Você está na página 1de 45

CINESIOTERAPIA

Prof Tailon Gustavo


Fisioterapeuta
Crefito 9: 257.435/F
Definição
• ETIMOLOGIA DO TERMO = GREGA

• KINESIA = MOVIMENTO

• THÉRAPÉIA = TERAPIA

CONJUNTO DE TERAPIA PELO MOVIMENTO


INTRODUÇÃO
“Todas as partes do corpo que têm uma função, se
usadas com moderação e exercitadas em trabalhos
aos quais cada uma delas está acostumada, tornam-se
por esse meio saudáveis e bem desenvolvidas e
envelhecem lentamente; mas, se não forem usadas e
forem deixadas inativas, ficam sujeitas à doença, o
seu crescimento é defeituoso e envelhecem
rapidamente.”
Hipócrates
Hindus e chineses (1.000 a.C.) utilizavam os
exercícios terapêuticos no tratamento de lesões
atléticas.
PRIMEIROS REGISTROS ...
2000 a.C.
Utilização do Kung Fu por monges budistas na China
antiga;
- Prática de exercícios militares pelos súditos do
imperador chinês Yin Kang Chi como prevenção de
doenças causadas pelas chuvas.

800 a.C.
- O Atharva-Veda, IV volume do Ayur-Veda, na Índia
antiga, recomenda o uso de exercício e massagem para
tratamento do reumatismo crônico.

Século III a.C.


- Médicos brâmanes aplicam agentes físicos e exercícios
individuais para o tratamento de diferentes partes do
corpo.
• Asclepsia (Templos dedicados à Esculápio): Praticantes de
medicina sacerdotes-médicos, filósofos, ginastas);

• -Herodicus: desenvolveu a Ars Gymnastica;

• - Hipócrates: utilizou exercícios para o fortalecimento de


músculos enfraquecidos; no apressar da convalescença; na
melhoria das atitudes mentais;

• -Herophilus: descobre os nervos, órgãos das sensações e do


movimento voluntário.

• -25 a.C. -Cornelius Celsus: estuda a hemiplegia e nota que


“embora uma cura perfeita seja rara, é necessário fazer
exercícios graduais e caminhar tanto quanto possível” e sugere
exercícios e jogos de diversão para os dementes.
• 131 d.C. -Galeno: deve-se prestar atenção ao
corpo que executa exercícios, os quais devem ser
interrompidos assim que surjam sinais adversos. “O
melhor exercício é aquele que treina não só o corpo,
mas que também deleite o espírito”.

• Século II -Antyllus escreve sobre os abusos do


repouso e gradua os exercícios de acordo com a
parte do corpo que irá executá-los.
Roma Antiga
Século V - Caelius Aurelianus descreve pela primeira vez
conceitos como:

-Hidroginástica;
-Suspensão;
-Exercícios com pesos e roldanas.
-Exercícios progressivos de acordo com a recuperação do
paciente;
- Exercícios pós-operatórios, “Porque um pequeno movimento
adicional não pode provocar a reabertura da ferida; ele ajudará,
pelo contrário a restituir a força ao paciente durante o período da
recuperação.”
- Levantamento das sobrancelhas na paralisia do facial.

- Cristianismo x decadência do exercício físico (abolição dos Jogos


Olímpicos)
IDADE MÉDIA
- A medicina grega e romana é mantida viva pelos árabes
após aqueda do Império Romano.
- Avicenna descreve que para cada órgão existe um
exercício e que “se o homem exercitar o seu corpo pelos
movimentos e pelo trabalho em momentos apropriados, ele
não virá a necessitar nem de médicos nem de remédios.”
- Isaac Judaeus (Séc. X) escreve que “nada é mais
perigoso para a regulação da saúde do que a inatividade”.
- Arnold de Villanova (Séc. XIV) escreveu “entre outras
coisas... há necessidade de remédios, exercícios e alegria.”
IDADE MÉDIA SEC XV-XVI
Século XV
- Reintrodução da educação física nos programas educacionais.

Século XVI
- Leonard Fichs sugere a criação da “Terapia Cinética Educacional”
quando diz que, “há dois tipos de movimento, o primeiro é
simplesmente exercício, o segundo é exercício e trabalho”.

- Ambroise Paré acreditava que o exercício dos membros após


fraturas era indispensável.
- Hieronymus Mercurialis escreve “Da Arte da Ginástica”, onde
estabelece que:

- todos os exercícios devem conservar o estado de saúde existente;


- os exercícios devem ser adaptados a cada parte do corpo;
- todas as pessoas saudáveis devem executar exercícios com
regularidade;
-as pessoas doentes não devem fazer exercícios que possam piorar a
situação existente;
- para pacientes convalescentes devem-se prescrever exercícios
especiais para cada caso particular;
-as pessoas que levam vida sedentária precisam urgentemente de
exercícios.
SÉCULO XVIII
-Borelli traça o caminho para a escola iatromecânica ou
fisiátrica, influenciando Stahl, Hoffmann e Boerhaave;

- Hoffmann publica “Dissertações Físico-Médicas”, cujo


sexto capítulo foi intitulado “Do Movimento” e classifica os
movimentos ocupacionais como exercício;

- - Tissot recomenda a mobilização dos pacientes cirúrgicos


e cria a Terapia Ocupacional e Recreativa.
SÉCULO XIX
-Ling - Introdução da sistemática do exercício: dosagem,
número e direções detalhadas;
Criação dos termos exercícios semi-ativo e semi-passivo;

