Você está na página 1de 45

Prof.

Agamenon Roberto
Prof. Agamenon Roberto
Observe os fenômenos abaixo:

A madeira ao queimar O gelo para fundir


LIBERA ABSORVE
energia na forma de energia na forma de
CALOR CALOR

O calor envolvido nas transformações é estudado pela


TERMOQUÍMICA
Prof. Agamenon Roberto
Absorvem calor do Liberam calor para o
meio ambiente meio ambiente
Prof. Agamenon Roberto
Toda espécie química possui uma energia,
que quando medida à
pressão constante, é chamada de

ENTALPIA (H)

Não é possível calcular a entalpia


de um sistema,
e sim a sua variação ( ΔH )

ΔH = H final –H inicial

Prof. Agamenon Roberto


ΔH = H final –H inicial

ENTALPIA (H)

REAGENTES
HR
ΔH < 0
PRODUTOS
HP

Caminho da reação

Prof. Agamenon Roberto


ΔH = H final –H inicial

ENTALPIA (H)

PRODUTOS
HP
ΔH > 0
REAGENTES
HR

Caminho da reação

Prof. Agamenon Roberto


Representação da entalpia nas reações químicas

O calor pode ser representado como ...

...parte integrante da reação:

N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) + 92,2 KJ exotérmica

2 NH3(g) + 92,2 KJ N2(g) + 3 H2(g) endotérmica

...na forma de variação de entalpia

N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) ΔH = – 92,2 KJ

2 NH3(g) N2(g) + 3 H2(g) ΔH = + 92,2 KJ

Prof. Agamenon Roberto


01)(UFMG-2002) Ao se sair molhado em local aberto, mesmo em
dias quentes, sente-se uma sensação de frio. Esse fenômeno está
relacionado com a evaporação da água que, no caso, está em
contato com o corpo humano. Essa sensação de frio explica-se
CORRETAMENTE pelo fato de que a evaporação da água

a) é um processo endotérmico e cede calor ao corpo.


b) é um processo endotérmico e retira calor do corpo.
c) é um processo exotérmico e cede calor ao corpo.
d) é um processo exotérmico e retira calor do corpo.
e) é um processo atérmico e não troca calor com o corpo.

Pág. 254
Ex. 04

Prof. Agamenon Roberto


02)(Unesp-SP) Em uma cozinha, estão ocorrendo os seguintes

processos:
I. Gás queimando em uma das “bocas” do fogão.
II. Água fervendo em uma panela que se encontra sobre esta
“boca” do fogão.

Com relação a esses processos, pode-se estimar que:

a) I e II são exotérmicos.
b) I é exotérmico e II é endotérmico.
c) I é endotérmico e II é exotérmico.
d) I é isotérmico e II é exotérmico.
e) I é endotérmico e II é isotérmico.
Pág. 255
Ex. 08

Prof. Agamenon Roberto


03) (UECE) Observe o esquema. Pág. 259
Ex. 13
transformação
870 kJ 1000 kJ

Hi Hf

De acordo com o esquema apresentado, podemos dizer que


esse processo deverá ser:

a) endotérmico, com ∆H = – 1870 kJ


b) endotérmico e absorver 130 kJ
c) exotérmico e liberar 130 kJ
d) exotérmico, com ∆H = + 1870 kJ
e) exotérmico e absorver 1870 kJ

∆H = 1000 – 870 = + 130 kj Prof. Agamenon Roberto


04) (Ufal) Em nosso cotidiano, ocorrem processos que podem ser
endotérmicos ou exotérmicos. Assinale a alternativa que contém
apenas processos exotérmicos:

a) Formação das nuvens; secagem de roupas; queima de carvão.


b) Formação de geada; combustão em motores de automóveis;
evaporação da água dos lagos.
c) Evaporação da água dos mares; secagem de roupas; explosão
de fogos de artifícios.
d) Queima de carvão; formação de geada; derretimento de gelo.
e) Combustão em motores de automóveis; explosão de fogos de
artifícios; formação de geada.

Prof. Agamenon Roberto


05) ( Vunesp ) Em uma cozinha, estão ocorrendo os seguintes
processos:

I. Gás queimando em uma das bocas do fogão e


II. Água fervendo em uma panela que se encontra sobre essa
boca do fogão.

Com relação a esses processos, pode-se afirmar que:

a) I e II são exotérmicos.
b) I é exotérmico e II é endotérmico.
c) I é endotérmico e II é exotérmico.
d) I é isotérmico e II é exotérmico.
e) I é endotérmico e II é isotérmico. Prof. Agamenon Roberto
06) Quando um mol de etanol (C2H5OH, álcool comum) passa do
estado líquido para o gasoso, ocorre absorção de 43,5 kj de calor.
Represente esse processo por meio de uma equação
acompanhada do respectivo valor de ∆H.

