Você está na página 1de 60

FORMAÇÃO

Motivação
UMA IGREJA “em saída”

Cada cristão e cada


comunidade há de discernir
qual é o caminho que o Senhor
lhe pede, mas todos somos
convidados a aceitar esta
chamada: sair da própria
comodidade e ter a coragem de
alcançar todas as periferias que
precisam da luz do Evangelho.
Evangelli Gaudium (20)
Papa Francisco
FORMAÇÃO
Motivação
Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a
toda criatura (Mc 16,15)

O agente de Pastoral
Familiar, em
decorrência do seu
batismo, é chamado a
trabalhar, com
entusiasmo, na vinha do
Senhor (Mt 20, 1-7),
neste caso, na família.
FORMAÇÃO
Motivação
Evangelizar é, em primeiro lugar, dar testemunho
(Papa Francisco)

Planejar a pastoral não é


um processo meramente
técnico. É uma ação
carregada de sentido
espiritual. Por isto, todo
processo precisa ser rezado,
celebrado e transformado
em louvor a Deus. Para
tanto, são necessários evangelizadores “que se abrem sem
medo à ação do Espírito Santo”, “que anunciam a Boa Nova
com uma vida transfigurada pela presença de Deus e rezam
e trabalham”.
DGAE 2015-2019
Doc. 102 CNBB
FORMAÇÃO
Motivação
“Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe
uma auxiliar semelhante a ele”. (Gn 2,18)

Instituída por Deus, na


criação, a família ocupa
posição essencial no
plano divino sobre a
humanidade. Nela, a vida
humana tem sua origem,
é nutrida, educada e
desenvolvida. É, por isso,
o “Santuário da vida”, no qual se forja o futuro da
humanidade. (SD 210)

FORMAÇÃO
Missão

NOSSA MISSÃO É A EVANGELIZAÇÃO,


A PROMOÇÃO HUMANA E SOCIAL DAS
FAMÍLIAS.
FORMAÇÃO
Pastoral Familiar
A PASTORAL FAMILIAR É...

ação que se realiza na Igreja e com a Igreja, de forma


organizada e planejada através de agentes específicos,
com metodologia própria, tendo como objetivo a
evangelização da família, capaz de oferecer
instrumentos necessários para a formação da família,
fornecer orientações para a vivência familiar, levar a
todos a Boa Nova do sacramento do matrimônio e
transformar a sociedade pela obra da evangelização.

FORMAÇÃO
Família
A FAMILIA HOJE...

É sabido que na atualidade


a instituição matrimonial, de
modo particular a família
brasileira, atravessa grave
crise. Luzes e sombras
aparecem no horizonte da
família. Infelizmente, nos
parece que as sombras
querem ofuscar a
luminosidade.

FORMAÇÃO
Família
Problemas que desestruturam a Família: (Causas)

Nas pessoas:

Desânimo Stress / Depressão

Egoísmo Ressentimento

Irritação Dominação / Exploração

Vazio Existencial Ansiedade

Fugas e Vícios Fechamento


FORMAÇÃO
Família
Problemas que desestruturam a Família: (Causas)
No Casal e na
Família

Conflito Falta de romance / diálogo

Separação /Ausência (Pais) Ciúme


Insegurança Superioridade

Infidelidade Dominação / Opressão


Ausência Rotina
Indiferença Vícios
FORMAÇÃO
Família
Problemas que desestruturam a Família: (Causas)
Na comunidade e
conjuntura social

Desemprego Roubo / assassinatos


Pobreza / Miséria Dominação / exploração
Insegurança / Medos Deficiência na educação /
Corrupção evangelização / ética

Competição desigual Cultura anti-vida

Exclusão social Influência dos MCS

Privilégios sócio / econômico / raciais Ideologia de gênero


Carência de valores / rumos União de fato
FORMAÇÃO
Família
Consequências na Família:
• Menores abandonados
• Adolescentes entregues às drogas.
• Atentado à vida (aborto, assassinatos, suicídios, etc.)
• Falta de educação.
• Condições indignas de vida (sem teto, sem pão, sem
saúde, etc.)
• Falta de fé.
• Falta de pertença à Igreja.
• Ignorância da missão cristã do lar.
• Desestruturação da família.
FORMAÇÃO
Igreja
A PREOCUPAÇÃO DA IGREJA...

Consciente de que o matrimônio e a família


constituem um dos valores mais preciosos da
humanidade, a Igreja quer fazer chegar a sua voz e
oferecer sua ajuda a quem, já conhecendo o valor do
matrimônio e da família, procuram vivê-lo fielmente
(SUSTENTAR); a quem, incerto e ansioso, anda à
procura da verdade (ILUMINAR); e a quem está
impedido de viver livremente o próprio projeto
familiar (AJUDAR).

