Você está na página 1de 20

Efeito de estufa

Notícia: Recifes de Coral


A Grande Barreira de Coral da Austrália, considerado património mundial da UNESCO desde
1981 e que se estende ao longo de cerca de 2.400 quilómetros, sofreu um "colapso
catastrófico" de corais durante uma vaga de calor em 2016, "uma ameaça à diversidade da
vida marinha", indica o estudo.
Neste momento, e de acordo com o estudo científico, os "recifes de coral representam
menos de 1% do ambiente marinho da Terra, mas abrigam cerca de 25% da vida marinha". "A
morte destes corais causou mudanças radicais na mistura de espécies em centenas de recifes
individuais", explicou à AFP um dos autores do estudo, Andrew Baird.
Todas estas mudanças radicais estão a ter “um impacto sobre todas as criaturas que
dependem dos corais para alimentação e habitat", alertou também Terry Hughes, co-autor
do estudo.
O estudo deixa um alerta e apela à proteção dos corais – que são cerca de mil milhões - que
sobreviveram a estas alterações climáticas e que estão, neste momento, dependentes de
uma "melhoria da qualidade da água” e da “redução da poluição costeira".
Caso não ocorra nenhuma melhoria a este nível, ou seja se a temperatura não for limitada
entre 1,5 graus Celsius e 2 graus Celsius – limite estabelecido no Acordo de Paris -, a Grande
Barreira de Coral corre “o risco de desaparecer”, revelam os cientistas responsáveis pelo
estudo.
Notícia: Recifes de Coral

• Esta destruição pode vir a ter um grande impacto no


nosso planeta, pois :

“Um mundo sem recifes de coral é um mundo em que a


extinção humana neste planeta também estará muito mais
próxima. Mas ainda vamos a tempo de nos salvar,
começando por salvar os recifes de coral.”
Notícia: Recifes de Coral

Evolução da destruição dos recifes de coral

Processo de branqueamento e morte dos corais

https://www.youtube.com/watch?v=Vn8iXEaIgNE
Introdução

• Os ecossistemas de recifes de coral são muito


sensíveis aos impactos externos, sejam eles
naturais ou causados pelo Homem. Existem
diversos fatores que podem ameaçar o equilíbrio
destes ecossistemas, entre os quais o aumento do
efeito de estufa, tema que vamos abordar neste
trabalho.
O que é o efeito de estufa?

A atmosfera do nosso planeta


comporta-se como os vidros de uma
estufa: é transparente para a radiação
solar e opaca para a radiação
terrestre. Este processo designa-se
por efeito de estufa e consiste no
aquecimento da atmosfera quando
alguns dos seus gases, como o dióxido
de carboto, o metano e o vapor de
água, absorvem parte do calor emitido
pela superfície do plneta, impedindo a
sua perda para o Espaço.
O que é o efeito de estufa?

Como referimos anteriormente, estes gases


deixam passar a radiação solar em direção à
superfície terrestre, mas absorvem a
radiação terrestre, povocando o
aquecimento da parte interior da
troposfera. Assim, a temperatura média à
superfície da Terra mantém-se próxima dos
15º, valor confortável para os seres vivos.
Gases-GEE
A partir da Revolução Industrial, a utilização crescente de combustíveis
fóssies, provocada pelo desenvolvimento das indústrias e dos transportes e
também pelo crescimento da população mundial, originou a emissão de
grandes quantidades de gases com efeito de estufa (GEE), como:

• Dióxido de carbono
• Metano
• Óxido nitroso
• Gases fluorados
Gases …
Os gases com efeito de estufa são gases que existem naturalmente na atmosfera,
porém, a sua concentração na atmosfera terrestre tem aumentado ao longo dos
tempos, sobretudo, o dióxido de carbono.

Composição das emissões de GEE Concentração CO2 na atmosfera de


1960 a 2000
Consequências nos
recifes
Emissão de grandes quantidades
de dióxido de carbono

 Aumento da temperatura da superfície do mar, na ordem dos 2-3 C;


 Aumento do nível médio das águas do mar até 1.7 metros;
 Redução do pH da água do mar para valores inferiores a 7,9;
 Aumento da frequência e intensidade das tempestades.

Degradação progressiva
dos recifes de coral
Países
Este aumento é provocado, pricipalmente, pelos países desenvolvidos, entre
os quais destacamos, os EUA, Rússia, Japão, Alemanha e pelos países em
rápido crescimento económico, como a China, a Índia e o Brasil.
Causas
A atmosfera é bastante transparente à radiação solar, permitindo que uma
grande parte desta radiação atinja a superfície terrestre.

Acontece que a mesma é opaca à


radiação infravermelha emitida pela
Terra, a radiação terrestre, devido à
presença de determinados gases (GEE)
que a absorvem e a reenviam de volta à
Terra (contra-radiação).
Consequências
Desta forma, podemos ver que o efeito de estufa natural da Terra tem sido
reforçado, contribuindo para o aumento da temperatura média do planeta,
um fenómeno conhecido por aquecimento global.

• Aumento na incidência e na intensidade

de catástrofes naturais

• Subida do nível dos oceanos

• Aumento da desertificação

• Perda de biodiversidade

• Alargamento das áreas de incidência

https://rea.apambiente.pt/content/emissões-de-gases-com-efeito-de-estufa
Protocolo de Kioto

Para alertar a situação do efeito de


estufa e do aquecimento global
diversos países tomaram medidas,
entre elas a assinatura do protocolo
de Kioto por vários países,
inclusivamente Portugal, em 1997.
Medidas de mitigação
• Andar a pé e de bicicleta
Medidas de mitigação
• Reduzir, reutilizar e reciclar – 3Rs da sustentabilidade
Medidas de mitigação
• Utilizar energias renováveis
Quiz

1. Indica o gás que mais contribui para o aumento do efeito de estufa.

1. Indica os 2 tipos de países que mais emitem GEE.

1. Classifica as seguintes afirmações como Verdadeiras ou Falsas:

a) A atmosfera do nosso planeta assemelha-se aos vidros de uma estufa, já que é


opaca para a radiação solar e transparente para a radiação terrestre.

b) Uma das principais consequências do efeito de estufa é o aquecimento global.

c) A temperatura não é influenciada pelos GEE.


Conclusão