Instituto Superior de Saúde do Alto Ave

Docente: Prof. Almerindo Domingues Disciplina: Princípios de administração

Licenciatura em Enfermagem ² 4º ano Ano lectivo 2006/2007

Sumário
0- Introdução 1 - Teoria Clássica da Administração 1.1. Antecedentes históricos 1.2. Fundamentação da Teoria Clássica 1.3. Princípios gerais de administração de Fayol 1.4. Críticas à Teoria Clássica de Administração 1.5. Aplicação da Teoria Clássica nos cuidados de Enfermagem 2 - Reflexão crítica 3- Conclusão 4- Bibliografia

0- Introdução

0- Introdução
Este trabalho constitui uma abordagem simplificada da Teoria Clássica da Administração, segundo Fayol. Com o intuito de clarificar as funções da administração, foi essencial a elaboração de um trabalho académico sobre o tema. Este tema surgiu no âmbito da unidade curricular de Princípios de Administração do 4ºano do curso de Enfermagem do Instituto Superior de Saúde do Alto Ave.

1- Teoria clássica da administração

1.1- Antecedentes históricos 1.1Revolução industrial

Era industrial clássica

Teorias administrativas

1.1- Antecedentes históricos (cont.) 1.1Taylor, 1903
administrativa 3 eras de administração desenvolvidas no decorrer do séc. XX : Era industrial clássica Era industrial neo clássica Era da informação primeiro livro sobre teoria

1.1- Antecedentes históricos (cont.) 1.1Abordagens tradicionais da administração na era industrial clássica: Ênfase nas tarefas ² administração cientifica Ênfase na estrutura - teoria clássica - organização burocrática Ênfase nas pessoas ² teoria das relações humanas

Henry Fayol
Fayol nasceu Constantinopla. em Aos 19 anos formou-se engenheiro de minas e entrou para uma companhia metalúrgica e carbonífera. Aos 25 anos foi gerente de minas e aos 47 assumia a gerência da ´Compagnie Commantry Fourchambault et Decazevilleµ.

1.21.2- Fundamentação da Teoria Clássica
Objectivos da teoria clássica: Aumentar a eficiência da empresa. Aumentar a produtividade do trabalho.

1.21.2- Fundamentação da Teoria Clássica (cont.)
Fayol e outros autores clássicos (Gulick, Urwick e Mooney) tiveram como preocupação elementar a divisão do trabalho ao nível dos órgãos que compõem a organização. Esta divisão pode ocorrer de duas formas: divisão vertical divisão horizontal

1.21.2- Fundamentação da Teoria Clássica (cont.)
Cadeia escalar segundo Fayol

1.21.2- Fundamentação da Teoria Clássica (cont.)
Empresa

Para Fayol, em qualquer empresa coexistem seis funções:

Função técnica Função comercial Função financeira Função de segurança Função contabilística
Função administrativa

1.21.2- Fundamentação da Teoria Clássica (cont.)
Fayol afirma que administrar é:
Prever

Controlar Administrar

Organizar

Coordenar

Comandar

1.31.3- Princípios gerais de administração de Fayol
Definiu 14 princípios pelos quais a empresa se deve reger:
1.Divisão do trabalho. 2.Autoridade e Responsabilidade. 3.Disciplina. 4.Unidade de Comando. 5.Unidade de direcção. 6.Subordinação do interesse individual ao interesse geral da organização. 7.Remuneração dos funcionários.
11. 10. 9. 8. 7. 6. 5. 12. 13. 14. 1. 2. 3. 4.

1.31.3- Princípios gerais de administração de Fayol (cont.)
8. Centralização. 9. Hierarquia. 10.Ordem. 11.Equidade. 12.Estabilidade dos funcionários. 13.Iniciativa. 14.União dos funcionários.
11. 10. 9. 8. 7. 6. 5. 12. 13. 14. 1. 2. 3. 4.

1.41.4- Críticas à Teoria Clássica de Administração
Aspectos negativos:

Modelo mecanicista da organização; Incapacidade da organização em se adaptar a mudanças no seu meio; Manipulação dos trabalhadores;

1.41.4- Críticas à Teoria Clássica de Administração (cont.)
Aspectos negativos:

Falta de comprovação científica; Abordagem incompleta da organização; Abordagem simplificada da organização formal; Abordagem de sistema fechado.

1.41.4- Críticas à Teoria Clássica de Administração (cont.)
Aspectos positivos:

Os trabalhadores da organização recebem apenas ordens de um único superior, evitando-se deste modo dualidades de comando e contribuindo desta forma para o aumento da produtividade.

1.41.4- Críticas à Teoria Clássica de Administração (cont.)
Aspectos positivos:

A equidade presente na teoria de Fayol revela-se fundamental para a motivação dos trabalhadores da organização. Os princípios da teoria de Fayol revelaram-se úteis para os iniciantes no campo da administração, permitindo uma abordagem sistemática do campo.

