Você está na página 1de 35

Corrente, Tensão e Resistência

Marcelo Carvalho
Física II
A energia elétrica pode ser considerada a maior de todas as inovações tecnológicas
produzidas pelo homem, e sem ela não seria possível presenciar o enorme
desenvolvimento em diversas áreas do conhecimento humano.

A eletricidade pode ser gerada de várias formas.

Por exemplo, a energia elétrica pode ser gerada por uma simples pilha elétrica, que é o
resultado das reações químicas entre as moléculas dos reagentes que a compõe.

No Brasil, as hidroelétricas são as principais


geradoras de energia elétrica. Uma usina
usa a energia potencial gravitacional da
água para fazer girar as turbinas e desse
modo transformar essa energia mecânica
em energia elétrica. A eletricidade passa
por uma linha de distribuição até chegar a
nossas casas e transformar-se em outras
formas de energia como a luminosa,
térmica, sonora, etc.

Marcelo Carvalho
Física II
A eletricidade é um fenômeno físico originado por cargas elétricas estáticas, ou em
movimento, e por sua interação. Quando uma carga se encontra em repouso,
produz forças sobre outras situadas à sua volta. Se a carga se desloca, produz também
campos magnéticos.

Há dois tipos de cargas elétricas: positivas e negativas. As cargas de nome igual (mesmo
sinal) se repelem e as de nomes distintos (sinais diferentes) se atraem.

A eletricidade se origina da interação de certos tipos de partículas sub-atômicas. A partícula


mais leve que leva carga elétrica é o elétron, que assim como a partícula de carga elétrica
inversa à do elétron, o próton, transporta a unidade fundamental de
carga (1,60217646x10 − 19C).

Marcelo Carvalho
Física II
A massa real de um próton é de, aproximadamente, 1,673 · 10−27 kg

A massa real de um elétron é de, aproximadamente, 9,1093897 ×10-31 kg, ou seja, é


1836 vezes mais leve

Um circuito elétrico fornece, basicamente, um caminho para transferir energia de um local


para outro. À medida que as partículas carregadas fluem através do circuito, a energia
potencial elétrica é transferida de uma fonte até um dispositivo no qual essa energia é
armazenada ou então convertida em outras formas de energia: em som de um sistema
estéreo, em calor de uma torradeira ou em luz de uma lâmpada.

Marcelo Carvalho
Física II
CORRENTE
Uma corrente é qualquer movimento de cargas de uma região para outra.

Os elétrons livres são as partículas carregadas responsáveis pela corrente elétrica em um


fio de cobre ou em qualquer outro sólido condutor de eletricidade. A partir da ordenação
destes elétrons livres através de um campo elétrico externo (bateria, fonte, pilha) tem-se
a formação da CORRENTE.

A maioria das aplicações tecnológicas das cargas em movimento envolve correntes desse
tipo.
A direção e o sentido do fluxo da corrente
O campo elétrico realiza um trabalho sobre as cargas que se deslocam. A energia cinética
resultante é transferida para o material do condutor por meio das colisões com os íons
que vibram em torno de suas posições de equilíbrio na rede cristalina do condutor.

Essa energia transferida produz o aumento da energia de vibração média dos íons e,
portanto, faz aumentar a temperatura do material.

Esse calor algumas vezes possui aplicações útil, como no caso de uma torradeira elétrica.
Marcelo Carvalho
Física II
Em diferentes materiais que conduzem uma corrente, as cargas das partículas que se
movem podem ser positivas ou negativas.

Nos metais, as cargas que se movem são sempre elétrons (negativos).

A unidade SI de corrente denomina-se ampère. Um ampère é definido como um coulomb


por segundo (1A = 1C/s).

Quando uma lanterna comum é ligada, a corrente que passa na lanterna é da ordem de
0,5 a 1 A.

A corrente nos fios do motor de arranque de um automóvel é da ordem de 200A.

