Você está na página 1de 48

ASPECTOS MORFOFUNCIONAIS

DO
SISTEMA GENITAL FEMININO
DE
MAMÍFEROS DOMÉSTICOS

Instituto de Biologia
Departamento de Biologia Animal
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Helcimar Barbosa Palhano
Conteúdo
Introdução

1 – Ovário
2 – Tuba uterina
3 – Útero
4 – Vagina
5 – Vestíbulo vaginal
6 – Vulva
7 – Clitóris
8 – Placentação
INTRODUÇÃO

Aparelho Genital Feminino dos Mamíferos Domésticos

Gônadas pares: ovários – função exócrina e endócrina

Tubas uterinas – local de concepção

Útero – local de desenvolvimento do concepto

Vagina – local de cópula e via fetal no trabalho de parto

Vestíbulo e Vulva – órgão urogenital

Clitóris – homólogo ao pênis do macho


1 – Ovário

Órgão par de função gametogênica (exócrina) e produção


hormonal (endócrina).

Características morfológicas
-apresentam em geral forma elipsóidea com variações entre espécies
-duas superfícies (medial e lateral)
-duas bordas (livre e mesovárica) – égua apresenta fossa de ovulação
-duas extremidades (tubárica e uterina)

Estrutura ovariana
-possui cobertura de peritônio em sua maior parte da superfície
-estroma ovariano: *córtex (zona parenquimatosa) e medular (mais interna)
-presença de folículos ovarianos em vários estágios de desenvolvimento
-Oócitos circundados pelo estrato granuloso e pela teca folicular (cumulos oophorus)
* Éguas apresentam a camada medular mais externa do que a camada cortical (mais internamente)
Fixação dos ovários
- parte cranial do ligamento largo do útero (mesovário) – equinos, ruminantes e
suínos
- ligamento suspensório, mesossalpinge - carnívoros

- ligamento próprio do ovário - carnívoros e éguas

- bolsa peritoneal (ovariana) – carnívoros, equinos, suínos

Localização
-Região sublombar ventral à quarta ou quinta vértebras lombares – éguas

-Próximos ao centro da margem lateral da entrada pélvica – ruminantes e suínos

-Próximos ao pólo caudal do rim correspondente (dir./esq.), ventral a 3ª /4ª vert.


lombares - carnívoros
Ciclo de desenvolvimento folicular ovariano
Produção gametogênica - exócrina

Número de folículos pré-determinados em todas as fêmeas


Folículos quiescentes

Folículos primordiais

Folículos primários

Folículos secundários

Folículos terciários

Folículos de Graaf (pré-ovulatórios) Ovulação: liberação do


oócito com zona pelúcida

Corpo rubro (corpo hemorrágico)

Corpo lúteo Corpo albicans (cicatricial)


Ciclo de desenvolvimento folicular ovariano
Produção gametogênica - exócrina

Bovinos, suínos: poliéstrico ano inteiro

EquÍdeos, ovinos e caprinos: poliéstricos sazonais

Carnívoros: monoéstricos sazonais


Ovário - Égua
Ovário - Vaca
Ovário - Porca
Ovário - Gata
Vasos e nervos

Artéria ovariana

Veias em plexo

Vasos linfáticos vão para os linfonodos lombares

Nervos derivados do sistema simpático


(plexo renal e aórtico abdominal)
Vasos
2 – Tuba uterina

Órgão par tubular, flexuoso de pequeno calibre. Responsável


pela captação dos oócitos liberados pelos ovários, sendo o
local de concepção.

Divisão topográfica
-Infundíbulo:extremidade cranial livre em forma de funil (com fímbrias)
comunica-se com a cavidade peritoneal pelo óstio abdominal da tuba uterina
em éguas, as fímbrias ováricas estão inseridas na fossa de ovulação

-Ampola: local onde ocorre a concepção (1/3 médio)

-Istmo: extremidade caudal (uterina) mantendo contato com os cornos uterinos pelo óstio
uterino da tuba

Obs.: Localização abdominal


Estrutura
- Túnica serosa: externamente, formada pelo mesossalpinge

- Túnica adventícia (fibrosa): contínua com a lâmina fibrosa do ligamento largo

- Túnica muscular: fibras circulares e longitudinais derivadas do ligamento largo

