Você está na página 1de 62

Energia e o Brasil do Século 21

Ilumina São Paulo

04 de Junho de 2008

Câmara Municipal de São Paulo


São Paulo/SP

MEIO AMBIENTE E AS PERSPECTIVAS PARA AS


FONTES RENOVÁVEIS ALTERNATIVAS DE
ENERGIA NO BRASIL

Prof. Dr. Ennio Peres da Silva


Laboratório de Hidrogênio da UNICAMP
Instituto de Física “Gleb Wataghin”
Universidade Estadual de Campinas
Fontes alternativas de energia

Definição:
As fontes alternativas são aquelas que atualmente não
são utilizadas com intensidade (quantitativamente)
quando comparadas com as demais fontes de energia.

Tipos:

Fontes alternativas renováveis

Fontes alternativas não renováveis


Fontes renováveis e não renováveis
Consumo mundial de energia por fonte

Key World Energy Statistics 2006, IEA, 2006


Consumo brasileiro de energia por fonte

Plano Nacional de Energia 2030. EPE, Brasília, DF, 2006


Fontes alternativas de energia

Fontes alternativas: uso atual muito pequeno (quantitativamente)


Principais renováveis:
Eólica (no Brasil)
Solar fotovoltaica
Geotérmica (no Brasil)
Dos oceanos (ondas; marés e térmica)
Biocombustíveis (biodiesel; gaseificação)
Principais não renováveis:
Xisto
Turfa
Fusão nuclear
Incremento das fontes renováveis
e alternativas

Justificativas:
- Redução da oferta de petróleo (futuramente)
- Segurança no suprimento
- Emissões de gases de efeito estufa
- Necessidade de aumento das eficiências de conversão
- Restrições sociais ao uso da energia nuclear
- Dificuldades técnicas da fusão nuclear
Consumo de energia e emissões de CO2

Key World Energy Statistics 2006, IEA, 2006


O consumo de energia e o meio ambiente

Evolução do teor de gás carbônico na atmosfera

C.-J. Winter. Hydrogen and Solar Energy – ULTIMA Ratio Avoiding a “Lost Moment in
the Hystory of Energy”!, Proc. VIII World Hydrogen Energy Conference, V. 1, p. 3-47,
1990.
O consumo de energia e o meio ambiente

Concentração dióxido de carbono (CO2) na atmosfera

370
Partes por milhão (em volume)

365
360

355

350
345

340

335

330

325
1980

1981

1982

1983

1984

1985

1986

1987

1988

1989

1990

1991

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998
ANO

The World Development Indicators 2001. World Bank, 2001.


O consumo de energia e o meio ambiente

Mudanças na temperatura da superfície global para o período de 1880 a 2000


O consumo de energia e o meio ambiente

Emissões mundiais de CO2 por região, 1970 - 2020

Fonte: Histórico: Energy Information Administration (EIA), Office of Energy Markets and End
Use, International Statistics Database and International Energy Annual 1999, DOE/EIA-219(99)
(Washington, DC, January 2001). Projeções: EIA, World Energy Projection System (2001).
O consumo de energia e o meio ambiente

Conseqüências do aumento da temperatura da biosfera da Terra:

- aumento do nível do mar;


- alteração no suprimento de água doce;
- maior número de ciclones;
- tempestades de chuva e neve fortes e mais
freqüentes;
- forte e rápido ressecamento do solo.

Fonte: Efeito Estufa e a Convenção sobre Mudança do Clima, MCT, 1999.


O consumo de energia e o meio ambiente

Alternativas para a redução dos impactos ambientais:


(sem reduzir o padrão de consumo de energia)

 Aumentar a participação das fontes renováveis 


e/ou
 Melhorar o uso das fontes fósseis
Fontes renováveis e não renováveis
A energia solar

Radiação no topo da atmosfera terrestre


A energia solar
Radiação solar no Brasil, média anual típica (Wh/m2.dia)
A energia solar

Aplicações da energia solar:

 Térmica: Aquecimento de água (baixa temp.)