As correntes em circuitos de rádio e de televisão são geralmente expressas em


miliampères (1mA = 10-3 A) ou microampères (1µA = 10-6 A) ou picoampère (1pA= 10-12 A)

Fórmula da corrente:

Onde :
I = V/R V = Tensão
R = Resistência
I = Corrente Marcelo Carvalho
Física II
Para calcular a intensidade da corrente elétrica (i) na secção transversal de um condutor se
considera o módulo da carga que passa por ele em um intervalo de tempo, ou seja:

Considerando |Q|=n e

e = carga elementar do elétron


n = números de elétrons

Marcelo Carvalho
Física II
TENSÃO
A capacidade de realizar trabalho em cargas elétricas é chamada de energia potencial
elétrica das cargas. Entre terminais de uma bateria, pilha ou fonte, existe uma diferença
de potencial elétrico. Se conectarmos os 2 terminais através de um condutor, os elétrons
acumulados no terminal negativo terão energia suficiente para alcançar o terminal
positivo, para o qual são atraídos

Marcelo Carvalho
Física II
Então, podemos dizer que existe uma diferença de potencial (DDP) de 1 Volt (V) entre 2
pontos se acontece uma troca de energia de 1 Joule (J) quando deslocamos uma carga de 1
Coulomb (C) entre estes 2 pontos.

TENSÃO é dado em V (volts)

V = R.I
Onde :
V = Tensão
R = Resistência
I = Corrente

Marcelo Carvalho
Física II
RESISTÊNCIA
A resistência de um fio ou de um outro condutor com seção reta uniforme é diretamente
proporcional ao comprimento do fio e inversamente proporcional à área de sua seção
reta. Ela também é proporcional à resistividade do material com o qual o condutor é
feito.

A unidade no SI de resistência é o ohm, que é igual a um volt por ampère (1Ω = 1V/A).

Um fio de cobre de calibre 12 com 100m de comprimento, um tamanho usual na fiação


de uma casa, possui uma resistência igual a 0,5 Ω na temperatura ambiente.

A dificuldade que alguns materiais apresentam à passagem da corrente elétrica é


expressa por uma grandeza física chamada resistência elétrica. R = ρ (L / A)

RESISTÊNCIA é dado em Ω (ohms)

R = V/I Marcelo Carvalho


Física II
RESISTOR
Os resistores são dispositivos cujas principais funções são: dificultar a passagem da corrente
elétrica e, transformar Energia Elétrica em Energia Térmica por Efeito Joule. Entendemos a
dificuldade que os resistores apresentam à passagem da corrente elétrica como sendo
resistência elétrica. O material mais comum na fabricação dos resistores é o carbono.
A transformação de energia elétrica em
energia térmica é chamado de efeito Joule.

Marcelo Carvalho
Física II
Marcelo Carvalho
Física II
Potência Elétrica
A potência elétrica dissipada por um condutor é definida como a quantidade de energia
térmica que passa por ele durante uma quantidade de tempo.

A unidade utilizada para energia é o watt (W), que designa joule por segundo (J/s).

Quando a corrente elétrica percorre um resistor acontecem colisões entre as cargas da


corrente e as moléculas do resistor. A consequência disso é o aquecimento do resistor.
Portanto, a energia elétrica dissipada é transformada em energia térmica e a rapidez com
que acontece essa transformação caracteriza a potência (P) dissipada no resistor.

Ao considerar que toda a energia perdida em um circuito é resultado do efeito Joule,


admitimos que a energia transformada em calor é igual a energia perdida por uma
carga q que passa pelo condutor. Ou seja:

Marcelo Carvalho
Física II
Mas, sabemos que:

Então: Logo: Mas sabemos que ,


então podemos escrever que:

Por exemplo:

Qual a corrente que passa em uma lâmpada de 60W em uma cidade onde a tensão na rede
elétrica é de 220V?

Marcelo Carvalho
Física II
Pela 1ª Lei de Ohm temos que , então podemos definir duas formas que
relacionem a potência elétrica com a resistência.

Então se utilizando do exemplo anterior, qual a


resistência do filamento interno da lâmpada?

Marcelo Carvalho
Física II
Consumo de energia elétrica

Cada aparelho que utiliza a eletricidade para funcionar, como por exemplo, o computador
de onde você lê esse texto, consome uma quantidade de energia elétrica.

Para calcular este consumo basta sabermos a potência do aparelho e o tempo de utilização
dele, por exemplo, se quisermos saber quanta energia gasta um chuveiro de 5500W ligado
durante 15 minutos, seu consumo de energia será:

Para que a energia gasta seja compreendida de uma forma mais prática podemos definir
outra unidade de medida, que embora não seja adotada no SI, é mais conveniente.

