Você está na página 1de 32

Módulo 2

A GESTÃO DO SUAS
Assistência Social

É política de garantia de direitos que opera serviços, programas,


projetos, benefícios e transferências de renda para:
 prevenir/reduzir situações de risco social e pessoal;
 proteger pessoas e famílias em situações de vulnerabilidade;
 Criar medidas e possibilidades de socialização e inclusão
social;
 monitorar as exclusões e riscos sociais da população.
Sistema Único de Assistência Social (SUAS)
Marcos Normativos

 Constituição Federal de 1988 – Art. 6°, 194, 203 e 204


 Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) - Lei N° 8.742/1993
 Política Nacional de Assistência Social (PNAS) – 2004
 Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS) – 2005
V Conferência Nacional de Assistência Social - Aprova o
Plano Decenal para a área (2005 a 2015).
 Norma Operacional Básica de Recursos Humanos (NOB-
RH/SUAS) – 2006
 Aprovação da Lei nº 12.101/2009 Dispõe sobre a certificação
das entidades beneficentes de assistência social.
 Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e
Transferências de Renda no âmbito do SUAS - 2009
 Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais – 2009
 Resolução do CNAS Nº 16 -2010
Sistema Único de Assistência Social (SUAS)
Um novo modelo de gestão:
 Supõe um pacto federativo, com definição de
competências dos entes das esferas de governo, na
perspectiva da co-responsabilidade do sistema ;
 Nova lógica de organização das ações: por níveis de
complexidade, com base no território, considerando
regiões e porte de municípios;
Sistema Descentralizado e Participativo da Assistência Social
QUEM EXECUTA QUEM DELIBERA QUEM FINANCIA QUEM PACTUA
E FISCALIZA

Governo Federal CNAS FNAS CIT


Ministério de Conselho Nacional de Fundo Nacional de Comissão Intergestora
Desenvolvimento Social Assistência Social
e Combate à Fome Assistência Social Tripartite

Governo Estadual CEAS FEAS CIB


Secretaria de Estado de Conselho Estadual de Fundo Estadual de
Assistência Social ou Assistência Social Comissão Intergestora
congênere Assistência Social Bipartite

Governo Municipal CMAS FMAS


Secretaria Municipal de Conselho Municipal de Fundo Municipal
Assistência Social ou Assistência Social
de Assistência Social
congênere

REDE SOCIOASSISTENCIAL:
Serviços de Proteção Social Básica e Especial (Governamental e Não Governamental)
Centralidade do Estado na condução das ações de Proteção Social no
âmbito da Assistência Social

• Uma das principais diretrizes do SUAS refere-se à primazia do Estado na


garantia da existência de equipamentos estatais para a oferta dos serviços
socioassistenciais.
– Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), vinculados à
proteção social básica, e os Centros de Referência Especializados de
Assistência Social (CREAS), vinculados à proteção social especial,
representam a afirmação da presença do Estado na condução da
política de assistência social.
Matricialidade Sociofamiliar e Território
(eixos estruturantes do SUAS)

• Matricialidade sociofamiliar se refere à centralidade da família como


núcleo social fundamental para a efetividade de todas as ações e
serviços da política de assistência social.
• família , segundo a PNAS, é o conjunto de pessoas unidas por
laços consangüíneos, afetivos e ou de solidariedade, cuja
sobrevivência e reprodução social pressupõem obrigações
recíprocas e o compartilhamento de renda e ou dependência
econômica.
• Territorialização se refere à centralidade do território como fator
determinante para a compreensão das situações de vulnerabilidade e
risco sociais, bem como para seu enfrentamento.
Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais

Os Serviços Socioassistenciais implicam na produção de ações continuadas e


por tempo indeterminado voltados à proteção social da população usuária
da rede de assistência social.
As ações de proteção socioassistenciais adotadas na lógica do SUAS possuem
níveis diferenciados de complexidade que demandam diferentes operações
executadas pelos trabalhadores da Assistência Social.
 A Tipificação estabelece uma matriz padronizada de serviços
socioassistenciais, organizados conforme nível de complexidade: Proteção
Social Básica e Proteção Social Especial de Média e Alta Complexidade .
 Pactuada na CIT e aprovada no CNAS (2009) – Resolução No. 109 de
11/11/2009
Quadro síntese dos serviços socioassistenciais por nível de complexidade
PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA
1. Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF
2. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
3. Serviço de Proteção Social Básica no Domicílio para Pessoas
com Deficiência e Idosas

