Você está na página 1de 26

MULTIPLIÇÃO GENÉTICA POR

EMBRIÕES IN VIVO E IN VITRO


Disciplina: Fisiologia da Reprodução Animal
Docente : CAMILLA FLAVIA PORTELA GOMES DA SILVA
Discentes: Aline Alves da Silva
Robson Oliveira

Vagner Santana

SANTA INÊS-BA
MULTIPLIÇÃO GENÉTICA POR
EMBRIÕES IN VIVO E IN VITRO
TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES

Está baseada no princípio da multiplicação, de forma acelerada, da progênie


(descendentes), de fêmeas (doadoras) consideradas superiores, dentro de cada
criatório.

Atualmente é a técnica mais acessível e de melhor aproveitamento de uma


doadora, multiplicando seu material genético.
IMPOTÂNCIA DA TÉCNICA :

•É um importante instrumento para acelerar o processo de seleção animal,


ampliando a capacidade de multiplicação de animais geneticamente
superiores.
O que é fertilização in vitro?

Promoção do encontro do ovócito II com o espermatozóide


fora do organismo feminino;
Normalmente esse encontro aconteceria na tuba uterina;

É uma técnica de importância crescente


para o melhoramento genético.
FERTILIZAÇÃO IN VITRO?

Podem contribuir decisivamente para maior eficiência


reprodutiva nos rebanhos de elite, pois são instrumentos de
multiplicação rápida do material genético melhorado,
determinando o encurtamento do intervalo entre gerações, o
que permite a intensificação da seleção, aspectos
fundamentais para o avanço do melhoramento genético.
Esta técnica permite que uma reprodutora produza centenas de
bezerros em um mesmo ano, além de evitar o descarte precoce de
fêmeas geneticamente privilegiadas, portadoras de alterações
adquiridas que impeçam que a reprodução ocorra de forma natural

É feita em 5 etapas
1. Aspiração folicular;
2. Maturação ovocitária;
3. Fecundação;
4. Cultivo embrionário;
5. Transferência dos embriões.
SEXAGEM
A técnica de sexagem permite distinguir o sexo do animal antes de nascer
na fertilização.
CLONAGEM ANIMAL
• Biotecnologia que consiste na produção de indivíduos geneticamente iguais a
partir de uma célula-mãe;
TIPOS DE CLONAGEM

CLONAGEM NATURAL CLONAGEM INDUZIDA


DESENVOLVIMENTO DE BIOTÉCNICAS

 Clonagem por transferência nuclear;


 Transgênese;
Sexagem de espermatozóides e embriões;
Preservação de oócitos e embriões;
Além da MOIFOPA.
Piv tem sido também empregada em situações especiais de infertilidade animal com
enfoques bastante diferenciados;
 Na produção animal, particularmente nos bovinos, a utilização da PIV ainda é limitada em
função da inconsistência dos resultados referentes às taxas e qualidade de mórulas e
blastocistos, do custo inicial para construção da infra-estrutura e do tempo consumido para
executar a rotina de produção de embriões que vai desde a punção folicular in vivo até o
desenvolvimento in vitro de embriões;
A PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES (PIV) ENVOLVE AS
ETAPAS:

O procedimento envolve a coleta de oócitos dos folículos


ovarianos, completando três etapas biológicas:

•Maturação in vitro dos oócitos (MIV);


•Fecundação in vitro (FIV);
•Cultivo in vitro (CIV);
COLHEITA DE OÓCITOS
PRINCIPAIS ETAPAS DA PRODUÇÃO IN VITRO DE
EMBRIÕES
CAPACITAÇÃO DOS ESPERMATOZÓIDES.

Alteração funcional do espermatozóide que ocorre na


tuba uterina ; 2-6 horas

Aumento da taxa de batimento do flagelo

REAÇÃO ACROSSÔMICA:
•Permite a fusão do espermatozóide com o oócito;
•Fragmentação do acrossoma e liberação de enzimas proteolíticas;
MATURAÇÃOIN VITRO DE OÓCITOS (MIV)

Ao contrário do espermatozóide, após a liberação da gônada o oócito não requer


exposição ao trato reprodutivo para ser fértil;

Os oócitos podem ser coletados por dissecação, fatiamento ou aspiração. A técnica


de dissecação permite o isolamento de folículos individuais; o fatiamento de tecidos
O espermatozoide passa pela corona radiata (2), penetra na zona pelúcida (2 e 3) e, por
fim, as membranas fundem-se (4)
Figura 1

Espermatozóides: (A) capacitado; (B) não capacitado; (C) morto.


Microscópio DE epifluorescência, aumento DE 400X.
 Maturação;

 Fecundação

 Cultivação ou co-cultivo de zigoto e Estrutura Embrionária;


Define-se como produção in vitro de embriões,
a biotécnica que produz embriões em
condições artificiais

Uma das vantagens da transferência de


embriões está na quantidade de bezerros que
ela pode gerar. Pelo método convencional por
exemplo, uma vaca produz um bezerro por
ano, pela técnica transferência de embriões,
pode gerar de 50 a 150 filhos por ano, usando
várias receptoras.

aspiração folicular, Fecundação In-Vitro (FIV)


IMPORTÂNCIA DA TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES

A TE oferece uma série de vantagens para a seleção zootécnica com

conseqüente reflexo sobre a produção animal, existindo, por isso, uma

série de aplicações de importância zootécnica, biotécnica e comercial;

• Selecionar quem será as mães;


• Controle da Transmissão de Doenças Infecto-Contagiosas;
• A transferência de embriões (TE) proporciona um melhor aproveitamento de
matrizes de elevado mérito genérico, podendo aumentar, em média, 10 vezes o
número de crias por ano. Com o advento da produção in vitro de embriões (PIV)
esse potencial de multiplicação se torna ainda maior.
• Escolher o sexo do animal;