Você está na página 1de 81

Percolação de água no solo

PRINCÍPIOS

ENG. JESELAY REIS


UEM/DEC
Água no Solo
Água no Solo
ÀGUA NAS ESTRUTURAS
ÀGUA NAS ESTRUTURAS
ÀGUA NAS ESTRUTURAS
ÀGUA NAS ESTRUTURAS
ÀGUA NAS ESTRUTURAS
Lei de Darcy

Vazão

H
Q  k. .A
L

Gradiente Hidráulico

H
Q  k .i. A i
L

Coeficiente de permeabilidade

Q.L
k
H . A
Determinação do coeficiente de permeabilidade

Permeâmetro de carga constante

Q.L
k
H . A
Determinação do coeficiente de permeabilidade

Permeâmetro de carga variável

a.L H
k  2,3 log i
t. A Hf
Determinação do coeficiente de permeabilidade

Permeâmetro de carga variável

k  100.Def
2
Equação de Bernoulli

H Altimétrica  z
u
u v 2
H Piezômetrica 
H TOTAL  z  w
 w 2g
v2
H cinética 
2.g

H TOTAL  H ALTIMÉTRICA  H PIEZÔMETRICA  H CINÉTICA

H TOTAL  H ALTIMÉTRICA  H PIEZÔMETRICA


Equação de Bernoulli

H T A  H T B  H A, B

H A A  H P A  H A B  H P B  H A, B
Equação Geral de Fluxo em Meio Contínuo

2H 2H 2H 1  e S 


kx 2  k y 2  kz 2  . S  e 
x y z 1  eo  t t 
Equação Geral de Fluxo em Meio Contínuo

 H
2
 H
2
 H
2
1  e S 
kx 2  k y 2  kz 2  . S  e 
x y z 1  eo  t t 
Meio Saturado

2H 2H 2H 1  e S 


kx 2  k y 2  kz 2  . S  e 
x y z 1  eo  t t 

Meio Saturado
Equação Geral de Fluxo em Meio Contínuo

 H
2
 H
2
 H
2
1  e S 
kx 2  k y 2  kz 2  . S  e 
x y z 1  eo  t t 

2H 2H 2H 1  e S 


kx 2  k y 2  kz 2  . S  e 
x y z 1  eo  t t 

Meio
estacionário Meio Saturado
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado

2H 2H 2H


kx 2  k y 2  kz 2  0
x y z
Meio bidimensional

 H2
 H 2
kx 2  kz 2  0
x z
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional

 H
2
 H 2
kx 2  kz 2  0
x z
Homogêneo e Isotrópico

kx  k y

Laplace  H  H
2 2
 2 0
x 2
z
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional homogênio e isotrópico

Laplace  H  H
2 2
 2 0
x 2
z
Solução por
integração

Hi Fi  2H 2H 
Ho Fo  x 2  z 2 .dx.dz  0
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional homogênio e isotrópico

2H 2H Famílias de curvas


 2 0
x 2
z

Função de corrente

Função de potencial
Solução de Problemas de valor de contorno

2H 2H Famílias de curvas


 2 0
x 2
z

Função de Linhas de fluxo


corrente

Função de Linhas
potencial equipotenciais
Solução de Problemas de valor de contorno

Linhas de fluxo

Linhas que delimitam o canal de fluxo

Linhas
equipotenciais

Linhas de mesmo potencial hidráulico


Tipos de Fluxo

Confinado

Quando o fluxo possui todas as condições de contorno

Não confinado

Quando o fluxo não possui todas as condições de contorno


Confinado

Linhas equipotencial

Linhas de Fluxo
Não confinado

Linhas equipotenciais

Linhas de Fluxo
Traçado da Linha
Freática
Traçado da Linha
Freática
Traçado da Linha
Freática
Traçado da Linha
Freática
Traçado da Linha
Freática
Solução de Problemas de valor de contorno

Analítica

Numérica

Por analogia

Gráfica Redes de fluxo


Redes de fluxo
Redes de fluxo
Redes de fluxo

h1
h2

h  h1  h2 q  k .h
Redes de fluxo

h1
h2
h  h1  h2 q  k .h
Redes de fluxo

h  h1  h2 q  k .h

h1

h2
Redes de fluxo

q  k .i. A h
q  k . .b
l
l b
q  k .h q

Como
q
H H ncf
h  h1
q h2k . Q  k .H . .
nqp nqp nqp
Exemplo
Exemplo
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Exemplo
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Exemplo

ncf ncf
Q  k .H . .  fator de forma
nqp nqp
Gradiente Hidráulico
flow
Pw  W  FP  0 Pw   w .hw . A
H
hw Pw
W   sat .L. A

