Você está na página 1de 87

IHC

Interação
Humano-Computador

Profa.Esp. Andréia Rodrigues Casare


E-mail: casareandreia@gmail.com
andreia.casare01@fatec.sp.gov.br
CAPITULO II
EVOLUÇÃO DAS TIC
INTERAÇÃO USUÁRIO- SISTEMA
CAPACITAÇÃO DO USUÁRIO
CAPACITAÇÃO DO SISTEMA
ESTILOS DA INTERAÇÃO
CARACTERISTICAS DA INTERAÇÃO
QUALIDADE DA INTERAÇÃO
EVOLUÇÃO DAS TIC
Evolução das TIC
 Tecnologia x Tempo-espaço
 Necessidades x Possibilidades
 Avanços -> Novos avanços

 Qual será o limite?


Evolução das TIC
 Novas tecnologias
 Novas culturas
 Novas possibilidades
 Novas formas de utilização (interação)
 Novos comportamentos
 Novas tecnologias

 Ciclo da evolução
Evolução

das
Novo comportamento
TIC
INTERAÇÃO USUÁRIO-SISTEMA
Interação Usuário-Sistema

Usuário/Humano Máquina/Computador
Interação Usuário-Sistema
Usuário como
computador
Usuário/Humano Máquina/Computador
Interação Usuário-Sistema
Computador como
pessoa/humano
Usuário/Humano Máquina/Computador
Interação Usuário-Sistema
Computador como
ferramenta
Usuário/Humano Máquina/Computador
Interação Usuário-Sistema
Computador como mídia –
Sistemas Multimídia
Usuário/Humano Máquina/Computador Usuário/Humano
Interação Usuário-Sistema

Capacitação do sistema
Capacitação do usuário
CAPACITAÇÃO DO USUÁRIO
Capacitação do Usuário
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário / Sentidos
Capacitação do Usuário / Sentidos
Capacitação do Usuário / Sentidos
Capacitação do Usuário / Sentidos
Capacitação do Usuário / Sentidos
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário / Contexto
Capacitação do Usuário / Contexto
Capacitação do Usuário / Contexto
Capacitação do Usuário / Contexto
Capacitação do Usuário / Contexto
Capacitação do Usuário / Contexto
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário / Contexto
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário / Codificações
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário
 Percepção
 Sentidos
 Influência do contexto
 Organização de informações
 Codificações
 Memória
 Raciocínio
 Atenção
Capacitação do Usuário / Raciocínio
 Dedução
 Regra + observações