- Túnica mucosa: fina e pregueada com epitélio ciliado

Vasos e Nervos

- Artérias: ramos da artéria ovariana

- Veias: satélites das artérias

- Vasos linfáticos: drenam para os linfonodos lombares

- Nervos: derivados do sistema simpático (plexo renal e aórtico abdominal)


Tuba uterina
Tuba uterina e Ovário
3 – Útero

Órgão muscular oco que se continua cranialmente com as


tubas uterinas e se abre caudalmente na vagina.
Localização
-Cavidade abdominal / pélvica (variação / espécie)
-Fêmeas bovinas jovens normalmente apresentam localização pélvica
-Inserido na região sublombar e nas partes laterais da cavidade pélvica (ligamentos largos)

Características Morfológicas

-Dois cornos
-Corpo
-Colo
Cornos uterinos

Estão localizados no abdome comumente comprimidos contra os


músculos sublombares e intestino

São em geral cilíndricos quando distendidos, com forma e tamanho


variável nas espécies (quase reto nos carnívoros , espiralados nos ruminantes, turtuosos
nos suínos, curvo nos equídeos)

A extremidade cranial de cada corno continua-se com a tuba uterina

Caudalmente aumentam no calibre, convergem e unem-se ao corpo


do útero

A borda dorsal é ligeiramente côncava e está inserida na região


sublombar pelo ligamento largo do útero

A borda ventral é convexa e livre


Cadela Porca

Vaca Égua

Cornos uterinos
Corpo uterino

Está situado parcialmente na cavidade abdominal e parcialmente na


cavidade pélvica

É Cilíndrico e normalmente pequeno em todas as espécies, quando


comparado aos cornos

A superfície dorsal está relacionada ao *reto e outras partes do intestino

A superfície ventral está em contato com a bexiga urinária

*Via para exames ginecológicos por palpação retal ou ultra-sonografia em éguas e vacas
Cadela Porca

Vaca
Égua

Corpo e Cornos Uterinos (com tubas uterinas e ovários)


Colo uterino (cérvix)

É a parte caudal estreitada que se une à vagina projetando-se nela

Apresenta um óstio interno (comunica-se com o corpo do útero) e um


óstio externo (comunica-se com a vagina)

Apresenta diferenças estruturais entre as espécies:

- Ruminantes: apresentam lúmem espiralado e fórnix da vagina estando demarcado do corpo do útero
e da vagina

-Suínos: não apresentam demarcação entre vagina e corpo do útero, é longo e apresenta
proeminências arredondadas que contribuem para oclusão de sua luz

-Carnívoros: apresentam colo muito curto com espessa túnica muscular, não apresentando linha de
demarcação entre vagina e corpo do útero

Equídeos: parte dela projeta-se na cavidade da vagina e não apresenta nenhuma estrutura (como as
proeminências dos suínos) em sua luz.
Fixação uterina

- ligamentos largos do útero - da região sublombar e


das paredes pélvicas laterais até a borda dorsal dos
cornos e margens laterais do corpo, insere o corpo e os
cornos nas paredes abdominal e pélvica.

- Ligamentos redondos do útero - se unem com o


peritônio parietal sobre o ânulo inguinal profundo.
Estrutura

- Túnica serosa (perimétrio): está em sua maior parte intimamente


aderida à túnica muscular, continuando-se com os ligamentos
largos

- Túnica muscular (miométrio): consiste em duas camadas:


- extrato de fibras longitudinais
- espessa camada externa de fibras circulares

- Túnica mucosa (endométrio): repousa na túnica muscular


- apresenta numerosas glândulas uterinas (ausentes na cérvix)
- ruminantes apresentam carúnculas uterinas
Vasos e Nervos

Artérias: artéria uterina, ramo uterino da artéria ovariana


e ramo da artéria pudenda interna.

Vasos linfáticos: vão para os nodos linfáticos ilíaco


interno e lombar

Nervos: ramos do simpático (plexo uterino e pélvico)


4 – Vagina

Órgão tubular ímpar que se estende do colo uterino até o


óstio uretral externo, como órgão estritamente reprodutivo.

Características morfológicas e localização


-Conduto cilíndrico relativamente longo de parede fina e distendível em
comprimento e largura.