F p  u. A
L W

u
onde : Hp 
w
Fp
u  H p . w Fp  H P . w . A
6/28/2019
Gradiente Hidráulico
flow
Pw  W  FP  0 Pw   w .hw . A
H
hw Pw
W   sat .L. A
Fp  H P . w . A
L W

 w .hw . A   sat .L. A  H P . w . A  0


 w .hw   sat .L  H P . w  0
Fp

6/28/2019  w .hw   sat .L  ( L  hw  H ). w  0


Gradiente Hidráulico
flow  w .hw   sat .L  ( L  hw  H ). w  0
H
hw Pw
 sat .L  L. w  H . w  0

L W
L.( sat   w )  H . w  0

H . w  L.( sat   w )

Fp
H ( sat   w )

6/28/2019 L w
Gradiente Hidráulico
flow H ( sat   w )

L w
H
H
iatuante 
hw Pw L
( sat   w )
icrítico 
w
L W
 sub
icrítico 
w

Fp
iatuante  icrítico
6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Condições de entrada de fluxo

6/28/2019
Condições de saída de fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Traçado da Rede de Fluxo

6/28/2019
Fluxo em meio heterogêneo e anisotrópico

 Fluxo em meio homegêneo


 Propriedades iguais em
todos os pontos
 Fluxo em meio heterogêneo
 Propriedades diferentes
 Fluxo em meio isotrópico
 Mesma propriedades em
todas as direções
 Fluxo em meio anisotrópico
 Propriedades diferentes
em cada direção

www.usgs.gov
Fluxo em meio heterogêneo e anisotrópico
Quando os coeficientes de permeabilidade são diferentes nas duas
direções (kx ≠ kz), o traçado da rede de fluxo requer que seja desenhada
previamente uma seção transformada.

www.usgs.gov
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional

 H
2
 H 2
kx 2  kz 2  0
x z
Homogêneo e Isotrópico

kx  k y

Laplace  H  H
2 2
 2 0
x 2
z
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional

 H
2
 H 2
kx 2  kz 2  0
x z
Heterogêneo e Anisotrópico

kx  kz

 H
2
 H 2
kx 2  kz 2  0
x z
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional

 H2
 H 2
kx  kz
kx 2  kz 2  0
x z

kx  H kz  H
2 2
kx  H  H
2 2
 0  2 0
k z x 2
k z z 2
k z x 2
z
1 2H 2H
 2 0
 k z  x 2
z
 
 kx 
Equação Fluxo em Meio Contínuo estacionário e
saturado bidimensional

1  H  H
2 2  H
2
 H2

 2 0  2 0
 k z  x 2
z  k 
2
z
   x  z  
 kx    kx  
 

Laplace

 kz  2H 2H
X T  x    2 0
 X T  z
2
 kx 
Fluxo em meio ANISOTRÓPICO
Fluxo em meio ANISOTRÓPICO
Fluxo em meio ANISOTRÓPICO
Fluxo em meio ANISOTRÓPICO
Fluxo em meio ANISOTRÓPICO

ncf
Q  k EQUIVALENTE .H . .
nqp

k EQUIVALENTE  k x .k z
Fluxo em meio HETEROGÊNEO
Camadas paralelas ao fluxo  h2  h1 
Q  bK  
Q  Q1  Q2  Q3  L 
h
Q1  b1 K1 L
L
h
Q2  b2 K 2 b1 K1 Q1
L
h
Q3  b3 K 3 Q2 Q
L b b2 K2
3
h
Q   (b3 K 3 )
i 1 L b3 K3 Q3
3
h h 
  (bi K i ) 2 1 
i 1  L 

1 3
fluxo   bi K i 
3
bK   bi K i K camada paralela
i 1 b i 1
Camadas perpendiculares ao fluxo
h1 Q
Q  K1 L
b1 L h
Q  KL
b1Q b
h1   b1 K1 h1
K1 L Q b
h  
b2Q LK
h2   h2
K2L b b2 K2

h3  
b3Q
h3 b 3 bi 
K3L b3 K3   
K i1K i 
H  h1  h2  h2 Q

b
Q  bi  K camada fluxo  3
3
H      perpendicular
 bi 

L i 1  K i 
  
i 1  K i 
Camadas perpendiculares e paralelas

Kequivalente  Kcamada perpendicular .Kcamada


fluxo paralela fluxo
Fluxo em meio heterogêneo
Fluxo em meio heterogêneo
Fluxo em meio heterogêneo
Fluxo em meio heterogêneo
Fluxo em meio heterogêneo
Exercício 1.
Exercício 2.