1.51.5- Aplicação da Teoria Clássica nos cuidados de Enfermagem

1.51.5- Aplicação da Teoria Clássica nos cuidados de Enfermagem
Foi criada uma hierarquia com duas divisões do trabalho, a vertical e horizontal. Na divisão vertical do trabalho - os agentes que se encontram no topo da cadeia apresentam capacidades mais administrativas, e na parte inferior desta os indivíduos apresentam capacidades mais técnicas, neste caso aplicadas à técnica de enfermagem. Na divisão horizontal do trabalho ² agrupam-se actividades afins, aquelas com características comuns.

1.5- Aplicação da Teoria Clássica nos cuidados de Enfermagem (cont.)
S.N.S.
Sub-região de saúde Conselho de administração

Chefe de enfermagem Enfermeiro director Enf. Chefe ortopedia enfermeir o enfermeir o enfermeir o Enf. Chefe cirurgia enfermeir o enfermeir o enfermeir o Enf. Chefe urgência enfermeir o enfermeir o enfermeir o

1.51.5- Aplicação da Teoria Clássica nos cuidados de Enfermagem (cont.)
A aplicação desta teoria nos cuidados de enfermagem teve algumas falhas, sendo elas: hierarquia rígida; não contemplação das relações empáticas dos trabalhadores; Rotina nas actividades; Avaliação das actividades sob a forma quantitativa e não qualitativa;

2- Reflexão crítica

Sob o ponto de vista do grupo esta teoria afasta-se da própria essência de enfermagem. Concordamos com a existência de uma hierarquia para o correcto funcionamento do serviço de saúde, no entanto, esta não deve ser tão rígida e inflexível. Outro dos aspectos que não concordamos foi o facto desta teoria não abranger as relações interpessoais (sendo esta uma das críticas à teoria), aspecto este, que é fundamental para a implementação de cuidados com qualidade.

3- Conclusão

3- Conclusão
‡ A revolução industrial conduziu a grandes transformações a vários níveis. A transformação mais visível foi a substituição das oficinas artesanais pelas fábricas, ou seja, a agricultura que antes era o centro dos negócios passa a ser substituída pela indústria. ‡ A Teoria Clássica (1911), foi fundada por Henry Fayol e tinha como ênfase a estrutura das organizações.

3- Conclusão (cont.)
‡ Henry Fayol defendia que o importante era intervir na organização e não nos trabalhadores, ou seja, deveria haver uma singularidade na organização, estando esta sempre ligada a uma forte cadeia hierárquica que se governava por cinco passos, sendo eles: prever, organizar, comandar, coordenar e controlar.

3- Conclusão (cont.)
‡ Segundo Fayol, a administração devia reger-se por 14 princípios. ‡ A Teoria Clássica começou a ser criticada com o surgir de outras teorias. A Teoria Clássica começou a ser considerada demasiado mecanicista, rígida (obsessão pelo comando) e não incluía trabalhos experimentais. ‡ Com os avanços da ciência e os progressivos câmbios na orientação das instituições sanitárias a quantidade de trabalho deixou de ser prioridade, sendo cada vez mais valorizado a qualidade dos cuidados, com vista a uma maior satisfação do cliente.

4- Bibliografia

4- Bibliografia
‡ Câmara, Pedro B., Guerra, Paulo Belreira, Rodrigues, Joaquim Vicente ² Humanator: Recursos humanos & sucesso empresarial. 4ª edição. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997. ISBN: 972-20-2023-4. Chambel, Mª José, Curral, Luís ² Psicossociologia da organização. 1ª edição. Lisboa: Texto editora, 1995. ISBN: 972-47-0656-7. Chiavenato, Idalberto ² Administração nos novos tempos. 2ª edição. Rio de Janeiro: Campus, 1999. ISBN: 85-352-0428-8. Hampton, David R. ² Adminstração contemporânea. 2ª edição. São Paulo: McGraw-Hill, 1983. Silva, Claúdio ² Apontamentos das aulas teóricas da unidade curricular Introdução à gestão. Braga: Universidade Católica Portuguesa Faculdade de filosofia, 2003. Kurcgant, Paulina ² Administração em enfermagem. São Paulo: Editora pedagógica e universitária, 1991. ISBN: 85-12-12470-9.

‡

‡

‡

‡

‡

4- Bibliografia
‡ http://paginas.ulusofona.pt/p138/ArtigoCaleidoscopio2.pdf
Consultado no dia 05/11/06 às 23h19

‡ http://paginas.ispgaya.pt/~vmca/Documentos_links/cienciaadm2.PDF
Consultado no dia 05/11/06 às 21h03

‡ http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_clássica_da_administração
Consultado no dia 07/11/06 às 21h47

‡ http://pucrs.campus2.br/~annes/TeoriaClassica.doc
Consultado no dia 07/11/06 às 22h26

‡ www.csonlineunitau.com.br/rp/apostilas/alinelima/teoria_classica_% 20texto%207.doc
Consultado no dia 08/11/06 às 21h26

Trabalho realizado por:
Aline Santos Ana Margarida Lima Iván Durán Joana Oliveira Maria Margarida Caneiro Marisa Araújo Pedro Fernandes Sónia Ferreira

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful