Você está na página 1de 16

Centro INHOTIM de Memória e Patrimônio:

•Coleção História da Região de Brumadinho

•Coleção História Ambiental

•Coleção Memória da Inserção do ICI em Brumadinho

•Coleção Tradições Musicais e Cultura Popular


- Corporações Musicais
- Artesanato
- Artes Plásticas
- Festividades Religiosas ou Profanas

→ Objetivos do INHOTIM ao idealizar a coleção: preservação e


salvaguarda destas tradições

→ As tradições culturais de Brumadinho estão sendo cultivadas desde o


século XIX.
A identidade - a memória coletiva e a noção de pertencimento
à região - da população do local vem sendo construída em
torno destas tradições.

Patrimônio cultural ↔ identidade



Dimensão coletiva de um grupo - mediação entre dois
aspectos da cultura:
1.Expressão de um grupo social, herdado de uma
determinada coletividade humana. (a cultura em si)
2.Resultado de um esforço constante (individual e coletivo)
de reconstrução em que os agentes de determinada
identidade decidem o que deve ser ou não salvaguardado (a
cultura para si)
Patrimônio imaterial:

•Manifestações transmitidas de geração em geração (poucas


fontes documentais)

•Atenção especial às fontes orais (principalmente dos mais


velhos): não podem ser esquecidas, sendo necessário o seu
registro e documentação.

•Ênfase às relações sociais e simbólicas

•Abordagem mais abrangente do que o patrimônio material,


incluindo o registro de lugares, festas, religiões, música,
dança, culinária, técnicas, etc. Se distancia assim da
convenção limitada por grandes obras arquitetônicas, prédios e
monumentos.
... mas como preservar um patrimônio imaterial?

→ é muito mais relevante para a sua preservação o


registro de suas modificações ao longo do tempo do que a
sua cristalização, tendo em vista que estamos tratando
aqui de manifestações vivas que fazem parte da dinâmica
das relações sociais e do diálogo cultural.

→ preservar um patrimônio imaterial significa


valorizar o ser humano, fornecer melhores condições
sociais, ambientais e culturais que permitam a sua
permanência e garantam sua continuidade ao longo do
tempo.
A atuação do Congado em Brumadinho

Foto: Encontro de Guardas no Córrego Ferreira / Brumadinho. 2009.


* Relação da origem do Congado com as
Irmandades Religiosas: homenagem aos Reis
do Congo e continuidade das práticas de
origem; exercício do sagrado com homenagens
aos padroeiros (Nossa Senhora do Rosário,
São Benedito e Santa Efigênia)
* Diversificação do uso de indumentárias e
atributos, forma de organização e
sequência das apresentações de acordo
com cada grupo

* Guardas tradicionais do Congado mineiro:


Congo; Moçambique; Catopés; Marujos;
Caboclinhos; Cavaleiros de São Jorge;
Vilões e Candombe
* O Congado em Brumadinho: Irmandade Nossa
Senhora do Rosário e São Benedito do Congo e
Moçambique de Sapé; Guarda de Moçambique de
Nossa Senhora do Rosário do distrito de Aranha;
Associação de Congado e Moçambique Nossa Senhora
do Rosário de Conceição do Itaguá; Irmandade Nossa
Senhora do Rosário do Córrego Ferreira; Irmandade
Nossa Senhora do Rosário de Piedade do Paraopeba;
Irmandade de Moçambique Nossa Senhora do Rosário
do Bairro Santa Efigênia
•A forma de apresentação das Guardas de
Congo e Moçambique em Brumadinho

-Guarda de Congo: Função policial, segue


à frente do Moçambique e do séquito real.
Congo
Fonte: MARTINS, Saul.
Congado: Família de sete
irmãos. Belo Horizonte,SESC,
1988.

Detalhe para o uso da espada, rosário no peito, saiote


e capacete com fitas coloridas e espelhos.
Comumente utilizam os instrumentos: pandeiros,
caixas, tambores, sanfonas e violas.
Guarda de Congo da Comunida de Sapé

Foto: Festa de São Benedito na Comunidade de Sapé. 2009.


- Guarda de Moçambique: Função de
escolta, deve puxar a Coroa e proteger o
reinado.
Moçambique
Fonte: MARTINS, Saul. Congado: Família de
sete irmãos. Belo Horizonte,SESC, 1988.

Detalhe para o uso do bastão, rosário no peito,


lenço na cabeça e gungas presas ao tornozelo
que auxiliam na realização dos sons musicais,
em conjunto com os tambores.
Guarda de Congo de Moçambique de Sapé

Foto: Ricardo Ferreira. Festa de São Benedito na Comunidade de Sapé. 2012.


O trabalho do Instituto Inhotim na identificação
do Congado brumadinhense

- 14 narrativas de participantes dos grupos de


Congado
- grande acervo iconográfico e audiovisual
- pesquisas bibliográficas
“Agora não é como era antigamente não, que
antigamente era muito importante a festa de... a festa
de congado, era muito... era muito importante, o povo
saia de longe e arrumava casa, morava... ficava aqui
pra assistir a festa e igual o jubileu, ficava aqui pra
poder assistir era muita gente, agora hoje é que o
povo perdeu muito da religião, né, afastou muito a
religião; mais não perdeu não, ainda tem muitos que
vem ainda.”

Narrativa de Eustáquio Francisco de Souza, da Guarda de Moçambique de Nossa