Você está na página 1de 15

MULHER EMPREENDEDORA

NO BRASIL E NO MUNDO
NÚMEROS E IMPACTOS NA ECONOMIA
QUEM SOU EU?

Empreendedora desde os 10 anos de Palestrante


idade

Fundadora e Presidente
Rede Ela Empreendedora
Mãe do Nicholas Gabriel

Coach de Empreendedorismo e Idealizadora do


Empoderamento Feminino I Congresso Nacional de
Empreendedorismo e
Empoderamento Feminino
EMPREENDEDORISMO

“Empreendedorismo é muito mais que a


criação de um novo empreendimento. Na sua
essência, é uma mentalidade – uma maneira de
pensar e agir. Trata-se de imaginar novas
maneiras de resolver problemas e criar valor”.
Bruce Bachenheimer, diretor de
empreendedorismo e professor de gestão na
Universidade Pace, Nova York.
EMPREENDEDORISMO FEMININO NO BRASIL

Atualmente no Brasil, temos mais de 23,9 de


mulheres empreendedoras segundo a pesquisa
Gem 2017.
A taxa de empreendedorismo feminino entre os
novos empreendedores - aqueles que possuem
um negócio com até 3,5 anos - é de 20,7%,
enquanto a masculina é de 19,9%.
Já em relação aos negócios estabelecidos –
acima de 3,5 anos – o quadro se inverte
12,5% homens e 14,4% mulheres.
QUAL É O PERFIL DESSAS MULHERES?
PERFIL DAS MULHERES EMPREENDEDORAS NO BRASIL

• Têm em média 39 anos


• 55% tem filhos
• 75% decidiram empreender após a maternidade
• 61% são casadas
• 79% tem ensino superior completo
• 44% são chefes de família
NÚMEROS POR REGIÃO

• Região Sudeste – 53,2%


• Região Sul – 19,5%
• Região Nordeste – 15,9%
• Região Centro-Oeste – 7,1%
• Região Norte – 4%
ÁREAS DE ATUAÇÃO

• 59% Serviços
• 31% Comércio
• 7% Indústria
• 3% Terceiro setor
• 3% Agropecuária

Fonte Quem São Elas?


RME
PRINCIPAIS DESAFIOS

• Baixa auto confiança

• Falta de apoio de familiares

• Ambiente ainda predominantemente


masculino

• Discriminação de gênero

• Dupla jornada de trabalho


O IMPACTO NA ECONOMIA

Uma pesquisa realizada em março de 2017 pela Fundação


Getúlio Vargas, a partir de dados divulgados pelo IBGE,
nos mostra que a participação da mulher no mercado
neste período de crise obteve resultados melhores que o
dos homens. Apesar dos homens manterem uma renda
média mais alta que a das mulheres, a trajetória de
trabalho deles foi pior que a delas nos dois últimos anos.

Embora a inflação apertasse em 2015, a participação das


mulheres ainda conseguiu crescer significativamente, em
média 0,7%, em comparação à dos homens, que caiu
1,9%. Em 2016, os dois grupos apresentaram perdas, mas
no caso deles a queda foi de 5,1%, enquanto a delas foi de
2,8%.
IMPACTO NA ECONOMIA GLOBAL ATÉ 2025

Segundo um estudo realizado pelo


McKinsey Global Institute, o
“Poder da paridade”:
o avanço da igualdade das
mulheres pode acrescentar US $
12 trilhões ao crescimento global
até 2025.
HÁ DIFERENÇAS NO EMPREENDEDORISMO FEMININO?
É A VEZ DAS MULHERES?
CONTATOS

Coach Iris de Cássia

@coachirisdecassia

81 99672-7422

coachirisdecassia@gmail.com

Interesses relacionados