-John Shaw acreditava que alterações na curvatura da


coluna poderiam ser corrigidas por exercícios e massagens
alternados com períodos de repouso;

-Pravaz descreve uma roda de ombro com manípulo


ajustável;

-Gustav Zander cria máquinas para tratamentos por meio


de exercícios, utilizando alavancas, rodas e pesos.
SÉCULO XX
-Os especialistas em fisioterapia utilizavam principalmente a
eletroterapia, enquanto os exercícios terapêuticos era
domínio dos médicos. Na segunda guerra mundial o
exercício terapêutico passa a ser parte importante da
Fisioterapia;

- Klapp lança um método de tratamento para a deformidade


espinhal com os pacientes em posição prona;
- Lovett conclui que o treino muscular constitui a mais
importante das medidas terapêuticas iniciais na poliomielite;
- Olive Guthrie-Smith e Sir Arthur Porrit criam os
exercícios “eutônicos”;
- Goldthw ait e colaborado res, defendem que muitas lombalgias eram
correlacionadas a posturas ou hábitos defeituosos;

- Paul G. Williams associa exercícios posturais a técnicas respiratórias


criando os exercícios de Williams;

- Codman cria exercícios pendulares;

- Thomas DeLorme cria os Exercícios de Resistência Progressiva


(E.R.P.)

- Joseph Pilates cria o método de contrologia

- Herman Kabat cria o Método de Facilitação Neuromuscular


Propriocept iva (F.N.P.)
DEFINIÇÃO

É A DESIGNAÇÃO DOS PROCESSOS TERAPÊUTICOS QUE


VISAM A REABILITAÇÃO FUNCIONAL POR MEIO DA
REALIZAÇÃO DE MOVIMENTOS ATIVOS E PASSIVOS .
TEM COMO OBJETIVO PREVENIR, ELIMINAR OU
DIMINUIR OS DISTÚRBIOS DO MOVIMENTO E FUNÇÃO
OSTEOMUSCULAR (MUSCULOESQUELÉTICA).
MOVIMENTOS ATIVOS E PASSIVOS
ATIVO LIVRE : participação ativa e consciente do doente,
onde há execução voluntária dos seus movimentos.
ATIVO ASSISTIDO – Onde o paciente recebe ajuda
na finalização de cada movimento, o paciente não possui o
arco de movimento completo.
ATIVO RESISTIDO – Quando se coloca algum tipo de
força ou peso resistindo ao movimento pretendido.
CINESIOTERAPIA PASSIVA: engloba os meios e as
formas onde o paciente tem participação passiva.

O movimento é executado manualmente por um


terapeuta, quer seja por meio de aparelhagem especial, que
imitam os movimentos fisiológicos (exercícios físicos
passivos) ou realizam-se manipulações de diferentes
segmentos ou tecidos, com o auxílio de diversas metodologias
especiais .
GRAU Tipo de exercício
0 Passivo
1 Ativo Assistido
2 Ativo Assistido
3 Ativo Livre
4 Ativo Resistido
5 Ativo Resistido
Exercício terapêutico
TREINAMENTO PLANEJADO E SISTEMÁTICO DE
MOVIMENTOS CORPORAIS, POSTURAS OU
ATIVIDADES FÍSICAS, CUJO OBJETIVO É:

PREVENIR
FATORES DE TRATAMENTO E
RISCO DE PREVENÇÃO DE
PATOLOGIAS PATOLOGIAS
DIVERSAS MELHORAR,
RESTAURAR OU OTIMIZAR O
POTENCIALIZAR ESTADO DE
A FUNÇÃO SAÚDE
CINESIOLÓGICA.
Exercício terapêutico

FUNÇÃO INDEPENDÊNCIA

MOVIMENTO
Exercício terapêutico
Tecido muscular

Pele

Exercício Fáscia

Articulações

Metabolismo

Cardiovascular

Outras...
Exercício terapêutico

Programas individuais Programas coletivos


Modelo de incapacitação - CIF

- CIF: Classificação Internacional de Funcionalidade,


Incapacidade e Saúde

- Consequências funcionais sobre o sistema corporal


comprometendo o desempenho humano básico e habilidade
em desempenhar funções

-Incapacidade física, emocional, social, cognitiva


Funções do
Fatores que corpo

influenciam Fatores Estrutura do


diretamente a ambientais corpo

intervenção

Restrições
na
Exercício Deficiências
participação Terapêutico

Limitações
Atividade
da atividade

Participação
• Planos e eixos anatômicos
• Movimentos

REVISANDO...
FLEXÃO

diminuição do ângulo
de uma articulação ou
aproximação de duas
estrutura ósseas.
EXTENSÃO

aumento do ângulo de
uma articulação ou
afastar duas estruturas
ósseas.
FLEXÃO

diminuição do ângulo
de uma articulação ou
aproximação de duas
estrutura ósseas.
Rotação
Rotação medial / Interna:
gira a face anterior do
membro para dentro.

Rotação lateral / Externa:


gira a face anterior do
membro para fora.
ABDUÇÃO

afastar o membro do
eixo sagital mediano.
ADUÇÃO

aproximar o membro
do eixo sagital
mediano.
Pé:
Adução + Supinação (rotação medial) = inversão.

Abdução + Pronação (rotação lateral) = eversão.


Mão:
Rotação medial = pronação.
Rotação lateral = supinação.