Você está na página 1de 14

Profa. Me.

Marcela Rosa de Lima Machado


 Trabalho e educação são atividades especificamente humanas
 Apenas o ser humano trabalha e educa
 Racionalidade: atributo essencial do ser humano
 Diferentemente dos animais, que se adaptam à natureza, o homens têm que adaptar
a natureza em si.
 Agindo sobre a natureza e transformando-a, os homens ajustam a natureza às
suas próprias necessidades
 Ao produzir seus meios de vida, o homem produz indiretamente sua própria
vida material (Marx)
 A essência do home é o trabalho
 O homem aprende a produzir a própria existência, no ato de produzi-la
 A relação entre trabalho e educação é uma relação de identidade
 Fundamentos ontológicos e históricos dessa relação
 Históricos porque referidos a um processo produzido e desenvolvido ao longo do
tempo pela ação dos próprios homens
 Ontológicos porque o produto dessa ação, o resultado dessa ação, é o próprio ser
dos homens
 Desenvolvimento do modo de produção capitalista – divisão do trabalho e divisão
de homens por classes
 Classes do proprietários e não proprietários
 O trabalho é a essência do homem: não é possível ao homem viver sem trabalhar
 Classe dos proprietários: podem viver sem trabalhar, através do trabalho alheio
 Divisão dos homens em classes gera divisão na educação
 Educação centrada nas atividades intelectuais x educação assimilada ao próprio
processo de trabalho
 A primeira deu origem à escola (etimologicamente, lugar do tempo livre)
 Institucionalização da educação
 Modo de produção capitalista coloca o Estado como protagonista da educação,
forjando a ideia de escola pública, universal, gratuita, leiga e obrigatória
 A realização da forma escolar no aparelho capitalista é diretamente responsável
pelas modalidades segundo as quais concorre para a reprodução das relações de
produção capitalistas
 Desenvolvimento da escola como instituição apartada do processo produtivo
 O modo como se organiza o processo de produção, permitiu a organização da
escola como um espaço separado da produção
 Separação entre trabalho manual e trabalho intelectual
 Trabalho manual – continua uma educação concomitante ao processo de trabalho
 Trabalho intelectual - educação do tipo escolar, destinada ao trabalho intelectual
 Revolução Industrial = Revolução Educacional
 Se a máquina viabilizou a materialização das funções intelectuais no processo
produtivo, a via para objetivar-se a generalização das funções intelectuais na sociedade
foi a escola
 Com o impacto da Revolução Industrial, os principais países assumiram a tarefa de
organizar os sistemas de ensino , buscando generalizar a escola básica
 Universalização da escola primária – socialização dos indivíduos para conviver na
sociedade moderna
 Capacitação para integrar o processo produtivo
 Maquinaria – qualificação geral mínima
 Surgimento de divisões de tarefas dentro das fabricas
 Escola ligada ao mundo da produção
 Segundo Gramsci, na sociedade capitalista existem dois tipos de escola: a escola
clássica, destinada às classes dominantes e aos intelectuais; e a escola profissional,
destinada às classes instrumentais.
 A dualidade consiste portanto no fato de existirem escolas diferentes para cada grupo
social, perpetuando nestes estratos uma função tradicional, que é dirigente ou
instrumental (GRAMSCI, P.226). Na escola profissional, ensina-se aos "governados" as
técnicas gerais necessárias à esta finalidade. Sendo assim, para Gramsci, não adianta
um operário se tornar qualificado se não puder de se tornar um "governante".
 Para Gramsci, o problema da dualidade só poderia ser resolvido com a criação de um
tipo único de escola preparatória, que conduzisse os jovens até a escolha profissional.
Esta escola formaria o aluno como pessoa capaz de pensar, de estudar, de dirigir ou
controlar quem dirige. (GRAMSCI, p. 227).
 ESSA ESCOLA, SERIA A ESCOLA UNITÁRIA
 A Escola unitária é a concepção proposta por Gramsci para eliminar a dualidade no sistema
escolar e solucionar a crise do sistema educacional italiano, ocasionada pela expansão das
escolas profissionalizantes.
 Segundo Gramsci, a escola unitária deveria fornecer uma formação inicial de cultura geral,
humanista, e deveria equilibrar o desenvolvimento das capacidades de trabalho manual e
intelectual.
 Para alcançar estes objetivos, a escola unitária exigiria a organização integral do tempo dos
alunos (diurno e noturno), passando ao Estado despesas que antes eram responsabilidade
das famílias (idem, p.215.). Neste sentido, a escola necessitaria ampliar sua organização,
incluindo desde alterações no prédio – com a construção de dormitórios, refeitórios,