(convencional)
Produção de energia elétrica (alta temp.)
(em desenvolvimento)

 Fotovoltaica: Produção de energia elétrica


A energia solar fotovoltaica

Sistemas
autônomos ou
isolados:

Sistemas conectados à rede:


A energia solar fotovoltaica

Sistemas fotovoltaicos híbridos:


A energia solar fotovoltaica

Sistemas fotovoltaicos para bombeamento de água:

Sistema de bombeamento da comunidade de Boa


Sorte, Município de Dianópolis, Tocantins
A energia solar fotovoltaica no mundo
A energia solar fotovoltaica no Brasil

PRODEEM 
PROINFA

?
Luz para Todos
A energia solar fotovoltaica no Brasil

Programa de Desenvolvimento Energético de Estados e Municípios – PRODEEM


Fontes renováveis e não renováveis
A energia eólica
A energia eólica
A energia eólica

Sistemas
conectados à
rede: Sistemas
autônomos ou
isolados:
A energia eólica

ROTORES EÓLICOS DE EIXO HORIZONTAL: ROTORES EÓLICOS DE EIXO VERTICAL:


A energia eólica

EIXO HORIZONTAL MULTIPÁS: bombeamento


de água

EIXO HORIZONTAL:
produção de energia
elétrica
A energia eólica no Brasil

Matriz elétrica brasileira:

Energia eólica:
247 MW
instalados.
Deste total, 218,5
MW são
decorrentes do
Proinfa (0,23% de
participação na
matriz elétrica)
A energia eólica no Brasil

Fonte: ANEEL - Acompanhamento das


Centrais Geradoras Eólicas – junho 2008
Fontes renováveis e não renováveis
Os combustíveis das biomassas

Madeira Bagaço cana Resíduo agrícola

Carvão vegetal

BIOMASSAS
Biogás

Etanol Gás combustível

Biodiesel
A energia da biomassa: biodiesel

Óleo Diesel
Biodiesel
Óleo combustível

5900 l/ha
400 l/ha 1200 l/ha 4000 l/ha
A energia da biomassa: biodiesel

Equivalência Equivalência
energética: 1,00 energética: 1,13

TOTAL: 40.965 TOTAL: 6.985


Equivalente: 7.899
Total combustíveis líquidos: 48.864 103 m3

Mercado brasileiro para o Biodiesel: 49 milhões m3/ano


A energia da biomassa: biodiesel

Total de Biodiesel para o mercado brasileiro: 49 109 litros

Área para atender o mercado brasileiro: entre 11 e 82 106 ha


A energia da biomassa: biodiesel

Área para Biodiesel: 50 106 ha


(área em 2006: 0,2 106 ha)

Atendimento ao mercado internacional: ??


A energia da biomassa: biodiesel

Programa de Biodiesel: Ampliação progressiva e “planejada”


A energia da biomassa: biodiesel

Áreas a serem
impactadas pela
produção
intensiva dos
biocombustíveis
A energia da biomassa: biogás

Matéria prima para a produção de biogás:

ORIGEM DO RESÍDUO TIPO DE BIOMASSA

Urbana Esgoto
Lixo
Celulose (papel, bagaço, etc.)
Industrial Restos animais (frigoríficos, etc.)
Materiais orgânicos (vinhoto, etc.)
Folhas e galhos (madeira, mandioca, etc)
Agrícola Cascas e palhas (milho, arroz, etc.)
Esterco (galinhas, porcos, gado, etc.)
A energia da biomassa: biogás

Modelos de biodigestores:

(a) Modelo de batelada


(b) Modelo indiano
(c) Modelo chinês
(d) Modelos atípicos
A energia da biomassa: biogás

Tipos de biodigestores:
batelada

http://www.net11.com.br/eecc/biogas/imagens/descontinuo.gif, em 17/04/06.
A energia da biomassa: biogás

Tipos de biodigestores:
batelada

Biodigestor Batelada Tubular com manta plástica (seção transversal)