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL


Média Complexidade
1. Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias
Indivíduos – PAEFI
2. Serviço Especializado em Abordagem Social
3. Serviço de proteção social a adolescentes em cumprimento de
medida socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e de
Prestação de Serviços à Comunidade (PSC)
4. Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com
Deficiência, Idosos(as) e suas Famílias
5. Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua
Alta Complexidade
6. Serviço de Acolhimento Institucional
7. Serviço de Acolhimento em República
8. Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora
9. Serviço de proteção em situações de calamidades públicas e de
emergências
Compete ao Conselho de Assistência Social com relação à gestão

Fiscalizar e avaliar L
M

• a qualidade das ações;


• Aplicação de recursos públicos
• Resultado das ações na vida dos assistidos.
Gestão

PROCESSO L
M
Recursos da Gestão

L
M

Mobilização e trabalho dos


Recursos Humanos

instrumentos informacionais
Tecnologias
Pg.90

Gestão do SUAS

Está relacionada:
a) Ao processo técnico e político por meio do qual as ações referidas são
formuladas e implementadas;
b) Ao modelo de organização institucional e distribuição de
responsabilidades entre atores, instituições e unidades da federação
quanto ao processo de planejamento, financiamento, execução,
monitoramento e avaliação da política pública;
c) Ao conjunto de mecanismos jurídicos e políticos, instrumentos
técnicos, ferramentas informacionais e processos administrativos,
mobilizados pelos diversos atores que atuam na área – gestores,
técnicos, conselheiros etc – visando garantir a efetividade das ações e
o seu controle pela sociedade.
Eixos Estruturantes da Gestão do SUAS
 Precedência da gestão pública da política;
 Alcance de direitos socioassistenciais pelos usuários;
 Matricialidade sociofamiliar;
 Integralidade da proteção social de assistência social;
 Territorialização;
L

 Descentralização político-administrativa; M

 Financiamento partilhado entre os entes federados;


• Fortalecimento da relação democrática entre estado
e sociedade civil;
L
• Valorização e compromisso com a presença de M

controle social;
• Participação popular/cidadão usuário;
• Qualificação de recursos humanos;
• Informação, monitoramento, avaliação e
sistematização de resultados
Pg. 92

Instrumentos de Gestão no SUAS

L
M

• Plano de Assistência Social;


• Orçamento e Financiamento;
• Gestão da Informação;
• Monitoramento e a Avaliação;
• Relatório Anual de Gestão.
Plano de Assistência Social - PAS

• Elaboração: Secretaria de Assistência Social

• Análise e aprovação: Conselho de Assistência Social.

• Deverá ser desdobrado, anualmente, em um Plano de Ação. L


M

As ações previstas no plano deverão ser organizadas de acordo


com os níveis de proteção social - básica e especial, de média e
alta complexidade
Pg.124

Gestão da Informação

• Mecanismo privilegiado para o alcance dos objetivos


expressos na PNAS/2004 e na NOB/SUAS/2005.

• Mecanismo de registro

• Processamento e disseminação de informações

• Racionalização de processos e fluxos para tomada de decisão

• Publiciza as informações para o exercício do controle social


Rede SUAS

O sistema de informação do SUAS é formado por um conjunto


de subsistemas e aplicativos dinamicamente relacionados,
alimentado por gestores e técnicos dos três níveis federativos
com as informações necessárias ao andamento de processos
administrativos essenciais à execução, ao financiamento e ao
controle social da Política de Assistência Social. Três tipos de
ferramentas informacionais compõem a Rede SUAS:
– Ferramentas informacionais de suporte financeiro;
– Ferramentas informacionais de suporte gerencial;
– Ferramentas informacionais de suporte ao controle social.
Pg.124

Ferramentas Informacionais de Suporte Financeiro


é um aplicativo que agiliza e moderniza os procedimentos de
repasses de recursos do Fundo Nacional de Assistência Social
para os fundos municipais, do DF e estaduais, ou seja, é um
sistema de transferência fundo a fundo. Toda a base de
dados de pagamentos está disponível no sistema InfoSUAS.

