Você está na página 1de 21

NR-13 VASOS DE PRESSÃO:

Disposições Gerais

•Vasos de pressão são equipamentos que


contêm fluidos sob pressão interna ou
externa.

• Esta NR deve ser aplicada aos seguintes


equipamentos:
- Qualquer vaso cujo produto ‘P.V’ seja
superior a 8 (oito), onde ‘P’ é a máxima
pressão de operação em Kpa e ‘V’ o seu
volume geométrico interno em m³.
Constitui risco grave e iminente a falta de
qualquer um dos seguintes itens:
•Válvula ou outro dispositivo de segurança com pressão de
abertura ajustada em valor igual ou inferior à PMTA, instalada
diretamente no vaso ou no sistema que o inclui;

•Dispositivo de segurança contra bloqueio inadvertido da


válvula quando esta não estiver instalada diretamente no vaso;

•Instrumento que indique a pressão de operação.

2
Todo vaso de pressão deve possuir , no
estabelecimento onde estiver instalado, a
seguinte documentação devidamente
instalada:
• Prontuário do vaso de pressão;

• Registro de segurança;

• Projeto de instalação;

• Projeto de alteração ou reparo;

• Relatórios de inspeção.

3
 Instalação de vasos de pressão
• Todo vaso de pressão dever ser instalado de modo que
todos os drenos, respiros, bocas de visita e indicadores
de nível, pressão e temperatura, quando existentes,
sejam facilmente acessíveis;

 Inspeção de segurança de vasos de


pressão
• Os vasos de pressão dever ser submetidas a inspeções
de segurança inicial, periódica e extraordinária.

• A inspeção de segurança inicial deve ser feita em vasos


novos, antes de sua entrada em funcionamento, no local
definitivo de instalação, devendo compreender exame
externo, interno e teste hidrostático.
4
ADEQUAÇÃO A NR-13 DOS VASOS
DE PRESSÃO DA COQUERIA 3
CONTRATO 4600088622

PROJETO PR-9168
LIÇÕES APRENDIDAS

5
APRESENTAÇÃO DO PROJETO

O projeto em questão refere-se a realização da adequação dos


175 vasos de pressão da Coqueria 3, no que tange os
aspectos da Lei 6.514 – Portaria 3.214 – NR-13 do MTE.
Os vasos de pressão foram fornecidos pela ACRE sendo
projetados e montados pela norma Chinesa GB-150 E 151.
A contratação inicial fazia menção há 100 vasos porém ao
longo do projeto foram surgindo novos vasos e retirados os
vasos que não atendiam a NR-13. Como resultado final foram
adequados 175 vasos de pressão.

6
NÚMEROS DO PROJETO

Total de vasos inicialmente contratados:100 vasos


Total de vasos adequados no final do projeto: 175 vasos

Total de relatórios emitidos: 1796 documentos técnicos

Quantidade de horas trabalhadas no projeto: 27134 horas trabalhadas

Quantidade de solda reparadas: 124 metros

Quantidade de trincas removidas: 99 metros

Efetivo direto no projeto: 31 colaboradores em Março

Contratados indiretamente: 11 colaboradores em Março

Calibração de válvulas de segurança: 60 itens de diversos diâmetros

7
COMENTÁRIOS SOBRE A NORMA CHINESA

National Standard of the people´s Republic of China GB-150 – 1999 – Pressure


Vessel
National Standard of the people´s Republic of China GB-151 – 1999 – Tubular
Heat Exchangers.

CÓPIA DO CÓDIGO ASME NA EDIÇÃO DE 1996.


NÃO PADRONIZA AS FORMAS PARA SUSTENTAÇÃO DE VASOS DE
PRESSÃO.
DEIXA SEMPRE UMA SAÍDA PARA O “TALENTO” DO PROJETISTA.
EXEMPLO: BASE DA TORRE DE AMÔNIA

8
COMENTÁRIOS SOBRE A NORMA CHINESA
TROCADORES HELICOIDAIS
IDENTIFICADO NA VIDEOSCOPIA UM DESVIO NA MONTAGEM DOS BOCAIS
TANGENCIAIS.

ESTE ITEM É REPROVADO


TAMBÉM PELA NORMA GB-150 INTERIOR DO BOCAL DO 04E-4202 A
– 1999 – PRESSURE VESSEL COM MESMO PROBLEMA NO BOCAL

9
LIÇÃO APRENDIDA SOBRA A APLICAÇÃO DO
CÓDIGO DO PROJETO

1 - A obrigatoriedade da aplicação do Código ASME


ou outro de tradição Internacional.
2 – Aprovação prévia da memória de cálculo e
desenhos de detalhamento antes da fabricação do
equipamento.
3 – Emissão de “Folha de dados” para vasos de
pressão (padronizando os materiais usados nos
acessórios, costado e tampos) para aprovação
prévia.

