Você está na página 1de 14

Principais falácias informais

Principais falácias informais

O que é uma falácia?

A falácia é um raciocínio viciado e sem validade lógica ou


argumentativa (embora algumas falácias possam parecer
argumentos válidos).

FALÁCIAS FORMAIS: FALÁCIAS INFORMAIS:


Erros de raciocínio
Erros lógicos resultantes do
associados à forma lógica
conteúdo do argumento.
do argumento.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Petição de Princípio

Argumento circular que procura provar uma conclusão que já foi


assumida como verdadeira nas premissas.
Neste tipo de falácia, assume-se uma premissa como verdadeira e
em seguida extrai-se uma conclusão com um conteúdo equivalente.

EXEMPLO:
A água é um excelente hidratante, logo hidrata
muito bem.

Este exemplo equivale a dizer que a água é um


excelente hidratante porque a água é um
excelente hidratante.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Falso Dilema

Argumento em que são apresentadas apenas duas alternativas,


quando pode existir uma terceira.

EXEMPLO:
Ou adoras o meu clube, ou não percebes nada de futebol.
Não adoras o meu clube.
Logo, não percebes nada de futebol.

Neste exemplo as alternativas apresentadas obrigam o outro


a afirmar que adora o clube do criador do argumento, ou
assumir que nada sabe sobre futebol. Contudo, podem
existir outras hipóteses.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Apelo à Ignorância

Argumento em que:
• Uma proposição é considerada falsa por não ter sido
provado que é verdadeira.
Ou
• Uma proposição é considerada verdadeira por não ter sido
provado que é falsa.

EXEMPLO:
Os fantasmas não existem pois nunca se provou a sua existência.

Este argumento é tão legítimo quanto o seu contrário. A falta de


provas da tese contrária nunca é suficiente para afirmar uma
tese.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Ad Hominem (contra a pessoa)

Argumento em que, em vez de se atacar o outro argumento, se


ataca a pessoa que o profere.
A falácia ad hominem é frequentemente utilizada como
tentativa de retirar credibilidade à pessoa que defende a tese.

EXEMPLO:
O relatório de contas da empresa elaborado pela equipa do
Pedro não é de confiança. Soube que ele se esqueceu de pagar
a conta da água em casa dele.

O facto de Pedro se ter esquecido de pagar a conta da água não


torna necessário que tenha cometido erros no relatório de
contas.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Ad Hominem (contra a pessoa)

Neste caso, quem


argumenta está a
cometer uma falácia
ad hominem.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Derrapagem (bola de neve)

Argumento ardiloso em que pelo


menos um dos passos de que a
conclusão depende é falso.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Derrapagem (bola de neve)

EXEMPLO:
Se permitirmos que as votações sejam feitas informaticamente,
não tarda deixarão de existir mesas de voto e só poderá votar
quem tiver computador em casa. Por isso não devemos
permitir que a votação seja feita informaticamente.

Neste argumento assume-se que, uma vez desencadeada a


ação, esta não terminará enquanto não se verificarem todas as
consequências previstas, o que não é necessário.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Boneco de Palha (ou espantalho)

Consiste em distorcer o argumento que se


pretende rebater de forma a enfraquecê-lo.

ESTRUTURA:
A pessoa A defende o argumento X.
A pessoa B apresenta o argumento Z, como se fosse o
argumento X, apresentado por A.
A pessoa B ataca o argumento Z.
O argumento sustentado pela pessoa A é considerado falso.
O argumento X é considerado falso.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Boneco de Palha (ou espantalho)

EXEMPLO:

Pedro: Penso que devemos investir mais dinheiro na


saúde e na educação.

António: Surpreende-me que odeies o teu país ao ponto


de o quereres deixar sem defesas, cortando o orçamento
para os militares.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

SÍNTESE

PETIÇÃO DE PRINCÍPIO Utilização da conclusão como premissa.

Redução das alternativas para persuadir


FALSO DILEMA
erradamente.
Tomar como verdadeiro o que não se prova ser
APELO À IGNORÂNCIA
falso (ou vice-versa).

AD HOMINEM Atacar a pessoa em vez de atacar o argumento.

Raciocínio ardiloso. Através de passos errados,


DERRAPAGEM
concluem-se falsidades.
Ridicularizar ou subverter o argumento para
BONECO DE PALHA
facilitar a sua anulação.

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais

Site onde são identificadas várias falácias

https://yourlogicalfallacyis.com/

Argumentação e Retórica
Principais falácias informais