Você está na página 1de 54

EFA – PRO Técnico

Auxiliar de Saúde

UFCD 6565 –

Sistema Imunitário

Formadora: Cláudia Xavier


O que vamos falar…

 Noções sobre o Sistema


Imunitário
 Barreiras Naturais
 Fisiologia celular e humoral
 Imunidade natural
 Imunidade adquirida
Sistema Imunitário
Conceitos iniciais

• Origem da palavra: immunitas (proteção contra demandas judiciais


que os senadores romanos sofriam durante o seu mandato)

• Origem histórica: proteção contra doenças infecciosas

Sistema Imunológico: células e moléculas responsáveis pela


imunidade

Resposta Imunológica: resposta coletiva e coordenada em


resposta a substâncias estranhas, sejam elas infecciosas ou não.
Conceitos iniciais Antígeno: substâncias estranhas que
induzem respostas imunológicas ou são
reconhecidas por linfócitos ou anticorpos.

Anticorpo: moléculas presentes no sangue


e nas secreções das mucosas que são
produzidas pelos linfócitos B. São
capazes de reconhecer antígenos
microbianos, neutralizam a infeciosidade
dos micro-organismos e os preparam
para serem eliminados
Imunidade ativa x Imunidade passiva

Imunidade passiva
Imunidade ativa
É transferida entre indivíduos
É induzida pela exposição ao
antígeno Anticorpos ou linfócitos de um
indivíduo especificamente imunizado
Linfócitos imunologicamente são transferidos para um receptor que
inexperientes entram em contato com se torna imune ao antígeno específico
o micro-organismo, respondem a ele sem nunca ter sido exposto ou ter
e, devido à capacidade de memória respondido a ele
imunológica, o indivíduo estará
protegido contra infecções Ex. Transferência de anticorpos
subsequentes por aquele mesmo maternos para o feto
micro-organismo.
1. Privação de sono
Já deve ter reparado que quando não dorme o
suficiente de forma continuada, o seu corpo
ressente-se e as doenças ocorrem com mais
facilidade.
Além disso, a privação de sono pode levar a
níveis mais elevados da hormona do stress e
consequentemente a mais inflamação no nosso
organismo.
2. Falta de exercício físico
Tente fazer exercício físico regular e moderado,
como uma caminhada diária de 30 minutos. Isto
pode ajudar seu sistema imunológico a
combater infeções.
Adicionalmente, o exercício ainda promove a
produção de substâncias químicas no seu
organismo que o ajudam a sentir-se melhor e
melhorar a qualidade do sono.
3. Dieta desequilibrada
Alimentos ou bebidas muito açucaradas inibem
as células do sistema imunológico que
combatem as bactérias.
Coma mais frutas e vegetais, que são ricos em
nutrientes como as vitaminas C e E, além de
beta-caroteno e zinco. Opte por frutas e
legumes coloridos, incluindo bagas, frutas
cítricas, kiwi, maçãs, uvas, couve, cebola,
espinafre, batata doce e cenoura.

4. Stress
O stress faz parte de vida de todos, mas
quando este se arrastar por um longo
período de tempo, torna o organismo mais
vulnerável a doenças.
O stresse crónico expõe seu corpo a um
fluxo constante de hormonas do stress que
suprimem o sistema imunológico.
5. Isolamento social
Ter relacionamentos fortes e uma boa rede
social é bom. As pessoas que se sentem
ligadas aos amigos - sejam amigos íntimos
ou um grupo grande - têm imunidade mais
forte do que aquelas que se sentem
sozinhas.

6. Perda do sentido de humor


Rir faz bem à saúde. Este gesto reduz os
níveis de hormonas do stress e estimula os
glóbulos brancos que combatem as
infeções.
Conceitos
Sistema Imunitário – Agentes
Patogénicos

 Os agentes patogénicos são organismos microscópicos


que causam ou podem causar doenças.