10
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
APLICAÇÃO DAS SEGUINTES TÉCNICAS
Medição de espessura;
Líquidos penetrantes;
Partículas Magnéticas;
Ultrassom;
Videoscopia;
Medição de dureza;
Réplica metalográfica;
Teste hidrostático;
Teste pneumático monitorado com EA;

11
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
TROCADORES HELICOIDAIS
•Montagem dos bocais tangenciais;
•Vazamento no teste hidrostático
•Reprovação do 04E4204A por inviabilidade do reparo.
DUST HOPER 1 ao 8
•Falta de penetração de bocais;
•Trinca nos cordões de solda;
•Falta de penetração nos cordões de solda
PULSE BAG FILTER
•Falta de penetração de bocais;
•Trinca nos cordões de solda;
RESFRIADOR DE GAS A/B/C
•Solda de selagem tubo/espelho inapropriada
•Trincas em soldas externas
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS
•Trincas em soldas externas
•Falta da solda de selagem no tampo superior
12
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
DUST HOPER 1 ao 8
1. Abertura para reparo na solda interna (USIMINAS);
2. Realizado inspeção (LP, PM e US) em 100% de amostragem
após o reparo
3. Validação com o Teste Hidrostático.

13
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
PULSE BAG FILTER
1. Reparos localizados em soldas externas (Sofles);
2. Reparo em soldas internas (reprovadas no US) - USIMINAS;
3. Reparo em trincas que notadamente estavam sob forte
concentração de tensão (Sofles);
4. Validação dos reparos com Teste pneumático monitorado
com EA;

14
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
RESFRIADORES DE GAS C
1. Reparos em soldas externas no costado (Sofles)
2. Teste pneumático para identificação de vazamentos;
3. Reparos nos tubos que apresentaram vazamentos;
4. Liberação para trabalho no máximo por 06 meses até a
realização do reparo definitivo , conforme definido em ATA de
reunião em conjunto com a USIMINAS.
RESFRIADORES DE GAS A/B
1. Reparos em soldas externas no costado (Sofles)
2. Reparo em definitivo nas soldas de selagem;
3. Teste de estanqueidade para validação do reparo;
4. Realização do teste hidrostático (lado tubos) na pressão de
6,4 kgf/cm²
5. Liberação para trabalho em definitivo.

15
COMENTÁRIOS SOBRE A FABRICAÇÃO DOS
VASOS DE PRESSÃO
PRECIPITADORES ELETROSTÁTICO A/B
1. Reparos em soldas externas no costado e selagam (Sofles)
2. Teste pneumático monitorado com EA para validação do
equipamento e evento NR-13;

16
10 LIÇÕES APRENDIDA NA INSPEÇÃO
TÉCNICA DE SEGURANÇA INICIAL DO
PROJETO COQUERIA 3
LIÇÕES APRENDIDAS NA DOCUMENTAÇÃO DO END
1. Aprovação formal dos relatórios de ensaios não destrutivos
realizados na fabricação para os equipamentos considerados
críticos. (assinatura do cliente).
2. Utilização de critérios internacionais na execução e
aprovação do END (ASME);
3. Utilização da língua Inglesa nos relatórios de END;
4. Exigência que os filmes radiográficos acompanhem os
relatórios de radiografia.
5. Cópia dos procedimentos de END anexados ao “Data book”
do equipamento.
6. Emissão do plano e soldagem para aprovação prévia.
7. Obrigatoriedade do “Data book” para todos os equipamentos
considerados vasos de pressão com pressões externas e
internas (independente se é considerado NR-13).

17
10 LIÇÕES APRENDIDA NA INSPEÇÃO
TÉCNICA DE SEGURANÇA INICIAL DO
PROJETO COQUERIA 3
8. A formalização do diligenciamento, com relatórios de
acompanhamento, durante toda as fases de fabricação para os
equipamentos críticos.
a. Os furos dos espelhos dos Resfriadores foram feitos “a mão
com maçarico”.
b. Haveria a necessidade do teste hidrostático intermediário (antes
do fechamento do tampo superior) nos trocadores helicoidais.
9. A inspeção de “EMBARQUE”.
a. Verifica-se a documentação;
b. Identificações de soldagem (sinetes);
c. Rastreablidade dos materiais aplicados, etc.
d. Certificados de calibração e embalagens das Válvulas de
segurança
10. Detalhamento dos dispositivos de segurança no Projeto.
a. Informar no descritivo do projeto as premissas de segurança
para variável de pressão alta ou vácuo (para vasos de pressão).
Preferencialmente atraves de HAZOP.

18
DEVER DE CASA PARA USIMINAS

Pendência NR-13 mais comuns, são:


a. Iluminação de emergência item 13.7.2;
b. Calibração de manômetros item 13.8.2;
c. Identificar os vasos de pressão no físico
13.6.3.1
d. Treinamento dos operadores em atendimento ao
item 13.8.3 e 13.8.8
Necessidade de análise de risco para validar os
sistema de segurança do projeto chinês para pressões
altas nos vasos de pressão sem PSV´s.

19
RECOMENDAÇÃO DE INSPEÇÃO

As inspeções técnicas de segurança inicial realizadas


foram executadas e aprovadas seguindo requisitos de
fabricação. Ao entrar em operação o equipamento
pode ser submetido a condições não previstas em
projeto (pressões e temperaturas altas, vibrações etc),
sendo assim, é recomendável a realização de
inspeção após 6 meses de operação nos
equipamentos que apresentaram problemas na
fabricação.

20
FIM
OBRIGADO

By Saulo Gilvan / Implantação Ipatinga


21