Você está na página 1de 5

Eugénio de Andrade

Poema
«Que fizeste das palavras?»
2

Wassily Kandinsky, Composição VIII (1923).


3

Que fizeste das palavras?


Que contas darás tu dessas vogais
de um azul tão apaziguado?

E das consoantes, que lhes dirás,


ardendo entre o fulgor
das laranjas e o sol dos cavalos?

Que lhes dirás, quando


te perguntarem pelas minúsculas
sementes que te confiaram?

Kuzma Petrov-Vodkin, O banho do cavalo vermelho (1912).


4

«Que fizeste das palavras?»


(v. 1)
Palavras
Pergunta retórica
=
vogais
e consoantes
São «azul»
O sujeito poético Ardem entre
reflete sobre o seu o «fulgor / das laranjas
ofício de poeta e o sol dos cavalos»
 Tranquilidade
alguém que trabalha e paz
com as palavras
Força
e vitalidade
5

«minúsculas sementes»
Metáfora
(vv. 8-9)

PALAVRAS = SEMENTES

O poeta fá-las germinar

Constrói o poema como
se cuidasse de um ser vivo

POESIA

Tarefa de grande responsabilidade

As palavras têm
grande potencial — são «sementes» Claude Monet, pormenor
de O jardim em Giverny
(c. 1920).

Você também pode gostar