Registra informações relativas a gestão orçamentária do


recursos geridos pelo Fundo Nacional de Assistência
Social.Interage com o SISFAF e é alimentado pelo SIAFI

Registra informações relativas ao gerenciamento de


convênios operados pelo FNAS, acompanhando todo trâmite
desde o preenchimento dos planos de trabalho, formalização
do convênio e prestação de contas

LM
Pg.125

Ferramentas Informacionais de Suporte Gerencial

finalidade de subsidiar a tomada de decisões no processo de


gestão da política nacional de assistência social e resulta da
integração de dados e mapas servindo de base para a
construção de indicadores . TODOS PODEM ACESSO
L
M

Registra as informações relativas ao Plano de Ação Anual e o


Demonstrativo Sintético de Execução Físico-financeira, além
de informações sobre as contas correntes, saldos, data de
pagamento, parcelas pagas. Senha Gestor e Senha própria
Conselho Assistência Social
é o sistema de cadastro do SUAS, que comporta todas as
informações cadastrais de prefeituras, órgão gestor, fundo e
conselho municipal e entidades que prestam serviços
socioassistenciais.informações cadastrais dos trabalhadores do
SUAS. TODOS PODEM ACESSAR
L
M

Registro Plano de Ação, informações sobre a execução física e


financeira dos serviços socioassistenciais financiados pelo MDS,
permitindo controle e acompanhamento da real execução do
Plano de ação.
Pg.126

Ferramentas Informacionais de Suporte ao Controle Social


é o sistema do Conselho Nacional de Assistência Social, que
será disponibilizado para consulta sobre os processos de
certificação de entidades, agilizando os trâmites e ampliando
o controle social.
L
M

é um sistema aberto à população que disponibiliza


informações sobre os repasses financeiros do Fundo Nacional
de Assistência Social para os Fundos de Assistência Social
(estados e municípios);ferramenta fundamental para
controle social
MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Conjunto dos procedimentos de acompanhamento e análise


realizados ao longo da implementação de projeto, com o
propósito de checar se as atividades e resultados realizados
correspondem ao que foi planejado (M) e se os objetivos L
previstos estão sendo alcançados (A)” M

Domingos Armani (2004)


MONITORAMENTO AVALIAÇÃO
PROCESSO CONTÍNUO, COTIDIANO PROCESSO NÃO CONTÍNUO
ACOMPANHAMENTO PELO GESTOR MELHORAR OS PROCESSOS
FERRAMENTA DE GESTÃO VERIFICAR EFEITOS E IMPACTOS
REDICIONAR POLÍTICAS E PROGRAMAS

PRODUÇÃO REGULAR DE DADOS, DE PRODUÇÃO NÃO REGULAR DE DADOS


INFORMAÇÕES

INDICADORES INDICADORES

ESTRUTURA PROCESSOS
PROCESSOS RESULTADOS
RESULTADOS IMPACTO

LM
AVALIAÇÃO

• EFICIÊNCIA – Aspectos financeiros, recursos ( como fazer o


que deve ser feito com menos recursos);
L
M

• EFICÁCIA - alcance objetivos e metas na população


beneficiária (meta e tempo);

• EFETIVIDADE – impacto social produzido


Pg.129

INDICADORES DE MONITORAMENTO E
AVALIAÇÃO
EIXOS ESTRUTURANTES
• Concepção
• Territorialidade
• Financiamento L
M

• Controle Social
• Recursos Humanos
• Gestão e Funcionamento dos CAS
Relatório Anual de Gestão

 Responsabilidade do órgão gestor nas três esferas de


governo
AVALIAÇÃO L
M

 cumprimento das Realizações, dos Resultados


alcançados com base no PAS e Plano de Ação Anual
 Aplicação dos recursos em cada esfera de governo
APROVAÇÃO DO CONSELHO DE
ASSISTÊNCIA SOCIAL
Gestão do trabalho

A qualidade dos serviços prestados no âmbito do SUAS


depende da estruturação do trabalho, da valorização e
qualificação dos seus trabalhadores que prestam serviços de
caráter público e continuado.

Os/as profissionais das equipes técnicas de referência, são


agentes públicos mediadores de direitos.
Trabalhadores(as) do SUAS

Principal tecnologia da política de assistência social.


• Operadores(as) do direito à assistência social
possuem uma posição fundamental nas relações
institucionais
• potencialidade de explorar as contradições da
realidade, estabelecer a mediação entre
necessidades sociais e Estado
• podem fortalecer projetos sociais democráticos,
exercer a autonomia profissional e favorecer
processos de construção do pleno
desenvolvimento e protagonismo dos indivíduos
sociais
Controle social é a capacidade
da sociedade de intervir nas políticas
públicas com o objetivo de garantir
direitos.
O Conselho de Assistência Social é
uma ferramenta da efetivação dos
direitos sociais

LM