Você está na página 1de 95

FÁRMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS

Prof. Dr. MCláudio - UniChristus


HIPERTENSÃO ARTERIAL
DEFINIÇÃO

• Pressão Arterial Sistólica (PAS)


 140mmHg e diastólica (PAD) 
90 mmHg, em 2 tomadas
distintas.

• Hipertensão arterial
prolongada dano aos vasos
sanguíneos renais, cardíacos e
cerebrais, coronariopatias e AVC
HIPERTENSÃO ARTERIAL

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

Objetivos Terapêuticos:
Redução da
morbidade e da
mortalidade
cardiovasculares do
paciente hipertenso.
HIPERTENSÃO ARTERIAL

FATORES DE
RISCO
HIPERTENSÃO ARTERIAL

CLASSIFICAÇÃO

• Hipertensão arterial primária “hipertensão


essencial”- Não apresenta mecanismo fisiopatogênico
conhecido. Pesquisas sugerem participação do gene
que codifica o angiotensinogênio no desenvolvimento
da hipertensão.

• Hipertensão arterial secundária (HAS) - Etiologia


definida e fisiopatogenia razoavelmente esclarecidas.
TERAPIA NÃO FARMACOLÓGICA

• Redução do peso
• Restrição de sódio
• Restrição de álcool
• Exercício físico
• Terapia de relaxamento
• Terapia com potássio
• Tabaco, café e outros
ANTI-HIPERTENSIVOS
CLASSIFICAÇÃO
• Diuréticos tiazídicos
• Inibidores da Enzima Conver-sora da
Angiotensina (iECAs)
• Bloqueadores do Receptor de
Angiotensina II AT1 (BRAs)
• Bloqueadores dos Canais de Cálcio
(BCCs)
• Beta-bloqueadores*****
ANTI-HIPERTENSIVOS
CLASSIFICAÇÃO
• AGENTES SIMPATICOPLÉGICOS
DROGAS DE AÇÃO CENTRAL
BLOQUEADORES GANGLIONARES
BLOQUEADORES DE NEURÔNIOS ADRENÉRGICOS
DROGAS DE AÇÃO EM RECEPTORES
- ALFA-BLOQUEADORES
- BETA-BLOQUEADORES *****

• VASODILATADORES
VASODILATADORES ORAIS
VASODILATADORES PARENTERAIS
ANTAGONISTAS DOS CANAIS DE CÁLCIO

• INBIDORES DE ENDOTELINA
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
DIURÉTICOS
DIURÉTICOS TIAZÍDICOS
 Relaciona-se inicialmente aos seus efeitos diuréticos e
natriuréticos, com diminuição do volume extracelular
 A longo prazo (cerca de quatro a seis semanas) o volume
circulante praticamente se normaliza e há redução da
resistência vascular periférica
 Hipertensão leve e moderada; Grave (associados)
DIURÉTICOS TIAZÍDICOS

• Droga – indapamida XR e Clortalidona


(Hidroclorotiazida menor meia-vida)
• Mecanismo de Ação
Inibição o cotransporte de Na+/ Cl- no TCD
 Reabsorção de Ca +2
• Indicações: Hipertensão leve a moderada, ICC,
Nefrolitíase
• Efeitos Colaterias: Fraqueaza, Cãimbras,
Hipovolemia, Disfunção Erétil, Alcalose Metabólica,
Hipocalemia, Hiperuricemia, Hiperglicemia,
Dislipidemia e Reações Alérgicas.

* Drogas de primeira classe


DROGAS
TIAZÍDICOS e Semelhantes
DROGAS
TIAZÍDICOS e Semelhantes
• Hidroclorotiazida -12,5 -25 mg/2Xdia (18 h)
• Clortalidona (Higroton) – 12,5-25 mg/dia (24-
72 h)
• Indapamida XR – 2,5-5 mg/dia (24 h)
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
INIBIDORES DA ECA
INIBIDORES DA ECA

• HISTÓRICO

- 1960 – Ferreira  venenos de


víboras potencializavam as ações
da bradicinina
- Peptídios inibidores da cininase II
- Introdução do captopril
INIBIDORES DA ECA

MECANISMO DE AÇÃO
INIBIDORES DA ECA
• MECANISMO DE AÇÃO
- Agem fundamentalmente pela inibição da enzima
conversora da angiotensina (ECA), bloqueando a
transformação da angiotensina I em II no sangue e
nos tecidos
- São eficazes no tratamento da HAS, reduzindo a
morbidade e a mortalidade cardiovasculares nos
hipertensos
- Quando administrados a longo prazo, os IECAs
retardam o declínio da função renal em pacientes
com nefropatia diabética ou de outras etiologias
INIBIDORES DA ECA
INIBIDORES DA ECA