Marcelo Carvalho
Física II
Essa unidade é o quilowatt-hora (kWh).

Para calcularmos o consumo do chuveiro do exemplo anterior nesta unidade consideremos


sua potência em kW e o tempo de uso em horas, então teremos:

O mais interessante em adotar esta unidade é que, se soubermos o preço cobrado por
kWh, podemos calcular quanto será gasta em dinheiro por este consumo.

Marcelo Carvalho
Física II
Por exemplo:

Considere que em sua cidade a companhia de energia elétrica tenha um tarifa de 0,300710
R$/kWh, então o consumo do chuveiro elétrico de 5500W ligado durante 15 minutos será:

Se considerarmos o caso da família de 4 pessoas que utiliza o chuveiro diariamente durante


15 minutos, o custo mensal da energia gasta por ele será:

Marcelo Carvalho
Física II
Segunda lei de Ohm

A resistência de um condutor homogêneo de secção transversal constante é proporcional ao


seu comprimento e da natureza do material de sua construção, e é inversamente
proporcional à área de sua secção transversal. Em alguns materiais também depende de sua
temperatura.

Sendo expressa por:

Onde:
ρ= resistividade, depende do material do condutor e de sua temperatura.
ℓ= largura do condutor
A= área da secção transversal.

Como a unidade de resistência elétrica é o ohm (Ω), então a unidade adotada pelo SI
para a resistividade é

Marcelo Carvalho
Física II
Marcelo Carvalho
Física II
V = (𝑃 ∗ 𝑅 I = V/R
V=P/I I = P/V
V=I*R I = (𝑃 ∗ 𝑅

R=V/I P = V2 / R
R = V2 / P P = I2 * R
R = P / I2 P=V*I

Onde:
V = voltagem em volts
I = corrente em amps
R = resistência em ohms
P = potência em watts

Marcelo Carvalho
Física II
Exercícios
1) Uma corrente elétrica de intensidade igual a 5 A percorre um fio condutor. Determine o
valor da carga que passa através de uma secção transversal em 1 minuto.

2) Por um fio condutor metálico passam 2,0.10²0 elétrons durante 4s. Calcule a intensidade
de corrente elétrica que atravessa esse condutor metálico.
(Dada a carga elementar do elétron e = 1,6.10-19 C).

Marcelo Carvalho
Física II
3) Uma corrente elétrica com intensidade de 8,0 A percorre um condutor metálico. A carga
elementar é e = 1,6.10-19 C. Determine o tipo e o número de partículas carregadas que
atravessam uma secção transversal desse condutor, por segundo, e marque a opção correta:

a) Elétrons; 4,0.1019 partículas


b) Elétrons; 5,0.1019 partículas
c) Prótons; 4,0.1019 partículas
d) Prótons; 5,0.1019 partículas
e) Prótons num sentido e elétrons no outro; 5,0.1019 partículas

Marcelo Carvalho
Física II
4) Calcule a intensidade de corrente elétrica que percorre um resistor ôhmico (que possui
resistência constante) de resistência 10 Ω sendo a ddp (U) entre seus extremos igual a 20 V?

5) A tensão nos terminais de um resistor equivale 42 V e o resistor é percorrido por uma


corrente elétrica de intensidade i = 4,2 A. Qual é a resistência do resistor?

Marcelo Carvalho
Física II
6) Marque a alternativa correta: os resistores são elementos de circuito que consomem
energia elétrica, convertendo-a integralmente em energia térmica. A conversão de energia
elétrica em energia térmica é chamada de:

a) Efeito Joule
b) Efeito Térmico
c) Condutores
d) Resistores
e) Amplificadores

7) Um fio condutor foi ligado a um gerador ideal, que mantém entre seus terminais uma
tensão U = 12 volts. Determine o valor da resistência desse fio e marque a alternativa
correta.

a) 4 Ω
b) 5 Ω
c) 6 Ω
d) 7 Ω
e) 8 Ω

Marcelo Carvalho
Física II
8) Na figura ao lado temos o gráfico da tensão (U) aplicada a um condutor em função da
intensidade da corrente (i) que o percorre. Determine o valor da resistência quando a
tensão vale 20 V e 60 V e, em seguida, marque a alternativa correta.

