Você está na página 1de 19

Neuroimagem:

princípios e aplicação
em psiquiatria
• Em psiquiatria, os exames de neuroimagem
facilitam o diagnóstico de alguns transtornos
psiquiátricos e são importantes para a pesquisa
clínica;
• A neuroimagem permite detectar lesões
estruturais que causam psicose e diferenciar
transtornos depressivos isolados de transtornos
mentais orgânicos, como doenças
neurodegenerativas ou tumores cerebrais;
• As diversas modalidades de neuroimagem
permitem avaliar a estrutura e vários aspectos
da função do SNC.
Na prática psiquiátrica, exames de neuroimagem são indicados:
Episódios psicóticos e transtornos do
Diagnósticos diferenciais de quadros
Demências; humor atípicos ou associados a sinais
confusionais agudos;
e sintomas neurológicos focais.

Além de sua aplicação diagnóstica, a neuroimagem tem sido


uma grande ferramenta de pesquisa em praticamente todas as
síndromes psiquiátricas.
Durante muitas décadas, as técnicas de diagnóstico em neuropsiquiatria
foram apenas a anamnese detalhada e os exames físico e mental
meticulosos;

A utilização dessas técnicas auxiliava no diagnóstico da causa dos


sintomas; entretanto, em muitos pacientes, a presença e a natureza de
uma lesão só eram reveladas na mesa de cirurgia ou na sala de autópsia;

Nenhum avanço tecnológico foi mais importante para o diagnóstico de


doenças neuropsiquiátricas do que o surgimento da tomografia por
emissão de pósitrons (PET) e da ressonância magnética (RM).
Além disso, nos últimos anos, a
neuroimagem psiquiátrica se
Ao contrário de muitos Ao relacionar as estruturas neurais
beneficiou de sua interação com a
distúrbios neurológicos, os de genes específicos, a
genética;
transtornos psiquiátricos em neuroimagem também pode
geral não causam alterações ajudar a revelar a base molecular
visíveis na análise convencional da organização e do
de neuroimagem; funcionamento de diferentes
estruturas cerebrais.
Tomografia computadorizada
• A TC tem a vantagem de ser disponível na maioria dos serviços de
médio porte e ter um custo relativamente baixo;
• É o exame de imagem ideal para urgências;
• Pode detectar grande parte dos tumores, malformações
arteriovenosas e malformações cerebrais extensas, acidentes
vasculares e algumas lesões infecciosas. É sensível para a detecção
de lesões calcificadas (neurocisticercose) e lesões ósseas;
• Pouco sensível para detectar pequenas lesões corticais de um modo
geral, sobretudo lesões na base do crânio, como nas regiões
orbitofrontal e temporomedial. Pequenos gliomas de baixo grau em
geral também não são detectados pela tomografia;
• Em algumas situações de emergência, como, por exemplo, na
suspeita de crises epilépticas ou quadros confusionais, o
eletroencefalograma pode ser um importante exame adicional.
Ressonância magnética (RM)

A extraordinária capacidade de contraste inerente à RM é a principal diferença


entre essa técnica e outras modalidades de imagem por raios X, como a TC;

A investigação por neuroimagem tem importância fundamental no diagnóstico


e no tratamento de doenças neuropsiquiátricas;

As imagens de RM permitem caracterizar a lesão quanto a sua natureza e


comportamento evolutivo  se possui caráter progressivo (neoplasias,
encefalites) ou estático (lesões isquêmicas, malformações congênitas).
Permite obter informação química de
compostos que estão presentes em
concentrações muito menores do que a água
nos tecidos;

Espectroscopia
por Vários estudos demonstraram que há
ressonância redução da intensidade de sinal do marcador
neuronal N-acetil-aspartato (NAA) em
pacientes com epilepsia e esquizofrenia;
magnética
(ERM)
A grande limitação da ERM é sua área de
cobertura limitada e a grande suscetibilidade
a artefatos. É um exame útil para pesquisa
clínica, porém sem indicações precisas para o
diagnóstico clínico.
As imagens de PET com uso de glicose
marcada (FDG -PET) podem demonstrar
hipometabolismo focal ou regional;

Tomografia
Tomografia por emissão de fóton único
por emissão (SPECT)
de pósitrons • Os exames para estudo de fluxo sanguíneo
(PET) cerebral com SPECT podem ser úteis no
diagnóstico diferencial de síndromes demenciais
na ausência da disponibilidade do exame de PET;
• Para melhorar a resolução espacial, as imagens
funcionais podem ser corregistradas com a RM
estrutural.
INDICAÇÕES CLÍNICAS

Todos os pacientes com formas atípicas de transtornos psiquiátricos devem ser submetidos a um
exame de RM ou TC, uma vez que várias doenças neurológicas podem cursar com sintomas
psiquiátricos ou mesmo mimetizar quadros psicóticos e transtornos do humor  tumores
cerebrais e encefalites;

Pacientes ambulatoriais recém-diagnosticados  os exames de eleição são RM, PET ou SPECT, a


depender da situação;

Pacientes atendidos em unidades de emergência  o exame de escolha é a TC.