C2H5OH (l) C2H5OH (v) ∆H = + 43,5 kj

Prof. Agamenon Roberto


EQUAÇÃO TERMOQUÍMICA

É a equação química que indica...

... a variação de entalpia da reação.

... os estados físicos das substâncias.

... as condições de temperatura e pressão.

2 H2 (g) + O2 (g) 2 H2O ( l ) ΔH = – 572 KJ

(25°C , 1 atm)
Prof. Agamenon Roberto
EQUAÇÃO TERMOQUÍMICA QUE INFLUEM NA ENTALPIA DAS REAÇÕES

QUANTIDADES DAS ESPÉCIES QUÍMICAS

1 H2 (g) + 1/2 O2 (g) 1 H2O ( l ) ΔH = – 286 KJ

2 H2 (g) + O2 (g) 2 H2O ( l ) ΔH = – 572 KJ

ESTADO ALOTRÓPICO

C(grafite) + O2 (g) CO2(g) ΔH = – 393,1 KJ

C(diamante) + O2 (g) CO2(g) ΔH = – 395,0 KJ

Prof. Agamenon Roberto


EQUAÇÃO TERMOQUÍMICA QUE INFLUEM NA ENTALPIA DAS REAÇÕES

ESTADO FÍSICO DOS REAGENTES E DOS PRODUTOS

H2 (g) + 1/2 O2 (g) H2O ( s ) ∆H = – 293 KJ

H2 (g) + 1/2 O2 (g) H2O ( l ) ∆H = – 286 KJ

H2 (g) + 1/2 O2 (g) H2O ( v ) ∆H = – 243 KJ


Prof. Agamenon Roberto
GRAFICAMENTE
H2 (g) + 1/2 O2 (g)

H2O ( v ) ∆H = – 243 KJ

H2O ( l ) ∆H = – 286 KJ

H2O ( s ) ∆H = – 293 KJ
Operações com uma equação termoquímica

N2 (g) + 3 H2 (g) 2 NH3 (g) ΔH = – 22 kcal

Podemos INVERTER uma equação termoquímica:

2 NH3 (g) N2 (g) + 3 H2 (g) ΔH = + 22 kcal

Invertemos o sinal do ΔH
Operações com uma equação termoquímica

N2 (g) + 3 H2 (g) 2 NH3 (g) ΔH = – 22 kcal

Podemos MULTIPLICAR ou DIVIDIR uma equação termoquímica:

3 N2 (g) + 9 H2 (g) 6 NH3 (g) ΔH = – 66 kcal

Multiplicamos o ΔH
Operações com uma equação termoquímica

Podemos SOMAR EQUAÇÕES termoquímicas:

N2 (g) + 2 O2 (g)  2 NO2 (g) ∆H = + 66 kj/mol

2 NO2 (g)  2 NO (g) + O2 (g) ∆H = + 113 kj/mol

N2 (g) + O2 (g)  2 NO (g) ∆H = + 179 kj/mol

Somamos o ΔH
01)O calor liberado na condensação do vapor de água é, em parte,
responsável pelo aquecimento da superfície da nossa pele dentro de
uma sauna a vapor. O calor liberado quando 1 mol de H2O (g) se
transforma em 1 mol de H2O (l) (condensação) é, segundo o
diagrama a seguir, kj:

a) 285,8. H
1 H2 (g) + 1/2 O2 (g)
b) 44.
c) 241,8. H = – 241,8 kj

d) – 44. 1 H2O (g)


H = – 285,8 kj
e) – 285,8. 1 H2O (l)

H = Hf – Hi H = (– 285,8) – (– 241,8)
Pág. 267
H = – 285,8 + 241,8)
Ex. 38
H = – 44
Prof. Agamenon Roberto
02)(UFMS) Considere o gráfico. Assinale a afirmativa correta:

Entalpia C (diamante) + O2 (g)


Pág. 268
Ex. 40
C (grafite) + O2 (g)
Reação 1
Prof. Agamenon Roberto
Reação 2
CO2 (g)

Sentido da reação

a) A entalpia do C (diamante) é menor que a do C (grafite).


