Você está na página 1de 21

Evolução dos paradigmas

científicos e a pesquisa
Prof. Lucas da Silva Martinez
O que é paradigma?
O que caracteriza a pedagogia tradicional?
Quais mudanças o paradigma da complexidade
sugere à educação?
O que é metodologia?
O que é “teoria” e para que serve?
O que é pesquisa qualitativa?
Quais fases ou etapas existem no ciclo da pesquisa,
de acordo com o texto de Minayo?
“Algo que serve de exemplo geral ou de
modelo” (PRIBERAM DICIONÁRIO, 2018,
s./p.).

Teoria construída para explicação de


determinado fato/fenômeno/realidade;

No prefacio da sua obra A estrutura das


revoluções científicas, Kuhn (1998, p. 13)
apresenta uma primeira definição de
paradigma como: “[...] as realizações
cientificas universalmente reconhecidas
que, durante algum tempo, fornecem
problemas e soluções modelares para uma
comunidade de praticantes de uma ciência”.
Exclusão das pessoas com deficiência

Manter as pessoas isoladas da sociedade

Biologia, medicina e saúde: investigação das


doenças, tentativa de cura, isolar pacientes em
instituições

Soldados da guerra, reabilitação e “integração à


sociedade”, readaptação

Inclusão – modificação da sociedade para aceitar as pessoas,


ofertar recursos para desenvolver habilidades

Fonte: Elaborado a partir de Bisol e Valentini (2011).

Toda forma dominante de ação/organização/pensamento


pode comportar a dimensão comum do “paradigma”
Caminhada histórica
Pré-história - pensamento mitológico sobre o mundo;

Séculos VIII a VI a.C. – Conhecimento clássico, desenvolvimento das


filosofias (Platão, Aristóteles), sendo o último, Aristóteles, explorando a
observação e a comprovação dos fenômenos para serem aceitos como
verdadeiros; catalogação de hierarquização de animais (biologia),teoria
dos quatro elementos (química), teorias da física, ética;

Séculos I a XIII – Idade Média, pensamento teológico, igreja como


centro do conhecimento, conhecimento como iluminação divina;
Caminhada histórica
Século XIII ao XV – Renascimento (recusa do mito, da fé e da razão);
Nicolau Copérnico (1473-1543) e Galileu (1564-1642) – heliocentrismo
e enfrentamento da ciência à religião; “abordagem empírica da ciência
e o uso de uma descrição matemática da natureza”;
A partir do séc. XV - Idade moderna

Descartes: separação corpo x mente; filosofia x ciência; razão x


sentidos; método analítico (análise das partes para o todo);
racionalismo científico (matemático); tudo pode ser compreendido
através da matemática;

Newton: 3 leis da física, invenção do telescópio, lei gravitacional


Lógica moderna
• Desenvolvimento da Psicologia – “causa e efeito”, rompimento com a
filosofia;
• Sociologia positivista (Augusto Comte); Durkheim

• Pedagogia tradicional (hierarquização, divisão e disciplinarização do


currículo; dissociação da razão e emoção; controle do
comportamento; visão de mundo estática;
Paradigma da complexidade
• Física quântica, ecologia, ciências que consideram: a complexidade
dos fenômenos que não podem ser estudados apenas de forma
analítica, pelas partes; a instabilidade do mundo, do conhecimento e
das relações humanas (podem ser transformados, não são totalmente
previsíveis); intersubjetividade em oposição ao conhecimento
objetivo – o mundo é mediado pela linguagem e pelo olhar de quem
olha;
• Na educação – interdisciplinaridade como forma de trabalho
educativo; valorização das diferentes dimensões do ser humano –
ética, estética, física, biológica, mental, cultural, social, espiritual;
Hoje os paradigmas não são superados, mas
coexistem... Assim como os tipos de
conhecimentos...
Por que a ciência se coloca como
conhecimento superior?

Discutir questões técnicas


e tecnológicas derivadas
do desenvolvimento Formulação de uma
industrial da sociedade linguagem, regulada por uma
comunidade científica
Cientificidade das ciências sociais
• Falta de consenso na comunidade científica;
• Impossibilidade de usar métodos das ciências naturais para as
ciências sociais, o que para muitos seria a forma de atestar a
cientificidade;
A objetividade dos métodos
das ciências naturais fica
comprometida devido

A ação dos pesquisadores, Falta de um método que


A subjetividade dos
que não são externos ao considere as especificidades
pesquisados, portanto suas
mundo social, possuem dos sujeitos e suas
ações não são unicamente
crenças que guiam a diferenças (a padronização
racionais...
pesquisa... não resolve isso)
Duas direções da pesquisa científica

Constrói saber

Se estabelece: cria teorias,


métodos, princípios, Aperfeiçoa os
procedimentos, resultados Inventa outros caminhos, cria modos de
esperados/desejados outros critérios, considerando os construção
aspectos históricos e aquilo que
já foi produzido

Elabora novas
normas
“Objeto” das ciências sociais, a realidade
social
É histórica
• Frutos de configurações que mudam ao passar do tempo (provisoriedade,
dinamismo, especificidade);
Possuem Consciência Histórica
• Os seres investigados dão significado as mudanças históricas;

Possui uma identidade relacionada ao pesquisador


• O observador é observado, há relações identitárias que ligam pesquisador e
pesquisado; o pesquisador é um ser humano que investiga outro... Relacionado a
subjetividade
Outros aspectos

Denota uma posição ideológica


• A pesquisa social é comprometida e exige tomada de posição; os
resultados de uma pesquisa sempre são influenciados por determinada
posição, visão de mundo; (rompimento com noção de neutralidade);

É essencialmente qualitativa
• Trata de realidades sociais (processos, sujeitos, significados) que não
podem ser apenas quantificados, sua noção não é “exata” mas trata
sempre de uma aproximação;
Metodologia de pesquisa

Abordagem teórica

Problema Criatividade
oriundo da do
vida social pesquisador

Técnicas de produção de
dados
Teorias

Explicação parcial sobre o tema; explicar fenômeno(s)

O que já foi produzido sobre o tema?

Não explica tudo, precisa de atualização;

esclarecem o objeto, ajudam a levantar questões


sobre o problema; organiza dados; análise dos dados
Sistema de proposições
Teoria
Capazes de sugerir questões reais

Inteligível

Representam relações abstratas

Exemplo: Enunciado de Bourdieu e Passeron em “A reprodução” (1992):

“Toda ação pedagógica (AP) é objetivamente uma violência simbólica


enquanto imposição, por um poder arbitrário, de um arbitrário
cultural” (BOURDIEU; PASSERON, 1992, p. 20).
Pesquisa qualitativa

Significados
Motivos
Aspirações Oposição ao positivismo e sua compreensão
matemática da realidade humana;
Crenças considera a subjetividade do pesquisador e dos
Valores pesquisados;
sabe que não pode prever o comportamento humano;
Atitudes
entender a dinâmica da realidade humana, do
cotidiano, das práticas e crenças;
Referências
BISOL, Cládia; VALENTINI, Carla Beatris. Paradigmas da educação inclusiva.
Disponível em:
<http://www.grupoelri.com.br/Incluir/downloads/OA_Docencia_paradigmas
_texto.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2019.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para


uma teoria do sistema de ensino. 3. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. 5. ed. São Paulo:


Perspectiva, 1998.

PRIBERAM DICIONÁRIO. Paradigma. [S.l], 2018. Disponível em:


<https://www.priberam.pt/dlpo/paradigma>. Acesso em: 13 ago. 2018.