETROQUÍMICA

Cálculo da Voltagem (∆E) das Pilhas

O ∆E de uma pilha depende:


• das espécies envolvidas
∆E = E −Ered.cátodo red.ânodo

• das suas concentrações


• da temperatura

∆E0 = (E0red.maior ) – (E0red.Menor )

∆E = E red.cátodo − E red.ânodo
ELETROQUÍMICA

Cálculo da Voltagem (∆E) das Pilhas

Zn(s) + Cu2+ (aq) Zn2+ (aq) + Cu(s)

∆E0 = (E0red.Cátodo ) – (E0red.Ânodo )


Cu2+ (aq) + 2e- Cu(s) E0 = + 0,34 V (cátodo)

Zn(s) Zn2+ (aq) + 2e- E0 = - 0,76 V (ânodo)

∆E0 = 0,34 – (-0,76)


∆E0 = 1,1 V
ELETROQUÍMICA

Espontaneidade de Uma Reação


Reações espontâneas
Pilhas
∆E0 > 0

Mg2+ (aq) + Ni(s) Mg(s) + Ni2+


(aq)

Mg2+ (aq) + 2e- Mg(s) (cátodo)

Ni(s) Ni2+ (aq) + 2e- (ânodo)


ELETROQUÍMICA

Espontaneidade de Uma Reação

Mg2+ (aq) + 2e- Mg(s) (cátodo) E0red =


-2,36
Ni(s) Ni2+ (aq) + 2e- (ânodo) E0red = -0,24

∆E0 = (E0red.Cátodo ) – (E0red.Ânodo )

∆E0 = -2,36 – (-0,24)


∆H0 < 0, portanto a
∆E0 = -2,12 V reação não é
espontânea e não
caracteriza uma
ELETROQUÍMICA

Corrosão e Proteção de Metais


É a deterioração de materiais metálicos pelo
processo eletroquímico que ocorre nas reações de
óxido-redução.
Corrosão do Ferro

Fe(s)    =>   Fe2+    +   2e- Oxidação X (2)

O2(g)    +   2H2O   +   4e-   =>   4 OH1- (aq) Redução

2 Fe + O2 + 2 H2O => 2 Fe(OH)2


ELETROQUÍMICA

Corrosão e Proteção de Metais

2 Fe + O2 + 2 H2O => 2 Fe(OH)2

O produto da corrosão do Fe, Fe(OH)2, é


posteriormente oxidado a Fe(OH)3.

4 Fe (OH)2 + O2 + 2 H2O => 4 Fe(OH)3


(ferrugem)
ELETROQUÍMICA

Corrosão e Proteção de Metais

A proteção de um metal – ferro ou aço – é realizada


utilizando-se um metal que apresente maior
tendência de perder elétrons (maior potencial de
oxidação). Esse metal se oxida e evita a corrosão do
ferro, por isso, é denominado metal de sacrifício.
ELETROQUÍMICA

Corrosão e Proteção de Metais


A corrosão do ferro, processo que se inicia pela
formação de íons Fe2+ , pode ser evitada colocando-
se o ferro em contato com um metal que se oxide
mais facilmente. Dada a tabela a seguir de
potenciais de redução:
semi-reação E° (V)
a) Quais dos metais citados
Fe2+    +   2e-   =   Fe -0,44
protegem o ferro da
Mg2+    +   2e-   =   Mg -2,37 corrosão?
Zn2+    +   2e-   =   Zn -0,76 b) Escreva a reação do ferro
Pb2+    +   2e-   =  Pb -0,13 com um dos metais da
resposta anterior,
Cu2+    +   2e-   =   Cu +0,15 indicando o potencial da
pilha formada.
ELETROQUÍMICA

Eletrólise

Processo no qual reações não – espontâneas são


realizadas com o auxílio de uma corrente elétrica
proveniente de uma fonte externa de energia. É um
inverso de uma pilha.

Por ser um processo não espontâneo a eletrólise


só ocorre com o auxílio de um circuito elétrico
composto de um gerador, que fornece energia, e
de uma cuba eletrolítica onde deve haver
eletrólitos. Esses eletrólitos vão para eletrodos de
sinal contrário, perdendo ou ganhando elétrons.
ELETROQUÍMICA

Como Funciona a Eletrólise

(+) (-)
Eletrodos
inertes
Cuba eletrolítica
B - A
+

(AB)
Eletrólito
ELETROQUÍMICA

Como Funciona a Eletrólise

Semi – reação anódica: B- => B0 +


e-
Semi – reação catódica: A+ + e- =>
AReação
0 Global: B- + A+ => B0 +
A0

Obs: A reação que ocorre em uma eletrólise é o


inverso da reação de uma pilha. Assim para que
ocorra uma eletrólise, é necessário que o gerador
forneça uma ∆E superior à reação da pilha
(espontânea).
ELETROQUÍMICA

Eletrólise

As substâncias que serão submetidas à eletrólise


podem estar liquefeitas (fundidas) ou em solução
aquosa.