SANTOS & LUCAS JR. (2003)
A energia da biomassa: biogás

Tipos de biodigestores:
indiano Caixa de
entrada Saída de gás

Gasômetro
Caixa de
saída

Características:
• carga diária: 100 kg de esterco +
125 lts de água
• produção de gás diária: 5 m3
• capacidade do gasômetro: 3,19 m3
• tempo de retenção: 32 dias
Parede divisória
(meia altura)
Manual EMATER - BA.
Biodigestor contínuo modelo Indiano
Depto. de Eng. Rural / UNESP - Jaboticabal.
A energia da biomassa: biogás

Tipos de biodigestores: indiano

http://www.ees.adelaide.edu.au/pharris/biogas/PictGal.html, em 17/04/06.
A energia da biomassa: biogás

Tipos de biodigestores:
chinês

Caixa de
entrada Caixa de
saída
Descarga
Características: de
efluentes
• carga: esterco bovino
• gás produzido: 5 m3/dia
• gasômetro necessário: 2,5 m3
• tempo de retenção: 38 dias

Descarga para limpeza

Manual EMBRATER-COPER, fevereiro/1980.


Biodigestor contínuo modelo Chinês
Depto. de Eng. Rural / UNESP - Jaboticabal.
A energia da biomassa: biogás

Aproveitamento por tipo de resíduo:

Biomassa Produtividade Produção de Rendimento


anual energia (m3 gás/ton)
Aguapé 100 ton/ha 73,5 MJ/m2.ano 270
Vinhoto 42 m3/ha 2,29 MJ/m2.ano 20 (m3/m3)

Esterco bovino 3,6 ton/boi 3.624 MJ/boi.ano 37


Esterco suíno 0,8 ton/porco 1.371 MJ/por.ano 63
Esterco galinha 0,065 110 MJ/gal.ano 62
ton/galinha

Lixo 0,180 ton/hab 538,8 MJ/hab.ano 110


Esgoto 0,150 ton/hab 285,7 MJ/hab.ano 70

Biomassa, Biocombustíveis, Bioenergia - Min. Minas e Energia, 1982.


Maior participação das fontes renováveis

Formas de energia diretamente produzidas pelas fontes:

• HIDRÁULICA:....................... energia elétrica (comercial)


• GEOTÉRMICA:...................... energia elétrica (comercial)
• EÓLICA:................................. energia elétrica (comercial)
energia mecânica (comercial)
• SOLAR FOTOVOLTAICA:... energia elétrica (comercial)
• SOLAR TÉRMICA:................ energia elétrica (em desenvolvimento)
energia térmica (comercial)
• BIOMASSA:............................ energia elétrica (comercial)
energia térmica (comercial)
combustíveis (comercial / desenvolv.)
• DOS OCEANOS:.................... energia elétrica (marés: comercial;
(marés, ondas, térmica) outras: desenvolv.)
Maior participação das fontes renováveis

Produção de combustíveis através das fontes renováveis:

 Energia elétrica: - combustíveis sintéticos (metanol)


- eletrólise da água (H2)

 Combustíveis de biomassas: - madeira (sol.)


- carvão vegetal (sol.)
- etanol (liq.)
- biodiesel (liq.)
- gás de síntese (gas.)
- biogás (gas.)
A geração do hidrogênio via FRE
Melhor uso das fontes de energia

Tecnologias de conversão:

Fonte: BAUEN, A.; HART, D. Assessment of the environmental benefits of transport and stationary fuel cells;
Journal of Power Sources, Vol. 86, pgs. 482-494, Março/2000.
Aplicações estacionárias das CaCs

Características principais:

Potência: 200 kWe

Instalação: US$ 4,750 kW-1

Ideal: US$ 1,710 kW-1

Custos: US$ 70 por MWh


(GN, manutenção)

Consumo: 247 m3 por MWh

Total: 73% (eletricidade e calor)

Fonte: CENEH baseado em


PAFC, Modelo PC25 - UTC Fuel Cells comunicação com o LACTEC
Aplicações automotivas: protótipos
Protótipos da UNICAMP: VEGA I
Protótipos da UNICAMP: VEGA II
OBRIGADO

Laboratório de Hidrogênio da UNICAMP


http://www.ifi.unicamp.br/lh2/unicamp2.swf
lh2ennio@ifi.unicamp.br