-Ocupa posição mediana na cavidade pélvica

-Relaciona-se dorsalmente com o reto e ventralmente com a bexiga e uretra

-É predominantemente retroperitoneal

-O peritônio cobre as partes craniais das superfícies dorsal e ventral em alcance


variável
Estrutura
- Túnica muscular:
fina camada de fibras longitudinais
camada mais espessa de fibras circulares coberta por adventícia fibrosa

-Túnica mucosa:
altamente elástica revestida de epitélio estratificado (aglandular)

-Lúmen: fenda transversal (cavidade obliterada por aposição das paredes)

-Parte cranial
- Fórnix da vagina: recesso anular formado pela projeção do colo uterino
na luz vaginal cranial
-Parte caudal
- Continua-se com o vestíbulo vaginal sem linha de demarcação
Vasos e Nervos

- Artérias: ramos das artérias pudendas internas

- Veias: plexo drenado pelas veias pudendas internas

- Vasos linfáticos: vão para os nodos linfáticos ilíacos internos

- Nervos: derivados do simpático pelo plexo pélvico


5 – Vestíbulo vaginal
Parte terminal do trato genital, sendo contínuo cranialmente com a
vagina e abre-se externamente na rima do pudendo (fenda vulvar).

Características morfológicas e localização


-Não há linha externa de demarcação entre vagina e vestíbulo

-É significativamente mais curto que a vagina

-Apresenta paredes menos elásticas, e juntas em repouso reduzem o lúmem a


uma fenda vertical

-A uretra abre-se no assoalho através do óstio uretral externo

-Caudalmente as paredes apresentam glândulas vestibulares (lubrificação)


glândulas vestibulares maiores e menores (égua, vaca, gata) / porca (abrem-se na vulva)
glândulas vestibulares menores (ovelhas, cabras, cadelas, gatas)
6 – Vulva
Vulva

Parte genital externa. Orifício externo, a rima do pudendo (fenda da vulva),


tem o formato de uma fenda vertical sendo marginada por dois lábios
arredondados proeminentes.

-Os lábios reúnem-se dorsalmente formando a comissura dorsal e ventralmente


para formar a comissura ventral

-São cobertos por pele fina, pigmentada e lisa, rica em glândulas sudoríparas e
sebáceas

-Músculo constritor da vulva: abaixo da pele funde-se dorsalmente com o músculo


esfíncter externo do ânus e abarca o clitóris ventralmente. Fecha o óstio vulvar e
eleva o clitóris
7 – Clitóris
Clitóris

Homólogo feminino do pênis, localiza-se no interior da comissura


ventral.

É formado por dois pilares um corpo e uma glande

Apenas a glande fica visível projetando-se na fossa clitoriana

É constituído de tecido erétil semelhante ao corpo cavernoso do


pênis

O músculo isquiocavernoso é homólogo ao músculo do macho


Trato reprodutivo completo – comparativo nas espécies (esquemático)
E
ÉGUA
VACA
VACA
8 – Placentação
Placenta

Órgão formado pela aposição ou fusão de tecido fetal e materno com


o função de intercâmbio fisiológico e produção hormonal

Placenta materna: porções variáveis da mucosa uterina

Placenta fetal: membranas (anexos) fetais

- córion (anexo permanente)


- âmnio (anexo permanente)
- saco vitelínico (anexo transitório)
- alantóide (anexo permanente)
- cordão umbilical (anexo permanente)
Barreira Placentária

Estruturas que separam o sangue materno do fetal

Placenta epitéliocorial: 6 camadas entre sangue materno e fetal


(ruminantes, equídeos, suínos)

- Endotélio coriônico, tecido conjuntivo, epitélio (FETAL)


- Epitélio endometrial, tecido conjuntivo, endotélio capilar (MATERNO)

Placenta endotéliocorial: 4 camadas entre sangue materno e fetal


(carnívoros)

- Endotélio coriônico, tecido conjuntivo, epitélio (FETAL)


- endotélio capilar (MATERNO)
Classificação quanto à perda de tecidos ao parto e interface
materno-fetal

Placentas deciduadas (verdadeira): carnívoros (zoonária)

Placentas adeciduadas (semiplacentas): égua e porca (difusa)


ruminantes (cotiledonária)
8 – Placenta cotiledonária (ruminantes)
8 – Placentas
Porca
Porca

Égua
8 – Placentas

Cadela
Considerações
finais