• USOS TERAPÊUTICOS

- Hipertensão
- Insuficiência cardíaca
congestiva
- Infarto do miocárdio
- Nefropatia diabética
- *Drogas de primeira linha
INIBIDORES DA ECA
• EFEITOS ADVERSOS
- Hipotensão
- Tosse seca
- Hiperpotassemia
- Erupções cutâneas (raras)
- Edema angioneurótico (raro)
- Insuficiência renal aguda
(estenose da artéria renal bilateral)
- Contraindicados para uso em
gestantes
- *Captopril em altas doses pode causar
disgeusia, neutropenia, proteinúria e
rashes cutâneos
INIBIDORES DA ECA
INIBIDORES DA ECA
• Drogas
- Captopril (Capoten) – 25-150 mg/d (2-3X)
- Enalapril (Renitec) – 5-40 mg/d (1-2X)
- Lisinopril (Zestril) – 5-20 mg/d (1X)
- Fosinopril (Monopril) – 10-20 mg/d (1X)
- Ramipril (Triatec) – 2,5 -10 mg/d (1X)
- Cilazapril (Vascase) – 2,5-5 mg/d (1X)
INIBIDORES DA ECA
• DROGAS
- Captopril (Capoten, Aorten, Capotril, Captil, Captocord, Captolab,
captolin, Captomed, Captomido, capton, Captopiril, Captotec,
Captopron, Captosen, Captosif, Capotrat, Ductopril, Hipoten,
Normapril, Presstopril, Prilpressin, Venopril, Capobal e Captozen)
- Enalapril (Renitec, Eupressin, Glioten, Angiopril, Atens, Enalabal,
Enalamed, Enalaplex, Enalatec, Enalprin, Enaprotec, Enatec,
Enaton, Neolapril, Pressel, Pressocord, Pressomed, Pressotec,
Renalapril, Renipress, Renapril, Sanvapress, Vasopril, Enatil)
- Lisinopril (Zestril, Prilcor, Lisinovil, Peinopril, Privinil, Listril,
Zinopril)
- Fosinopril (Monopril)
- Ramipril (Triatec, Naprix)
- Cilazapril (Vascase)
- Benazapril (Lotensin)
- Delapril (Delakete)
- Perindopril (Coversyl)
- Quinapril (Accupril)
- Trandolapril (Gopten, Odrik)
PABLO DIEGO JOSÉ FRANCISCO DE PAULA JUAN
NEPOMUCENO MARÍA DE LOS REMEDIOS
CIPRIANO
DE LA SANTÍSIMA TRINIDAD MARTYR PATRICIO
CLITO
RUÍZ Y PICASSO
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
BLOQUEADORES DOS RECEPTORES DE
ANG II AT1
BLOQUEADORES DOS
RECEPTORES DE ANGIOTENSINA II
• Antagonistas seletivos dos receptors AT1

Losartana e Valsartana foram os primeiros


comercializados

Candersatana, Telmisartana, Olmesartana,


Irbesartana, Eprosartana e Azilsartana
BLOQUEADORES DOS
RECEPTORES DE ANGIOTENSINA II
 MECANISMO DE AÇÃO

 Bloqueadores dos receptores AT1 da angiotensina II


(BRA II) antagonizam a ação da angiotensina II por meio
do bloqueio específico de seus receptores AT1
 Não interferem nos sistemas de cininas e PGs
 Incomuns tosse e angioedema
 Metanálise recente aponta equivalência entre BRA II e
IECA na redução de eventos coronarianos e
superioridade dos BRA II na proteção cerebrovascular
 São nefroprotetores no paciente com diabetes melito tipo
2 com nefropatia estabelecida
BLOQUEADORES DOS
RECEPTORES DE ANGIOTENSINA II
USOS TERAPÊUTICOS
 Hipertensão
 Insuficiência cardíaca
 *Drogas de primeira linha