FORMAÇÃO
Pastoral Familiar
Objetivos da Pastoral Familiar...

• Acolher a família, na realidade em que se encontra;


• Formar agentes qualificados (formação continuada);
• Oferecer a formação ampla para o matrimônio (remota, próxima e imediata);

• Valorizar e defender a vida da concepção até a morte natural;


• Conscientizar para a aceitação da dignidade, dom de Deus;
• Promover o fortalecimento da organicidade pastoral;

• Proclamar e resgatar o Sacramento do matrimônio como Boa Nova;


• Ajudar as famílias no aprendizado do diálogo, na educação da afetividade e na
preparação para os Sacramentos;

FORMAÇÃO
Pastoral Familiar
Objetivos da Pastoral Familiar...

• Oferecer ajuda às famílias em situação irregular;


• Resgatar as famílias afastadas da Igreja;
• Despertar na família o sentido missionário;
• Apoiar a criação e o fortalecimento da PF em todos os níveis
(Paroquial, Diocesano e Regional);
• Promover a articulação entre pastoral e movimentos familiares;
• Apoiar a maternidade e a gestante em dificuldades;
• Levar a Boa Nova às famílias desestruturadas, reconstituídas, em
segunda união ou em situações irregulares;
• Ajudar os casais em dificuldade de relacionamentos e de educação dos
filhos.

FORMAÇÃO
Pastoral Familiar
AS PRIORIDADES DA PASTORAL FAMILIAR...
• Organizar a Comissão Diocesana e a Equipe Paroquial de
Pastoral Familiar;
• Promover a formação de agentes de Pastoral familiar para a
Diocese ou Paróquia;
• Promover a mútua colaboração entre os movimento e serviços
familiares à luz da Pastoral de conjunto da Diocese ou Paróquia;
• Estabelecer a ligação da Pastoral Familiar com Pastorais
afins, dentro do plano de Pastoral de conjunto;
• Implementar a Pastoral Familiar em seus diversos
segmentos ou etapas:
Pre-matrimonial
Pós-matrimonial
Casos especiais

FORMAÇÃO
Pastoral Familiar
AS PRIORIDADES DA PASTORAL FAMILIAR...

• Estimular ou promover a criação de centros ou serviços


de aconselhamento familiar para casais em crise;
• Conscientização em torno de dificuldades dos casais ou
de elementos que podem destruir a família: aborto,
esterilização, métodos de planejamento familiar
(segundo o Magistério da Igreja);
• Desenvolver esforços na realização e dinamização dos
tempos fortes da PF: Natal em família, visita às famílias,
Semana Nacional da Família, etc.

FORMAÇÃO
Setor Pré-matrimonial
SETORES DA PASTORAL FAMILIAR...
O trabalho Pastoral Familiar divide-se em 3 setores:

PRÉ PÓS CASOS


MATRIMONIAL MATRIMONIAL ESPECIAIS

FORMAÇÃO
Setor Pré-matrimonial
Conceito

O SETOR PRÉ-MATRIMONIAL é um
dos três setores da Pastoral Familiar
que atua com crianças, desde a
mais tenra idade; até os noivos na
celebração do matrimônio.

FORMAÇÃO
Setor Pré-matrimonial
Pré-matrimonial – Visão Pedagógica

1ª infância Infância e Namoro e noivado Dia do


Gestação
adolescência casamento

A ação pastoral da Igreja deve ser progressiva, também


no sentido de que deve seguir a família, acompanhando-a
passo a passo nas diversas etapas da sua formação e
desenvolvimento.
(FC, 65)
FORMAÇÃO
Setor Pré-matrimonial
FORMAÇÃO SETOR PRÉ-MATRIMONIAL

FORMAÇÃO
Setor Pré-matrimonial
As Etapas

Preparação Remota

Preparação Próxima

PRÉ Preparação Imediata


MATRIMONIAL

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Setores da Pastoral Familiar

PRÉ PÓS CASOS


MATRIMONIAL MATRIMONIAL ESPECIAIS

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Conceito

O SETOR PÓS-MATRIMONIAL é um
dos três setores da estrutura da
Pastoral Familiar e trabalha
principalmente a preparação para a
vida de casado e familiar a partir do
matrimônio; possui um vasto campo de
atuação.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Premissa do Trabalho

• Organizar o trabalho com os


CASAIS antes e depois da
chegada dos filhos. Quanto
mais cedo começar, melhor.
• Fazê-los abrirem-se para a
realidade espiritual e também
social, a fim de que sejam
agentes transformadores.