b) O carbono grafite é a forma alotrópica mais estável.
c) A reação 1 é exotérmica, enquanto a 2 é endotérmica.
d) A diminuição da entalpia das reações 1 e 2 indica que houve
absorção de calor.
e) A variação de entalpia para as duas reações dá um valor
positivo.
03) Para a reação S (rômbico)  S (monoclínico), o valor da variação
de entalpia (em calorias), calculando-se com base no gráfico, é:

Pág. 268
H (cal)
Ex. 44
S (monoclínico)
a) – 200. 0
– 20 Prof. Agamenon Roberto
b) + 200.
– 40
c) – 100.
– 60
d) + 100. – 80
S (rômbico)
– 100
e) – 50.
– 120

H = Hf – Hi H = (monoclínico) – (rômbico)

H = 0 – (– 100)

H = + 100
C(grafite) + O2 (g) CO2(g) ∆H = – 393,3 kj

caminho direto
C(grafite) + O2 (g) CO2(g)

CO(g) + 1/2 O2 (g)


ΔH1 = – 110,3 KJ ΔH2 = – 283,0 KJ

Observe que: ΔH1 + ΔH2 = ΔH

(– 110,3) + (– 283,0) = – 393,3 KJ


As reações químicas
Estas observações foram feitas por
podemGermain
ocorrer Henry
em várias
Hessetapas,
porém, verifica-se que sua
e, ficou variação
conhecida de entalpia
como depende apenas dos
LEI DE HESS
estados inicial e final da mesma
Prof. Agamenon Roberto
01) Considerando os seguintes calores de reação:

I. N2 (g) + 2 O2 (g)  2 NO2 (g) ∆H = + 66 kj/mol

II. 2 NO (g) + O2 (g)  2 NO2 (g) ∆H = – 113 kj/mol

Calcule o calor da reação para o processo: Pág. 272


Ex. 07
N2 (g) + O2 (g)  2 NO (g) ∆H = ?

Devemos
Devemosinverter
Somamos repetir
as duasaaequações
equação
equação ““ III” ”

N2 (g) + 2 O2 (g)  2 NO2 (g) ∆H = + 66 kj/mol

2 NO2 (g)  2 NO (g) + O2 (g) ∆H = + 113 kj/mol

N2 (g) + O2 (g)  2 NO (g) ∆H = + 179 kj/mol

Prof. Agamenon Roberto


02) Calcule o ∆H da reação:

P4 (s) + 10 Cl2 (g)  4 PCl5 (s) ∆H = ?

Pág. 272
Utilizando os seguintes dados:
Ex. 08

I. P4 (s) + 6 Cl2 (g)  4 PCl3 (l) ∆H = – 1279 kj/mol

II. PCl3 (l) + Cl2 (g)  PCl5 (s) ∆H = – 124 kj/mol

Devemos
Devemos repetir
Somamos as duasa equações
equação
multiplicar por 4 a“ equação
I” “ II ”

P4 (s) + 6 Cl2 (g)  4 PCl3 (l) ∆H = – 1279 kj/mol

4 PCl3 (l) + 4 Cl2 (g)  4 PCl5 (s) ∆H = – 496 kj/mol

P4 (s) + 10 Cl2 (g)  4 PCl5 (s) ∆H = – 1775 kj/mol

Prof. Agamenon Roberto


03) (Cefet-PR) Considere a seguinte equação: Pág. 273
2 C (graf) + 3 H2 (g) + 1/2 O2 (g)  C2H6O (l) Ex. 13

Com base na lei de Hess, e utilizando as equações a seguir, calcule o ∆H da


reação assinale a alternativa que apresenta a resposta correta:
I. C (graf) + O2 (g)  CO2 (g) ∆H = – 394 kj/mol
II. H2 (g) + 1/2 O2 (g)  H2O (l) ∆H = – 286 kj/mol
III. C2H6O (l) + 3 O2 (g)  2 CO2 (g) + 3 H2O (l) ∆H = – 1368 kj/mol

a) + 278 kj/mol. Devemos


Devemos multiplicar
Somamos multiplicar
inverter por
por 2
3a
as três equações
a equaçãoa equação
equação
“ III ” ““ III””
b) + 2048 kj/mol.
c) – 278 kj/mol. Prof. Agamenon Roberto
d) – 2048 kj/mol.
e) – 556 kj/mol.
2 C (graf) + 2 O2 (g)  2 CO2 (g) ∆H = – 788 kj/mol
3 H2 (g) + 3/2 O2 (g)  3 H2O (l) ∆H = – 858 kj/mol
2 CO2 (g) + 3 H2O (l)  C2H6O (l) + 3 O2 (g) ∆H = + 1368 kj/mol