 Diferentes tipos de agentespatógenicos


incluem bactérias, vírus, protozoários, fungos, vermes
parasitas e priões.

 Embora esses patógenos causem uma variedade de


doenças que variam de leva a grave risco, é importante
notar que nem todos os microrganismos são
patogénicos.
Agentes Patogénicos
Conceitos
Sistema Imunitário – Agentes
Patogénicos

 Na verdade, o corpo humano contém milhares de


espécies de bactérias, fungos e protozoários que fazem
parte de sua flora normal.
 Esses microrganismos são benéficos e importantes para
o bom funcionamento de atividades biológicas, como a
digestão e funcionamento do sistema imunológico.
 Eles só causam problemas quando colonizam locais no
corpo que normalmente são mantidos livres de germes
ou quando o sistema imunológico está comprometido.
Vírus
Bactéria
Formas de
Transmissão

 A transmissão direta pode ocorrer de mãe


para filho, como exemplificado com os
vírus HIV, Zika e sífilis.

 Este tipo de transmissão direta (mãe para


filho) também é conhecida como
transmissão vertical. Outros tipos de
contato direto através dos quais os agentes
patogénicos podem-se espalhar incluem
toque, beijos (vírus da herpes) e contato
sexual (papilomavírus humano – HPV).
Formas de
Transmissão

Transporte pelo ar
Gotículas
Alimentos
Água
Animais
Conceitos
importantes
O sistema imunitário é
constituído pela linfa, por vasos
linfáticos e por gânglios
linfáticos. Estes últimos,
juntamente com o timo, a medula
óssea, o baço e as amígdalas,
constituem os órgãos linfoides.

4/12
?
Amígdalas

Timo Timo
?
Gânglios linfáticos

?
Medula óssea

Canal torácico?

? Baço

3/12
Órgãos linfóides

Vasos linfáticos
Canais transportadores de linfa dotados de válvulas no seu
interior.
Formam uma rede distribuída por todo o corpo.
Gânglios linfáticos
Pequenos órgãos, perfurados por canais, distribuídos por
diversos pontos da rede linfática.
São locais de acumulação e proliferação de linfócitos.
Timo
Órgão localizado junto ao coração, importante para o
desenvolvimento dos linfócitos.
É muito reduzido no adulto.
5/12
Órgãos linfoides

Medula óssea
Tecido produtor de células sanguíneas. Importante para o desenvolvimento de certos
linfócitos.

Baço
O maior dos órgãos do sistema linfático, quase tão grande como um punho.
O baço é esponjoso, liso e de cor púrpura. Localiza-se na parte superior da cavidade
abdominal, mesmo por baixo das costelas, no lado esquerdo. Apresenta tecidos ricos
em linfócitos.

Amígdalas
Existem dois pares de amígdalas, de ambos os lados da faringe e na base da língua.
Apresenta tecidos ricos em linfócitos.
Imunidade Cada individuo é
bioquimicamente único

Moléculas identificadoras
de substâncias estranhas

MHC (major
histocompatibility complex
= complexo principal de
histocompatibilidade)

Este complexo é
genético (codificado por
genes localizados no
cromossoma 6)
Células que
apresentam MHC

Macrófagos

Células Dendriticas –
Células de Langerhans

Linfócitos B
Imunidade Imunidade - Diferentes processos fisiológicos
que permitem reconhecer corpos estranhos ou
anormais – neutralização e eliminação.

Tipos de Imunidade:

Imunidade Inata, natural ou não


específica: mecanismos de defesa não
específica que funcionam sempre da mesma
maneira independentemente do agente
invasor

Imunidade Adaptativa, adquirida ou


específica: mecanismo de defesa específico
Imunidade inata e imunidade
adaptativa

• Imunidade Inata: linha de defesa inicial contra micro-


organismos

• Imunidade Adaptativa: resposta tardia, estimulada pela


exposição a agentes infecciosos
Imunidade inata e Imunidade
adaptativa
Mecanismos de Defesa não Específicos

IMUNIDADE INATA
Imunidade Inata, natural
ou não específica
Imunidade Inata, natural
ou não específica - Pele 1.º linha de defesa

 Barreiras anatómicas representam a primeira


linha de defesa de um organismo contra um
agente patogénico.

 Ela é formada pela pele e pelas membranas de


mucosa.
 A pele é uma barreira mecânica que retarda a
entrada de um microorganiso, o seu pH baixo
(entre 5 -6) também representa um avanço para
conter os microorganismos que queiram invadir o
organismo.
Imunidade Inata, natural
ou não específica – 1.º linha de defesa
Secreções e enzimas
Imunidade Inata, natural
ou não específica

Atuam dentro do
organismo
Globulo
s
Brancos
Imunidade Inata, natural
ou não específica – As
NK

As células natural killer (termo oriundo do


inglês Natural Killer Cell), também
conhecidas como células exterminadoras
naturais ou células NK são definidas
como células citotóxicas não específicas
que são importantes na resposta precoce
às células tumorais e infecções virais.
Imunidade Inata, natural
ou não específica – 2.º linha de defesa
Resposta Inflamatória

A resposta inflamatória é
desencadeada por substância
químicas. Algumas destas substâncias
são libertadas pelos próprios
micróbios, enquanto que outras são
libertadas em consequência das
lesões celulares devido à invasão
microbiana. Por exemplo
a histamina que é produzida por
basófilos.
Imunidade Inata, natural
ou não específica – 2.º linha de defesa
Fagocitose

Quando micróbios invadem o organismo,


entram em ação os glóbulos brancos,
células especializadas na defesa do
organismo que circulam no seu sangue.

Os macrófagos e os neutrófilos (dois tipos


de glóbulos brancos) eliminam a maior
parte dos invasores, engolindo-os num
processo chamado fagocitose.
Imunidade Inata, natural
ou não específica – Febre

Muitas vezes a resposta


inflamatória é
acompanhada de febre

As temperaturas acima dos


37ºC inibem o crescimento
dos microrganismos Estimulam a
fagocitose e podem
ativar a resposta
imunitária especifica
Imunidade Inata, natural
ou não específica – 3.º linha de defesa
Interferão

O interferão é uma proteína


produzida pelas células do
organismo para defendê-lo de
agentes externos como vírus,
bactérias, células de tumores,
esclerose múltipla, hepatite C e
leucemia.

Os IFN são produzidos na fase inicial


da infecção e constituem a primeira
linha de resistência a muitas viroses.
Imunidade Inata, natural
ou não específica – 3.º linha de defesa
Sistema de complemento

O Sistema Complemento é composto por


20 proteínas presentes na membrana
plasmática e solúveis no sangue e
participam das defesas inatas (natural)e
adquiridas( memória). Essas proteínas
reagem entre elas para opsonizar os
patógenos e induzir uma série de
respostas inflamatórias que auxiliam no
combate à infeção.
Sistema de Complemento

 Em todas as células (mesmo aquelas que não pertencem ao


sistema imunitário) existe a capacidade de produzirem 20
proteínas que são conhecidas como sistema de complemento.

 Estas proteínas estão presentes na membrana das células ou


circulam na corrente sanguínea.

 Quando são ativadas (por estímulos químicos) –


associam-se às células infetadas ou aos agentes patogénicos
destruindo-os por lise celular (rebentam a célula)

Quimiotaxia
Mecanismos de Defesa Específicos

IMUNIDADE ADAPTATIVA
Imunidade Adaptativa,
adquirida ou específica
Imunidade Humoral e
Imunidade Celular
Imunidade Humoral
Imunidade Adaptativa,
adquirida ou específica
Conclusão
Conclusão
Doenças e desiquilibrios
do Sistema Imunitário

Não têm cura


FIM

Você também pode gostar