Você está na página 1de 10

Campus: João Uchôa

Curso: Medicina
Turma: M1

DISCENTES:
 Emanuela Ceita Pereira
 Gustavo
 Thayna Queiroz
 Vinícius Klein
 CASO CLÍNICO:

Mulher 72 anos, foi internada em enfermaria ortopédica. Na inspeção, notaram-


se encurtamento e rotação externa do membro inferior direito (Figura 1). A
radiografia anexada ao prontuário evidenciou fratura transtrocariana do fêmur
à direita (Figura 2). Para diminuir o encurtamento e alinhar a fratura, enquanto
aguardava o tratamento cirúrgico definitivo, foi realizada uma tração
transesquelética. A técnica resulta da passagem de um fio de Kirschener na
região proximal da tíbia ipsolateral, sob anestesia local, com posterior montagem
do aparelho ao peso (Figura 3). A paciente se queixou de pequena intensidade de
dor ao encostar o fio na primeira cortical, e posteriormente ao ultrapassar a
segunda cortical óssea. A dor cessou após ter sido injetado mais anestésico no
local; o procedimento foi realizado com sucesso.

2
Figura 3 – Imagem após ao
término da montagem da
tração transesquelética. É
passado um fio de Kirschner
pela região proximal da tíbia,
o qual é fixado a um estribo.
Ao estribo é amarrada uma
corda que está conectada a
um peso para tracionar o
membro, alinhando e
diminuindo a dor .

3
A) Descreva o fêmur, osso fraturado no caso, e seus acidentes.

Osso do esqueleto apendicular inferior:


• Mais longo e mais pesado;
• Transmite o peso do corpo do osso do
quadril para a tíbia quando a pessoa
está de pé.
• Seu comprimento corresponde a
aproximadamente 25% da altura da
pessoa;
• Consiste em uma diáfise e duas
epífises;
• Articula-se proximalmente com o
osso do quadril e nos joelhos, a
extremidade distal de cada fêmur
articula-se com a patela e a tíbia da
perna correspondente.
• Oblíquo (em direção inferomedial).

NETTER, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. 5ª edição. Porto 4


Alegre: Artmed, 2011.
B) Qual a classificação morfológica do fêmur?

Osso longo, tubular: comprimento > largura e espessura.


• Diáfise
• Cavidade Medular
• Epífises
Linha Epifisária

Fonte: ttp://s3.amazonaws.com/magoo
Fonte: Modificada de http://felipedepaiva.com.br/wp- /ABAAAAP8cAE-1.png
content/uploads/2015/06/fotosite12.png

5
C) As fraturas intertrocanterianas estão relacionadas com osteopenia local.
Como essa região é organizada internamente para suportar a carga local
(trabéculas) e o que ocorre para o favorecimento de fraturas locais?

6
C) As fraturas intertrocanterianas estão relacionadas com osteopenia local. Como
essa região é organizada internamente para suportar a carga local (trabéculas) e o
que ocorre para o favorecimento de fraturas locais?

Fonte: MOORE, Keith L. ; DALLY,


Arthur F.; AGUR, Anne M.R.
Anatomia orientada para clínica, 7ª
edição. Rio de Janeiro: Editora
Koogan, 2014.

7
D) Pela inervação óssea, explique a dor durante a passagem da tração
transesquelética.

Durante a passagem do fio de Kirschner pela região proximal da tíbia, o qual é


fixado a um estribo, ocorre a ruptura ou tensão no periósteo, que tem rica inervação
sensitiva — nervos periosteais — que conduz fibras de dor, o que explica a dor aguda
por ocasião do procedimento.

8
E) Fraturas como a do caso podem consolidar com deformidades determinadas pelo
desvio do eixo longitudinal da cabeça e do colo do fêmur. Isto provoca alteração do
ângulo de inclinação entre corpo e colo do fêmur. Explique como se mensura este
ângulo. Define “coxa vara” e “coxa valga”.
É mensurada através do ângulo formado ela intersecção entre as linhas:
• Linha através do centro do colo femoral
• Linha através do eixo longo da diáfise femoral
Varia com a idade, o sexo e o desenvolvimento do fêmur.

Normal

Fonte: MOORE, Keith L. ; DALLY, Arthur F.; AGUR,


Anne M.R. Anatomia orientada para clínica, 7ª edição.
Rio de Janeiro: Editora Koogan, 2014.
Obrigado!
9
 BIBLIOGRAFIA

MOORE, Keith L. ; DALLY, Arthur F.; AGUR, Anne M.R. Anatomia orientada para clínica,
7ª edição. Rio de Janeiro: Editora Koogan, 2014.

NETTER, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. 5ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2011.

PEZZI, Lucia Helena Antunes; CORREIA, João Antônio Pereira; PRINTZ, Rafael Augusto
Dantas; PESSANHA NETO, Silvio. Anatomia clínica baseada em problemas. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 23º Edição. 2º Volume. Rio de Janeiro:
Editora Guanabara Koogan, 2012.

10