Você está na página 1de 32

Grupo:

Primeiro sistema de transporte urbano comercial SMT ("Smart


Mass Transit").
Maglev >>"Magnetic Levitation“
São propulsionados pelas forças eletromagnéticas geradas em
faixas sequenciais das pistas (ou "guideways") e não por motores
localizados nos trens.
Sem rodas >> Sem atrito >> altíssimas velocidades nas pistas
atuais
Velocidade máxima
permitida de 431 km/h
A construção do Shanghai Transrapid teve início em 2001, com
testes a partir de 2002-2003 e funcionamento comercial iniciado
em 2004.
investimento de US$ 1,2 bilhão de dólares
Possuem suprimento de energia de emergência que supre o
veículo na eventualidade de falha elétrica ou "apagão".

30 Km (Entre a estação de Longyang Road em Pudong e o


aeroporto Internacional de Pudong).

O Maglev, com
o Aeroporto
Internacional de Xangai
Pudong ao fundo.
Aeroporto
Internacional
de Pudong

Estação de
Longyang Road
em Pudong
1 de outubro de 1999, substituindo o Shanghai
Hongqiao Airport para os voos internacionais.
Mais importante aeroporto da China.
30 km do centro de negócios de Shangai
51.6 milhões de passageiros (2014)
2 terminais
trem Maglev liga o aeroporto para o metrô linha 2 na
estação Longyang (tempo da viagem: 8 minutos).

 US$ 5,81 dólares - para passageiros com conexão com viagens


aéreas
 US$ 7,27 dólares - para pessoas sem conexão aérea.
 Passagem "standard" de ida-e-volta - US$ 11,63 dólares e a
mesma passagem VIP custa o dobro da passagem "standard".
1.318 km
US$ 32,5 bilhões
abril de 2008.
novembro de 2010. Desde então, circulam
por ela trens em sistema de testes. Em 10 de janeiro, um deles
bateu o recorde mundial de velocidade em transporte
ferroviário, alcançando 487,3 km/h.
A "Beijing–Shanghai High-Speed Railway" é maior linha de trens
de alta velocidade já construída em uma única etapa em todo o
mundo.
Cerca de 1.140 km (85% do trajeto) é feito em vias elevadas,
incluindo 224 pontes. Há ainda 22 túneis, totalizando mais de 16
km.

Ponte de Danyang-
Kunshan, China
(164 Km)
Projetada para suportar os trens-bala chineses CRH380 operando
em uma velocidade contínua de 350 km/h, com picos de 380
km/h.
Inicialmente: 330 km/h com uma única parada em Nanjing Sul.
Estabelecido: 300 km/h
Caminho composto por gigantescos blocos de cimento e metal. O
processo é incrível. Primeiro, foram criados grandes blocos de malha
de aço. Depois, foram adicionados, também, cabos de aço esticados,
cruzando toda essa estrutura de um lado para o outro.
Essa estrutura-base faz com que estas placas tenham uma força de 500
toneladas, algo que as mantém firmes e sem sofrer nenhum
deslocamento ou deformação. Em seguida, os blocos receberam
toneladas de cimento para ganhar corpo. Por fim, os painéis ganharam
uma modelagem por meio de, algo que fez dos trilhos desta linha os
mais lisos, resistentes e precortes a lasercisos de todo o planeta.
Mais de 450 mil blocos foram utilizados na construção da linha. Para
atender a demanda, o governo chinês instalou fábricas ao longo do
caminho, conseguindo, assim, abastecer a obra de forma rápida e mais
eficiente.
– novo tipo de vidro super-resistente, capaz de
suportar impactos em altas velocidades.
“Sanduíche de vidro” - várias camadas do material e uma espécie
de "recheio" feito de resina.
– paredes ocas >> menos metal.
(corpo mais largo) >> estabilidade do
trem no chão.
Sensores de velocidade
Computadores de bordo
12.900 cavalos de potência

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/
O trem leva, em média, mil passageiros por viagem e
conta com três categorias diferentes: Classe A, Classe B e Classe
Executiva.
- Classe A: poltronas exclusivas e em cabines fechadas.
- Classe B: Fileiras de 2 e 3 assentos confortáveis e com tomadas.
- Classe Executiva: poltrona individual com mesa, televisão com
touchscreen e acesso à internet e assento com controle para
transformá-lo em uma cama pronta para um belo cochilo.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/
Ao todo, o governo chinês gastou cerca de 32 bilhões de dólares
no desenvolvimento do projeto, incluindo os novos trens e a
primeira linha, ligando Beijing e Shanghai.
No trajeto há 23 estações, que ajudam no desenvolvimento da
região mais populosa do país. Apesar do alto investimento,
estima-se que o país ganha cerca de 10 milhões de dólares por
minuto "economizado" no novo trajeto. Atualmente, cerca de 10
mil pessoas embarcam nestes trens diariamente.
A viagem, que antes levava entre 10 e 14 horas (dependendo do
movimento e da condição das linhas), atualmente pode ser feita
em menos de 5 horas, isso com muito mais conforto e
segurança.
Segunda maior estação de trem da Ásia depois da estação de
Shanghai Hongqiao.
Serve de terminal de trens de alta velocidade em mais de 24
faixas, incluindo 2 linhas ferroviárias do CRH: Beijing–Tianjin
Intercity railway e a Beijing–Shanghai High-Speed railway.
Inauguração: 1 de julho de 2010.
Uma das quarto maiores estações ferroviárias de Shanghai.
Junção de: Shanghai–Hangzhou High-Speed Railway, Shanghai–
Ningbo High-Speed Railway, and Shanghai–Beijing High-Speed
Railway.
Ônibus, metrô e trem.
Maior estação ferroviária da Ásia

Você também pode gostar