Eletrólise Ígnea
Tipos de
eletrólise Eletrólise em meio
aquoso
ELETROQUÍMICA

Eletrólise

Eletrólise Ígnea
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise Ígnea

Semi – reações da eletrólise ígnea do


NaCl
Ânodo (+): 2 Cl- => Cl2(g) + 2e-
(oxidação)
Cátodo (-): 2 Na-+ + 2e+- => 2 Na(s)
Reação Global: 2 Cl + 2 Na => Cl2(g) + 2
(redução)
Na(s)
Obs: O número de elétrons libertados no
ânodo é sempre igual ao número de elétrons
absorvidos no cátodo, em qualquer instante
da eletrólise.
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
H 2O
AB A+(aq) + B-(aq)
Íons do
eletrólito
H2O H+(aq) + OH-(aq)

Íons da Água

AB (aq)
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
Ordem de descarga de cátions

Ordem decrescente de descarga dos principais


cátions

Au3+ , Pt2+ , Hg2+ , Ag1+ , Cu2+ , Ni2+ , Cd2+ , Pb2+ ,


Fe2+ , Zn2+ , Mn2+ , H+, Al3+ , Mg2+ , Na1+ , Ca2+ ,
Ba2+ , K1+ , Li1+ , Cs1+ .
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
Ordem de descarga de ânions

Ordem decrescente de descarga dos ânions

Ânions não- OH- Ânions


oxigenados e o HSO4- oxigenados e o F-
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
Eletrólise Aquosa do Cloreto de Sódio
ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
Eletrólise Aquosa do Cloreto de Sódio

Cátodo Ânodo
Migração de íons H+ e Na+ Cl- e OH-

Facilidade de H+ > Na+ Cl- > OH-


descarga
Semi-reação 2H+ + 2e- => H2 2Cl- => Cl2 + 2e-

Íons presentes na Na+ OH-


ELETROQUÍMICA

Eletrólise
Eletrólise em Meio
Aquoso
Eletrólise Aquosa do Cloreto de Sódio

2 NaCl 2 Na+ + 2 Cl-


2 H2O 2 H+ + 2
Cátodo 2
OH H-+ + 2e- H2
:Ânodo 2 Cl- Cl2 + 2e-
:
2 NaCl(aq) + 2 H2O(l) 2 Na+(aq) + 2 OH-(aq) + H2(g) +
Cl2(g)
ELETROQUÍMICA

Aspectos Quantitativos da Eletrólise

Na indústria eletroquímica, além dos aspectos


qualitativos das reações, há o interesse em prever
as quantidades das substâncias produzidas no
interior da cubas.
Tomando-se como exemplo a eletrólise ígnea do
cloreto de sódio: Quantos gramas de sódio se
obtém durante o processo?

Na+ + 1e-
Na
1 mol de Na+ + 1 mol de elétrons 1 mol de sódio metálico
(23 g)
ELETROQUÍMICA
Relação da Quantidade de Elétrons com a
Carga Elétrica
A quantidade de eletricidade ou carga que passa
por uma célula eletrolítica é calculada da seguinte
forma:
Q=Ixt

Q => quantidade de eletricidade ou carga (C)


I => corrente elétrica (A)
t => tempo em segundos
ELETROQUÍMICA
Relação da Quantidade de Elétrons com a
Carga Elétrica
Em 1909, Robert Milikan, determinou que um
elétron possui carga de 1,602 x 10-19 C.

1 mol de elétrons => 6,02 x 1023


e-

Quantidade total de carga transportada por 1 mol de


elétrons:
1,6 x 10-19 C x 6,02 x 1023 = 9,65 x 104 C
Constante de
Faraday
ELETROQUÍMICA
Relação da Quantidade de Elétrons com a
Carga Elétrica
Exemplo: Numa pilha, o eletrólito está contido em
uma lata de zinco que funciona como um dos
eletrodos. Que massa de Zn é oxidada a Zn2+
durante a descarga desse tipo de pilha, por um
período de 30 minutos, envolvendo uma corrente de
5,36 x 10-1 A? (Massa molar: Zn = 65 g/mol)

I = 5,36 x 10 -1
A Q=Ixt
t = 30 min = 30 x 60 s = Q = 965 C
1800 s
ELETROQUÍMICA
Relação da Quantidade de Elétrons com a
Carga Elétrica
Exemplo: Numa pilha, o eletrólito está contido em
uma lata de zinco que funciona como um dos
eletrodos. Que massa de Zn é oxidada a Zn2+
durante a descarga desse tipo de pilha, por um
período de 30 minutos, envolvendo uma corrente de
5,36 x 10-1 A? (Massa molar: Zn = 65 g/mol)
Zn Zn2+ + 2e-
Q=Ixt
1 mol 2 mol
Q = 965 C 65 g 2 x 96500
C 965 C
X
X = 3,25 x 10-1 g de Zn

Você também pode gostar