2 C (graf) + 3 H2 (g) + 1/2 O2 (g)  C2H6O (l) ∆H = – 278 kj/mol


04) Utilize as seguintes informações:

I. 4 HCl (g) + O2 (g)  2 H2O (l) + 2 Cl2 (g) ∆H = – 148 kj/mol


II. 1/2 H2 (g) + 1/2 F2 (g)  HF (g) ∆H = – 273 kj/mol

III. H2 (g) + 1/2 O2 (g)  H2O (l) ∆H = – 286 kj/mol

Para estimar o ∆H da seguinte reação:


Pág. 274
Ex. 16
2 HCl (g) + F2 (g)  2 HF (g) + Cl2 (g)

Devemos
Somamos
Devemosmultiplicar
dividir
inverter
as três
por
equações
a2equação
por
a equação
2 a equação
“ III“”I ” “ II ” Prof. Agamenon Roberto

2 HCl (g) + 1/2 O2 (g)  H2O (l) + Cl2 (g) ∆H = – 74 kj/mol

H2 (g) + F2 (g)  2 HF (g) ∆H = – 546 kj/mol

H2O (l)  H2 (g) + 1/2 O2 (g) ∆H = + 286 kj/mol

2 HCl (g) + F2 (g)  2 HF (g) + Cl2 (g) ∆H = – 334 kj/mol


05) Aplicando a lei de Hess, determine a variação de entalpia da reação
abaixo:
Prof. Agamenon Roberto
3 C(grafite) + 4 H2(g)  C3H8(g)
Conhecendo-se as seguintes equações termoquímicas:

1) C(grafite) + O2(g)  CO2(g) ΔH = – 94,0 kcal

2) H2(g) + 1/2 O2(g)  H2O(l) ΔH = – 68,3 kcal

3) C3H8(g)+ 5 O2(g)  3 CO2(g) + 4 H2O(l) ΔH = – 531,1 kcal

3 C(grafite) + 3 O2(g)  3 CO2(g) ΔH = – 282,0 kcal


4 H2(g) + 2 O2(g)  4 H2O(l) ΔH = – 273,2 kcal

3 CO2(g) + 4 H2O(l)  C3H8(g)+ 5 O2(g) ΔH = + 531,1 kcal

3 C(grafite) + 4 H2(g)  C3H8(g) ΔH = – 24,10 kcal


ESTADO PADRÃO DOS ELEMENTOS
E DOS COMPOSTOS QUÍMICOS

Um elemento químico ou composto se encontra no

ESTADO PADRÃO
quando se apresenta em seu estado
(físico, alotrópico ou cristalino)
mais comum e estável, a 25°C e 1 atm de pressão

C(grafite) O2(g) CO2(g) H2O ( l )

Prof. Agamenon Roberto


Quando a substância é SIMPLES
e se encontra no estado padrão sua entalpia será igual a
ZERO

Assim, no estado padrão, terão entalpias iguais a ZERO

Carbono grafite Fósforo vermelho Nitrogênio (N2)

Oxigênio Enxofre rômbico Prata (Ag)


ENTALPIA – PADRÃO DE COMBUSTÃO

É a energia liberada na combustão completa ...

... de 1 mol de uma determinada substância


... com todas as substâncias envolvidas na combustão,

no estado padrão.

H2 (g) + 1/2 O2 (g) H2O ( l ) ΔH = – 68 KJ

C(grafite) + O2 (g) CO2(g) ΔH = – 393,1 KJ

Prof. Agamenon Roberto


01) Escreva a equação de combustão do etanol (C2H5OH),
devidamente balanceada e calcule o calor de combustão de
1 mol de etanol, a partir das seguintes equações: Prof. Agamenon Roberto

I. C (s) + O2 (g)  CO2 (g) ∆H = – 394 kj/mol


II. H2 (g) + 1/ 2 O2 (g)  H2O (l) ∆H = – 286 kj/mol

III. 2 C (s) + 3 H2 (g) 1/ 2 O2 (g)  C2H5OH (l) ∆H = – 278 kj/mol

Pág. 278
C2H5OH (l) + 3 O2 (g)  2 CO2 (g) + 3 H2O (l)
Ex. 27
Devemos
Devemos multiplicar
Somamos inverter por 3
2 a equação
a equação
as três equações “ III ” “ II
I ””