EFEITOS ADVERSOS
 Hipotensão
 Hiperpotassemia
 Não interferem nos sistemas de cininas e PGs
 Evitar durante a gestação
BLOQUEADORES DOS
RECEPTORES DE ANGIOTENSINA II
DROGAS
 Losartana (Cozaar) – 25-100 mg/d (1-2X)
 Valsartana (Diovan) – 80-320 mg/d (1X)
 Irbesartana (Avapro) – 150-300 mg/d (1X)
 Candersatana (Atacand) – 8-32 mg/d (1X)
BLOQUEADORES DOS
RECEPTORES DE ANGIOTENSINA II
• DROGAS
- Candesartana (Atancand, Biopress)
- Irbesartana (Aprovel, Avapro)
- Losartana (Cozaar, Aradois, Zaarpres, Corus, Losartec,
Torlos, Lanzacor, Lorsacor, Losacoron, Losaprin)
- Olmesartana (Benicar, Olmetec)
- Telmisartana (Micardis, Pritor)
- Valsartana (Diovan)
Bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona

ANGIOTENSINOGÊNIO
(fígado)

RENINA QUINASE

BRADICININA
ANGIOTENSINA I

INIBIDOR DA
ECA

ANGIOTENSINA II
PEPTÍDIOS

BLOQUEADOR DO
RECEPTOR AT1
AT1 AT2

VASOCONSTRICÇÃO VASODILATAÇÃO
AÇÃO
PROLIFERATIVA AÇÃO ANTI-
RETENÇÃO DE SAL PROLIFERATIVA

Obs: AT1- predominam no músculo liso vascular


FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
CÁLCIO
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
• REPRESENTANTES

Nifedipina
- Diidropiridinas Nimodipina
Anlodipina
Nicardipina

- Fenilalquilamina  Verapamil

- Benzotiazepina  Diltiazém
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
 Afetam a entrada de cálcio na célula
 Atuam nos canais de cálcio voltagem-dependentes tipo L
 Ligam-se a subunidade 1 do canal
 Além de antianginosos e antiarrítmicos, possiem ação anti-
hipertensiva decorrente da redução da resistência
vascular periférica por diminuição da concentração de cálcio
nas células musculares lisas vasculares
 Anti-hipertensivos eficazes e reduzem a morbidade
e mortalidade cardiovasculares
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
• DI-IDROPIRIDINAS
Anlodipina, Felodipina, Isradipina, Lacidipino,
Levandipino, Manidipino, Nicardipina, Nifedipina,
Nisoldipina, Nimodipina e Nitrendipina
Clevidipina somente IV para crise hipertensiva
 Ações farmacológicas
-  da resistência vascular periférica
- Taquicardia reflexa os de curta duração (não mais
recomendados – risco de redução da perfusão
coronariana)
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+

• Verapamil e Diltiazém

 Ações farmacológicas
-  da resistência vascular periférica
-  da função cardíaca
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+

MECANISMO DE AÇÃO
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+

 USOS TERAPÊUTICOS
 - Hipertensão em idosos e negros,
independem da ingesta de sódio ou uso dos
DAINEs
 - Reduzem o AVC
 - Taquiarritmias
 Anginas
 *Drogas de primeira linha
BLOQUEADORES DOS CANAIS DE
Ca2+
 Efeitos adversos
- Tonturas
- Cefaleia pulsátil
- Rubor facial
- Edema de extremidades (maleolar mais
comum)
- Hipercromia do terço distal das pernas
- Hipertrofia gengival (raro)
- Depressão miocárdica e BAV
- Isquemia miocárdica
- Constipação (Verapamil)
DROGAS
• Nifedipina (Adalat Retard) - 30-60 mg/d (1-2X)
• Anlodipina (Norvasc) – 2,5 -10 mg/d
• Felodipina (Splendil) – 2,5 -20 mg/d (1x)
• Isradipina (Lomir) – 2,5-10 mg/d (2X)
• Nitrendipina (Caltren) – 20-40 mg/d (1X)
• Diltiazém (Balcor) – 120-540 mg/d (1X)
• Verapamil (Dilacoron) – 120-480 mg (1X)
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
BETABLOQUEADORES
-BLOQUEADORES
-BLOQUEADORES

MECANISMO DE AÇÃO
- Diminuição da FC, VS e débito cardíaco,
compensados por vasoconstricção e
RVS
- Redução da secreção de renina (1)
- Beta-bloqueio dos receptores pré-
juncionais com inibição da liberação de
norepinefrina
- Readaptação dos barorreceptores;
- Ação Central reduzindo a atividade
simpática ( pré-sináptico).
-BLOQUEADORES
-BLOQUEADORES
USO NA HIPERTENSÃO
- Não protegem contra o ataque cardíaco
- Aumentam o risco de AVC (14%)
- Perda da sensibilidade à insulina, risco
aumentado de Diabetes
- Aumenta os triglicérides e diminuem o HDL
- Aumentam o peso corporal
- Causam fácil fatigabilidade, reduzindo
habilidade de executar atividades físicas
- Menor redução central da PA que periférica
- Aumento da variabilidade da PA
-BLOQUEADORES