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Premissa do Trabalho

-Preparar o homem e a
mulher para serem pais e
mães responsáveis por:
 Educar os filhos na fé;
 Educar e ensinar aos filhos
os princípios norteadores da
vida, principalmente sobre a
justiça, a moral e a
sexualidade
 Preparar os filhos para a
vida futura e para ouvir o
chamado vocacional.

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Premissa do Trabalho

-Organizar as famílias para


que possam dar uma
resposta rápida e firme às
questões que surgem no
mundo atual. Para isso é
necessário:
 Palestras,
 Formações permanentes,
 Organização de grupos de
estudo e círculos,
 Associações de famílias,
 Entre outros.

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Premissa do Trabalho

- Organizar as famílias da
comunidade alertando-as
para uma preocupação
comum sobre todos os lares
que compõem a grande
família dos filhos de Deus –
a Igreja.
- Trabalhar com a visitação
das famílias com o objetivo
de aproximá-las de Deus e
da Comunidade.

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Assim...

O trabalho com o Pós-


matrimônio consiste em
conscientizar os casais da
importância de sua ação
na vida social como um
todo:
•Na Igreja;
•No local onde moram;
•No trabalho;
•No local onde estudam;
Em todo momento de suas
vidas.

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Assim...

“Tem a responsabilidade de promover a formação


contínua para a vida conjugal, familiar e comunitária.
Utiliza-se, para isso, de recursos diversos:
• Contatos individuais,
• Organização de eventos festivos
• Cursos,
• Ciclos de conferências,
• Encontros de reflexão e de trabalho,
• Grupos de estudo e apoio para a vida em família,
• Etc.” (DPF, 464)
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Gestação

• Subsídio da Comissão
Nacional da Pastoral Familiar
(CNPF)
• Preparação Contínua, que
prepara os pais para receber
o filho(a) com amor, como
dom de Deus, alertando-os
para diversos aspectos da
vida futura da criança.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Educação dos filhos

• Encontros para orientação


dos pais, com o auxílio de
outras pastorais como a
Catequese, Pastoral da
Juventude, etc. E inclusive
com o auxílio de outras
entidades e instituições
como a escola pública e
particular.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Educação dos filhos

• Nesses encontros ressaltar:


– Importância da educação
religiosa dos filhos;
– Questão da importância da
afetividade;
– Questão da sexualidade como
forma de expressão do ser
humano total e não apenas
reduzindo a pessoa à uma
sexualidade banal e sem
sentido.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Eventos e Campanhas

FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Missão Permanente

Visita às famílias da
comunidade:
• Bênção do lar
• Oração pelos recém-nascidos,
aniversariantes, doentes, etc.
• Reza devocional: terço,
novenas, trezenas,
campanhas, etc.
• Acolhida aos afastados
• Visita bíblica (trecho da
Palavra e oração)
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Atendimento

• Fazer um pré-
atendimento de famílias
que estão começando a
passar por problemas.
• Triagem importante
para as equipes de
Casos Especiais.
• Mostra a acolhida e a
preocupação pela vida
daquela família.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Formação dos Agentes

• Preparar constantemente
os agentes para poderem
agir efetivamente junto às
famílias e às
comunidades.
• A preparação deve seguir,
preferencialmente, os
subsídio existentes na
Igreja, que são vários.
FORMAÇÃO
Setor Pós-matrimonial
Ações Concretas: Acompanhamento Pós-matrimônio

• O acompanhamento dos recém-


casados inicia com a acolhida da
equipe de preparação de noivos;
• “Estatísticas indicam que a maior
parte dos divórcios ocorre na
primeira década do casamento. Esse
fato exige que a Pastoral Familiar
acompanhe os casais especialmente
nessa fase do seu desenvolvimento
matrimonial.” DPF nº 279
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Setores da Pastoral Familiar

PRÉ PÓS CASOS


MATRIMONIAL MATRIMONIAL ESPECIAIS

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Conceito

O SETOR CASOS ESPECIAIS é um dos


três setores da Pastoral Familiar que
atua com famílias, que muitas vezes
independentemente da própria vontade
ou pressionadas por outras exigências
de natureza diversa, se encontram em
situações difíceis.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Assim...

