Você está na página 1de 18

HIDROVIAS BRASILEIRAS

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL


O PORTO DE SÃO
FRANCISCO DO SUL NA
DINÂMICA REGIONAL
CATARINENSE
INTRODUÇÃO
O surgimento dos portos em Santa
Catarina tem a ver com a
demarcação, a ocupação e o
povoamento do território
catarinense. Durante a Primeira
República, São Francisco do Sul
exportava erva-mate, madeira e sua
importância era apenas local, mas
no final do século XIX é que os
portos catarinenses passaram a ter
mais destaque na economia
brasileira.
A cidade de São Francisco do Sul,
fundada em 1658, está situada no
litoral norte de Santa Catarina, nas
margens da Baía da Babitonga,
próximo à cidade de Joinville. São
Francisco do Sul era uma vila
fundada no litoral meridional da
colônia. Inicialmente, o porto era um
ancoradouro natural, depois se
transformou em trapiches, e
atualmente é um porto organizado
administrado pelo governo estadual
de Santa Catarina.
A história do Porto começa a partir da
assinatura do Decreto nº 9.967, de 26
de dezembro de 1912, que outorgou
permissão a Companhia da Estrada de
Ferro de São Paulo – Rio Grande para
inserir uma estação marítima na baia
de Babitonga. Com isso, em outubro
de 1922, a União contratou o Governo
de Santa Catarina para realização das
obras portuárias. Somente em 1945 as
obras de construção foram iniciadas.
A inauguração do Porto de São
Francisco do Sul aconteceu em 1º de
julho de 1955, com a construção de 2
armazéns de 4 mil m² cada e de 2
cais, com 550 metros de extensão.
Neste mesmo ano foi criado pelo
Estado a Autarquia “Administração do
Porto de São Francisco do Sul –
APSFS”.
LOCALIZAÇÃO
 O Porto está localizado na ilha de São Francisco do Sul, litoral norte de Santa
Catarina. Sendo as seguintes coordenadas geográficas principais:
26º14'17,84''S e 48º38'05,22’'W. O município de São Francisco do Sul tem
541,8 km² de extensão, seu limite geográfico compreende os municípios de
Garuva e Itapoá, Balneário Barra do Sul, oceano Atlântico, Joinville e Araquari,
entre os quais se forma a Baía de Babitonga, onde o PSFS é abrigado. A
economia municipal está baseada nas atividades portuárias.
 Acesso Marítimo: O acesso aquaviário ao Porto de São Francisco do Sul se dá
pela Baía da Babitonga, por meio de um canal com 11,5 km (ou 6,20 milhas
náuticas) de extensão, a partir da barra. Esse canal possui largura de 150
metros.
 Acessos Terrestres: O principal acesso rodoviário à cidade é pela BR-101, que
liga o município a importantes cidades como Joinville, Curitiba, Itajaí e
Florianópolis, na BR-280 cidades como Santa Catarina. O acesso até as
proximidades do Porto é feito pelo anel-viário evitando assim a degradação do
centro histórico da cidade.
CIDADE DISTÂNCIA CIDADE DISTÂNCIA
CURITIBA 180 KM CHAPECÓ 655 KM
SÃO PAULO 580 KM MONTEVIDÉU 1575 KM
ITAJAÍ 116 KM BUENOS AIRES 1755 KM
FLORIANÓPOLIS 215 KM CAXIAS DO SUL 680 KM
PORTO ALEGRE 680 KM FOZ DO IGUAÇU 855 KM
Nome: Administração do Porto de São Francisco do Sul - APSFS
CNPJ: 83.131.268/0001-90
I.E.: 254.168.493
Endereço: Avenida Engenheiro Leite Ribeiro, 782, CEP: 89240-000
Município: São Francisco do Sul – SC
Telefone: (47) 34711200 E-mail: porto@apsfs.sc.gov.br Home page: www.apsfs.sc.gov.br
INTERMODALIDADE
 A proximidade com o mais importante centro industrial de Santa Catarina, Joinville, Blumenau,
Pomerode, Jaraguá do Sul e Brusque, além da divisa com o estado do Paraná, tornam o PSFS
é um importante aliado na importação/exportação de mercadorias produzidas em Santa
Catarina. A BR-101 e a BR-280 constituem os eixos básicos de ligação da região com o
restante do país.
 TRANSPORTE MARÍTIMO: O acesso aquaviário ao porto é feito pela Baía de Babitonga, por
meio de um canal de 11,5 km de extensão e largura de 150 m.
 TRANSPORTE TERRESTRE: O principal acesso viário à cidade é pela BR-101, que liga o
município a importantes cidades como Joinville, Curitiba, Itajaí e Florianópolis. A partir do
entroncamento dessa rodovia com a BR-280, em direção ao oeste, ocorre a importante ligação
da área de estudo com os pólos industriais de Santa Catarina, formados pelos vales dos rios
Itajaí e Itapocú, servindo como corredor para o transporte de bens e materiais do Porto de São
Francisco do Sul.
 TRANSPORTE FERROVIÁRIO: Composições ferroviárias entram e saem do Porto por meio da
estrada de ferro 485, que liga São Francisco do Sul à cidade de Mafra, distante 167 km. Em
Mafra se acessa a malha ferroviária, que se conecta com São Paulo, a maior cidade do país, e
com Porto Alegre, a maior cidade da região Sul. Também se pode acessar a rede ferroviária
que corta o Paraná no sentido oeste, um dos mais importantes corredores de grãos do país.
INTERMODALIDADE
 TRANSPORTE AÉREO: O Porto tem nas suas proximidades ainda três aeroportos: o de
Joinville, distante 60 km, e o de Navegantes, que fica a 100 km. Esses são servidos por linhas
aéreas domésticas que os interligam com os principais centros nacionais e internacionais. A
terceira opção é o Aeródromo de São Francisco do Sul, a apenas oito km do Porto, que
possibilita o uso de pequenas aeronaves particulares em sua pista de mil metros.
IMPACTOS AMBIENTAIS
 A definição legal de impacto ambiental no Brasil encontra-se na Resolução CONAMA nº
1, de 1986, no art. 1º. Segundo Sánchez (2008), tal definição é na realidade mais
aplicável à poluição, já a definição de poluição dada pela Lei da Política Nacional do
Meio Ambiente é mais adequada ao conceito de impacto ambiental, apesar de se referir
aos impactos negativos. Porém, impacto ambiental pode ser tanto positivo quanto
negativo.
IMPACTOS AMBIENTAIS NEGATIVOS:
Os principais impactos adversos causados pela implantação dos portos são:
 A alteração da linha de costa, alteração do padrão hidrológico e da dinâmica
sedimentar;
 Destruição ou alteração de áreas naturais costeiras (habitats, ecossistemas);
 Supressão de vegetação, modificação no regime e alteração no fundo dos corpos
d’água;
 Poluição da água, do solo, do subsolo e do ar.
Os principais impactos causados devido a operação portuária, por sua vez, provoca:
 Alteração da qualidade da água;
 Poluição do ar por emissão de gases e partículas sólidas;
IMPACTOS AMBIENTAIS NEGATIVOS:

 Perturbações diversas devido ao trânsito de veículos pesados em


ambientes urbanos;
 Geração de odores, alteração da paisagem;
 Geração de ruídos em ambientes urbanos;
 Distúrbios na fauna e flora;
 Interação com outras atividades (pesca, turismo, aqüicultura, recreação
etc.);
 Atração de vetores de doenças (ratos,pombos etc.);
 Introdução de espécies exóticas, entre outros.
IMPACTOS AMBIENTAIS POSITIVOS:

 Constituem uma das principais infraestruturas de apoio ao comércio


exterior e são fundamentais para o desenvolvimento econômico e
social de um país;
 São grandes fomentadores do desenvolvimento econômico e social das
regiões onde estão inseridos, gerando empregos e movimentando a
economia local;
 Estimula o intercâmbio entre os modais;
 Possibilita uma maior produtividade e menor custo do frete;
 Cenário futuro altamente favorável no mercado global;
CONCLUSÃO

Concluimos que o porto de São Francisco do sul é uma das principais portas de
entrada de produtos tanto para exportação assim como importação. O porto tem
uma relação forte com o desenvolvimento do país, pois atualmente é o 8º maior
do país em movimentação de carga. Por ser de vital importância para a região
catarinense, o porto é uma estrutura complexa que possui vários procedimentos
que ocorre antes, durante e depois, do embarque e do desembarque dos
produtos. Conclui-se também que é competência de um governo manter o porto
em bom funcionamento para que os produtos nacionais possam ser vendidos no
exterior com valor competitivo, ou seja, embarque de maneira mais rápida para
que a demora no embarque não seja refletida no preço do produto no exterior
devido aos impostos de embarque, já que isto reflete no valor dos impostos no
exterior, e sendo o Brasil o maior expotador de minério do mundo, o maior
produtor de grãos do mundo, seguindo para ser o maior produtor de petróleo do
mundo, é muito importante que o governo desenvolva cada vez mais os portos no
Brasil.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 http://www.fotoimagem.srv.br/paginas/portos/sc/sao_francisco_do_sul_sc/sfs.htm
 http://www.sfs.com.br/index.cfm?go=blog.view&codNews=3390&codCategoria=55
 http://www.estacoesferroviarias.com.br/sc-saofranc/sfrancisco.htm
 http://www.fatma.sc.gov.br/ckfinder/userfiles/arquivos/Rimas/RIMA_TGB_2014-12-
15-1-RIMA_TGB_rev16_web_RED.pdf
 http://www2.camara.leg.br/documentos-e-pesquisa/publicacoes/estnottec/areas-da-
conle/tema14/2015_8839-impactos-ambientais-portos-em-comunidades-pesqueiras
 http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=531
 http://www.mma.gov.br/gestao-territorial/gerenciamento-costeiro
 http://www.uff.br/engevista/3_6Engevista6.pdf
 http://www.apsfs.sc.gov.br/?page_id=529
 http://www.apsfs.sc.gov.br/wp-content/uploads/2014/11/SGA-PAE-00.pdf
 http://www.apsfs.sc.gov.br/wp-content/uploads/2014/11/SGA-PEI-PSFS_CONAMA-
398.pdf
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 http://www.apsfs.sc.gov.br/wpcontent/uploads/2014/11/MonitoramentoAmbienta
l.pdf
 http://www.apsfs.sc.gov.br/wp-content/uploads/2014/11/SGA-PGR-00.pdf
 http://www.praticagemsaofrancisco.com.br/tabelaMovs.php