Você está na página 1de 14

PRINCÍPIOS E DOUTRINAS DO SUS

INTRODUÇÃO

 O SUS é considerado uma das mais conquistas assegurada pela constituição de 1988.
 O SUS representa a materialização de uma nova concepção acerca da saúde no nosso país.
 “Saúde é o estado de ausência de doença ações de prevenção de agravos e promoção de saúde.
 Importante notar que a luta pela instituição do SUS parte da base da sociedade.
 Movimento Sanitarista (antes disso havia um “duplo comando”).
O PROJETO DA REFORMA SANITÁRIA
E O SUS

“A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido


mediante políticas sociais e econômicas que visem a redução
do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e
igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e
recuperação.”

Constituição Federal de 1988.


CONCEPÇÕES SOBRE A SAÚDE E O “LUGAR” DA
POLÍTICA DE SAÚDE
 Conceito ampliado de saúde.
 “Direito de todos e dever do Estado”.
 Garantida mediante políticas econômicas e sociais abrangentes.
O PROJETO DA REFORMA SANITÁRIA
E O SUS
De acordo com Goulart (1991),

“As competências decorrentes da relevância pública envolvem,


certamente, o exercício de um poder regulador, de arbitragem e de
intervenção executiva por parte das esferas do poder público e, por
consequência, de suas agências de prestação de serviços”.
O PROJETO DA REFORMA SANITÁRIA
E O SUS
De acordo com o artigo 194 da Constituição, a Seguridade Social:

“compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos


poderes públicos e da sociedade destinada a assegurar os direitos
relativos à saúde, à previdência e à assistência social”.
O PROJETO DA REFORMA SANITÁRIA
E O SUS
 Sistema x Unicidade.

 Este sistema é único, ou seja, deve ter a mesma doutrina e a mesma forma de
organização em todo o país.

 Universalização, equidade, integralidade, descentralização e participação popular.

 Núcleo comum (único), que concentra os princípios doutrinários, e uma forma de


organização e operacionalização, os princípios organizativos.
PRINCÍPIOS DOUTRINÁRIOS E PRINCÍPIOS
ORGANIZATIVOS

Universalidade
Equidade
Integralidade

Participação Regionalização e Descentralização e


Popular Hierarquização comando único
PRINCÍPIOS DOUTRINÁRIOS

 Lei Orgânica da Saúde – Lei n. 8.080 de 19 de setembro de 1990. Art. 7º:

I - universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência;

II - equidade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie;

III – integralidade de assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e
serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis
de complexidade do sistema;
PRINCÍPIOS ORGANIZATIVOS

I - Regionalização e Hierarquização dos serviços do SUS , permitindo um conhecimento mais amplo


dos problemas de saúde da população de uma área delimitada, favorecendo ações de vigilância
epidemiológica e sanitária.

II - Descentralização e redistribuição das responsabilidades quanto as ações e serviços de saúde entre


os vários níveis de governo. A descentralização, ou municipalização, é uma forma de aproximar o
cidadão das decisões do setor e significa a responsabilização do município pela saúde de seus
cidadãos. Cada esfera de governo é autônoma e soberana em suas decisões e atividades.

III - Participação Popular possibilita que a população, através de seus representantes, defina,
acompanhe a execução e fiscalize a política de saúde. Para isto, devem ser criados os Conselhos e as
Conferências de Saúde, que têm como função formular estratégias, controlar e avaliar a execução da
política de saúde.
HIERARQUIZAÇÃO

Neste nível estão os hospitais de


Terciário referência, que resolvem os 5%
restantes dos agravos.

O nível secundário resolve 15%


Secundário dos agravos – são os centros de
especialidade.

Primário Neste nível, resolvem-se 80% dos


problemas – é a unidade básica
de saúde.
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

 (FUNCAB - Anápolis/2011) Ao longo da década de 1990, identificou-se a evolução de vários


modelos de gestão. O avanço na consolidação do Sistema Único de Saúde se verifica no
modelo segundo o qual:

a) O sistema é organizado com base na hierarquia de ações e serviços de saúde.


b) Os municípios têm sua gestão fragmentada.
c) As unidades de saúde do município não têm papel definido.
d) a gestão do sistema permanece com o Estado.
e) a gerência das unidades é definida em parceria pelo gestor estadual e municipal.