 Indução
 Observações
 Menos conclusiva

 Abdução
 Observações + hipótese
 Não conclusiva
Capacitação do Usuário / Raciocínio
 Dedução
 Regra
 Todo ser vivo respira;
 Observação
 O cachorro é um ser vivo;
 Conclusão
 O cachorro respira.
 Dedução
 Regra
 Todo computador recebe entrada de dados;
 Observação
 O tablet é um computador;
 Conclusão
 O tablet recebe entrada de dados;
Capacitação do Usuário / Raciocínio
 Indução
 Observação
 O cachorro é um ser vivo e respira;
 O gato é um ser vivo e respira;
 O pássaro é um ser vivo e respira;
 “Todos os animais observados são seres-vivos e respiram!”;
 Conclusão
 Todo ser vivo respira.
 Indução
 Observação
 O notebook é um computador e recebe entrada de dados;
 O tablet é um computador e recebe entrada de dados;
 “Todos os equipamentos observados são computadores e recebem entrada
de dados!”;
 Conclusão
 Todo computador recebe entrada de dados.
Capacitação do Usuário / Raciocínio
 Abdução
 Observação
 O cachorro e o gato são seres-vivos e respiram;
 Hipótese
 Todo ser vivo respira.
 Abdução
 Observação
 O notebook e o tablet são computadores e recebem entrada de dados;
 Hipótese
 Todo computador recebe entrada de dados.
CAPACITAÇÃO DO SISTEMA
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Qualidade de um objeto, ou de um ambiente, que permite que
um indivíduo realize uma ação;
 Quanto potencial a forma de um objeto tem para que ele seja
manipulado da maneira que foi pensado para funcionar;
 Por exemplo, uma maçaneta redonda de porta convida o usuário a girá-la.
 Termo que se refere às propriedades e oportunidades de
funcionamento e uso de um artefato, tanto percebidas como
reais;
 Para IHC, são importantes, em particular, as propriedades
fundamentais que determinam como o artefato pode ser
utilizado;
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Hardware
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Roomware
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Software
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Peopleware
Capacitação do Sistema
 Affordance
 Interface
Capacitação do Sistema / Affordance
Capacitação do Sistema / Affordance
Capacitação do Sistema / Affordance
 Temas para pesquisa
 Naturalidade no uso de novas tecnologias
 Aceitação de novas ferramentas
ESTILOS DE INTERAÇÃO
Estilos de interação
 Linguagem natural
 Linguagem de comando
 Menus
 Formulários
 WIMP (Windows, Icons, Menus and Pointers)
 Manipulação direta
 WWW
 Realidade virtual
Estilos de interação
 Linguagem de comando
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 Linguagem de comando
 Organização
 Comandos simples dir
 Comandos com parâmetros copy origem.txt destino.txt
 Comandos com opções e parâmetros move/y origem.txt destino.txt
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 Linguagem de comando
 Organização
 Estrutura
 Ordenação dos parâmetros
 Símbolos x palavras-chave
 Estrutura hierárquica
 Vocabulário
Estilos de interação
 Linguagem de comando
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
 Especificidade x generalidade
 Estratégias de abreviação
 Truncar, eliminar vogais, primeira e última letras...
 Padronização
 Fonética
Estilos de interação
 Menus
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 Menus
 Organização
 Grupos de itens logicamente semelhantes
 Grupos de itens que cobrem todas as possibilidades
 Itens ordenados
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 Menus
 Organização
 Estrutura
 Linear
 Árvore
 Vocabulário
Estilos de interação
 Menus
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
 Rótulos familiares
 Opções bastante distintas
Estilos de interação
 Formulários
 Organização
 Agrupamento lógico
 Sequência de campos
 Layout
 Estrutura
 Divisão em áreas
 Execução em etapas
 Vocabulário
 Títulos e rótulos
 Instruções
 Tempo real: Prevenção e tratamento de erros
Estilos de interação
 Manipulação direta
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 WIMP(Windows, Icons, Menus and Pointers)

 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 WWW
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
Estilos de interação
 Realidade Virtual
 Organização
 Estrutura
 Vocabulário
CARACTERÍSTICAS DA INTERAÇÃO
Características da interação
Paradigmas
 Ação  Objeto  Parâmetros
 Ex: copy *.txt d:

 Objeto  Ação  Parâmetros


 Selecionar texto
 Formatar texto
 Selecionar fonte e estilo

 Como interagimos com o mundo?


Características da interação
Paradigmas
 Constante busca pela interação mais natural
Características da interação
Qualidade
 Definição
 Propriedade que qualifica a interação possível através de uma
interface de acordo com determinados aspectos.
 Interface de alta qualidade
 Pode causar aumento de produtividade
 Geralmente está associada a melhorias nos processos de negócio
 Interface de baixa qualidade
 Requerem treinamento excessivo
 Desmotivam a exploração
 Confundem os usuários e os induzem ao erro
 Geram insatisfação
 Diminuem a produtividade
 Não trazem o ROI previsto
Usabilidade
QUALIDADE DA INTERAÇÃO
Qualidade da interação
 Usabilidade
 Comunicabilidade
 Acessibilidade
 Usabilidade Universal
 Aplicabilidade
 Outros
 Colaboração
 Aprendizagem
Qualidade da interação
Usabilidade
 Propriedade de um sistema interativo que permite aos
usuários interagirem sem dificuldade de aprender ou
lembrar como atingir os objetivos que têm.
 Segundo Nielsen:
 Usabilidade é um atributo de qualidade que avalia como
interfaces de usuário são fáceis de usar. A palavra "usabilidade"
também refere-se a métodos para facilitar a utilização durante o
processo de design.
Qualidade da interação
Usabilidade
 Fatores envolvidos
 Facilidade de aprendizado
 Facilidade de uso
 Eficiência de uso
 Produtividade
 Flexibilidade
 Satisfação do usuário
 Utilidade
 Segurança de uso
Qualidade da interação
Usabilidade
 Desafio de Usabilidade
 Projeto de novas tecnologias que buscam explorar ao máximo as
capacidades dos usuários na criação de ambientes de trabalho
mais eficazes e produtivos.
Qualidade da interação
Comunicabilidade
 Propriedade de transmitir ao usuário de forma eficaz e
eficiente as intenções e princípios de interação que
guiaram o seu design.