2 C (s) + 2 O2 (g)  2 CO2 (g) ∆H = – 788 kj/mol


3 H2 (g) + 3/2 O2 (g)  3 H2O (l) ∆H = – 858 kj/mol
C2H5OH (l)  2 C (s) + 3 H2 (g) 1/ 2 O2 (g) ∆H = + 278 kj/mol

C2H5OH (l) + 3 O2 (g)  2 CO2 (g) + 3 H2O (l) ∆H = – 1368 kj/mol


ENTALPIA – PADRÃO DE FORMAÇÃO

É a variação de entalpia envolvida ...

... na formação de 1 mol de uma determinada substância


... a partir das substâncias simples correspondentes
... com todas as espécies no estado padrão

H2 (g) + 1/2 O2 (g) H2O ( l ) ∆H = – 286 kj

1 3
N2(g) + H2(g) NH3(g) ∆H = – 11 kj
2 2

Prof. Agamenon Roberto


Podemos calcular a variação de entalpia de uma reação
a partir das entalpias de formação das substâncias que
participam da reação pela fórmula:

ΔH = H final – H inicial

3 MgO (s) + 2 Al (s)  3 Mg (s) + Al2O3 (s)

Entalpias de formação: Al2O3(s) = – 1670 kj/mol


MgO(s. ) = – 604 kj/mol

ΔH = [1 x (– 1670)] – [(3 x (– 604)]

ΔH = (– 1670) – (– 1812)

ΔH = – 1670 + 1812

ΔH = + 142 kJ

Prof. Agamenon Roberto


01) Um dos sérios problemas da maioria das regiões metropolitanas é a
chuva. Um dos responsáveis é o poluentes SO3, que reage com a água da
chuva originando o ácido sulfúrico. O SO3 não é um poluente produzido
diretamente pelas fontes poluidoras, mas é formado quando o poluente
SO2 (este sim é liberado por fontes que queimam combustíveis fósseis)
reage com o oxigênio do ar:

2 SO2 + O2  2 SO3 ∆H = ?

Calcule o ∆H dessa reação baseando-se nas seguintes


entalpias-padrão de formação:

S (rômb) + O2 (g)  SO2 (g) ∆H = – 297 kj/mol


Pág. 281
S (rômb) + 3/2 O2 (g)  SO3 (g) ∆H = – 396 kj/mol Ex. 34

ΔH = H final –H inicial Prof. Agamenon Roberto

ΔH = [ 2 x (– 396) ] – [2 x (– 297)]

ΔH = (– 792) – (– 594)

ΔH = – 792 + 594 ΔH = – 198 kj


02)(UFMA) De acordo com a equação abaixo e os dados fornecidos,

C2H2 (g) + 5/2 O2 (g)  2 CO2 (g) + H2O (l)

Dados: ΔH = + 226,5 kj/mol (C2H2 (g) )


Prof. Agamenon Roberto
ΔH = – 393,3 kj/mol (CO2 (g) )
ΔH = – 285,5 kj/mol (H2O (l) )

Indique qual o valor da entalpia-padrão de combustão do


acetileno, C2H2,
em kj/mol.

a) + 1298,6. ΔH = H final – H inicial


b) – 1298,6. ΔH = [2 x (– 393,3) + 1 x (– 285,5) – [ (+ 226,5)]
c) – 905,3.
ΔH = – 786,6 – 285,5 – 226,5
d) + 905,3.
ΔH = – 1298,6 kj/mol
e) – 625,8.
03) Sendo o H de formação do óxido de ferro (II) igual a – 64,04
kcal/mol e o H de formação do óxido de ferro (III) igual a – 196,5
kcal/mol, o H da reação abaixo será:

Prof. Agamenon Roberto


2 FeO + 1/2 O2  Fe2O3

a) – 68,4 kcal/mol. ΔH = H final – H inicial


b) + 68,4 kcal/mol.
ΔH = [ 1 x (– 196,5) ] – [2 x (– 64,04)]
c) – 132,5 kcal/mol.
d) + 132,5 kcal/mol. ΔH = (– 196,5) – (– 128,08)
e) – 260,5 kcal/mol
ΔH = – 196,5 + 128,08

ΔH = – 68,42 kcal
ENERGIA DE LIGAÇÃO

É a energia envolvida (absorvida)


na quebra de 1 mol de determinada ligação química,
supondo todas no estado gasoso, a 25°C e 1 atm