O Setor ‘Casos Especiais’ exige maior


atenção e empenho da Pastoral Familiar, pois
ele precisa ser bem estruturado e funcionar
com eficiência para cumprir os seus
objetivos. Por isso, é conveniente que esse
Setor contenha três ‘sub-setores’, conforme
os campos distintos de sua atuação:
 o das famílias em situações conflitivas;
 o das famílias em situações irregulares;
 e o das famílias em situações específicas.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Conflitivas

Entende-se por situações conflitivas, as circunstâncias


objetivamente difíceis em que vivem determinadas
famílias. As famílias em situações conflitivas encontram-
se em circunstâncias de sofrimento ou risco, causadas
por motivos alheios à sua vontade. Tais realidades, em
geral, não são permanentes e podem ser revertidas, se
essas famílias forem bem acolhidas e receberem ajuda
específica. (Alguns exemplos são; alcoolismo, drogas,
famílias afastadas da Igreja, adolescentes – famílias
incompletas, uniões livres, divorciadas, momentos
difíceis, etc...)
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Conflitivas
SITUAÇÕES E SEUS POSSÍVEIS ENCAMINHAMENTOS:

Famílias de migrantes, por motivos de trabalho ou por


outros motivos particulares: atividade que pode ser
desenvolvida junto à Pastoral dos Migrantes, Setor Pós
Matrimônio e Pastoral Social.
Famílias de quantos são obrigadas a ausências longas, como
por exemplo, os militares, os itinerantes de todo o tipo, as
famílias dos presos, fugitivos, desertores, dos exilados, dos
pescadores, dos caminhoneiros. Essa atividade pode ser
desenvolvida em conjunto com as Pastorais Sociais, Setor
Pós Matrimônio e Pastoral Carcerária.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Conflitivas
SITUAÇÕES E SEUS POSSÍVEIS ENCAMINHAMENTOS:
Famílias que vivem praticamente marginalizadas nas grandes
cidades, aqueles que não têm casa: essa atividade pode ser
desenvolvida junto com as Pastorais Sociais e Setor Pós Matrimônio.
Famílias incompletas ou monoparentais: atividade que pode ser
desenvolvida com o Setor Pós Matrimônio.
Famílias com filhos deficientes ou drogados e famílias de
alcoólatras: essa atividade pode ser desenvolvida com o Setor Pós
Matrimônio e com entidades para a recuperação de dependentes
químicos – Pastoral da Sobriedade.
Famílias desenraizadas do seu ambiente familiar social e cultural,
por motivos políticos ou por outras razões: atividade desenvolvida
em conjunto com as Pastorais Sociais e Setor Pós Matrimônio.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Conflitivas
SITUAÇÕES E SEUS POSSÍVEIS ENCAMINHAMENTOS:

Famílias que dificilmente conseguem ter um contato com a


paróquia: atividade para ser desenvolvida junto com o Setor Pós
Matrimônio e a Ação Missionária, Ecumênica, Dimensão
Catequética e outras afins;
Famílias que sofrem violência ou tratamento injustos por causa
da própria fé: atividade que pode ser desenvolvida em conjunto
com o Setor Pós Matrimônio e a Dimensão Ecumênica e o
Diálogo Inter-Religioso.
Famílias que se compõem de cônjuges menores de idade: essa
atividade pode ser desenvolvida em conjunto com o Setor Pós
Matrimônio e entidades assistenciais de menores;

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Conflitivas
SITUAÇÕES E SEUS POSSÍVEIS ENCAMINHAMENTOS:

Anciãos não raros forçados a viver na solidão e sem meios


adequados de subsistência: atividade de subsistência, que
pode ser desenvolvida em conjunto com a Pastoral da Terceira
Idade e com entidades assistenciais e de apoio;
Mães e pais solteiros: essa atividade poderá ser desenvolvida
junto a entidades assistenciais, Amparos Maternais, etc....
Viúvos atividade a ser desenvolvida no encaminhamento para
grupos de convívio fraterno, de ações sociais e
evangelizadoras.

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Constituem situações irregulares


aquelas vividas pelos casais que se
encontram em discordância das
normas ou leis vigentes, tanto do
ponto de vista religioso como civil:

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Matrimônio à Experiência essa é uma situação irregular


que vem se tornando cada vez mais frequente nos dias
de hoje. Procurar-se-á, então, desenvolver um trabalho
para regularizar essa situação, legitimando-se tais
uniões por meio de uma boa e eficaz preparação para o
casamento civil e religioso. Essa preparação para o
matrimônio cristão poderá ser desenvolvida em
conjunto com o Setor Pré Matrimonial, como também
em sintonia com a preparação da Crisma para jovens e
a Pastoral da Juventude.

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Uniões livre de fato – são uniões sem nenhum vinculo


institucional, civil ou religioso, e sem intenção de
estabelecimento do vinculo institucional publicamente
reconhecido. Deve ser encarado pastoralmente, do
mesmo modo do caso anterior, por meio de atividades
semelhantes às já citada: trabalho de conscientização, de
educação para o amor e para a vida matrimonial,
legitimação dessas uniões pelo casamento civil e
religioso. A preparação para esses matrimônios poderá
ser feita em conjunto com o Setor Pré Matrimonial, de
modo especial com a Comissão para a Ação Missionária.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Católicos unidos apenas em casamento civil. Torna-se


cada vez mais comum, nos dias de hoje, os casos de
católicos que, por motivos ideológicos, econômicos,
sociais e práticos, preferem se casar somente no civil,
rejeitando, ou pelo menos adiando, o casamento
religioso. A Pastoral Familiar procurará desenvolver um
trabalho de conscientização, de legitimação e de
preparação para a celebração do matrimônio religioso,
podendo esta última ser desenvolvida em conjunto com
o Setor Pré Matrimonial, com a Comissão para a Liturgia
e Animação Bíblico-Catequética.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Separados e divorciados em Segunda União – motivos


diversos quais incompreensões recíprocas e
incapacidade de abertura a relações interpessoais,
podem conduzir dolorosamente o matrimônio válido a
uma fratura muitas vezes irreparável. A Pastoral Familiar
procurará desenvolver atividades de acolhimento,
evangelização, acompanhamento e ajuda às pessoas
que se encontram nesta situação. O Setor Casos
Especiais pode desenvolver, aceitar e até criar trabalhos
evangelizadores e grupos de espiritualidade junto a
essas pessoas ou grupos.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Irregulares

Divorciados que contraem nova união – casais em 2ª união.


A Igreja não reconhece como válida essa segunda união, se o
primeiro matrimônio foi válido. Porém ela não abandona os
seus filhos, batizados na fé católica. Observando o preceito
misericordioso de Jesus que a todos acolhe, e preocupada
pelo crescente número de famílias nessas situações, a Igreja
incentiva o acolhimento e a ação evangelizadora dessas
famílias por meio da Pastoral Familiar. Também orientar o
trabalho do Grupo Bom Pastor no acolhimento e
evangelização dos casais em 2ª união, (Onde não tem um
casal de 2º união que possa faze-lo). Seguindo a apostila
própria do Grupo Bom Pastor.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Especiais

Essas situações demandam uma


especial atenção pastoral.

Elencamos a seguir algumas dessas


principais situações, bem como seus
possíveis encaminhamentos:

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Especiais

Matrimônio Misto são os matrimônio celebrados


entre católicos e cristãos batizados não-católicos.
Quanto a preparação para a celebração de um
matrimônio misto, deverá haver um cuidado
muito especial, pois essa difere um pouco da
tradicional preparação para o matrimônio. O Setor
Casos Especiais poderá desenvolver esse trabalho
em conjunto com o Setor Pré Matrimonial da
Pastoral Familiar, atendendo as excepcionalidades
apresentadas por esse caso.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Especiais

É de grande valia o trabalho desenvolvido com a


Comissão para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-
Religioso. - Matrimônio canônico precedido por Divórcio
Civil. Os agentes da Pastoral Familiar precisam estar bem
informados e formados para analisar, em cada um
desses casos, aspectos como: matrimônio com filhos ou
sem filhos de uma união anterior; a idade dos filhos; sua
opinião, e também a do cônjuge prejudicado, sobre o
novo matrimônio; a idade dos noivos; a situação
econômica em que se encontra a família anterior e
outros aspectos que possam ser ocasião de escândalo.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Situações Especiais

Então, de acordo com cada caso, serão dados os conselhos


adequados e se tomarão as medidas oportunas. - Sem
familia – existe uma categoria de pessoas que não podem
se referir de modo algum ao que se poderia chamar
propriamente uma família. Por não terem sua família
natural, merecem mais ainda encontrar abertas a elas as
portas da grande família da Igreja, concretizada na família
da diocese ou da paróquia, nos seus diversos movimentos
e serviços. O Setor Casos Especiais pode desenvolver essa
atividade junto aos movimentos da paróquia (por exemplo,
os vicentinos) ou as diversas entidades assistenciais,
orfanatos, creches e asilos, conforme cada necessidade.
FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais
Finalizando

“Este setor se fundamenta


sobre dois princípios: o
primeiro é da compaixão e
da misericórdia; o outro é
o da verdade e da
coerência.”
(Cf “Reconciliatio et Penitentia” de João
Paulo II, 1984, RP, 34).

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais

FORMAÇÃO
Setor Casos Especiais

FORMAÇÃO