Você está na página 1de 22

Trabalho de Histologia

Nutrição – 1˚ Período
Cristiane de Fátima Silva
Jefferson Adler Oliveira Barroso
Marcelle de Ávila Carvalho
Sarcopénia,
Músculo

e
Nutrição
Sarcopénia
é a perda constante e involuntária de
massa muscular durante o envelhecimento.
Esta perda progressiva generalizada de
massa muscular esque-
lética e de força leva a
efeitos adversos, como
incapacidade física, dimi-
nuição da qualidade de
vida e, em até
à morte.
É considerada uma
“Síndrome Geriátrica”
Ocorre a
substituição
de fibras
musculares
por tecido
conjuntivo e
adiposo
Principais Causadores
Próprio
Envelhecimento

Tratamentos
Farmacológicos
Sedentarismo

Acamamento

Alimentação

• Hipertensão Arterial Doenças


•Diabetes Crônicas

•Obesidade
Diminuição dos hormônios testosterona
total, livre, DHEA e IGF-1
Para tentar reverter esse cenário
preocupante, são usadas
intervenções para diminuir ou
reverter a perda de massa muscular
e de função dos nossos idosos...
Treino de
Força

Ingesta de
Proteínas
Suplementação
Hormonal

Vitamina D
Alteração dos Níveis de
Força em Idosos
Maior perda de material contráctil de fibras
musculares tipo II (glicolíticas rápidas) que
tipo I (oxidativas
lentas).

Fibras
Musculares
Tem sido sugerido que a perda de força
em idosos não é apenas devida à redução
de massa muscular, mas também à redução
de excitabilidade dos músculos.
Esse processo realizado pelo conjunto de
um motoneurônio com as respectivas fibras
musculares enervadas é denominado de
“Unidade Motora”.
Ingestão Nutricional e
Turnover Protéico
“Turnover Proteico” é renovação da
proteína corporal; integra os processos de
síntese e degradação.

As alterações do tamanho e força


musculares podem dever-se, em parte, ao
baixo turnover protéico em músculos
envelhecidos.
A proteína muscular esquelética é a
principal reserva de aminoácidos no
organismo e consegue tolerar uma perda
significativa em massa sem comprometer
a saúde ou a sobrevivência.
Apesar de uma ingestão alimentar
globalmente insuficiente poder estar
relacionada com a sarcopénia, uma
baixa ingestão protéica parece ser um
problema significativo para os idosos e
poderá ser um alvo potencial para
estratégias de intervenção.
Intervenções Nutricioais
• Como os alimentos de origem animal têm
um maior conteúdo de aminoácidos
essenciais é recomendado que os idosos
consuma-os diariamente, sobretudo os
ricos em “leucina”
como carnes e
peixes.
• Suplementação de
Vitamina D.
Combinação de Treino de Força
com Intervenções Nutricionais
Atualmente defende-se que o exercício e a
ingestão nutricional, nomeadamente a
ingestão de aminoácidos essenciais,
exercem um efeito anabólico sinérgico, sen-
do a sua combinação con-
siderada uma estratégia
útil no combate
à sarcopénia.
Considerações Finais
Devido ao alto impacto que a sarcopénia
tem na independência, funcionalidade e
qualidade de vida do idoso, torna-se
essencial mais investigação nesta área de
forma a melhor conhecer a etiologia deste
processo e, assim, melhor responder à
necessidade de melhorar, ou pelo menos
retardar, esta condição.
Obrigada!!!
Referências:

• http://www.fade.up.pt/rpcd/_arquivo/arti
gos_soltos/2012 -2/07.pdf

• Imagens: Google Imagens