USOS TERAPÊUTICOS
- Hipertensão em pacientes com
coronariopatias, disfunção sistólica,
arritmias ou IAM prévio
- Glaucoma
- Enxaqueca
- Ataques agudos de ansiedade
- Tremor essencial
- Estados hipercinéticos
- Hipertensão portal
-BLOQUEADORES

EFEITOS ADVERSOS
- Insuficiência cardíaca congestiva
não tratada
- Extremidades frias (Vasoconstrição
periférica)
- Fenômeno de Raynaud
- Broncoespasmo (Asma*)
- Pesadelos e insônia
- Angina de Prinzmetal
- Bradicardia severa, BAV
DROGAS
• Propranolol – 40-160 mg/d (2X)
• Nadolol – 40-120 mg/d
• Metoprolol (Seloken) -50-100 mg/d
• Bisoprolol -2,5-10 mg/d
• Atenolol (Atenol) – 25-100 mg/d
• Pindolol (Visken) – 10-40 mg/d (2X)
• Carvedilol (Coreg) – 12,5-50 mg/d (2X)
• Nebivolol (Bystolic, Nebilet) – 5 mg/d
Obs: Os vasodilatadores podem ser
promissores na hipertensão
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
AGENTES SIMPATICOPLÉGICOS
DE AÇÃO GERAL
AGENTES SIMPATICOPLÉGICOS
DE AÇÃO CENTRAL
MECANISMO DE AÇÃO
 Reduzem o tônus simpático por ação agonista nos
receptores pré-sinápticos alfa-2-adrenérgicos e
imidazólicos do SNC   a liberação de
noradrenalina.
 Reduzem o nível de renina plasmática (?)
 Representantes: Metildopa- Aldomet®, Guanabenzo-
Wytensin® e Lisapress e Clonidina -Catapress®
 Rilmenidina Hyperium e Moxonidina - Cynt (Receptor
imidazolínico I1)
AGENTES SIMPATICOPLÉGICOS
DE AÇÃO CENTRAL
• METILDOPA
- Anti-hipertensivo de ação central
- Efeito em receptores alfa2 centrais
-  da resistência vascular periférica
 Efeitos adversos: Sonolência, sedação,
xerostomia, fadiga, impotência, hipotensão
postural, galactorreia, anemia hemolítica
hepatotoxicidade
 Usos terapêuticos: Droga de escolha para
gestantes hipertensas
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
 e -BLOQUEADORES
 e  BLOQUEADORES

• REPRESENTANTES
Prazosina
-Bloqueadores Fentolamina
Fenoxibenzamina

Propranolol
-Bloqueadores Metoprolol
Atenolol

 e -Bloqueadores Labetalol
Carvedilol
-BLOQUEADORES

 BLOQUEADORES 1 SELETIVOS
 Prazosina (Minipress®), doxazosina, terazosina
- Bloqueiam os receptores  -1 no local pós-sináptico das
arteríolas pré-capilares da circulação periférica, levando a
uma potente vasodilatação arterial com queda na RVP.
- Efeitos colaterais: fenômeno da primeira dose (hipotensão
postural) e astenia ( taquicardia reflexa)
- Estudo ALLHAT (doxazonina versus clortalidona) maior
ocorrência de ICC com doxazosina
- Perfil lipidêmico favorável
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
INIBIDORES DE RENINA
INIBIDOR DE RENINA
- Alisquireno (Aliskiren) é o primeiro de uma nova classe de
fármacos
- Efetivo por via oral, não-peptídico, baixo peso molecular
- Bloqueia o SRAA sem aumentar bradicinina
- Estudos de curto-prazo em paciente HS leve ou moderada
sugerem que doses únicas diárias de baixa dose (150 mg) ou
alta dose (300 mg) é no mínimo equivalente aos BRAs
- Efeitos colaterais rash cutâneo, diarreia, aumento de CPK e
tosse
- The eventual benefits and potential dangers of a DRI remain
uncertain.
- ALTITUDE (diabetes tipo 2 e problemas renais) – Aumento da
incidência de AVC, complicações renais, hipercalemia e
hipotensão
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS

VASODILATADORES DE AÇÃO DIRETA


VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA

• REPRESENTANTES

- Arteriais Minoxidil
Hidralazina

- Arteriais e venosos  Nitroprussiato ( Nipride ® )


Nitroglicerina mais venoso
VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA
• HIDRALAZINA
- Reduz a pós-carga
- Mais efetiva que outros vasodilatadores na redução
da resistência vascular renal
- Droga de escolha para pacientes com ICC e
disfunção renal
 Toxicidade: Cefaleia, náusea e anorexia, taquicardia
- Rubor, sudores, angina, arritmias e Síndrome de
lúpus induzida
VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA

• Hidralazina

 Usos terapêuticos
- Hipertensão (monoterapia
não)
- Crises hipertensivas
- Eclâmpsia

Obs: Pela vasodilatação


arterial direta, associar com
um diurético e um
betabloqueador
VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA
• MINOXIDIL

 Pró-fármaco
 Introduzido na clínica em 1965
 Mecanismo de ação
- abertura dos canais de K+ ATP dependentes
 Efeitos adversos
- Retenção de Na+ e água
- Taquicardia reflexa
- Hipertricose
VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA
• NITROPRUSSIATO DE Na+
 Mecanismo de ação
NITROPRUSSIATO DE Na+

 AÇÕES FARMACOLÓGICAS
- Dilatação de arteríolas e vênulas (menor ação)
-  da pós-carga
- Produz pouca alteração na frequência cardíaca
 FARMACOCINÉTICA
- Molécula instável
- Fotossensível
- Administrado em infusão IV contínua
- Início de ação em 30 segundos
- Efeito desaparece 3 minutos após a suspensão
da droga
METABOLIZAÇÃO DO
NITROPRUSSIATO DE SÓDIO

Nitroprussiato de Radical Nitroprussiato


Na+ Eritrócitos Instável

Dissolução

Tiocianato Cianeto
Rodanase
NO

Vasodilatação
Eliminação Renal
VASODILATADORES DE AÇÃO
• +
Nitroprussiato de Na
DIRETA
 TOXICIDADE
- Intoxicacão por cianeto
- Acúmulo de cianeto
1. alterações iniciais: alterações
comportamentais, comprometimento da extração de
O2, taquifilaxia ao nitroprussiato de sódio
2. alterações tardias : obnubilação e coma,
convulsòes generalizadas e acidose lática,arritmias,
hipotensão excessiva e morte
- Acúmulo de tiocianato – fraqueza, desorientação,
anorexia e psicose tóxica

Obs: Cianeto + Hidroxicobalamina = Cianocobalamina


(Vit B12 - atóxica)
VASODILATADORES DE AÇÃO
DIRETA
• NITROPRUSSIATO DE Na+

 Toxicidade
- Acúmulo de tiocianato – ansiedade, fraqueza,
desorientação, constricção pupilar, tinido, anorexia,
psicose tóxica e convulsões generalizadas
. Pode induzir hipotireoidismo pelo bloqueio de captação
do iodo pela tireoide.
Obs: Hemodiálise para retirar o tiocianato em altas
concentrações.
FÁRMACOS ANTI-
HIPERTENSIVOS
INIBIDORES DE ENDOTELINA
INIBIDORES DE ENDOTELINA
• ETA : Vasoconstrição, broncoconstrição e secreção
de aldosterona

• ETB: Vasodilatação por estímulo de óxido nítrico

• Drogas:
- Omapatrilato: Antagonista do receptor ETA, ativo por
via oral
- Bosentan (ETA)
HIPERTENSÃO AGUDA GRAVE

• EMERGÊNCIAS HIPERTENSIVAS

 Elevações agudas, acompanhadas por uma disfunção


progressiva do órgão-alvo como isquemia/infarto
miocárdico ou cerebral, edema pulmonar ou
insuficiência renal .

Objetivo é obter uma redução controlada e gradual da


pressão arterial. Boa prática consiste em reduzir 10 %
na primeira hora e um adicional de 15 % ao longo das
3 a 12 horas seguintes até atingir uma pressão
arterial-alvo de 170/110 mmHg.
HIPERTENSÃO AGUDA GRAVE
• URGÊNCIAS HIPERTENSIVAS

 Elevações agudas, graves na pressão arterial sem


evidências de uma disfunção progressiva do órgão-
alvo.

 Geralmente, paciente não é aderente a seu regime


medicamentoso ou está sendo tratado com um regime
inadequado.

 Acompanhamento ambulatorial nas próximas 72


horas. Utiliza-se labetolol, clonidina ou captopril.
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS