Você está na página 1de 54

AGITAÇÃO

E MISTURA
AGITAÇÃO
Movimentação de líquidos
em tanques por meio de
impulsores giratórios.
A agitação pode incluir
gases e sólidos (em forma
de partículas).

É uma operação unitária muito usada em


pequenas, médias e grandes industrias.
Precisamos de agitação para:
 Dissolver líquidos miscíveis
 Dissolver sólidos
 Misturar líquidos imiscíveis
 Dispersar gases em líquidos
 Misturar líquidos e sólidos

Vários tipos de rotores


DESCRIÇÃO DE UM TANQUE AGITADO
Na agitação de líquidos
e pastas semi-líquidas
é necessário:
1. um tanque ou
reservatório
2. um rotor (impulsor)
num eixo acionado
por um moto-redutor
de velocidade.
SISTEMA Motor
DE Redutor de velocidade (opção)
AGITAÇÃO Um eixo
Um impulsor na ponta do eixo

Tanque

Chicanas ou
defletores
O problema de formação de vórtice

Se resolve colocando chicanas (defletores)


Figura 1: Nomenclatura usual
H = altura de líquido no tanque,
T = diâmetro do tanque,
D = diâmetro do impulsor,
Hi = distância do fundo ao impulsor,
Wb = largura dos defletores
N = número de revoluções,
Tipos de impulsores:
1. para líquidos pouco viscosos
2. Para líquidos muito viscosos
Impulsores para fluidos pouco viscosos

Hélice Turbina de disco de Rushton


Pás inclinadas
Pitch = 1,5 L= D/4; W=D/5 e D do disco= 3/4
W=D/5; ângulo=45º

Impulsor de três pás inclinadas (“hydrofoil”)


Vários ângulos e inclinações de pás
Impulsores para fluidos muito viscosos

Âncora Espiral dupla


W= D/10 Di= D/3
h= H=D W= D/6
PADRÕES DE ESCOAMENTO

Turbina de pás
retas inclinadas

Hélice

Turbina
de pás
retas
verticais Axial
IMPULSOR DE HÉLICE:
Para fluidos de baixa viscosidade (  2 Pa.s).
O padrão de circulação axial.
Suspensão de sólidos, mistura de fluidos miscíveis e
transferência de calor.
Possui uma ampla faixa de rotações
D = 1/10 T
D = diâmetro da hélice
T = Diâmetro do tanque
TURBINA DE PÁS RETAS:
Grande intervalo de viscosidade: 10-3 << 50 Pa.s.
(1 cP <  < 50 000 centipoises)
Os impulsores de pás verticais fornecem um fluxo
radial adequado para agitação de fluidos viscosos.
Os de pás inclinadas apresentam escoamento axial
que é útil para suspensão de sólidos
TURBINA RUSHTON:
Estas turbinas de disco e pás são adequadas para
agitação de fluidos poucos viscosos e alta velocidade.
Se usam na dispersão de gases em líquidos,
na dispersão de sólidos, na mistura de fluidos imiscíveis,
e na transferência de calor.
Distribuem a energia de maneira uniforme.
O padrão de escoamento é misto.
D = 1/3 T
IMPULSORES DE ANCORA E HÉLICE:
Utilizados para mistura de fluidos muito consistentes.
Viscosidades entre 5 e 50 Pa.s.
Os mais comuns os são o tipo âncora e o helicoidal.
O modelo de âncora fornece um escoamento misto e
o modelo helicoidal um fluxo axial
D≈T
Escolha do tipo de agitador
Ainda hoje o processo de escolha do agitador apropriado,
é considerado uma “arte”.

Amassadeira

Pá em Z
Tipo de agitador

Helicoidal

Âncora

Turbina

Hélice

10-3 10-2 10-1 100 101 102 103 104

Viscosidade (Pa.s)
Cálculo da potência de agitação

Podemos imaginar um agitador


de líquido como um sistema de
escoamento horizontal e circular
em que após um certo tempo o
fluido retorna ao mesmo lugar de
partida (1,2). Aplicando a
equação do balanço de energia
mecânica (Bernoulli):
1 2
P1 v12 ˆ P2 v22 ˆ
 gz1   Wu   gz 2   E f
P1= P2  2  2
z1 = z2
Ŵu  Ê f
v1 = v2
Cálculo da potência de agitação

Após cancelar termos da equação P1 = P 2


de Bernoulli de Engenharia temos: z1 = z2
W W v1 = v2
ˆ  u u
1 2

Ŵu  Ê f Wu
m m
 L  Leq  v 2 f = fator de atrito de Darcy
Eˆ f  f   
 2
 D D 
W u  L  Leq  v 2
 f   
 2
m  D D 
Assumindo temporariamente que:  ( Leq / D)  0
E considerando que LD  f 2
Wu   v  (   v  A)
   v  A
m 2
Se:
 f 2
D = diâmetro do impulsor Wu   v  (   v  A)
N = revoluções por segundo. 2
v=wr  f 3
Podemos assumir que:
Wu   v  (   A)
2
v  ND f

Wu  ( ND )    D
3 2
A  D2
2
Podemos definir:
NPo = Número de potência 
Wu  N Po  N  D  
3 5

NPo = f (Re, impulsor, defletores, adimensionais geométricos)


Impulsores padrão
W D  ( ND)   + semelhança
N Po  3 5 u
Re  
N D   geométrica

Wu   N  D 2
N Po  3 5 Re  
N D  

Número de potência
Figura 5. Número de potência versus
Número de potência

Reynolds para diversos impulsores

Número de Reynolds

Número
Número de Reynolds de Reynolds
Na região laminar (Re  10): Npo = KL / Re
Na região de turbulência: Npo = K T.

Declividade=70

5
4
Declividade=50
1,2
No caso de agitadores para fluidos de alta
viscosidade deve-se usar relações empíricas:

Helicoidal:
0 , 28 0 , 53 0 , 33
150  H i   p  h  W 
N Po        
0 , 54
n
b
Re  D   D  D  D 

Âncora:
0 , 31 0 , 48
85  H i  h
N Po     
Re  T   D
0 , 28 0 , 53 0 , 33
150  H i   p  h  W 
Helicoidal N Po        
0 , 54
n
b
Re  D   D  D  D 
0 , 31 0 , 48
85  H i  h
Âncora: N Po     
Re  T   D
Hi = distância entre agitador e fundo do tanque
D = diâmetro externo do impulsor
p = “pitch” (distância entre linhas de fluxo)
h = altura do agitador
W = largura das pás
nb = número de pás
Equações válidas para regime laminar,
que geralmente é o caso existente nas aplicações.
Dimensões padrão:
• Número de defletores = 4
• D = 1 , Hi = 1, H = 1, wb = 1
T 3 D T T 10

Dimensões padrão:
w = altura das pás do impulsor
L = largura das pás do impulsor
w = 0,2 para turbinas
L
w = 0,25 para pás L
L
w = 0,2 - 0,25 para hélices W
L
Quando os tanques de agitação não possuem
defletores existe o efeito do vórtice (cone).

O gráfico de Npo versus Re


que se emprega nesse caso Fluxo
é um gráfico mais geral que
plota  versus Re.

N po
 1
( a  log10 Re)
Fr b
Quando os tanques
tem defletores:
Fr = número de Froude
  NPo
N po
 1
( a  log10 Re)
Fr b

O número de Froude (Fr) quantifica a relação entre a


energia cinética e a energia potencial.
A correção precisa ser feita quando Re  300
e é importante quando Fr  5.
v2 ( ND ) 2 N 2 D
Fr  Fr agitação  
hg Dg g

Variação dos parâmetros a e b:


1 a  2 valor médio a = 1.5
18  b  40 valor médio b = 29
FLUIDOS NÃO NEWTONIANOS
O padrão de escoamento dos fluidos não newtonianos é
complexo, perto das pás, o gradiente de velocidade é
grande e a viscosidade aparente é baixa. A medida que o
líquido se afasta das pás, a velocidade decresce e a
viscosidade aparente aumenta.
Na prática se assume que a agitação é homogênea
e que há uma taxa de deformação média para o
sistema e que ela é função de:
  f (N, tipo de impulsor e geometria do tanque)
A taxa de deformação será calculada como:   N
β depende do tipo de impulsor
Tabela de valores de :

Impulsor Valor de 
Turbina de disco de 6 pás 11,5

Turbina de 6 pás 13
– inclinação 45º
Hélice 10
Helicoidal 33
Âncora 33
Muitos alimentos mostram um comportamento
de lei da potência:   k
n

ou ainda  ap  k n 1

Número de Reynolds da lei de potencia:


ND 2 ND 2 D 2
Relp    n 1 n  2
 ap k ( N ) n 1
k N

Usamos o gráfico de Rushton


e Relp substitui o número de
Reynolds de agitação de fluidos
newtonianos.
Intensidade de
agitação de um fluido

Potencia
Volume

Para obter a relação (potência/volume)


pode ser usada a tabela seguinte:
Nível ou grau
W u de agitação
V
Watts HP
m3 m3
Até 80 até 0.1 Débil
80 - 230 0.1 - 0.3 Suave
230 - 460 0.3 - 0.6 Média
460 - 750 0.6 - 1.0 Forte valor mais usual
750 - 1500 1–2 Intensa
1500 - 2250 2–3 Muito forte
2250 - 3000 3-4 Muito intensa
Fatores de correção dos cálculos de agitadores:
1. Quando existe mais de um impulsor no eixo:

Neste caso:
Hl  T, onde Hl é a distância entre os agitadores

Procedimento:
Hl A potência útil por impulsor
unitário se calcula da maneira
Hl usual para agitador de
medidas padrão.
 
Wu TOTAL  n de impulsores  W
o
u AGITADOR
2. Quando o tanque e o impulsor tem medidas
diferentes das medidas padrão.
Quando as relações geométricas diferem um pouco das
medidas padrão aplica-se um fator de correção (fc)
desenvolvido pelos pesquisadores dessa operação unitária.

W u corrigida  fc W u  T   Hi 
   
fc    Real   Real
D D
 T   Hi 
   
 D  Padrão  D  Padrão

 Hi  T
Geralmente:   3  
 D  Padrão
3
 D  Padrão
(3) Quando o sistema é gaseificado.
Quando o sistema é gaseificado, usa-se o gráfico de Ohyama
e Endoh (Aiba) ou o gráfico de Calderbank (Mc Cabe):
  u, g 
W
W u, g    (W u calculada para líquido sem gás)
 Wu 
 
Número de agitação:
NQ = Q/ND3
 u, g   P  (Po)
W
 Po 
Q = Vazão (ft3/s)

N = velocidade
rotacional (rps)

D = Diâmetro do
impulsor (ft)
P =Potencia com gás
Po= Potencia sem gás
Velocidades Motores Padrão
Padrão (RPM) Disponíveis
30 HP kW HP kW
37 1½ 1.12 75 56
45 2 1.49 100 74.6
56 3 2.24 125 93.3
68 5 3.73 150 112
84 7½ 5.6 200 149
100 10 7.46 250 187
125 15 11.2 300 224
155 20 14.9 350 261
190 25 18.7 400 298
230 30 22.4 450 336
420 40 29.8 500 373
... 50 37.3 600 448
1150 60 64.8
1750
3400
Sites de industrias que vendem agitadores
Bombas dosadoras e equipamentos para a indústria:
http://www.grabe.com.br/
Bomax do Brasil:
http://www.bomax.com.br/
Megaflux - Agitadores Elétricos e Pneumáticos:
http://megaflux.net/site/
DOSAQ - Indústria e Comércio de Bombas:
http://www.dosaq.com.br/
Moinho Pirâmide - Produtos e Equipamentos Industriais:
http://www.moinhopiramide.com.br/
Demonstração do cálculo de um agitador

Deseja-se agitar um líquido newtoniano de


propriedades físicas conhecidas
( = 200 cP,  = 946 Kg/m3),
por meio de:
um impulsor de turbina de 6 palhetas standard, em
um tanque com medidas padrão e 4 defletores.
O diâmetro de impulsor (D) é 0.508 m
A taxa de rotação (N) é 100 RPM.
Qual será a potência do motor adequado?
N, D, μ, ρ são conhecidos.
Neste caso: Impulsor conhecido.
D2 N  Fluido newtoniano
Re 

Re modificado
Gráfico N Po  W útil  N Po  N 3 D 5
Tipo de impulsor
Turbina 6 pás
W útil
 W eixo  Tabelas de motores Motor

Resolução
 rev 1 min  kg
( 0.508m ) 2
  100    946
D2 N   min 60 s  m3
Re    2039
 200  103
kg
m.s
Gráfico de Número de Potencia
NPo = Número de potência Turbina 6 pás

4,7
Curva 2 Npo = 4.7 NPo  W   NPo  N 3 D 5

3
kg  100  kg.m 2
W útil    0.508  696 3
5
 4.7  946 3  
m  60s  s

W útil 696 W 1 HP
W eixo     1.33 HP
n 0.7 746 W
HP kW
Escolhemos o imediato superior ao 1½ 1.12
2 1.49
valor calculado = 1 ½ HP
3 2.24
Velocidades
Padrão (RPM) 5 3.73
100 7½ 5.6
... 10 7.46
1150
15 11.2
1750
20 14.9
3400
O agitador calculado vai atuar em cima de que volume?
Di  0.508 Dt  3 Di  3  0.508  1.524 m

  
Volume   Dt  H L 
2
 Dt 
3
 (1.524) 3  2.78 m 3
4 4 4
Qual será a potencia útil por unidade de volume?
W útil 696W W 1 HP HP
 3
 250 3   0.34 3
V 2.78 m m 756 W m

Quando se procura os índices de Watts HP

intensidade de agitação em HP/m3 se m3 m3

vê que tipo de agitação ocorrerá 80 - 230 0.1 - 0.3 Suave


nesse tanque: 230 - 460 0.3 - 0.6 Média
0.3  0.6 HP/m3 460 - 750 0.6 - 1.0 Forte
Agitação média 750 - 1500 1–2 Intensa
1500 - 2250 2–3 Muito forte
Geralmente se procede da forma inversa:

Nível de Tabela de 
W 
agitação índices u
 Volume Líquido  W u
desejado Wútil /V m3

Suposição do tipo de regime : N Po do gráfico

Volume Dt Di
Líquido Verificação de
regime e NPo
W útil
N 3
N W útil
N Po  D 5
N Po 
 N 3D5
W útil
W motor  Tabelas de
 mecânica (tabelas ) motores
AMPLIAÇÃO DE
ESCALA
AMPLIAÇÃO DE ESCALA (1)
No desenvolvimento de processos, precisa-
se passar da escala de laboratório para a
escala de planta piloto e desta para o
tamanho industrial.

As condições que tiveram


sucesso na escala menor
devem ser mantidas no
tamanho maior, mantendo
também a semelhança
geométrica.
AMPLIAÇÃO DE ESCALA (2)
O cálculo da potência consumida é uma
parte do problema. Existe sempre um
resultado esperado da agitação. O fator de
ampliação de escala precisa ser
determinado experimentalmente. Pode ser:
1. Semelhança geométrica (dos casos:
regime laminar e turbulento);
2. Igual potencia por unidade de volume;
3. Igualdade na velocidade periférica;
4. Outros
Variáveis de Mistura Tanque Tanque Tanque
1 2 3
NRe 172 345 688
NFr 3.5 1.75 0.87
NWe 3700 7500 1500
Velocidade do Eixo (m/min) 305 305 305

W/V (kW/m3) 13.65 6.86 3.675


W (Watts) 127 516 2200
ND3 (m3/min) 0.56 2.23 9.0

Indicador da qualidade 0.3 0.23 0.11


do processamento
Ampliação de escala
Critérios: dependerão do objetivo do processo

Semelhança geométrica entre o modelo (1) e o protótipo


(2). Esta condição deve cumprir-se em todos os casos.

T T H H


    ;     ;
 D 1  D  2  D 1  D  2
 Hi   Hi  W W
    ;     ;
 D 1  D  2  L 1  L  2
 wb   wb 
   
 T 1  T  2
Semelhança geométrica e dinâmica
1.1 Regime laminar
NPo= f(Re); Re < 300
Neste caso: Re1= Re2 e NPo1= NPo2

  N1D   N 2 D
2 2
1 2
 N1 D  N 2 D
2
1
2
2
 
W u1 W u 2 Wu Wu
  1
N 12 D13
 2
N 22 D 32
 N 1 D1  N 2 D2
3 5 3 5

 2
Wu 2 N 1 D13 u N D
W

Wu1  u 
W 2 1 1
2 3 1
N 2 D2 N 2 D2
Semelhança geométrica e dinâmica
1.2 Regime turbulento
NPo  cte, independe de Re

Como NPo1 = NPo2:


Wu Wu
1
 2
 N 13 D15  N 32 D 52

 3
Wu 2 N 1 D15

Wu1  3 5
N 2 D2
2. (Potencia / volume) = constante
Usos: Extração líquido-líquido; transferência de massa ;
dispersões gás-líquido; dissolução de sólido em líquidos;
transferência de calor; mistura de líquidos, etc

. .
W u1 W u 2
 VT  volume do líquido no tanque
VT1 VT2
Wu 1 Wu 2
 dividindo por Di1 e Di 2
 2  2
T1 H L1 T2 H L2
4 4
u
W u
W
2
1
 2
2

 T1   H L1  3  T2   H L2  3
    Di1     Di 2
 Di1   Di1   Di 2   Di 2 
u
W u
W
2
1
 2
2
Utilizando as relações de
 T1   H L1  3  T2   H L2  3 semelhança geométrica padrão:
    Di1     Di 2
 Di1   Di1   Di 2   Di 2 
Di13
Wu 1  Wu 2
Wu 1 Wu 2 3
Di 2
3

Di1 Di 32
Di12 Di1
Wu 1  Wu 2 2

Di 2 Di 2
Considerando: NPo1  NPo 2 e agrupando os termos:
1 1 W u 1 1 Wu
1
 2
N Di  N Di
3
1
2
1
3
2
2
2
 N13 D12 D13  N 32 D 22 D 32
Finalmente combinando as equações
2 3
Di N N 32 Di1
 1
2
2
3 Wu 1  Wu 2  3 
Di N 2 1 N1 Di 2
3. Igualdade na velocidade periférica do agitador
Quando interessa manter a tensão de cisalhamento: no
protótipo e no modelo de escala maior.
vp = D1 N1 =  D2 N2  D1 N1= D2 N2
Como NPo1 = NPo2: Este é um critério que
 u1  u2 assegura uma dispersão
W W
 equivalente em ambos
 N 1 D1
3 3 2
 N 2 D2
3 3 2 sistemas


Wu2 D12

Wu1  2
D2