 Premissa
 “A interface é uma comunicação do designer para o usuário”.
Qualidade da interação
Comunicabilidade
Qualidade da interação
Comunicabilidade

Alta comunicabilidade
Qualidade da interação
Comunicabilidade
1: Achar computador LINX.

3: Editar? Desfazer que cópia?

2: Não encontrou.
Baixa comunicabilidade
Exemplo de Baixa Comunicabilidade
4:Não pode apagar arquivo?!
Qualidade da interação
Acessibilidade
 Acessibilidade é a condição de acesso por parte de
indivíduos portadores de necessidades especiais a locais,
serviços, informações, equipamentos disponíveis a todos
os indivíduos.

 Acessibilidade web: significa permitir que pessoas com


deficiências possam perceber, entender, navegar e
interagir com a web, e contribuir com a web.
 Também beneficia outros, como pessoas perdendo algumas de
suas habilidades devido a idade.
Qualidade da interação
Acessibilidade x Dificuldades
 Visão: cegueira, baixa visão, daltonismo;
 Audição: surdez, baixa audição;
 Física: descoordenação, deficiência motora;
 Fala: mudez, deficiência de fala;
 Cognitiva e neurológica:
 Dislexia e dificuldades de processamento (linguagens ou
números)
 Déficit de atenção
 Deficiência mental
 Deficiência de memória (curto ou longo prazo)
 Problemas de saúde mental
 Doenças com convulsões
 Deficiência múltiplas
 Condições causadas pela idade
Qualidade da interação
Acessibilidade x
Legislação
 Constituição brasileira
 “XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da
fonte, quando necessário ao exercício profissional;” (Cap. 1, Art. 5º)

 Decreto Nº 3.298 — Estatuto das pessoas com deficiência


 "Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a
Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência,
consolida as normas de proteção, e dá outras providências.”
 Não menciona sistemas de informação e se refere a acesso a ambientes físicos.

 Decreto-lei Nº 5.296 – Lei de Acessibilidade (2 de dezembro de


2004)
 Revoga artigos 50 a 54 do Decreto 3.298
 Regulamenta as Leis Nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade
de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de
2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da
acessibilidade.
 Inclui acesso a sistemas de comunicação e informação explicitamente e inclui
acesso prioritário a deficientes e também outros grupos da população
(idosos, gestantes, lactentes e pessoas com criança de colo).
Qualidade da interação
Acessibilidade x
Iniciativas
 Tradutor Libras
 DosVox (UFRJ – deficientes visuais)
 Avaliação automática de sites
 Diretrizes para construção de sites acessíveis
W3C (World Wide Web Consortium)
 Acessibilidade Brasil
 Organização da sociedade civil voltada para o
desenvolvimento de estudos e projetos que
privilegiem a inserção social e econômica das pessoas
portadoras de deficiências.
Qualidade da interação
Usabilidade Universal

 Design de produtos e serviços que possam


ser utilizados pelo maior número de
pessoas, operados nas mais diversas
situações.
Qualidade da interação
Usabilidade Universal x Diversidade
 Diversidade de tecnologia
 Oferecer suporte e compatibilidade a uma ampla variedade de hardware e
software;
 Diversidade de usuários
 Capacidades e conhecimentos
 Características pessoais (personalidade; sexo; idade; renda);
 Deficiências e limitações;
 Necessidades especiais (idosos e crianças);
 Cultura;
 Diversidade de ambientes físicos
 Localização;
 Geografia, etc.
Qualidade da interação
Aplicabilidade

 Qualidade dos sistemas que podem ser


usados com sucesso em uma variedade
ampla de contextos, incluindo até mesmo
aqueles em que o objetivo do usuário não é
o objetivo original concebido pelos seus
designers, mas antes o fruto da imaginação
e da oportunidade provocadas pela
experiência de uso.
Qualidade da interação
Outras...

 Colaboração
 Aprendizagem
 Aspectos sociais
 Privacidade, polidez, afetividade, etc.
 Interação com robôs e outras máquinas
Qualidade da interação

 Tema para pesquisa


 Principais mudanças no Windows 8