a) 6Ω e 12 Ω
b) 5Ω e 10 Ω
c) 10Ω e 5 Ω
d) 5Ω e 15 Ω
e) 15Ω e 12 Ω

Marcelo Carvalho
Física II
9) Por um resistor faz-se passar uma corrente elétrica i e mede-se a diferença de potencial
U. Sua representação gráfica está esquematizada abaixo. A resistência elétrica, em ohms, do
resistor é:

a) 0,8
b) 1,25
c) 800
d) 1250
e) 80

Marcelo Carvalho
Física II
10) Um resistor de resistência elétrica R igual a 10 Ω é percorrido por uma intensidade de
corrente elétrica i equivalente a 5 A. Qual é a potência dissipada (P) pelo resistor?

11) Um resistor de resistência elétrica R igual a 10 Ω é submetido à ddp (U) de 30 V.


Determine a potência dissipada no resistor.

Marcelo Carvalho
Física II
12) Um resistor de resistência equivalente a 10 Ω é percorrido por uma intensidade de
corrente elétrica igual a 6 A. Qual a ddp (U) entre os extremos do resistor?

13) Calcule a intensidade de corrente elétrica que percorre um resistor ôhmico (que possui
resistência constante) de resistência 10 Ω sendo a ddp (U) entre seus extremos igual a 20
V?

Marcelo Carvalho
Física II
14) A tensão nos terminais de um resistor equivale 42 V e o resistor é percorrido por uma
corrente elétrica de intensidade i = 4,2 A. Qual é a resistência do resistor?

15) Cada farol de um carro dissipa 15W, com a luz baixa, e 25 W com a luz alta.
Considerando que ambas as lâmpadas estão submetidas à mesma tensão da bateria,
determine em qual dos casos a resistência da lâmpada é menor.

Luz baixa

P = 15 W
R = U/I
Considerando U= 110 V R = 110 / 0,14
R = 786 Ohm
P = U* I

15 = 110 * I

I = 0,14 A Marcelo Carvalho


Física II
Luz alta

P = 25 W R = U/I
Considerando U= 110 V R = 110 / 0,23
P=U*I
R = 478 Ohm
25 = 110 * I

I = 0,23 A

Marcelo Carvalho
Física II
16) Um resistor para chuveiro elétrico apresenta as seguintes especificações:
Tensão elétrica: 220 V.
Resistência elétrica (posição I): 20,0 Ω
Resistência elétrica (posição II): 11,0 Ω
Potência máxima (posição II): 4 400 W.

Uma pessoa gasta 20 minutos para tomar seu banho, com o chuveiro na posição II. Qual o
consumo de energia elétrica, em kWh, em um mês (30 dias)? Determine a economia em R$
que essa pessoa faria, se utilizasse o chuveiro na posição I. Considere o custo do kWh de R$
0,40.

Resposta: Terá uma economia de R$: 7,92.

Marcelo Carvalho
Física II
17) A figura representa esquematicamente um dos circuitos de uma residência para um
chuveiro elétrico, representado simbolicamente pela sua resistência elétrica. F é a fonte de
tensão, D um disjuntor ou fusível, A é o terminal fixo da resistência e B e C são terminais que
possibilitam ao chuveiro duas potências diferentes (inverno e verão), selecionadas pela
chave K de duas posições.

A resistência do chuveiro é maior com a chave ligada em B ou em C JUSTIFIQUE.

A resistência é maior onde o comprimento é maior ( ): em C.

Marcelo Carvalho
Física II
18) Um condutor de alumínio tem 300m de comprimento e 2mm de diâmetro. Calcule a
sua resistência elétrica.

São dados L=300m, d=2mm portanto o raio r=1mm e a área da secção poderá ser
calculada:

A= .R2 = 3,14.(1mm)2 =3,14mm2 =3,14.10-6m2

Considerando a resistividade expressa em (Ohms.m). Nesse caso o comprimento deve


estar expresso em m, e a área da secção em m2, portanto entrando na expressão que dá a
resistência resulta:

Marcelo Carvalho
Física II
FIM
Marcelo Carvalho
Física II