bibliotecas, auditórios - até a inclusão de material cientifico, corpo docente ampliado, entre
outros.
 A escola unitária deveria corresponder à todo o período escolar do indivíduo, desde o
elementar até o médio. Nos anos iniciais, os alunos deveriam aprender as primeiras noções
instrucionais, mas também desenvolveriam aspectos referentes aos "direitos e deveres". A
intenção é que desde a primeira infância os alunos desenvolvessem uma concepção de
mundo que fugiria às tradições sociais e folclóricas.
 Já na última etapa - considerada por Gramsci uma fase decisiva – pretendia-se
criar os valores fundamentais do humanismo, como a autonomia moral e a
disciplina intelectual, preparando o aluno para uma posterior especialização em
caráter científico ou produtivo. Gramsci ressalta ainda que esta etapa deveria
proporcionar o estudo e aprendizado de métodos criativos na ciência e na vida,
contribuindo assim para o desenvolvimento da responsabilidade autônoma dos
indivíduos.
 A Escola unitária deveria também "assumir a tarefa de inserir os jovens na
atividade social, depois de tê-los elevado a um certo grau e maturidade e
capacidade para a criação intelectual e prática e a uma certa autonomia na
orientação e na iniciativa" (GRAMSCI, p.215) Deste modo, iria tecer novas relações
entre o trabalho intelectual e o trabalho industrial, em toda a vida social. Deste
modo, o principio unitário seria multiplicado nos organismos de cultura,
transformando-os e emprestando-lhes novo conteúdo (GRAMSCI, p.219).
 ESCOLA UNITÁRIA DE GRAMSCI corresponderia a EDUCAÇÃO BÁSICA
 O modo como esta organizada a sociedade atual é a referencia para organização
do ensino fundamental
 O nível de desenvolvimento atingido pela sociedade contemporânea coloca a
exigência de um acervo mínimo de conhecimentos sistemáticos, sem o que não se
pode participar ativamente da sociedade
 O acervo em referencia inclui a linguagem escrtua e a matemática, ciências
naturais, ciências sociais,
 A base em que se organiza o ensino fundamental é o principio educativo do
trabalho
 Segundo Gramsci, as leis civis e estatais organizam os homens do modo mais historicamente
adequado a dominar as leis da natureza, tornando mais fácil seu trabalho - forma na qual o homem
participa da natureza ao transformá-la e socializá-la. Neste contexto, Gramsci afirma que o trabalho
era o princípio educativo em que se baseavam as escolas primárias, uma vez que, para que este
ocorresse em todas suas dimensões e produtividade, seria necessário o conhecimento das leis
naturais e civis/estatais.
 O conceito e o fato do trabalho, seriam portanto, imanentes nas escolas primárias, já que estas
introduziriam e identificariam a ordem social e estatal na ordem natural pelo trabalho. Para
Gramsci, isso representaria um avanço na formação do aluno, pois criaria uma intuição do mundo
liberta da magia, fornecendo o ponto de partida para o desenvolvimento de uma concepção
histórica e dialética do mundo (idem,p.221).
 Para Gramsci, a escola deveria ser ligada à vida, expressando aspectos tradicionais da vida
intelectual e moral.
 Neste sentido, visava-se uma formação interior e do caráter, que não atendia restritamente à
aspectos de formação técnico-profissional.
 O conceito e o fato do trabalho (da atividade teórico-prática) é o principio
educativo imanente À escola elementar, já que a ordem social e estatal (direitos e
deveres) é introduzida e identificada na ordem natural pelo trabalho (GRAMSCI)
 No ensino fundamental, a relação entre trabalho e educação é implícita e direta
 O trabalho orienta e determina o caráter do currículo esoclar em função da
incorporação dessas exigências na vida em sociedade
 A escola elementar não precisa fazer referencia direta ao processo de trabalho, já
que ela se constitui como um instrumento, um mecanismo de apropriação
 Já no ensino médio, essa relação é direta
 O papel do ensino médio sera de recuperar a relação entre o conhecimento e a
pratica do trabalho
 No ensino médio, já não bastaria dominar os elementos básicos e gerais do
conhecimento
 Seria necessário explicitar como o conhecimento se converte em potencia
material no processo de produção
 Domínio não apenas teórico, mas prático do modo como o saber se articula com o
processo produtivo
 Politecnia como domínio dos fundamentos científicos
 Diferença entre ensino médio geral e o ensino médio profissionalizante
 Profissionalização entendida como um adestramento para uma determinada
modalidade sem o conhecimento dos fundamentos dessa habilidade
EDUCAÇÃO SUPERIOR: organizar a cultura superior como forma de possibilitar que
participem plenamente da vida cultural
 Difusao e discussão de problemas da sociedade

Você também pode gostar