Você está na página 1de 23

INTRODUÇÃO À

BIOSSEGURANÇA
Felipe Souza Nery
CONCEITO DE BIOSSEGURANÇA

“Constitui-se de ações voltadas para a prevenção,


minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades
de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e
prestação de serviços, visando à saúde do homem, dos
animais, à preservação do meio ambiente e à qualidade dos
resultados.”

(Teixeira; Valle, 1996)


CONCEITO DE BIOSSEGURANÇA

“Constitui-se de ações voltadas para a prevenção,


minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades
de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e
prestação de serviços, visando à saúde do homem, dos
animais, à preservação do meio ambiente e à qualidade dos
resultados.”

PADRONIZADAS
CONCEITO DE BIOSSEGURANÇA

 Aspectos históricos;
 Aspectos sociais
 A ética;
 A economia;
 A política;
 O meio ambiente; e
 O desenvolvimento humano.
CONCEITO DE BIOSSEGURANÇA
MÓDULO

IDENTIDADE
PRÓPRIA PROCESSO

AÇÕES EDUCATIVAS CONDUTA

AGIR

(Costa,1996)
CONCEITO DE BIOSSEGURANÇA

TECNOLOGIA RISCO HOMEM


CONCEITO DE RISCO?

“Risco é definido por toda e qualquer possibilidade de


que algum elemento ou circunstância existente num
dado processo ou ambiente possa causar dano à saúde,
seja por meio de acidentes ou doenças”
A HISTÓRIA DA BIOSSEGURANÇA
1960 e 1970 1975

Indústria Califórnia

Minimização de riscos Asilomar


“Pela primeira vez se discutiu os aspectos
de proteção aos pesquisadores e demais
profissionais envolvidos nas áreas onde se
Práticas específicas realiza o projeto de pesquisa"
A HISTÓRIA DA BIOSSEGURANÇA
 Na década de 70 o foco voltava-se para a saúde do trabalhador frente aos
riscos biológicos no ambiente ocupacional;

 Nos anos 90, verificamos que a definição de biossegurança sofre mudanças


significativas;

 Em seminário realizado no Instituto Pasteur em Paris, inclui-se temas como


ética em pesquisa, meio ambiente, animais e processos envolvendo
tecnologia de DNA recombinante, em programas de biossegurança e
biotecnologia

 No Brasil Lei 11.105, de 25 de março de 2005;


LEITURA DE TEXTO
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 LEI 11.105

“Estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a


construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a
transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa,
a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o
descarte de organismos geneticamente modificados – OGM e seus
derivados”
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 LEI 11.105
 Dispõe sobre a Política Nacional de Biossegurança;
 Cria-se o Conselho Nacional de Biossegurança;
 Comissão Técnica Nacional de Biossegurança;
 Comissão Interna de Biossegurança;
 Sistema de Informações em Biossegurança;
 Da Responsabilidade Civil e Administrativa;
 Dos Crimes e das Penas
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 CONSELHO NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA:
 Órgão de assessoramento para a formulação e implementação da PNB;
 Fixar princípios e diretrizes para a ação administrativa dos órgãos e
entidades federais com competências sobre a matéria;
 Analisar quanto aos aspectos da conveniência e oportunidade
socioeconômicas e do interesse nacional, os pedidos de liberação para uso
comercial de OGM e seus derivados
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 CONSELHO NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA:
 Ministro de Estado da Casa Civil;
 Ministro da Justiça;
 Ministro da Ciência e Tecnologia;
 Ministro do Desenvolvimento Agrário;
 Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;
 Ministro da Saúde;
 Ministro do Meio Ambiente;
 Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior;
 Ministro das Relações Exteriores;
 Ministro da Defesa
 Secretário de Aquicultura e Pesca
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:

 Integrante do Ministério da Ciência e Tecnologia;

 Colegiado multidisciplinar de caráter consultivo e deliberativo;

 Apoio técnico e de assessoramento ao Governo Federal;

 Estabelecimento de normas técnicas de segurança;


.
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:
 Pareceres técnicos referentes à autorização para atividades que
envolvam pesquisa e uso comercial de OGM e seus derivados;

 Acompanhar o desenvolvimento e o progresso técnico-científico nas


áreas de biossegurança, biotecnologia, bioética;

 Proteger a saúde humana, dos animais e das plantas e do meio


ambiente.
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:

 12 Especialistas:

 3 (três) da área de saúde humana;

 3 (três) da área animal;

 3 (três) da área vegetal;

 3 (três) da área de meio ambiente.


NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:

 Um especialista em defesa do consumidor, indicado pelo Ministro da Justiça;

 Um especialista em meio ambiente, indicado pelo Ministro do Meio Ambiente;

 Um especialista em biotecnologia, indicado pelo Ministro da Agricultura, Pecuária e


Abastecimento;

 Um especialista em agricultura familiar, indicado pelo Ministro do Desenvolvimento


Agrário;
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:
 Cada membro efetivo terá um suplente, que participará dos trabalhos na ausência
do titular;

 O presidente será designado, pelo Ministro da Ciência e Tecnologia para um


mandato de 2 anos.
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE
BIOSSEGURANÇA:
 Cada membro efetivo terá um suplente, que participará dos trabalhos na ausência
do titular;

 O presidente será designado, pelo Ministro da Ciência e Tecnologia para um


mandato de 2 anos.
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 DOS CRIMES E DAS PENAS:
 Art. 24. Utilizar embrião humano em desacordo com o que dispõe o art. 5º:
Pena: detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa.

 Art. 25. Praticar engenharia genética em célula germinal humana, zigoto humano ou embrião
humano:
Pena: reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.

 Art. 26. Realizar clonagem humana:


Pena: reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.
NORMAS E LEGISLAÇÃO
 DOS CRIMES E DAS PENAS:
 Art. 27. Liberar ou descartar OGM no meio ambiente, em desacordo com as normas estabelecidas
pela CTNBio e pelos órgãos e entidades de registro e fiscalização:
Pena: reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.

 Art. 28. Utilizar, comercializar, registrar, patentear e licenciar tecnologias genéticas de restrição do
uso:
Pena: reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.

 Art. 29. Produzir, armazenar, transportar, comercializar, importar ou exportar OGM ou seus
derivados, sem autorização ou em desacordo com as normas estabelecidas pela CTNBio:
Pena: reclusão, de 1 (um) a 2 (dois) anos, e multa.
REFERÊNCIAS
BERG P.; BALTIMORE D.; BOYER H. W. et al. Potential biohazards of recombinant DNA molecules. [Letter] Science,
v. 185, n. 148, p. 303, 1974

BRASIL. Presidência da República. Lei 11.105. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-


2006/2005/lei/l11105.htm>. Acesso em 15 de janeiro de 2010.

COSTA, M. A. F.; COSTA, M. F. B. BIOSSEGURANÇA: elo estratégico de SST. Revista CIPA, n. 253, jan. 2002.
Disponível em: <http://www.fiocruz.br/biossegurancahospitalar/dados/material10.htm>

SOUSA, Álvaro Francisco Lopes de et al. Representações sociais da Enfermagem sobre biossegurança: saúde
ocupacional e o cuidar prevencionista. Rev. Bras. Enferm., Brasília , v. 69, n. 5, p. 864-871, 2016 . Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672016000500864&lng=en&nrm=iso>. Acesso:
15 Jan. 2019.

Fundação Oswaldo Cruz. Fiocruz Símbolos. Disponível em:


<http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/imagem/simbolos.htm>. Acesso: 15 Jan. 2019.