A prioridade deve ser dada a pacientes com alterações focais no exame
neurológico;

Exames de urgência (TC), devem ser realizados em pacientes que apresentam


os primeiros sintomas psiquiátricos associados a déficits neurológicos focais,
crises epilépticas, febre, cefaleia persistente, confusão mental e história
recente de trauma craniano;

Sintomas psicóticos atípicos com início após os 40 anos de idade devem ser
considerados como indicação para um exame de emergência.
NEUROIMAGEM NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
DE SÍNDROMES NEUROPSIQUIÁTRICAS
A neuroimagem pode ajudar a estabelecer o diagnóstico correto em um paciente que apresenta sintomas
psiquiátricos (doença neurológica x transtorno psiquiátrico primário);

Exames de imagem são recomendados para avaliação das demências, para auxiliar no diagnóstico do tipo
de demência e para excluir causas tratáveis;

Psicose: lesões dos lobos frontais e temporais, lesões talâmicas ou no hipotálamo (tumores);

Síndrome comportamental é causada por crises epilépticas focais decorrentes de um tumor, em especial o
oligodendroglioma, ou de lesões congênitas ou traumáticas.

Apatia causada por um tumor cerebral frontal pode ser confundida com depressão.
A DA é caracterizada por atrofia
mediotemporal na RM, diminuição do
Em idosos com declínio cognitivo, metabolismo no córtex de associação
pode ser difícil diferenciar uma doença parietotemporal e precúneo na PET
neurodegenerativa de depressão; com FDG e deposição de corpos
amiloides no PET com o composto
Pittsburgh B.

Vários desses achados de A demência frontotemporal, ou outras


neuroimagem também estão síndromes de demência lobar, pode
presentes na doença dos corpúsculos ser identificada logo no início por PET-
de Lewy, mas, além do FDG, devido à diminuição do
comprometimento cognitivo, esses metabolismo de glicose na região
pacientes apresentam síndrome afetada, eventualmente associada a
parkinsoniana; atrofia na RM.
A RM é um método consistente para o diagnóstico diferencial do
declínio cognitivo leve e para o monitoramento da progressão de
atrofia hipocampal e cortical na DA;

A presença de atrofia hipocampal diferencia indivíduos com


envelhecimento normal daqueles com declínio cognitivo associado a
amnésia, e pode prever a DA;

Atrofia hipocampal associada a alterações do córtex entorrinal


também pode aumentar a sensibilidade para o diagnóstico precoce
de DA.
NEUROIMAGEM NA PESQUISA CLÍNICA EM
PSIQUIATRIA
Em geral, para fins clínicos ou de pesquisa, considera-se um diagnóstico como, por exemplo,
esquizofrenia uma doença única. Entretanto, esses transtornos são, possivelmente, agrupamentos
sindrômicos de uma gama de diferentes substratos biológicos complexos, com interações psicossociais;

Além disso, as alterações de uma mesma rede neuronal podem ser causadas por diversas etiologias.
Por isso, a neurobiologia dos transtornos psiquiátricos é altamente heterogênea.

Os achados de neuroimagem nas doenças psiquiátricas são pouco específicos e deixam de revelar uma
conexão com um único distúrbio neurobiológico.
Pesquisas em demências e declínio cognitivo

O diagnóstico exato vai ajudar os médicos a evitar tratamentos


desnecessários e potencialmente deletérios, além de facilitar uma melhor
avaliação da resposta ao tratamento;

Como as doenças neurodegenerativas estão associadas ao desenvolvimento de


alterações patológicas muito antes do desenvolvimento do comprometimento funcional,
a neuroimagem tem um potencial papel no diagnóstico precoce, até mesmo no estágio
pré-sintomático de síndromes demenciais.
Pesquisas em esquizofrenia
Estudos de morfometria baseada em voxel e outras técnicas quantitativas de RM estrutural têm
demonstrado uma redução da concentração ou do volume da substância cinzenta nas regiões pré-
frontal, anterotemporal, perisylviana e do tálamo anteromedial ainda nos primeiros episódios
psicóticos no entanto, mudanças estruturais semelhantes podem ser causadas pelo uso de
medicamentos antipsicóticos;

A RM funcional ou a PET funcional revelaram a ativação anormal no córtex pré-frontal, no


cíngulo e no lobo temporomedial;

Alterações do estado de funcionamento cerebrobasal também foram relatadas em pacientes


com esquizofrenia.
Pesquisas em depressão
Em contraste com algumas das doenças neurodegenerativas que podem imitar depressão e que são
acompanhadas por diminuição do metabolismo do lobo frontal, na depressão ocorre um aumento
do metabolismo associado a uma redução volumétrica na região subgenual do lobo frontomedial;

Além disso, o padrão de ativação de RMf pode distinguir a depressão de doenças


neurodegenerativas;

Variantes genotípicas podem influenciar tanto a probabilidade de desenvolver depressão maior


quanto alterações de imagem. Por exemplo, na depressão, a atividade da amígdala em resposta a
estímulos negativos parece ser modulada por diferentes polimorfismos do gene transportador da 5-
HT (SLC6A4).
Obrigada!