A quebra de ligações será sempre um processo


ENDOTÉRMICO

H H (g) +

H H (g) 2 H (g) ΔH = + 435,5 kj/mol


01) (UFRGS – RS) Os valores de energia de ligação entre alguns átomos são
fornecidos no quadro a seguir:
Ligação Energia de ligação (kj/mol) Pág. 288
Ex. 09
C–H 413
O=O 494
C=O 804
O–H 463
Prof. Agamenon Roberto
Considerando a reação representada por:
CH4 (g) + 2 O2 (g)  CO2 (g) + 2 H2O (v)
O valor aproximado de ΔH, em kj, é de:
a) – 820. b) – 360. c) + 106. d) + 360. e + 820.
H
O
H C H + 2 O O O C O + 2
H H
H

4 x 413 + 2 x 494 2 x 804 + 4 x 463 ∆H = + 2640 – 3460


1652 + 988 1608 + 1852 ∆H = – 820 kj
+ 2640 – 3460
02) Faça uma estimativa do ∆H da seguinte reação:

H2 (g) + Cl2 (g)  2 HCl (g) ∆H = ?

Considerando as seguintes energias de ligação, em kj/mol:

H – H (436); Cl – Cl (242); H – Cl (431) Pág. 287


Ex. 05

H–H + Cl – C l  2 H – Cl

1 x 436 + 1 x 242 2 x 431 ∆H = + 678 – 862


436 + 242 – 862 ∆H = – 184 kj
+ 678
Prof. Agamenon Roberto
03) Faça uma estimativa do ∆H da seguinte reação:

CH4 (g) + Cl2 (g)  CH3Cl (g) + HCl (g) ∆H = ?

Considerando as seguintes energias de ligação, em kj/mol:

C – H (412); Cl – Cl (242); C – Cl (338); H – Cl (431) Pág. 287


Ex. 06
H H

H C H + Cl Cl H C Cl + H Cl

H H

4 x 412 + 1 x 242 3 x 412 + 1 x 338 + 1 x 431 ∆H = + 1890 – 2005


1648 + 242 1236 + 338 + 431 ∆H = – 115 kj
+ 1890 – 2005

Prof. Agamenon Roberto


ASPECTO ESTEQUIOMÉTRICO DA TERMOQUÍMICA

01) (Ufes) O hidrogênio, H2 (g), é usado como combustível de


foguetes. O hidrogênio queima na presença de oxigênio, O2 (g),
produzindo vapor de água, segundo a equação:

2 H2 (g) + O2 (g)  2 H2O (g) ∆H = – 484 kj

A energia liberada na queima de um grama de hidrogênio, H2 (g), é:


libera
a) – 242 kj. 4 mol
2 g dede
H2H2 484 kcal
Pág. 292
b) 242 kj. libera Ex. 25
1 g de H2 x kcal
c) – 121 kj.
4 484 484
d) 121 kj. = x =
1 x 4
e) 60,5 kj.
∆H = – 121 kj

Prof. Agamenon Roberto


02) Considere a reação representada pela equação termoquímica:

N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) ΔH = – 22 kcal


São feitas as seguintes afirmações:
V I. A quantidade de energia liberada será maior se o produto
obtido for dois mols de NH3 no estado líquido.
V II. A decomposição de 6,8g de NH3 gasoso absorve 4,4 kcal.

V III. A entalpia de formação da amônia é de – 11 kcal/mol.

Quais são corretas? A energia liberada aumenta no sentido:


a) apenas I. GASOSO, LÍQUIDO e SÓLIDO
b) apenas I e II.
2 x 17 g absorve 22 kcal
c) apenas I e III. Então “ x = 4,4 kcal
6,8 g absorve x kcal
d) apenas II e III.
e) I, II e III. a formação de 2 mol libera 22 kcal
a formação de 1 mol libera 11 kcal
03) O calor liberado na combustão de um mol de metano é 212 Kcal.
Quando 80 g de metano são queimados, a energia liberada é:
Dados: C = 12 u.; H=1u

CH4 + 2 O2  CO2 + 2 H2O


a) 1060 Kcal.
libera
b) 530 Kcal. 116
mol
g de CH4 212 kcal
c) 265 Kcal. libera
80 g de CH4 x kcal
d) 140 Kcal.
16 212
e) 106 Kcal. = 16 x x = 212 x 80
80 x
16960
x =
CH4 : 12 + 4 x 1 = 16 g 16

x = 1060 kcal